Sharecare apresenta 5 maneiras de inovação tecnológica para contribuir com a gestão de saúde 624

Sharecare apresenta 5 maneiras de inovação tecnológica para contribuir com a gestão de saúde

Ideia é buscar soluções que otimizem processos e promovam a competitividade

O total de beneficiários de planos de saúde diminuiu 0,3% entre julho de 2018 e o mesmo mês de 2019. O índice parece baixo, mas representa 133,3 mil vínculos. O motivo é o mesmo desde 2014: a crise. O cenário fez com que fossem perdidos mais de três milhões de usuários desde então. Como mudar o cenário? A resposta é: por meio da inovação tecnológica.

A ideia é buscar soluções que otimizem a gestão em saúde. Para fazer isso, a inovação é o caminho necessário. Essa é uma forma de atentar às modificações ocorridas no mercado, conquistar competitividade, aumentar a produtividade da equipe e a administração financeira da operadora.

Como a tecnologia pode ser um diferencial para o negócio? De que forma a gestão de saúde é aperfeiçoada com a inovação e a implementação de ferramentas? A Sharecare elaborou 5 maneiras de alcançar esse propósito, confira:

1. Aumento da segurança das informações

Os pacientes têm direito a manter seus dados confidenciais — e essa é uma exigência da legislação, especialmente com a entrada em vigor da nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Por isso, é preciso contar com um sistema que armazene os dados com recursos de criptografia.

Essa ferramenta torna os dados inelegíveis para pessoas não autorizadas. Por isso, ainda que haja uma invasão ao sistema, as informações permanecem protegidas. Para uma operadora de saúde, isso representa confiabilidade e vantagem competitiva.

Por meio dos dados, você descobre informações que ajudam a implementar programas de medicina preventiva e preditiva. Junto a ferramentas de inteligência artificial, big data e internet das coisas (IoT), o foco deixa de ser a doença e se torna a prevenção.

Isso porque há melhoria do gerenciamento de risco. Com dados centralizados e processos definidos, a operadora tem acesso a números mais precisos, que direcionam as ações. O resultado é o aumento da eficiência e a redução de custos, porque você identifica o que faz a diferença para o contexto do plano de saúde.

Em outras palavras, é estabelecida uma gestão mais estratégica, que permite coletar informações seguras e que fornecem uma visão completa da empresa, podendo ser feita em nível macro ou micro. Mas o que isso tem a ver com segurança da informação? Tudo! Com uma solução adequada, as informações são mantidas preservadas, especialmente se a plataforma funcionar em nuvem. Essa tecnologia protege os dados, trabalha com criptografia e outros recursos de proteção.

Além disso, o sistema é acessado a partir de qualquer dispositivo com internet. Com isso, há um controle rigoroso no acesso a programas, aplicações, rede e arquivos de dados. Mais que a preservação contra invasores, também evita que os dados sejam vazados ou alterados.

Portanto, a prática traz benefícios à confiabilidade e eficiência da gestão. Ainda evita prejuízos derivados da falta de segurança. Para se ter uma ideia, o Brasil é o 4º país no volume de informações vazadas devido a incidentes relativos a vazamentos e invasões maliciosas a sistemas.

Cada um deles gerou 26.523 registros de informação divulgados. O resultado é um prejuízo de 1,35 milhão de dólares por episódio e de 69 dólares por registro. Assim, fica claro que, mais que voltar as ações para o cuidado com o beneficiário, a operadora é protegida de perdas financeiras.

2. Eficiência na gestão

Em tempos de inovação tecnológica, a eficiência na gestão é um dos pontos principais. Para alcançar esse propósito, é necessário contar com softwares, que unificam os dados e fornecem relatórios precisos.

A TI é um dos aspectos cruciais para otimizar os processos, reduzir custos e organizar as informações. Como consequência, há mais chance de se alcançar os objetivos traçados, conforme estabelecido no planejamento estratégico.

Um exemplo simples é o uso do CRM, software de gestão do relacionamento com os clientes. Com essa ferramenta, as informações dos usuários são registradas de forma integrada e organizada. Você percebe, por exemplo, quem tem um uso mais massivo do plano de saúde, identifica potenciais desperdícios e antecipa necessidades.

Com um sistema de gestão empresarial (ERP), fica mais fácil saber como estão as finanças do negócio, o pagamento de parceiros, possíveis inadimplências dos beneficiários e mais. Ainda, é possível otimizar o agendamento online de procedimentos e consultas e até o gerenciamento de mídias sociais.

Os sistemas tecnológicos de inovação, portanto, otimizam as rotinas importantes, padronizam tarefas e processos. Outros benefícios alcançados são:

  • controle dos processos, com identificação de problemas recorrentes e possibilidade de revisão dos contratos, conforme o perfil dos beneficiários;
  • desenvolvimento de ações específicas por grupo de clientes, com maior facilidade de comunicação e iniciativas que ajudam a informar e esclarecer os usuários;
  • planejamento realista dos custos para melhorar a negociação com clínicas, hospitais, laboratórios e médicos e evitar imprevistos. Desse modo, você define cláusulas importantes para os contratos e limites para a cobrança do tipo fee for service;
  • padronização de processos, desde o credenciamento de médicos até o atendimento de pontos de assistência ao beneficiário. Ainda há agilização das operações e melhoria dos fluxos de gestão;
  • alinhamento do gerenciamento comercial à estratégia da operadora para equilibrar a relação entre entradas e saídas de beneficiários. Por exemplo, o sistema impede a realização de pagamentos indevidos nos comissionamentos;
  • verificação de cumprimento das regras da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), com possibilidade de aperfeiçoar os índices de desempenho (IDSS). Com isso, há melhoria dos indicadores de qualidade;
  • centralização das informações, com facilidade de acesso e simplificação das tomadas de decisão.

3. Crescimento do controle financeiro

As operadoras de saúde precisam ter resultados contínuos, a fim de cumprir as garantias exigidas pela ANS. Cuidar da gestão financeira, portanto, é um dos aspectos primordiais.

A prática deve ser executada sem se esquecer a qualidade assistencial. Como trilhar um caminho sustentável? Novamente, a inovação tecnológica contribui para os resultados. Com um sistema adequado, você tem acesso a dados precisos de receitas e despesas, entre outros fatores.

Com um banco de dados alimentado por inteligência artificial, por exemplo, você ainda acompanha os processos adotados por profissionais da saúde. A partir disso, é possível criar manuais de procedimentos médicos, sistemas de bônus por eficiência e o que mais achar necessário para ajudar a operadora a crescer.

Existem várias soluções que contribuem para um bom controle financeiro. Algumas disponíveis no mercado são:

  • MV Operadoras de Saúde: facilita o controle dos processos financeiros, gerenciais e administrativos para simplificar a gestão de contratos e beneficiários, processamentos e auditorias de contas, atividades comerciais e mais;
  • ERP Pirâmide, da Procenge: trabalha com o controle financeiro e de sinistralidade, atendimento das exigências da ANS e melhoria da gestão;
  • SoftExpert: padroniza os processos de gerenciamento e conformidade, reduz as atividades manuais e contribui para o aumento da produtividade e redução de custos;
  • Saúde – TOTVS: integra as informações e processos por meio da interoperabilidade, além de controlar custos e padronizar atividades.

Para implementar alguma dessas soluções, é preciso entrar em contato com a empresa e fazer uma mudança cultural na operadora. Os colaboradores devem mudar sua mentalidade para aproveitaram o potencial máximo. Ainda, é preciso treiná-los para utilizarem as ferramentas.

4. Redução de desperdícios e fraudes

Um dos maiores problemas dos planos de saúde são as fraudes e os procedimentos desnecessários. Para você ter uma ideia, o impacto é de R$20 bilhões por ano, com perdas equivalentes a 15% das despesas assistenciais. Do total, R$11 bilhões foram gastos com hospital e o restante com exames.

Essas duas variáveis são um dos principais gargalos enfrentados na gestão. Elas aumentam a taxa de sinistralidade devido ao alto número de procedimentos solicitados. No entanto, é possível reverter o cenário.

Além de trabalhar a conscientização dos colaboradores, investir na assistência primária e contar com uma equipe parceira, é preciso contar com soluções voltadas para a saúde. A ideia é implementar a inovação tecnológica a partir da gestão integrada.

Por exemplo, por meio de uma plataforma que identifica grupos de risco, é possível tomar decisões acertadas, que contribuem para a melhoria da saúde dessa população. Para a gestão de crônicos, por exemplo, os dados permitem diminuir as complicações de doenças já instaladas.

5. Diminuição das reinternações

Você sabia que 10,55% dos pacientes voltam a se internar depois de 30 dias? Esse é outro fator que pode ser aprimorado com a inovação tecnológica. Com uma plataforma especializada, você oferece um atendimento integrado, com foco na saúde digital e humanizada.

Esse objetivo pode ser alcançado com inteligência artificial e outros recursos tecnológicos de inovação. Com esses sistemas, você recebe os dados em tempo real e tem uma base maior para tomar decisões.

Você ainda pode investir na telemedicina. Dados de um projeto demonstram que os custos de atendimento reduziram 27% com essa prática e as hospitalizações diminuíram 45%. Assim, você consegue alcançar um patamar diferenciado.

Outro fator que interfere de maneira positiva são os apps. Com eles, o beneficiário cuida mais da saúde e você pode coletar dados sobre seus hábitos. Desse modo, cria ações acertadas para fazer um bom gerenciamento de risco.

Como você viu, as inovações tecnológicas permitem alcançar vários benefícios — basta usar os recursos de forma adequada. Sempre foque a saúde integrada, com acesso fácil aos dados. Assim, você toma decisões melhores e financeiramente sustentável para a operadora.

CSP-MG é agraciado com a Medalha do Mérito Segurador 684

CSP-MG é agraciado com a Medalha do Mérito Segurador

Maior Honraria do mercado foi concedida pelo SindSeg MG/GO/MT/DF

O Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG) recebeu a Medalha do Mérito Segurador, conferida pelo SindSeg MG/GO/MT/DF, durante a confraternização do setor, realizada no dia 29 de novembro, no Espaço Ilustríssimo, em Belo Horizonte.

A comenda é destinada a personalidades do mercado, instituições, e membros da sociedade civil que se destacam pelo desenvolvimento do mercado de seguros.

João Paulo Mello: “honraria é a mais importante que o Clube recebeu ao longo de sua trajetória”
João Paulo Mello: “honraria é a mais importante que o Clube recebeu ao longo de sua trajetória”

Muito emocionados, o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, e o vice-presidente, Sergio Prates Nogueira Filho, receberam a medalha das mãos do presidente do Sindicato das Seguradoras, Augusto Frederico Costa Rosa de Matos.

“Agradeço ao presidente e à toda diretoria por reconhecer o trabalho do Clube, cuja missão é disseminar a cultura dos seguros de pessoas no Estado e no País. Essa honraria é consequência de um trabalho sério e muito dedicado que completou nove anos. Muitas pessoas contribuíram para que chegássemos até aqui”, ressaltou Mello. E completou: “certamente o SindSeg é um dos principais incentivadores do CSP-MG desde sua fundação, junto com o Sincor-MG e a Escola de Negócios e Seguros, além das beneméritas que acreditam na instituição e a sustentam financeiramente. Estamos honrados e felizes com essa homenagem, a mais importante que recebemos ao longo da trajetória da instituição”.

Também estiveram presentes na solenidade os diretores, assessores e conselheiros do CSP-MG, entre eles Rogério Gebin, Mauricio Tadeu, José Bregunci, Hélio Loreno, Juliana Queiroz, Fernanda Machado, Landulfo Ferreira, Ronaldo Gama, Eduardo Diniz, Leandro Godinho, Giuliano Baeta, Elizabet Fonseca e Denize Pena.

Augusto Matos, presidente do SindSeg MG/GO/MT/DF, entrega a medalha ao presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, e ao vice-presidente da entidade, Sergio Prates
Augusto Matos, presidente do SindSeg MG/GO/MT/DF, entrega a medalha ao presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, e ao vice-presidente da entidade, Sergio Prates

Este ano, além do CSP-MG, o SindSeg MG/GO/MT/DF também homenageou as seguintes entidades: Clube dos Corretores de Seguros de Minas Gerais (Clubcor-MG), Associação das Agências, Assessorias e Consultorias de Seguros do Estado de Minas Gerais (Aconseg-MG), Clube da Bolinha de Minas Gerais e a Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP).

Aconseg-MG prestigia confraternização da Aconseg-SP 348

Aconseg-MG prestigia confraternização da Aconseg-SP

Jader Abreu, atual presidente, e Robson Carneiro, presidente eleito da entidade mineira, participaram do evento

O recém-eleito presidente da Aconseg-MG, Robson Augusto Carneiro, e o atual presidente da entidade, Jader Pereira de Abreu Filho, prestigiaram o evento de confraternização da Aconseg-SP, que ocorreu no dia 26 de novembro, na capital paulista.

Na ocasião, foi apresentada a nova diretoria da Aconseg-SP, que será comandada, a partir de janeiro do próximo ano, pelo empresário Helio Opipari Junior. O executivo reforçou o compromisso da nova gestão “de atuar pela construção de um ambiente colaborativo, ético e de boa convivência, buscando sempre as melhores práticas do mercado”.

Robson Carneiro (presidente eleito da Aconseg-MG), José Aldalberto Ferrara (presidente da Tokio Marine Seguradora) e Jader Abreu (atual presidente da entidade), durante jantar comemorativo da Aconseg-SP / Divulgação (Aconseg-SP)
Robson Carneiro (presidente eleito da Aconseg-MG), José Aldalberto Ferrara (presidente da Tokio Marine Seguradora) e Jader Abreu (atual presidente da entidade), durante jantar comemorativo da Aconseg-SP / Divulgação (Aconseg-SP)

Jader Abreu elogiou o trabalho desenvolvido pela Aconseg-SP. “Desde sua fundação, a instituição tem colaborado de forma significativa para a evolução do mercado de assessorias. O atual presidente Marcos Colantonio e toda diretoria estão de parabéns. Que a nova gestão seja bem-sucedida em seus objetivos.”, ressaltou.

Robson Carneiro parabenizou a entidade paulistana pelo acontecimento. “Foi de grande relevância a nossa participação no jantar comemorativo da Aconseg-SP. A confraternização foi marcada pela perspectiva positiva a respeito do crescimento do mercado nos próximos anos. Em conversa com as principais lideranças das seguradoras, percebemos o otimismo de todos. Parabenizo a diretoria da entidade pelo excelente evento e desejo sucesso para os próximos anos”, enfatizou o empresário, que estará à frente da Aconseg-MG no biênio 2020/2021.

Simetria Brasil firma parceria com Sindvan 564

Simetria Brasil firma parceria com Sindvan

Instituições negociaram condições especiais para ofertar planos de saúde aos associados do Sindicato

O plano de saúde é uma das conquistas mais desejadas pelos brasileiros. Os associados do Sindicato das Empresas de Transporte de Turismo e Locação de Vans, Micro-Ônibus e Ônibus do Estado de Minas Gerais (Sindvan-MG) já podem contar com o benefício por meio da parceria exclusiva entre o Grupo Simetria Brasil, Affiance Life Administradora de Benefícios em Saúde e a operadora SAUDE Sistema.

Líder na comercialização de planos de saúde e odontológicos no mercado mineiro, a Simetria fará a distribuição do produto e o atendimento exclusivo aos associados do Sindvan.

“Com a nossa expertise no setor conseguimos negociar com a operadora descontos de até 50% na contratação do plano de saúde coletivo por adesão”, anuncia o diretor-executivo da empresa, André Beraldo de Morais.

Para Morais, a parceria possibilita “ganhos expressivos” aos trabalhadores do ramo, pois garante acesso ao benefício com preços realmente adequados à realidade dos associados.

Os interessados em aderir ao plano de saúde podem entrar em contato pelo telefone (31) 3207-8090 ou neste site.

Tokio Marine cria cobertura para carregadores de carros elétricos instalados em condomínios 689

Tokio Marine cria cobertura para carregadores de carros elétricos instalados em condomínios

Modalidades Condomínio e Residencial oferecem segurança aos equipamentos contra incêndio, danos elétricos, roubo e subtração de bens

A Tokio Marine — uma das maiores Seguradoras do País — acaba de disponibilizar, nos produtos Tokio Marine Condomínio e Tokio Marine Residencial, novas coberturas que garantem proteção a equipamentos de recarga de bateria para carros elétricos. O novo serviço está alinhado às mais novas tendências de mobilidade e a um projeto de cidade que mira em relações de consumo mais sustentáveis.

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), até outubro foram vendidos 7,43 mil modelos de automóveis híbridos ou elétricos no Brasil, ante 3,97 mil em todo o ano passado. Como consequência desse mercado em expansão, muitos prédios e condomínios residenciais já estão considerando a instalação de pontos de abastecimento desde a sua construção. A adequação também é considerada um diferencial para os condomínios já existentes, a fim de atender a uma demanda cada vez mais comum entre seus moradores.

“Em ambos os casos, há a necessidade de um investimento relevante para a aquisição e instalação dos carregadores, que, por consequência, demandam proteção. Trata-se de um patrimônio comum dos condôminos que diferencia o empreendimento e, a longo prazo, pode trazer conforto e praticidade aos moradores”, explica Arnaldo Bechara, Diretor de Precificação e RD Massificados da Tokio Marine.

A partir de agora, tanto as apólices vigentes quanto as novas apólices do Tokio Marine Condomínio e Tokio Marine Residencial oferecem proteção contra incêndio, danos elétricos, roubo e subtração de bens, sem nenhum custo adicional aos Segurados. “São 50 mil condomínios e 250 mil residências em nossa carteira que já podem se beneficiar com mais essa proteção”, completa Bechara.

Uma curiosidade, que comprova a proximidade da Tokio Marine com seus Corretores e a visão da Companhia para a inovação em seus produtos, é sobre como o serviço passou a ser estudado para inclusão no portfólio da Seguradora. A ideia partiu de um Parceiro de Negócios que já atendia um condomínio com a instalação do equipamento. “Isso mostra como estamos próximos dos Corretores e das Assessorias e, de fato, o quanto levamos em consideração suas avaliações. Eles são os agentes mais próximos dos Clientes, capazes de identificar com maior facilidade as necessidades diárias que se apresentam e é nosso compromisso desenvolver soluções cada vez mais aderentes, que muitas vezes antecipam demandas futuras de mercado”, ressalta o executivo.

IESS reúne especialistas para debater LGPD e telessaúde no Brasil 765

IESS reúne especialistas para debater LGPD e telessaúde no Brasil

Encontro acontece nesta quarta-feira, em São Paulo

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) realiza o seminário “Transformação Digital na Saúde” nesta quarta-feira (11 de dezembro), a partir das 8h30min, no hotel Tivoli Mofarrej (Al. Santos, 1.437), em São Paulo. O evento reunirá alguns dos maiores especialistas do País para debater os impactos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) na saúde e o potencial de transformação das novas tecnologias em telessaúde.

Confira a lista de debatedores:

• Camilla Jimene, sócia da Opice Blum Advogados e professora do MBA de Direito Eletrônico da Escola Paulista de Direito (EPD)

• Dr. Carlos Alfredo Lobo Jasmin, diretor da Associação Médica Brasileira (AMB)

• Dr. Chao Lung Wen, professor líder do grupo de pesquisa de telemedicina da Universidade de São Paulo (USP)

• Leandro Fonseca, diretor presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

• Dr. Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

• José Cechin, ex-ministro da previdência e superintendente executivo do IESS

Durante o evento, também será realizada a cerimônia solene de entrega do IX Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar, com apresentação dos avaliadores (Dr. Alberto Ogata, diretor da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV); Antonio Carlos Campino, professor da Universidade de São Paulo (USP); e, Luiz Felipe Conde, advogado sócio do escritório Conde & Advogados sobre a aplicabilidade dos estudos laureados.

Confira a programação completa:

8h30min – Welcome coffee

9h00 – Abertura

José Cechin, superintendente executivo do IESS

9h20 – Apresentação dos vencedores do IX Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar

Dr. Alberto Ogata, diretor da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV) e avaliador da categoria Promoção da Saúde, Qualidade de Vida e Gestão da Saúde

Antonio Carlos Campino, economista, professor da Universidade de São Paulo (USP) e avaliador da categoria Economia

Luiz Felipe Conde, advogado sócio do escritório Conde & Advogados e avaliador da categoria Direito

9h50 – Coffee break e exposição de pôsteres

10h30 – Palestra 1 – Transformação digital na saúde e impactos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

Camilla Jimene, sócia da Opice Blum Advogados e professora do MBA de Direito Eletrônico da Escola Paulista de Direito (EPD)

11h00 – Palestra 2 – Telessaúde e telemedicina: desafios para uma nova era de cuidados

Dr. Chao Lung Wen, professor líder do grupo de pesquisa de telemedicina da Universidade de São Paulo (USP)

11h30 – Debate – Uma visão integrada dos desafios da transformação digital na saúde

Debatedores:

Camilla Jimene

Dr. Carlos Alfredo Lobo Jasmin, diretor da Associação Médica Brasileira (AMB)

Dr. Chao Lung Wen

Leandro Fonseca, diretor presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

Dr. Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

Mediação: José Cechin

12h30 – Encerramento