SindSeg RS realiza confraternização de final de ano e anuncia novidade 1664

SindSeg RS realiza confraternização de final de ano e anuncia novidade

Em fevereiro, Guacir Bueno passará a presidência da entidade a Guilherme Bini

A sexta-feira, 29, foi especial para os convidados do Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg RS). O motivo foi a confraternização de final de ano da entidade, em estilo intimista e com detalhes pensados nos mínimos detalhes pela equipe do Sindicato, digno de um encerramento de ano.

Para o presidente Guacir Bueno, que comanda a entidade pelo segundo mandato, em 2019 o mercado de seguros deve agradecer por chegar mais uma vez com números de crescimento interessantíssimos e profissionais qualificados. “Foi um ano de muita superação e trabalho, onde mais uma vez o nosso setor mostrou toda a sua resiliência e importância, crescendo muito acima da inflação mesmo com todas as dificuldades”, destacou. “Eu particularmente tenho muito a a agradecer, por ter tido a oportunidade de ficar quatro anos à frente do Sindicato e nesse período ter feito incontáveis novos amigos, obtido o apoio imprescindível da diretoria, dos colaboradores Rubaiarte, Margareth, Edimilson e Terezinha, dos representantes e membros de todas as entidades do nosso setor e com elas ter estreitado os laços de parceria”, acrescentou.

No dia 15 de fevereiro, o SindSeg RS contará com um novo presidente e uma nova diretoria. A novidade, anunciada por Bueno, é que Guilherme Bini, diretor da Territorial Rio Grande do Sul e Santa Catarina da Mapfre, será o novo presidente.

O momento também contou com uma contribuição dos convidados a Confraria da Solidariedade (Confrasol), que passou às mãos de Celso Azevedo a quantia de R$ 870. “Esse valor ajudará uma entidade muito especial lá em Canoas, de pessoas carentes que estão precisando de auxílio principalmente neste final de ano. Muito obrigado, isso fará muita diferença para eles”, comentou Azevedo.

Confraternização de final de ano do SindSeg RS – Todas as imagens:

Conheça a trajetória de Reinaldo Costa, fundador da R7 Saúde 969

Profissional conta com 21 anos de experiência no mercado de corretagem e seguros

Reinaldo Costa, carioca de 39 anos, iniciou sua carreira na área de seguros aos 18 anos como office-boy em uma corretora. Foi nessa fase de sua vida que ele conheceu o fundador do JRS, Jota Carvalho. Costa lembra que “(ele) me ajudou a dar os primeiros passos no mercado”. No início de 2019, ele fundou a R7 Saúde. A ideia de trabalhar nessa área veio da sua experiência no segmento: “trabalhei durante quatro anos como executivo em uma operadora de planos de saúde, sendo o responsável por todos os planos coletivos por adesão no Rio Grande do Sul. Ao encerrar minhas atividades junto a essa empresa, tive a opção de aceitar alguns convites ou empreender. Assim nasceu a R7 Saúde”.

Além de empreendedor, ele também é casado com Amanda Romero Costa, sua companheira de vida e trabalho, e é pai de uma menina chamada Melissa. A sede da família e da empresa é em Porto Alegre, com previsão de abertura de uma unidade em Florianópolis, capital catarinense, em março de 2020. A R7 possui clientela espalhada em todo o país, mas com atendimentos prioritários ao Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Ao pontuar os diferenciais da empresa, ele afirma que “somos totalmente focados no mercado de plano de saúde e já reconhecidos pelos clientes, parceiros de negócios e mercado em geral como especialistas no segmento. Hoje contamos com equipe de 22 consultores nos dois Estados”. O empreendedor refere-se a sua equipe como “família R7” que, segundo ele mesmo, “é treinada para realizar uma customização para a realidade de cada situação apresentada pelos nossos clientes e principalmente a continuidade do vínculo com o cliente no pós-vendas que entendo ser extremamente importante”. A família de colaboradores da R7 possui treinamentos semanais que buscam aprimoramento sobre produto, atendimento e pós-vendas.

Reinaldo considera-se um empreendedor nato. “Empreender está no meu DNA e no mercado de saúde há muito espaço para empreender, existe muito do mesmo”, afirma. Ele pretende ampliar e inovar os negócios: “além da corretora, tenho um projeto, em fase avançada, de uma clínica médica em parceria com uma empresária do segmento e uma entidade de classe. Outro projeto, que será implantado no início de 2021, refere-se a um cartão e um aplicativo, disponíveis aos clientes da R7 Saúde, onde eles terão acesso gratuito a uma rede de desconto em diversos estabelecimentos, isso trará um vínculo ainda maior com nossa empresa”. Otimista, o empresário possui fé no trabalho e diz que “o sucesso de uma empresa é o resultado do trabalho de uma grande equipe”. “Aprendi com um grande amigo o seguinte lema: ninguém faz nada sozinho”, conclui ao referir-se a emblemática frase de Jota Carvalho.

Análise de dados pode desenvolver o mercado de seguros médicos e salvar vidas 523

Uma boa gestão da jornada do beneficiário pode ser aliada da medicina preventiva

A área da saúde começa a se adaptar com as novas demandas da transformação digital e passa a utilizar dados a fim de trabalhar de forma preventiva, tratando de fato a saúde dos beneficiários, e não a doença. A tecnologia de análise de grandes volumes de dados já vem mostrando resultados em grandes prestadores de saúde e seguradoras.

Por exemplo, um plano de saúde pode mensurar todas as idas de um paciente a um pronto socorro. Se a análise de dados é bem feita, essa ida recorrente ao PS pode disparar um alerta para um médico especialista analisar o caso e também um alerta para o paciente, a fim de agendar um atendimento de emergência com esse médico especialista. Após receber o atendimento personalizado, o paciente recebe o diagnóstico de uma doença crítica, mas que por estar em estágio inicial pode receber um tratamento adequado e eficiente.

Essa história é um caso real e mostra como o uso de dados de forma proativa e a boa gestão da jornada do beneficiário podem, além de salvar vidas, reduzir custos de tratamentos e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. O aumento da expectativa de vida do brasileiro, que chegou a 76,3 anos em 2019, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, cada vez mais, as pessoas estão preocupadas com prevenção e promoção da saúde.

Para que os planos de saúde consigam gerenciar o relacionamento com seu beneficiário de forma personalizada e em escala, é necessário utilizar a tecnologia, e, principalmente, a análise de dados. Apenas dessa forma é possível fazer a gestão da jornada do paciente de forma completa, desde a central de relacionamento, até o atendimento clínico.

Seguradoras e hospitais podem otimizar serviços e melhorar a experiência de seus clientes e pacientes com a utilização de plataformas de dados acionáveis. “Percebemos que a área da saúde tem muitas oportunidades para a análise de dados, isso porque muitos dos dados já são registrados e armazenados, mas ainda não são utilizados de forma assertiva a fim de gerar ações preventivas nos beneficiários. É preciso começar a utilizar os dados de forma acionável”, explica Mateus Pestana, CEO e cofundador da SenseData.

Prevenção de eventos clínicos críticos a partir da análise de dados

No caso descrito acima pode-se perceber que a análise de dados e a tomada de ação é muito benéfica para o paciente, que pode receber um diagnóstico adequado e seguir com o tratamento correto. Mas, esse investimento em centralização e análise de dados também é muito vantajoso para os planos de saúde, convênios e seguradoras, sempre respeitando a regulamentação e a anuência do cliente, é claro

No caso descrito, a ação proativa do plano de saúde reduziu as custosas idas do paciente ao Pronto Socorro. Além disso, ao identificar a doença ainda em estágio inicial, foi possível evitar outros gastos com internações ou cirurgias. Isso prova que o investimento em tecnologia e análise de dados é uma forma de reduzir custos e aumentar a qualidade de vida e experiência dos beneficiários.

“Anjo” é sucesso em solicitações de convites para uso do App em seu primeiro dia de lançamento 3009

App Anjo: Corretores podem vender seguro de vida sem burocracia

Ferramenta foi desenvolvida pelo Grupo Caburé e tem como seguradora a Zurich

O Anjo, aplicativo desenvolvido pelo Grupo Caburé para venda de seguro de vida, tendo a Zurich como seguradora, alcançou grande sucesso de solicitações de convites para o seu uso no primeiro dia de lançamento que ocorreu na última sexta-feira, 13.

O App Anjo foi criado para ser utilizado por Corretores e Agenciadores de Seguros e será uma ferramenta que poderá revolucionar a forma de vender seguro de vida no Brasil. Inicialmente, estará sendo disponibilizado através de convites para os interessados.

Corretores e Agenciadores de Seguros que quiserem receber convites para uso do Anjo, podem baixar o App e cadastrar-se através dele mesmo. Venha ser um Anjo!

Grupo Aspecir fecha 2019 com saldo positivo 1153

Aspecir Previdência completa 82 anos com os melhores resultados do mercado

Empresa investirá em tecnologia e segurança em 2020

O diretor-presidente, Milton Machado, salientou a importância dos colaboradores no crescimento das empresas do Grupo Aspecir em confraternização de fim de ano. O evento ocorreu no salão panorâmico do Clube Geraldo Santana na noite de 20 de dezembro de 2019.

Na ocasião, a Diretoria do Grupo recebeu colaboradores e familiares para uma noite de celebração. A ideia era comemorar os resultados positivos alcançados durante o ano e agradecer o desempenho de todos no crescimento das empresas.

Um ano difícil, com crises econômicas, políticas e tragédias de todos os tipos. Recorde foi uma palavra recorrente no noticiário econômico brasileiro em 2019. Foi um ano de extremos: o Ibovespa alcançou inéditos 117 mil pontos e o dólar recorde de R$ 4,2584. O número de trabalhadores no mercado informal chegou à máxima de 38,8 milhões. Já a Selic fecha o ano na mínima histórica, em 4,5% ao ano.

Mesmo assim, segundo Milton Machado, o Grupo Aspecir superou as expectativas e isso se deve a dedicação e competência da equipe. Para 2020, a meta é investir em tecnologia e segurança para que os associados se sintam confiantes nos investimentos. Sempre pensando o futuro, o Grupo Aspecir quer estar à frente de seu tempo para oferecer o melhor em seguros, previdência e auxílio financeiro.

Guilherme Bini eleito presidente do SindSeg RS 1863

Nova diretoria assume a partir do dia 15 de fevereiro

Guacir Bueno (à direita) entregará presidência da entidade a Guilherme Bini (à esquerda) no dia 15 de fevereiro. Filipe Tedesco/JRS

O Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg RS) escolheu nesta terça-feira, 14, seu próximo presidente. A partir do dia 15 de fevereiro, o paranaense Guilherme Bini substituirá Guacir Bueno nos próximos dois anos. Alberto Muller, diretor da Sompo, e Rubens Oliboni, diretor da HDI, assumirão as vice-presidências. Bueno foi presidente do SindSeg RS nos últimos quatro anos, tendo se reelegido em 2018. A definição do novo presidente é feita a partir de uma votação com participação de representantes das empresas associadas ao Sindicato.

Guilherme Bini possui 23 anos de experiência de mercado. Ele iniciou sua carreira como digitador e movimentador de apólices de vida, passou pelas áreas de sinistro e atendimento de corretores e foi assessor comercial na Mapfre. Ocupou o cargo de Gerente Especialista de Vida e Previdência, cuidou da sucursal da companhia em Curitiba nos últimos seis anos e há três meses assumiu a diretoria territorial da Mapfre no Rio Grande do Sul e no sul de Santa Catarina. O JRS conversou com Bueno e Bini sobre o período de transição, balanços e perspectivas para o futuro.

Ao relembrar o último ano, Guacir Bueno enfatizou que “nossa mensagem é relembrar que conseguimos fazer um 2019 com a resiliência, a força e o comprometimento peculiar ao setor de seguros brasileiro. Saímos com um resultado muito acima da inflação apresentada no país, então considero que estamos novamente de parabéns porque isso é fruto do nosso trabalho e do comprometimento de todos nossos players. Entregamos ao povo do Brasil produtos e serviços de qualidade e avançamos na difusão e na abrangência que tanto almejamos, para que possamos beneficiar a todos os nossos conterrâneos com o consumo do nosso trabalho, do nosso serviço, dos nossos produtos”.

Rubens Oliboni, junto com Alberto Muller, assumem a vice-presidência.

Ambos frisaram a importância do trabalho em equipe e da cooperação.  “Nós estamos aqui manifestando o nosso agradecimento muito efusivo aos nossos pares, aos diretores do nosso sindicato, das seguradoras do Rio Grande do Sul pelo trabalho ao qual nos dedicamos no ano de 2019”, destacou Bueno. “Estou contando muito com o apoio do presidente Guacir nessa transição e nós entendemos que o sindicato não é algo de uma pessoa, é de uma equipe e de um time. E para isso nós compusemos uma chapa forte, com antigos diretores e conselheiros que vão me auxiliar muito nessa empreitada. O presidente Guacir se colocou a total disposição nessa transição para que seja a mais suave e cômoda possível. E nós vamos continuar trabalhando junto ao mercado de seguros para o desenvolvimento da classe, pensamos muito nas oportunidades para 2020 e como o sindicato vai auxiliar o Mercado, as seguradoras e até mesmo os corretores de seguros nesse desenvolvimento e também nas ações sociais onde o sindicato se envolve, aumentando também a nossa participação e a divulgação do mercado de seguros como um todo” frisou Bini.

O novo presidente enfrentará, segundo ele mesmo, grandes desafios frente à empresa e segundo à frente do Sindicato. Mas conta novamente com a parceria como motor principal do seu trabalho. “A equipe vai me ajudar muito, a composição da agenda de todos nossos compromissos já está muito bem estruturada. A própria diretoria vai me ajudar nesse caminho, mas eu conto muito com a equipe do sindicato nas organizações, no planejamento. Não posso fazer nada sozinho e eles serão muito importantes nesse momento” comentou.

Guilherme Bini desembarcou há três meses em solo gaúcho, rodou o estado visitando as sucursais da Mapfre e sente-se bem recebido aqui. “Eu aprendi um pouquinho sobre o que é ser bairrista e eu acredito que o Rio Grande do Sul tem muito disso, de gostar do que é daqui. Por que gostar do que é daqui? Porque faz muito sentido, o Rio Grande por muito tempo foi deixado de lado pelo Governo e algumas empresas locais abraçaram o Estado. E hoje eu vejo que o bairrismo é você comprar, ir ao mercado, prestigiar quem é da região” pontuou.

Bueno e Bini frisam a importância da equipe do Sindicato.

Ele define-se enquanto “uma pessoa que se preocupa com pessoas, alguém muito ligado a esse mercado e quer divulgar cada vez mais o seguro, a importância e o nosso papel para a sociedade mostrando o que a seguradora pode fazer para a sociedade no caso de uma catástrofe ou dos imprevistos que temos todos os dias”. Já Bueno, ao refletir sobre seus anos de contribuição ao Sindicato despede-se com “um enorme agradecimento aos colaboradores do nosso sindicato, pessoas que se dedicam desde muito tempo para que possamos fazer um belo trabalho. E meu agradecimento muito forte aos meus pares que trabalharam e se dedicaram para que pudéssemos assim cumprir nossa missão da melhor forma possível. Aos meus antecessores nessa diretoria meu forte abraço, meu agradecimento pelas suas vivências e pelas suas transmissões de conhecimento que a mim puderam auxiliar no desempenho da função. Que todos nós do setor de seguros do Brasil, que tem efetivamente um trabalho muito profícuo na nossa seara tenhamos um 2020 bastante produtivo e que nós possamos transmitir aos brasileiros muitas boas coisas, oferecendo segurança numa hora de sinistro. Quando há uma fragilidade familiar ou pessoal, que possamos estar com a nossa mão estendida para minimizar os problemas decorrentes dessas infelicidades. Um grande abraço a todos”.