A fantástica trajetória de Altevir Prado, Superintendente da Bradesco Seguros na Região Sul 53350

Este e outros destaques do mercado brasileiro de seguros estão na edição 231 da Revista JRS

Uma famosa frase da empresária Mary Kay Ash diz que “Não crie limites para si. Você deve ir tão longe quanto sua mente permitir. O que você mais quer pode ser conquistado”. Vivência e a observação são a melhor forma de se dominar determinadas habilidades, uma vez que para cada pessoa existem questões que fazem mais ou menos sentido para sua trajetória pessoal ou profissional, por exemplo. Neste sentido, a Revista JRS sempre busca apresentar histórias inspiradoras de pessoas relevantes nos segmentos de economia e negócios. Assim foi com Altevir Prado, Superintendente Executivo da Bradesco Seguros na Região Sul. O profissional, referência para o mercado brasileiro de seguros, foi um dos últimos entrevistados por nosso fundador, Jota Carvalho.

A edição 231 da publicação mensal do Jornal Regional de Seguros ainda traz uma cobertura especial da 3ª edição do evento Corretor do Futuro, promovido pela Kuantta Consultoria, no Rio de Janeiro. Outro especial desta edição foi realizado durante o 21º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros, que aconteceu em outubro, na Costa do Sauípe (BA). Os destaques do mercado de seguros recheiam as 52 páginas da Revista JRS – tenha uma excelente leitura!

Mesmo com queda no PIB, setor de seguros cresce 546

Mesmo com queda no PIB, setor de seguros cresce

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros, produzida pelo SindsegSP e Sincor-SP, aponta avanço em diversos ramos de seguros

A última edição da Carta de Conjuntura do Setor de Seguros, publicação mensal desenvolvida pelo Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros (SindsegSP) e pelo Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP), mostra a retomada de diversos segmentos de seguros nos últimos meses, após a reabertura de diversas atividades econômicas.

Segundo o estudo, o faturamento do setor de seguros (sem saúde e previdência) ficou em R$ 11,3 bilhões no mês de julho de 2020. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 1%. Na separação por ramos, os números foram parecidos, com avanço de 1% nos seguros de pessoas (R$ 4,1 bilhões) e nos ramos elementares (R$ 7,2 bilhões).

Tabela de faturamento até julho 2020:

Divulgação
Divulgação

A Carta ainda aponta que o PIB brasileiro sofreu uma retração de 9,7%, mostrando que o segundo trimestre do ano apresentou os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus no País.

“A expectativa é que a economia volte a crescer no terceiro trimestre de 2020, otimismo que se reflete no aumento constante dos índices de confiança da indústria, do comércio e do setor de seguros, conforme registros nos últimos meses”, diz a publicação.

Confira a Carta de Conjuntura.

Justiça determina autofalência da APLUB 3095

Investimento na APLUB Capitalização contribui com APAEs

Foi apurado um déficit superior a R$ 300 milhões

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul registrou a autofalência da Associação dos Profissionais Liberais Universitários – APLUB. Sentença assinada por Giovana Farenzena, Juíza de Direito, no último dia 15 de setembro, reitera que este tipo de pedido é voltado para sociedades empresariais e seria incabível para uma associação civil. “Entretanto, após refletir um pouco sobre a questão, e tendo em vista a gravidade dos fatos à baila trazidos na exordial, convenci-me de que se impõe o acolhimento do pleito inicial”, proferiu ao acatar o pedido.

A Juíza destacou que a APLUB trata-se de uma entidade aberta de previdência complementar e que não está coberta pelo artigo 47 da Lei Complementar 109/2001, que dispõe sobre o Regime de Previdência Complementar e dá outras providências. “O art. 47 da LC 109/2001 nega a possibilidade de falência às entidades fechadas a que se refere, mas não estende a vedação sobre as entidades abertas, como é o caso da APLUB. Portanto, em nada dispondo acerca da falência de entidades abertas de previdência complementar, não vejo óbice, nesse ponto, ao pedido de autofalência veiculado. Além disso, a legislação brasileira e a jurisprudência indicam que é permitido às entidades sujeitas aos regimes de intervenção e liquidação extrajudicial falirem, como é o caso da requerente, aplicando-se remissivamente a legislação falimentar da LREF à Lei 6.024/74“.

A decisão é embasada na apuração de um déficit falimentar no valor de R$ 313.416.644,44, bem como déficit mensal médio superior a R$ 4.000.000,00. “O ativo da APLUB é incapaz de pagar sequer a metade dos credores privilegiados, não chegando a atingir os quirografários”.

O escritório Scalzilli Althaus, contratado pela APLUB durante a intervenção realizada pela Superintendência de Seguros Privados, disse que não restava outra alternativa a não ser o pedido de falência.

Foi solicitado o bloqueio dos ativos nas contas da entidade, bem como apontado o registro de ao menos 122 imóveis em cidades como Porto Alegre, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Canela, todas no Rio Grande do Sul. A APLUB chegou a contar com 30 mil associados e 6 mil beneficiários.

O processo de intervenção da Susep na APLUB acontecia desde 17 de dezembro de 2015. Em agosto de 2018, o então superintendente Joaquim Mendanha, decretou a liquidação extrajudicial da APLUB, mas uma liminar impediu o processo.

A Associação de Defesa da APLUB (ADA) afirmou que irá recorrer da decisão e estudar alternativas para evitar a falência definitiva.

Confira a sentença na íntegra.

União Seguradora celebra 107 anos 924

Grupo Aspecir e União Seguradora participam do 17º Troféu JRS

Empresa do Grupo Aspecir oferece variedade de soluções em seguros e proteção

O Vinte de Setembro é uma data comemorada com orgulho pelos gaúchos e também é a data de aniversário da União Seguradora, fundada em 1913. Na época, 57 caixeiros-viajantes reuniram-se para criar uma sociedade que defendesse os interesses da classe. Assim como os gaúchos defenderam seus ideais. Construída sob a presidência de João Fontoura Borges, a sede, na cidade de Santa Maria (RS), foi palco de momentos históricos importantes, como um discurso de Getúlio Vargas na década de 1930. Já nos anos 1990, o prédio foi considerado patrimônio histórico da cidade e hoje abriga diversos estabelecimentos comerciais.

Hoje, a União Seguradora – Vida e Previdência, tem sua sede em Porto Alegre e protege a vida, não somente dos gaúchos e gaúchas de todas as querências, como também a todos os brasileiros. E oferece uma variedade de soluções que atendem todas as necessidades de seguro e proteção, de cuidados com a família à segurança para eventos, sempre com profissionalismo e qualidade.

O Seguro Vida é um investimento no futuro. Em caso de falecimento do segurado, os beneficiários recebem uma indenização financeira para ajudar em um momento difícil. E se houver invalidez permanente, o seguro garante um pagamento de acordo com o grau de invalidez.

O Seguro Prestamista, em caso de falecimento ou invalidez do segurado, amortiza a dívida contraída até o valor do plano contratado, quitando bens ou planos de financiamento.

A União Seguradora também oferece o Pecúlio com Seguro, uma ampla cobertura com a facilidade do desconto em folha de pagamento para servidores da SIAPE, MARINHA, AERONÁUTICA, IPE-RS E GOV-RS. Além do seguro obrigatório para a realização de qualquer evento no Brasil e o Vida Global Simplificado para micro, pequenas e médias empresas.

União Seguradora, uma história de excelência cuidando do que realmente importa: as pessoas.

Mário Sérgio Cortella participa de transmissão da Bradesco Seguros para corretores 505

O filósofo, escritor e educador Mário Sérgio Cortella / Divulgação

Nesta sexta-feira (18), Programa Integridade contará com a participação do filósofo, escritor e educador

O Grupo Bradesco Seguros apresenta nesta sexta-feira (18), às 16h, uma live especial voltada para as equipes comerciais da companhia e corretores de seguros de todo o Brasil. O tema do bate-papo será “Ética no Relacionamento com o Cliente”. Na ocasião, a live será conduzida pelo filósofo, escritor e educador, Mário Sérgio Cortella. O Programa Integridade conta com o apoio da Unibrad – Universidade Bradesco e UniverSeg – Universo do Seguro. Para os próximos meses, está prevista uma série de conteúdos referentes ao assunto.

Para Leonardo de Freitas, Diretor da Organização de Vendas do Grupo Bradesco Seguros, o programa será mais uma oportunidade de troca e conhecimento com os parceiros de negócios. “A ética é de extrema importância para construir relacionamentos duradouros em todos os âmbitos da vida, é um aspecto indispensável para atrair, converter e fidelizar clientes. O intuito da live é gerar discussões sobre boas práticas na oferta de seguros”, afirma o executivo.

Em agosto deste ano, a Bradesco Seguros iniciou a primeira abordagem sobre o tema, em que promoveu um bate-papo entre os parceiros de negócios da seguradora e representantes da consultoria internacional LIMRA, com o tema “Digno de Confiança”.

Responsabilidade Civil do corretor no ‘novo normal’ é tema de curso técnico 719

Responsabilidade Civil do corretor no ‘novo normal’ é tema de curso técnico

Pandemia provocou reflexos no Direito do Seguro, destaca ENS

A realidade instaurada pela pandemia do novo coronavírus provocou reflexos e mudanças sobre o Direito brasileiro, principalmente sobre o Direito do Seguro, especialmente no que diz respeito a assuntos ligados à responsabilidade civil do corretor de seguros.

Para entender como o ‘novo normal’ afetou diretamente o corretor em sua atuação e discutir de forma ampla a responsabilidade desse profissional na atualidade e no futuro, a Escola de Negócios e Seguros (ENS) criou o curso técnico Direito e Responsabilidade Civil do Corretor de Seguros.

Ministradas na modalidade online, as aulas são ao vivo e vão mostrar a tendência da adequação dos precedentes nas interpretações dadas pelos Tribunais Superiores sobre a responsabilidade civil do corretor. No conteúdo do programa, haverá apresentação das mais recentes decisões proferidas pelos Tribunais Superiores sobre o tema, evidenciando as interpretações fundamentadoras dessas jurisprudências, a apresentação das legislações pertinentes ao assunto, além de tratar sobre as teorias da Responsabilidade Civil Profissional e a tendência do precedente vinculante.

Assim como a maioria dos cursos técnicos da ENS, o programa Direito e Responsabilidade Civil do Corretor de Seguros tem curta duração (8 horas de aulas) e investimento acessível. Por isso, é ideal para quem busca qualificação rápida e direcionada.

O início das aulas está marcado para 20 de outubro e os interessados devem possuir ensino médio completo. Informações sobre ementa, cronograma e investimento estão disponíveis no site da Escola, onde podem ser feitas as inscrições.