Conheça medidas fundamentais para segurança de condomínios 618

Conheça medidas fundamentais para segurança de condomínios

Saiba quando é a hora da manutenção no seu prédio

Muito tem se falado sobre esse tipo de manutenção, mas pouco ainda se sabe sobre ela. Natural, uma vez que se trata de um ramo relativamente novo no país. Se trata da prática de cuidar de toda a infraestrutura de um edifício, o que significa cuidados com cabos elétricos, sistema hidráulico, incêndio e de segurança, além de comunicação e climatização.

Não é difícil perceber que trata-se de uma tarefa que exige planejamento e recursos. E na proporção que se investe no primeiro item, menos se investirá no segundo.

Com isso em mente, preparamos este conteúdo para falar sobre o que é manutenção predial e como saber que está na hora de fazer em seu prédio. Confira!

Entenda o que é manutenção predial

Manutenção predial é o ramo que cuida de toda a infraestrutura de uma edificação, por meio de serviços de reparos e consertos até vistorias periódicas para garantir que tudo está funcionando bem.

Trata-se também de ações de acompanhamento periódico dos sistemas prediais a fim de corrigir as falhas antes de chegarem em níveis críticos. É o popular “melhor prevenir do que remediar”.

Essa prática é a mais indicada pois mantém a constância dos padrões de qualidade e desempenho, além de ajudar a reduzir custos.

De maneira geral, as despesas com falhas inesperadas, com paradas e riscos à segurança dos usuários, são mais altas do que o valor planejado no orçamento para serviços de manutenção preventiva.

Veja quais os tipos de manutenção

Hoje em dia existem 4 tipos de manutenção predial, que são:

Conservação

Diz respeito a serviços de rotina, como limpeza, jardinagem e outros ajustes da operação do edifício feitos em pequenos intervalos de tempo.

Reparação

São ações preventivas ou corretivas para reparar algo antes de atingir a qualidade mínima aceitável.

Restauração

Trata-se de uma intervenção corretiva para restaurar algo que já deu problema, chegando em nível de qualidade inferior ao mínimo aceitável, como o caso de vazamentos e queima de equipamentos.

Modernização

Troca ou ajustes visando recuperar qualidade de modo que ultrapasse o desempenho projetado inicialmente.

Veja o que fazer na manutenção predial e o motivo

A falta de manutenção predial representa prejuízo no bolso e, pior ainda, um risco para a saúde e segurança de moradores, no caso de um prédio residencial e seus frequentadores e usuários, no caso dos prédios comerciais. Isso para não falarmos de toda a população, quando pensamos em prédios localizados em regiões centrais.

Veja abaixo o que é importante estar atento na hora de fazer a manutenção predial:

Limpeza de calha

Em caso de chuvas fortes, pode haver vazamentos indesejados, caso as calhas não estejam bem limpas e desobstruídas. Muitas vezes, elas ficam no apartamento de cobertura dos condomínios e, mesmo assim, a limpeza deve ser providenciada pelo síndico para que não haja prejuízos. Trata-se um serviço simples que só vai depender do tamanho do condomínio. Para prevenir transtornos, o ideal é fazer a manutenção rotineira e preventiva das calhas mensalmente. Os próprios faxineiros do prédio podem dar conta disso.

Limpeza da caixa d’água

A limpeza da caixa d´água precisa ser realizada duas vezes por ano. O ideal é programar este serviço para outubro e fevereiro. Desta forma, os moradores terão água em boas condições durante o ano todo. Talvez seja necessário, também, fazer a impermeabilização da caixa d´água.

Limpeza da fachada

Em São Paulo, segundo o decreto-lei, as fachadas dos prédios visíveis de logradouros públicos deverão ser pintadas ou lavadas, em conformidade com os respectivos revestimentos, no mínimo a cada 5 anos, de modo a ostentarem adequadas condições estéticas. O não cumprimento está sujeito à multa. Já Porto Alegre e Rio de Janeiro têm suas legislações específicas. O síndico deve pesquisar sobre sua região para que realize este serviço conforme especificação local.

Lembre-se de sempre também do cuidado das janelas, aplicando película de controle solar para que haja diminuição da incidência solar e do calor e tomando cuidado para que elas não se desgastam com o tempo.

Inspeção predial

Uma vez por ano, a inspeção predial deve ser feita, avaliando itens importantes da edificação como um todo, desde das estruturas do prédio como fachadas, elevadores, domus para telhado até itens mais simples como banheiros ou outras partes do prédio. Quando houver necessidade de obras, programadas para antes da inspeção, para que os defeitos ou eventuais problemas sejam resolvidos.

Para-raios

O laudo do para raio predial dura um ano, mas o recomendado é que o mesmo passe por uma inspeção a cada seis meses. A norma técnica que regulamenta o Sistema de Proteção Contra Descarga Atmosférica (SPDA) é a NBR 5419:2005. Um dos itens da norma é sobre o atestado de medição ôhmica do Sistema, que deve ser feito anualmente. Porém, é necessário ficar atento já que este prazo para medição ôhmica varia conforme o tipo de edificação. E cada cidade tem códigos de obras específicos tratando do assunto.

Realize a manutenção predial de forma regular

Como vimos neste conteúdo, a manutenção predial é de grande importância para o bom funcionamento do prédio como um todo.

É necessário ter cuidados com cabos elétricos, sistema hidráulico, incêndio e de segurança, além de comunicação e climatização. Além disso, é muito importante ser feita a manutenção preventiva, garantindo que todas as coisas estão funcionando perfeitamente. Hoje são realizadas a manutenção de conservação, reparação, restauração e modernização, cada uma com sua particularidade.

Gostou das nossas dicas? Fique atento à manutenção do prédio e faça dele um excelente lugar para se estar.

*Esse artigo foi escrito por André de Angelo, Criador de Conteúdo do Soluções Industriais.

Prevcom: migração rápida e segura para home office 648

Estrutura de Tecnologia da Informação integrada é a chave para operar remotamente

Os sistemas informatizados da Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (Prevcom), essenciais para o gerenciamento de sua base de 36,2 mil participantes, foram fundamentais para a entidade desenvolver suas atividades em home office. O conjunto de ferramentas eletrônicas incorporado à operação foi o elemento-chave para a migração segura para o regime de trabalho à distância.

A estrutura de armazenamento e compartilhamento de dados montada pela Prevcom, descrita no Plano de Continuidade de Negócios (PCN) conduzido pela área de Tecnologia da Informação (TI) e Gestão de Riscos, tem como ponto central o trânsito, colaboração, distribuição, backup de informações e utilização de ambiente de nuvem.

A Fundação se preparou para funcionar mesmo fora de sua estrutura física e, com a recomendação de manter o isolamento dos funcionários para proteção contra o Covid-19, as medidas reunidas no PCN deram o retorno esperado.

A instituição agregou aplicativos corporativos para transmissão de arquivos, realização de reuniões por vídeo com telas compartilhadas e armazenamentos em nuvem, com criptografia de dados.

As regras e controles de acesso estão detalhados no Plano que orienta o uso intensivo de tecnologia na Fundação. O suporte de TI é viabilizado remotamente e possibilita a realização à distância de serviços de instalação de softwares, ajustes de sistemas e configuração na área de trabalho do colaborador.

Navegando on-line com segurança durante o surto do Covid-19 866

Confira o segundo artigo sobre Cyber da Zurich Seguros

Devido ao surto do Covid-19 e com muitas pessoas trabalhando remotamente, a internet se tornou ainda mais valiosa. Nestes tempos de instabilidade, é importante termos certeza de que estamos usando a internet com segurança!

Devemos estar cientes que há muitos tipos de malware, como os vírus, spyware, adware e ransomware, que podem infectar o computador. Contudo, tomar as medidas certas pode minimizar o risco de você ser uma vítima e tornar a navegação pela internet muito mais segura.

Os navegadores de Internet mais populares oferecem alguma proteção

Os navegadores de internet mais populares são: Internet Explorer, Firefox, Google Chrome e Safari. Todos eles oferecem programas, configurações, atualizações e outras funções que ajudam a proteger as vulnerabilidades e alertam sobre possíveis ameaças. Além disso, disponibilizam a instalação de um software para ajudar ainda mais a segurança do seu navegador de internet, como o Spybot Search & Destroy, Web of Trust e o Symantec Endpoint Protection.

Orientações gerais para tornar sua navegação mais segura na Internet:

– Entre apenas em sites seguros, por exemplo, endereços que começam com “https://”. O “s” significa que ele é proveniente de um “nível seguro” – em outras palavras, de uma página que codifica os seus dados;

– Não confie apenas na navegação privada/anônima: Isso não impede que alguém monitore a sua atividade on-line, muito menos oculta completamente sua identidade. O seu administrador de rede e o seu fornecedor de serviços de Internet ainda conseguem identificá-lo, por exemplo;

– Tente utilizar outras ferramentas de busca: O DuckDuckGo é um bom exemplo de um site que não grava endereços IP e não utiliza cookies, nem mesmo transmite informações de referência para os sites que você visitar. Você também pode dar uma olhada no StartPage que funciona de forma semelhante;

– Considere utilizar uma rede privada virtual (VPN): A utilização de uma VPN durante a navegaç

ão aumenta consideravelmente a segurança. Embora eles sejam normalmente utilizados pelas empresas, vários serviços de VPN podem ser adquiridos para serem utilizados em dispositivos pessoais;

– Utilize diferentes navegadores para diferentes atividades: Se algum malware quiser atacar você comprometendo um navegador da internet que você utiliza, ele ainda não conseguirá transitar de um navegador da internet para outro. Então, por exemplo, você pode utilizar o Firefox para sites de navegação em geral e de compras, como a Amazon, e o Safari/Google para sites que não requerem informações sensíveis, como música em streaming ou sites de informação como a Wikipédia. Assim, você pode ter um browser dedicado, como o Internet Explorer, apenas para informações confidenciais e para gerenciar sua conta bancária online, por exemplo.

 

Fundamentais durante a crise do coronavírus, motoboys devem tomar cuidados especiais com itens de segurança 725

Com o aumento significativo dos serviços de delivery em todo Brasil, os profissionais devem redobrar o cuidado com a segurança no trânsito

Desde o início das medidas de isolamento social, necessárias para a contenção da propagação do Covid-19, a demanda por serviços de delivery tem crescido expressivamente por todo Brasil. Proporcionando a entrega de alimentos, compras de supermercado e remédios, os motoboys têm sido fundamentais para o funcionamento de empresas e para o dia-a-dia de pessoas que estão passando por quarentenas obrigatórias ou voluntárias. Tal mudança acende um alerta para um cuidado ainda maior da categoria com os itens de segurança que visam garantir uma rotina de trabalho com menos risco a saúde dos entregadores que trabalham intensamente nas ruas.

Conforme dados revelados pelo DPVAT, seguro que protege motoristas, passageiros e pedestres em todo o Brasil, ao longo dos últimos dez anos ao menos 2,5 milhões de brasileiros se tornaram permanentemente inválidos para o trabalho e outros 200 mil morreram em consequência de acidentes de motocicleta. Outro dado revela que nesse mesmo período o total de acidentados com motos e ciclomotores cresceu 72%. Ainda, segundo a pesquisa VIVA Inquérito 2017, divulgada pelo Ministério da Saúde, a cada dez atendimentos por acidente de transporte realizados em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS), oito são de motociclistas. Com a crescente demanda gerada pelo coronavírus, a preocupação com esses números se torna ainda mais importante.

“Os EPIs, Equipamentos de Proteção Individual, são de primordial importância para o dia a dia de todo motoboy. Sabemos que no trânsito, o motociclista se encontra em uma posição mais vulnerável quando o assunto é segurança. Por isso, prezar pela utilização de EPIs de qualidade garantem uma rotina de trabalho mais segura para essa categoria essencial para o ciclo da nossa economia”, explica Fabio de Andrade, analista de produto da Laquila (www.laquila.com.br), empresa líder do mercado de motopeças na América Latina. “Vale lembrar, também, que muitas pessoas perderam o emprego nas últimas semanas e encontraram nas ferramentas de entrega uma forma de ganhar dinheiro. Ou seja, é cada vez mais importante reforçarmos a utilização dos equipamentos de proteção”, complementa Andrade.

Dentre os principais itens de segurança indicado para motoboys estão:

Capacete: item obrigatório de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o capacete é fundamental para qualquer motociclista, tendo como principal função a proteção da cabeça contra impactos e lesões. “Todos os capacetes devem conter certificação do INMETRO e é importante ficar alerta para as características do equipamento e com a sua manutenção. Por exemplo, a troca da viseira deve ser efetuada sempre que constatados riscos em sua superfície, pois estes podem dificultar a visão do condutor e causar acidentes”, explica Fabio.

Luvas: capazes de proteger as mãos de esfoliações e cortes em caso de quedas, as luvas também são eficientes para aquecer o corpo durante épocas de baixas temperaturas. “As luvas devem sempre estar ajustadas perfeitamente nas mãos do motociclista, para não prejudicar na condução da moto”, detalha o especialista.

Jaqueta e calça: marca registrada de motociclistas de todo mundo, as jaquetas são essenciais para a proteção dos motoboys. Em caso de queda, as áreas mais propensas a ferimentos são costas, ombros, cotovelos e joelhos. Portanto, a utilização de jaquetas e calças apropriadas são fundamentais para garantir a proteção dos motociclistas. “Atualmente, contamos com itens de vestuário com certificação de qualidade internacional, que além de garantir proteção, promovem maior conforto, pois são impermeáveis e contam com sistema de respiração. Existem calças com estética similar ao jeans, mas que são produzidas com o kevlar, material ultra resistente, que em determinadas situações pode ser mais forte que o aço”, destaca Andrade.

Sapato apropriado para condução: capazes de proteger os motociclistas em diversas situações, como quedas que podem causar cortes, escoriações ou esmagamento, queimaduras, perfurações e até descargas elétricas, o uso de sapatos apropriados para condução garantem maior conforto e segurança aos motoboys. “Indicamos sempre a utilização de botas pelos motociclistas, pois durante a condução, ao levar o pé ao chão, o calçado ajuda a evitar torções. Além disso, esse tipo de utensílio garante a impermeabilidade dos pés e oferece maior proteção em casos de atropelamento”, completa o especialista.

Máscara e Álcool gel: em tempos de pandemia, a utilização de máscaras descartáveis é imprescindível entre os profissionais de entrega. O item, que ajuda a evitar a propagação de gotículas, fornece uma barreira física no contato com o público, evitando que o vírus entre no organismo pela boca ou pelo nariz. Um pequeno recipiente de álcool gel também é importante, pois o produto funciona de maneira eficaz na prevenção do novo cornavírus, auxiliando na higienização das mãos nos momentos em que não é possível a lavagem com água e sabão.

ANS flexibiliza uso de mais de R$ 15 bilhões em garantias financeiras e ativos garantidores 636

Diretoria Colegiada da reguladora decidiu ampliar a flexibilização de normas prudenciais, permitindo autonomia na gestão dos recursos

Medida tem o objetivo de proteger beneficiários e rede prestadora. Operadoras deverão garantir contrapartidas
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) definiu novas medidas para mitigar os impactos da pandemia de Coronavírus no setor de planos de saúde. Em reunião nesta quarta-feira, dia 08, a Diretoria Colegiada da reguladora decidiu ampliar a flexibilização de normas prudenciais, permitindo autonomia na gestão dos recursos garantidores das provisões técnicas e equalizando a exigência de capital regulatório para as operadoras que já constituíam 100% do capital exigido, para uso em ações de combate à Covid-19.

Para isso, contudo, a ANS estabeleceu contrapartidas que as empresas precisarão cumprir, mediante assinatura de termo de compromisso, para proteger os beneficiários de planos de saúde e a rede de prestadores de serviços. Considerando as medidas aprovadas hoje e as deliberadas em 31 demarço, no total, o montante de capital e recursos financeiros disponibilizado soma, aproximadamente, R$ 15 bilhões.

Concessão de incentivos regulatórios a operadoras em situação regular junto à ANS

• Retirada de exigência de ativos garantidores de Provisão de Eventos/Sinistros a Liquidar (PESL-SUS): A operadora fica desobrigada de manter ativos garantidores relativos aos valores devidos a título de ressarcimento ao Sistema Único de Saúde (PESL SUS) no período que vai da data de assinatura do termo de compromisso até 31 de dezembro. A medida visa ampliar a liquidez das operadoras, liberando recursos financeiros que poderão ser utilizados para fazer frente a eventual aumento da demanda por atendimento médico ou índices de inadimplência. Com essa medida, há a previsão de redução imediata de R$ 1,4 bilhão de exigências de ativos para as operadoras que atuam no setor.

• Possibilidade de movimentar os ativos garantidores em montante equivalente à Provisão de Eventos Ocorridos e Não Avisados (PEONA): Será retirada a exigência de vinculação dos ativos garantidores na proporção equivalente à PEONA contabilizada, o que permitirá às operadoras uma gestão mais proativa dos seus ativos financeiros. Assim, será possível à operadora adequar o fluxo de pagamento à sua rede prestadora médica e hospitalar em um cenário de eventual queda da liquidez. Conforme previsto na legislação do setor, as operadoras devem manter ativos garantidores registrados junto à ANS na proporção de um para um em relação as provisões técnicas, vinculando-os conforme previsto no art. 3º da referida RN. Neste sentido, estima-se um impacto de R$ 10,5 bilhões em PEONA.

• Redução da exigência da Margem de Solvência para 75% também para as seguradoras especializadas em saúde e operadoras que não estão em fase de escalonamento: Essa medida permite uma resposta mais rápida às necessidades financeiras dessas empresas, oportunizando equiparação das regras com os demais agentes do setor. Dessa forma, há a previsão de redução imediata de aproximadamente R$ 2,7 bilhões para as nove seguradoras que atuam no setor com alto nível de capitalização e que concentram uma parcela expressiva de beneficiários no setor, além de outros R$ 0,2 bilhão para as demais operadoras contempladas.

Em reunião realizada no dia 31 de março, a ANS já havia deliberado sobre a antecipação do congelamento de exigências de capital (Margem de Solvência) para as operadoras que manifestem a opção pela adoção antecipada do capital baseado em riscos (CBR). Assim, para as operadoras que se encontram em constituição escalonada (exigência crescente a cada mês), a margem de solvência será estabilizada e em percentual fixo de 75%. Para as operadoras que manifestarem essa opção até 30 de maio, os efeitos do congelamento da margem de solvência serão retroativos a 31 de março.

O objetivo da medida é conceder liquidez ao setor, tendo em vista o congelamento de percentual de exigência que crescia mensalmente. Estudos técnicos apontam uma redução de aproximadamente R$ 1 bilhão da quantia exigida para todo o setor, utilizando como referência as projeções para o mês de dezembro de 2019.

Contrapartidas exigidas

Como forma de proteger os beneficiários e os prestadores de serviços de saúde que fazem parte de da rede credenciada, a ANS exigirá contrapartidas das operadoras que aderirem às medidas. Para isso, assinarão termo de compromisso se comprometendo a:

• Renegociação de contratos: a operadora deverá oferecer a renegociação dos contratos, comprometendo-se a preservar a assistência aos beneficiários dos contratos individuais e familiares, coletivos por adesão e coletivos com menos de 30 (trinta) beneficiários, no período compreendido entre a data da assinatura do termo de compromisso com a ANS e o dia 30 de junho de 2020.

• Pagamento regular aos prestadores: a operadora deverá se comprometer a pagar regularmente, na forma prevista nos contratos com sua rede prestadora de serviços de saúde, os valores devidos pela realização de procedimentos e/ou serviços que tenham sido realizados entre 4 de março de 2020 e 30 de junho de 2020. A medida deve atingir todos os prestadores de serviços de saúde integrantes de sua rede assistencial, independentemente de sua qualificação como contratados, referenciados ou credenciados.

As medidas contribuem para que o setor possa enfrentar a tendência de diminuição da solvência e da liquidez das operadoras, reflexo do cenário de retração econômica deflagrado pela pandemia, evitando que a assistência à saúde dos beneficiários seja colocada em risco. A preocupação da ANS frente aos impactos econômico-financeiros no setor decorrentes do surto de Coronavírus vem sendo discutidas amplamente pela reguladora.

As medidas mais recentes nesse sentido foram tomadas na semana passada, com a antecipação do congelamento de exigências de capital (Margem de Solvência) e o adiamento de novas exigências de provisões de passivo. Com isso, a ANS visa conferir às operadoras de planos de saúde maior flexibilidade de recursos para que respondam de maneira mais efetiva às prioridades assistenciais deflagradas pela Covid-19.

Covid-19: SulAmérica mantém sua operação com robusto Plano de Continuidade de Negócios 737

Seguradora vem tomando medidas para garantir excelência no cuidado e segurança de todos os públicos com os quais se relaciona

A SulAmérica, como gestora da saúde, dos investimentos e dos bens mais valiosos de milhões de pessoas no País, segue reforçando suas ações de combate à proliferação do novo coronavírus como parte do compromisso de preservar a segurança, a saúde e o bem-estar de corretores parceiros, clientes, colaboradores e prestadores.

Uma das primeiras medidas da SulAmérica após a confirmação dos primeiros casos no Brasil foi o acionamento de seu Plano de Continuidade de Negócios (PCN), elaborado, atualizado e testado frequentemente na companhia com o objetivo de prepará-la para eventuais situações de impacto na operação, como esta vivida agora com a Covid-19. Há aproximadamente cinco anos a SulAmérica desenvolve a cultura e a estrutura de continuidade de negócios na empresa e já acionou o plano em algumas ocasiões, como durante a greve dos caminhoneiros, em 2018.

Todas as medidas de contingência diante da pandemia têm sido coordenadas, diariamente, pelo Comitê de Crise da companhia, que reúne um grupo multidisciplinar de colaboradores e conta também com a participação da alta liderança (incluindo CEO e vice-presidentes). Com isso, tem sido possível implementar com agilidade diversas ações para garantir a qualidade e continuidade de atendimento para corretores, clientes e colaboradores, além da segurança de todos.

Principais medidas de contingência

Para colaboradores e terceiros:

· Trabalho remoto (home office ou homeworking) para toda a força de trabalho elegível. Desde 23 de março, 99,7% de toda a SulAmérica trabalha de casa, incluindo 100% das centrais de atendimento. Uma parcela importante de colaboradores já participava dos programas de trabalho remoto, no mínimo, uma vez por semana, o que ajudou bastante na implementação desta forma de trabalho neste momento, sem redução de produtividade;

· Cancelamento de deslocamentos nacionais e internacionais, utilização de horário flexível para colaboradores que precisam estar in loco para evitar exposição em horários de pico de transporte público e realização de reuniões via telefone ou videoconferência;

· Adiamento tanto de eventos, treinamentos e seminários realizados pela SulAmérica quanto daqueles que a companhia apoiaria para preservar a saúde e evitar aglomeração de pessoas;

· Fechamento de todas as unidades físicas, incluindo as filiais e os Centros Automotivos SulAmérica (CASAs). Porém, o atendimento ao público segue normal por meio de canais digitais e um hotsite para clientes com todas as orientações necessárias foi colocado no ar;

· Higienização das sedes da SulAmérica em São Paulo e no Rio de Janeiro;

· Atualização diária para colaboradores sobre as operações, além de pílulas com dicas de prevenção, cuidado, trabalho remoto e saúde mental;

· Monitoramento e apoio médico a colaboradores com suspeita da doença, além de seus familiares.

Para clientes de seguro saúde (incluindo colaboradores):

· Disponibilidade ilimitada da quantidade de utilização do serviço Médico na Tela, que promove orientação médica por videochamada por meio do aplicativo SulAmérica Saúde, sujeito apenas à capacidade de atendimentos simultâneos;

· Criação de um Canal Telefônico Exclusivo Coronavírus (0800-591-0845) durante o período de alerta, também com disponibilidade ilimitada, também sujeito à capacidade de atendimentos simultâneos;

· Produção de diversos conteúdos altamente relevantes e confiáveis sobre prevenção, transmissão, proliferação, grupos de risco, isolamento domiciliar, entre outros, disponibilizados no site www.sulamerica.com.br/coronavirus.

Para corretores:

· Com fechamento de filiais e Centros Automotivos SulAmérica (CASAs), a companhia vem reforçando com corretores parceiros que as operações e os canais de atendimento continuarão funcionando normalmente, porém de forma diferente, potencializando o uso das tecnologias e ferramentas digitais. Todas as orientações necessárias para manter as relações comercias podem ser acessadas no hotsite exclusivo criado para eles. Outras informações podem ser encontradas no Portal do Corretor, além de todo o time comercial SulAmérica estar 100% disponível para tudo que o corretor precisar.

A SulAmérica está, e estará, sempre ao lado dos colaboradores, clientes, corretores, profissionais de saúde, prestadores, investidores e todos os demais públicos com os quais se relaciona.