Gestão de negócios: veja 5 dicas essenciais 463

Gestão de negócios: veja 5 dicas essenciais

Fazer a administração de uma pequena empresa nunca foi uma tarefa fácil. A complexidade fiscal, dificuldades iniciais para a constituição de uma empresa e a alta carga tributária sempre foram empecilhos.

Atualmente, devido à turbulência que estamos vivenciando, esse trabalho ficou ainda mais complicado. Além dessas dificuldades, ainda tem o fato de ter que se adaptar a uma economia fragilizada.

Levando isso em consideração, preparamos este conteúdo com 10 dicas essenciais para uma ótima gestão do seu negócio. Confira!

É importante fazer o mapeamento do seu negócio

Um dos pontos mais importantes para serem avaliados é o mapeamento de seu negócio. É necessário saber qual modelo implantar e como alavancar essa ideia.

Por exemplo, se você deseja trabalhar com disco abrasivo, lona de caminhão ou até mesmo imã de neodímio, você precisa saber o público que quer atingir e qual caminho traçar para chegar nos seus potenciais clientes.

É necessário que você reflita sobre os eventuais concorrentes e faça uma análise também dos seus fornecedores. Essa preocupação precisará ser constante, uma vez que o mercado deverá ser constante, já que o mercado contém um dinamismo muito intenso.

Para que um negócio tenha sucesso, ele deve ser bem reformulado, com planejamento de ações e métricas claras, com ações diárias, semanais e mensais.

É necessário realizar um estudo de mercado, clientes e localização

Para ajudar no mapeamento do seu negócio, é importante avaliar os potenciais clientes e o mercado do qual fará parte. Saiba quais serão seus concorrentes e como eles trabalham. Tente fazer a mensuração da quantidade e qualidade de seus clientes.

Observe o modelo de negócio que você está pensando e se está de acordo com o local onde você pensa em se estabelecer.

Estude muito bem a sua localização, pois ela fará toda a diferença. Nas grandes cidades é muito importante que se tenha um local de estacionamento para receber seus consumidores, por exemplo.

Faça um levantamento sobre as tendências de consumo nos arredores do estabelecimento. Atualmente os modismos têm tido vida curta e tendências rapidamente se tornam ultrapassadas. Por este motivo, análises de longo prazo são indispensáveis nesse momento.

É importante fazer uma avaliação constante do seu produto

Seus produtos e serviços devem ser avaliados constantemente. Faça comparações para responder perguntas como: seus clientes têm mantido a regularidade de compras? Há questionamentos sobre a qualidade ou modernidade de suas mercadorias?

Faça uma pesquisa. Por meio de conversas informais com seus consumidores, meça o grau de satisfação deles, utilize também a rede social para criar um relacionamento mais informal e contínuo com cada um deles.

Compare seus itens de comercialização com os de seus concorrentes. Realize prospecções na região onde você está estabelecido. Fidelizar os seus clientes é um passo muito importante para fazer sua empresa crescer.

Não esqueça de usar a tecnologia da informação ao seu favor

Hoje em dia, as pessoas têm preferido não usar dinheiro em espécie. Por isso, é extremamente importante instalar máquinas para pagamento com cartões de crédito e débito, para facilitar a forma de pagamento para seus clientes.

Faça uma boa divulgação nas redes sociais e lembre-se de manter as suas informações sempre atualizadas. Cadastre os emails de seus clientes, tenha o contato deles e envie promoções.

Mas um cuidado muito importante é o de não se tornar invasivo, por isso tome muito cuidado ao utilizar essa ferramenta, mas aproveite ao máximo os benefícios que a tecnologia te dá.

Tenha um cadastro de seus principais clientes. Tente pegar as datas importantes como nascimento e casamento, envie uma mensagem específica nestes dias. Fique próximo dos seus consumidores, mesmo que virtualmente. Isto agrega no seu relacionamento com eles.

É extremamente importante ser um bom gestor

Administre bem a sua empresa, independente do tamanho que ela tem, mantendo todas as suas obrigações em dia.

Tenha um bom relacionamento com seus colaboradores. Tenha um envolvimento cordial e próximo com eles, dando autonomia, mas acompanhando de perto as atividades de cada membro da equipe.

Elogie em público o bom desempenho individual e, havendo a necessidade de uma crítica ou advertência, faça-a reservadamente. Transmita segurança e autoridade para todos, sem que haja qualquer tipo de intimidação. A relação líder-liderado deve ser a mais tranquila e transparente possível.

E aí, gostou das nossas dicas? Leia com atenção e faça da sua empresa um negócio de sucesso por meio de uma gestão eficiente.

Como liderar em meio à crise: dicas para a gestão remota 635

Líderes precisam se adaptar rapidamente às mudanças para manter o bom funcionamento das empresas neste novo contexto de trabalho remoto

A mesa de jantar que virou a mesa de escritório e, muitas vezes, compartilhada com a mesa de colégio. A pandemia do coronavírus trouxe diversas mudanças, inclusive, nas relações de trabalho. O home office já é uma realidade para mais de 70% dos brasileiros, segundo dados divulgados pela Fundação Dom Cabral. Adotado emergencialmente, sem aviso prévio, muito menos preparação, o trabalho remoto já demonstra uma aceleração de tendência, que aponta para expansão de pelo menos 30% no país mesmo após a pandemia.

E aí surge a questão: como um líder deve agir durante a crise? Coordenar equipes numa pandemia, como a causada pelo Covid-19, exige adaptações em relação às práticas habituais. Ao mesmo tempo, este momento pode ser a oportunidade para os gestores se reinventarem e criarem dinâmicas de trabalho mais eficientes para suas equipes.

A head de soluções da consultoria People Strategy, Célia Costa, ensina sobre a metodologia dos 5Cs para ser mais efetivo ao liderar uma equipe à distância. Entender o que significa cada C e como aplicá-lo no dia a dia de trabalho pode contribuir para uma gestão mais eficiente:

Comunicação: É importante manter diálogo constante com a equipe, mesmo que virtual. Uma comunicação clara é fundamental para que os líderes possam reconhecer necessidades e dificuldades. Sem isso, fica difícil dar o necessário para que a equipe entregue bons resultados.

Compartilhar: Dividir os erros e acertos, sempre com clareza do que seriam as melhores práticas é indispensável para o alinhamento da equipe frente aos desafios. Uma ideia aqui é estabelecer reuniões diárias com os colaboradores. Investir em estabelecer e ampliar essas conexões faz toda a diferença.

Cooperar: Operar em conjunto em prol de um resultado comum é o que motiva e impulsiona colaboradores. Criar equipes multidisciplinares para diferentes tarefas pode ser uma ótima ideia neste novo cenário. Testando novos formatos conseguimos novos insights e resultados melhores.

Confiança: É imprescindível entender como as pessoas operam. Confiança e clareza de todos os lados são necessárias para um fluxo de trabalho transparente e realmente efetivo.

Cumplicidade: É o estágio avançado da confiança. Construir o sentimento de equipe e a responsabilidade do grupo é o cenário ideal para um trabalho bem alinhado e resultados mais eficazes.

Investir na ampliação e sintonia entre os 5Cs gera um aumento do compromisso e resultado da sua equipe. Como o futuro é imprevisível, o ideal é que os líderes saibam usar este momento para aproveitar as oportunidades que este novo formato de trabalho pode trazer. Teste possibilidades, construa parcerias e invista em conhecer melhor suas próprias competências para alcançar resultados maiores e melhores.

Pedidos de recuperação judicial caem em abril 862

Resultado é 3,2% menor que o visto no mesmo mês em 2019

O último mês de abril, marcado pelos efeitos negativos do isolamento social e da queda do consumo, registrou 120 pedidos de recuperação judicial, de acordo com dados da Serasa Experian. O dado ficou próximo aos 124 acordos requisitados no mesmo mês de 2019, o que representa uma queda de -3,2% no período. Já quando analisado em comparação com março deste ano, sem ajuste sazonal, houve um aumento expressivo de 46,3% no volume de recuperações judiciais solicitadas, ante os 82 pedidos que foram feitos na época.

O economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, analisa que por conta dos prazos burocráticos para que as decisões de solicitar a recuperação judicial se concretizem, os números ainda não sofrem tanto impacto relacionado ao atual período de incertezas econômicas, mas prevê que esse número cresça daqui em diante. “Com empresas enfrentando dificuldades no fluxo de caixa e para manter a folha salarial em virtude da queda considerável dos níveis de consumo e de produção, nos próximos meses devemos ter um aumento dos pedidos, sendo que as empresas de menor porte e as recentemente criadas deverão ter uma maior representatividade”, projeta o economista.

Rabi ainda explica que apesar da queda observada na comparação anual, o índice pode ser considerado estável, uma vez que a variação das quantias absolutas, ou seja, o total de requerimentos, são relativamente baixos. “Podemos enxergar essa estabilidade quando analisamos que o acumulado deste ano até abril totalizou 377 pedidos, sendo praticamente igual ao do ano passado, quando tivemos 371”, explica o economista.

Setor de serviços e micro e pequenas empresas lideram pedidos em abril

O indicador de Recuperação Judicial da Serasa revela que o setor de serviços foi o mais impactado e quase dobrou o número de requisições, passando de 56 solicitações de recuperação judicial em abril de 2019 para 92 em igual mês de 2020. Os demais seguimentos tiveram baixa, entre elas a mais acentuada foi no setor primário, que diminuiu de 22 pedidos para apenas 3.

Na análise por porte todas as naturezas jurídicas tiveram diminuição, no entanto, as micro e pequenas empresas continuam se destacando, com 226 pedidos feitos em abril deste ano. Em seguida estão as médio porte (99) e grandes empresas (52).

Solicitações de falências caem 42,7% em abril

Em abril de 2020 foram registradas 75 requisições de falências, uma retração de 42,7% em relação ao mesmo mês de 2019 que marcou 131 requerimentos. O economista Luiz Rabi pondera que a baixa tem a ver com o fato de que tanto as empresas credoras como as devedoras têm buscado flexibilizar novos acordos financeiros para suas dívidas, demovendo mesmo que temporariamente, os credores a entrarem com pedidos de falências.

Serasa promove capacitações gratuitas para ajudar pequenos negócios

Para ajudar os micro, pequenos e médios empresários a atravessarem a turbulência deste momento, a Serasa Experian tem promovido uma série de ações on-line neste mês de maio. Os empreendedores que estão com dificuldades financeiras podem acompanhar todas as quintas às 18h, uma série de lives no Instagram da Serasa. Sob o comando de especialistas da Serasa e convidados especiais, toda semana o conteúdo é diferente e ajuda as empresas a manterem o fluxo de caixa, potencializarem suas vendas e praticarem uma boa gestão de pessoas à distância. Neste mês, haverá uma programação especial sobre fraudes e abordagem criativa junto a clientes.

Além das lives, a Serasa também vem ajudando os empresários de pequeno porte com uma série de materiais gratuitos voltados para o cuidado da saúde financeira dos negócios e um curso on-line gratuito para micro e pequenos empreendedores individuais (MEIs).

Outra iniciativa é o ‘Estímulo 2020’, um movimento nacional e sem fins lucrativos da qual a Serasa faz parte e que reúne empresas de diversos setores para oferecer capacitação e crédito online barato aos pequenos negócios que estão sofrendo os impactos econômicos do isolamento social. Pequenas empresas que faturam entre R$ 360 mil e R$ 2 milhões por ano e existem há pelo menos três anos podem participar. A inscrição é feita no site www.estimulo2020.org.

A série histórica deste indicador está disponível em:
https://www.serasaexperian.com.br/amplie-seus-conhecimentos/indicadores-economicos

Sompo Seguros apresenta novas diretorias de produtos 784

Novidade visa atender aos planos de investimentos em soluções de serviços de fomentar oportunidades de negócios para corretores de seguros

A Sompo Seguros, como parte de sua estratégia de investimentos em soluções para incrementar a experiência do segurado e fomentar o desenvolvimento de negócios para os parceiros corretores de seguros, anunciou a nova estrutura organizacional, que entra em vigor em 1 de junho. As linhas de produtos foram reorganizadas dentro de novas Diretorias Técnicas a fim de atender aos planos de lançamentos de produtos e serviços para conquistar market share em diferentes ramos do seguro.

“A Sompo Seguros tem investido fortemente na consolidação de sua estratégia nos anos recentes, alinhada à Sompo Internacional, com o objetivo de ofertar uma gama completa de produtos e serviços aos corretores e clientes. Para atender à dinâmica do mercado brasileiro, que está mais desafiadora a cada dia, estruturamos um planejamento estratégico em que nossos diretores técnicos estarão com foco em grandes áreas de negócios. Com isso, ganhamos ainda mais agilidade no desenvolvimento de novas soluções, conseguimos identificar tendências, além de estreitar ainda mais nosso relacionamento com os parceiros corretores de seguros”, ressalta Adailton Dias, diretor Executivo de Produtos e Resseguro da Sompo Seguros.

Por meio da iniciativa, Rogério Santos, que era responsável pelo ramo Automóvel e que, entre outras iniciativas capitaneou em 2019 o lançamento do Sompo Auto, o novo seguro Automóvel da companhia; assume a Diretoria de Massificados. Ele tem como desafio reforçar ainda mais a atuação da Sompo Seguros no segmento de massificados, abrangendo os ramos Automóvel (Individual), Empresarial/Lucros Cessantes (com Limite Máximo de Garantia até R$ 50 milhões), Residencial, Condomínio, Habitacional, Penhor Rural, Benfeitorias e RD Equipamentos.

“Venho de uma experiência de relacionamento muito próximo dos corretores de seguros por também já ter atuado na área comercial. E essa característica, no segmento de massificados, é importante porque trabalhamos com as necessidades de cobertura e assistência de uma ampla parcela de consumidores. Estar no dia-a-dia do corretor vai nos ajudar a apresentar nossas ideias e captar percepções para cada iniciativa que estivermos planejando. Nossa cumplicidade com o corretor de seguros nessa nova estrutura reforça a já consolidada política de Portas Abertas da companhia”, analisa Rogério Santos, diretor de Seguros Massificados da Sompo Seguros.

Já João Carlos França de Mendonça que, entre outras iniciativas, esteve à frente do lançamento de produtos como seguros Agrícola, Habitacional, E&O e D&O na diretoria de Commercial Lines, assume a Diretoria de Corporativos. Ele fica responsável pela supervisão dos seguros corporativos, consolidando a posição de destaque da Sompo Seguros nos ramos Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Engenharia, Riscos de Petróleo, Responsabilidade Civil Geral, E&O, D&O, Garantia, Fiança Locatícia, Empresarial/Lucros Cessantes (com Limite Máximo de Garantia acima de R$ 50 milhões e negócios com resseguro facultativo), RD Compreensivo de Veículos e Agrícola.

“Contamos com um corpo técnico qualificado, experiente e multidisciplinar com conhecimento não só do segmento de seguros, mas dos setores econômicos que atendemos. Com isso, propiciamos condições para que corretores de seguros tenham mais oportunidades de negócios e os segurados tenham agilidade no atendimento, para que possam se dedicar mais tempo aos seus empreendimentos. Esse é um dos fatores que faz com que a Sompo esteja entre as empresas de melhor desempenho nos rankings em algumas de nossas linhas de produto.”, avalia João Carlos França de Mendonça, diretor de Seguros Corporativos da Sompo Seguros.

A essas duas diretorias, soma-se a Diretoria de Transporte e Frota, que continua sob comando de Adriano Yonamine; segmento em que a Sompo Seguros lançou soluções inovadoras de consultoria em gerenciamento de riscos, além de uma estrutura exclusiva de monitoramento de cargas de reconhecida eficiência. Essas iniciativas contribuíram para a Sompo Seguros alcançar a liderança do segmento de Seguro de Transportes.

Já o segmento de Pessoas também segue sob o comando da superintendente Técnica de Vida, Diana Araújo Estevão. Esse ramo é um dos que apresenta crescimento mais expressivos e a Sompo Seguros ampliou seu leque com soluções voltadas aos seguros de Vida Individual (Individual e Vida Top Mulher) e Coletivos (Empresarial e PMEs), com opções de contratação para atender diferentes realidades dos segurados. Com isso, a carteira que representava cerca de 5% do portfólio da Sompo Seguros anos atrás, atualmente alcança uma representatividade de 11%.

Pandemia intensifica a transformação digital 588

Empresas iniciam projetos de ecommerce, meios de pagamento e modelagem de crédito com inteligência artificial em tempo record como saída para a crise

A pandemia do Covid-19 modificou totalmente o cenário no varejo brasileiro e vai exigir rápida adaptação com soluções que não serão usadas apenas durante a crise. Elas virão para ficar. O uso de novas tecnologias, como Inteligência Artificial e Machine Learning, tendem a se intensificar, com o intuito de impulsionar vendas pelos canais digitais.

“Uma das frases que mais tenho escutado no setor é que as últimas seis semanas têm sido equivalentes a seis meses do período anterior à pandemia. Isto mostra que existe um nível de aceleração no uso da tecnologia a favor do varejo ou a favor do público consumidor que nunca foi tão intenso”, aponta Rodrigo Cunha, diretor de Novos Negócios da Neurotech.

Para Edrei Costa, Diretor Comercial da Conductor, a jornada digital ganhou prioridade em linhas gerais. Segundo ele, um dos indícios deste fenômeno foi uma aceleração incrível na ativação de aplicativos por parte de clientes que possuem cartões private label. A explicação é que através deste instrumento o cliente conseguiu acesso a toda uma gama de serviços que permitem a ele fazer de forma digital tudo o que faria indo até as lojas.

Costa contou ainda que a própria Conductor adiantou o lançamento de um produto em parceria com a Neurotech justamente porque identificou a necessidade de responder imediatamente a essa demanda por serviços digitais por parte dos clientes. Trata-se de um robô inteligente de atendimento associado ao WhatsApp que interage em toda a jornada do consumidor, fazendo todas as perguntas, respondendo de forma automática, ´pedindo documentos, submetendo dados aos motores no final do processo até chegar ao final, se o cliente for aprovado, liberando o cartão ou a conta digital. “O lançamento dessa ferramenta não estava previsto para esse ano”, disse.

A Fort Brasil também acelerou seus processos de transformação digital como resposta rápida à pandemia. Segundo Juliana Freitas, fundadora da empresa, em apenas 3 dias foi desenvolvido um novo modelo de crédito internamente, para ajustar o sistema às necessidades do momento.

A crise econômica que assola o país desde que achegada da pandemia do Covid-19 tem acelerado a transformação digital do setor, visto que o isolamento social, exigido por questões de segurança e saúde públicas, levou o consumidor a dar mais preferência pelas plataformas online na hora de consumir bens e serviços. “No começo da pandemia, nós vimos os volumes de crédito desabarem de uma hora para a outra. Mas conforme o passar dos dias, de uma forma surpreendente, notamos que aos poucos o volume normal foi sendo retomado sem a mudança do status do isolamento. Isto deixou claro que o varejo estava se adaptando com cada um buscando o seu melhor formato”, destaca Cunha.

Segundo ele, a pandemia realmente deixará como legado um predomínio dos formatos digitais. Neste novo momento o varejo físico não vai desaparecer, mas será explorado muito mais para gerar experiência às pessoas. “Nas lojas os clientes poderão tocar no produto e ter uma relação mais intima, porém o fechamento da compra será feita online. O novo normal vai tornar comum o uso de bots para fomentar a compra de forma digital, mesmo que o consumidor esteja dentro da loja física”, finalizou.

Generali apresenta sólida rentabilidade dos negócios 748

Resultados são do 1º trimestre de 2020

O resultado operacional total foi de 1.448 milhões de euros graças à contribuição dos segmentos P&C (“não-vida”) e de Gestão de Ativos, que também inclui recentes aquisições, bem como da Holding e outros negócios.

A lucratividade técnica P&C melhorou, com o índice combinado de 89,5% (-2,0 pps); a lucratividade dos novos negócio de Vida continuou alta em 4,04% (-0,35 pps) e a receita da Gestão de Ativos continuou aumentando.

Já o total dos prêmios emitidos brutos permaneceu em 19,2 milhões de euros (+0,3%), com o desenvolvimento positivo do segmento P&C (+4,0%). No segmento de Vida, entradas líquidas totalizaram 3,1 bilhões de euros (-25,2%) e as provisões técnicas continuaram em 363,4 bilhões de euros (-1,6%), devido ao desempenho atual do mercado financeiro.

A Generali também conquistou uma sólida posição de capital do Grupo com Índice de Solvência Preliminar em 196%.

O lucro líquido do Grupo foi de 113 milhões de euros (744 milhões de euros no primeiro trimestre de 2019) e foi afetado em 655 milhões em net impairments em investimentos, devido ao impacto da Covid-19 no mercado financeiro, além da contribuição de 100 milhões de euros(2) alocados para o Fundo Extraordinário Internacional do Grupo para a emergência da pandemia. Não houve contribuição de alienações em comparação com um ganho de 128 milhões de euros no primeiro trimestre de 2019.

O lucro líquido afetado por redução ao valor recuperável de investimentos (Impairments). Esses são mudanças nos prêmios, as entradas líquidas de Vida e PVNBP (valor presente de novos prêmios de negócios) que foram apresentadas em termos equivalentes (em taxas de câmbio e escopo de consolidação constantes). houve também alterações nos resultados operacionais, investimentos próprios e provisões técnicas de Vida, que excluíram ativos alienados durante o mesmo período de comparação.

O CFO do Grupo Generali, Cristiano Borean, comentou: “Em um dos momentos mais difíceis e incertos das últimas décadas, com a emergência da Covid-19 o consequente forte impacto financeiro e na macroeconomia, nosso modelo de negócios garantiu a continuidade das operações do Grupo e nos permitiu manter nosso papel de Parceiro Vitalício dos nossos clientes. Isso também é resultado da crescente digitalização de nossos processos e produtos, uma rede de distribuição multicanal que aproveita uma rede de agentes e diversidade internacional. Os primeiros três meses do ano mostraram um bom desempenho e confirmaram a sólida posição de capital do Grupo. O lucro líquido foi afetado pelos impedimentos devido ao desempenho do mercado financeiro atual, resultado da pandemia”, disse.