Roubo de cargas tem aumento de 60% em 2019 e entidades montam plano de ação 3454

Roubo de cargas tem aumento de 60% em 2019 e entidades montam plano de ação

SindiTabaco, Polícia Civil e Brigada Militar lançam folder de gerenciamento de risco para transportadores e aumentam atuação preventiva em áreas mais afetadas pela criminalidade

O aumento de roubos de cargas ocorridos nos últimos anos foi alvo de análise de uma Comissão de Segurança criada pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e que integrou representantes das empresas associadas e órgãos de segurança pública como a Brigada Militar e Polícia Civil da região de Santa Cruz do Sul (RS).

“A análise das ocorrências dos últimos três anos demonstrou um aumento de 61,5% de roubos de cargas em 2019 em comparação com o ano anterior. No total foram 47 ocorrências nos últimos 3 anos, sendo 57% ocorridas no RS. Com base nesses dados, a Comissão trabalhou no sentido de estabelecer um plano de ação para aplicação imediata”, comenta o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke.

Iro Schünke é presidente do SindiTabaco / Divulgação
Iro Schünke é presidente do SindiTabaco / Divulgação

Entre os principais objetivos do plano estão reduzir significativamente o número de ocorrências comparado a 2018 e prevenir a integridade física dos transportadores. Para isso, Policia Civil e Brigada Militar estarão atuando preventivamente nas áreas mais afetadas durante a safra de 2020.

Divulgação
Divulgação

Além disso, o gerenciamento de risco foi tema de folder que será distribuído aos transportadores de tabaco e de insumos agrícolas do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. O material estabelece medidas preventivas para auxiliar os transportadores na prevenção e procedimentos do que fazer em casos de ocorrências de roubo de carga de tabaco e insumos agrícolas. Entre as dicas de prevenção de ocorrências estão:

  • Assegurar que o veículo esteja devidamente abastecido para evitar paradas não programadas;
  • Procurar usar postos 24 horas com estacionamento próprio, vigilância e sistema de câmeras de segurança para as paradas;
  • Evitar a exposição da carga, deixando-a em local protegido e seguro;
  • Sempre que possível deixar o veículo em local com boa iluminação;
  • Manter disponíveis e acessíveis os contatos de emergência – Brigada Militar – Polícia Civil e SAMU;
  • Evitar viajar à noite e não desviar da rota;
  • Não dar carona a pessoas alheias à operação de transporte de tabaco, inclusive para familiares ou conhecidos;
  • Não repassar informações a terceiros sobre a carga, rotas e sobre os sistemas de segurança do veículo;
  • Sempre que possível viajar em comboio com contato visual permanente, dificultando a ação dos assaltantes.
Divulgação
Divulgação

Se o motorista notar que está sendo seguido ou qualquer outra situação suspeita, ele deve procurar o mais rápido possível parar o veículo em um local movimentado e acionar a polícia. “Recomendamos altamente não reagir a qualquer tipo de abordagem dos assaltantes, evitando movimentos bruscos ou gestos que possam assustar ou irritar os assaltantes”, destaca ainda Schünke, presidente do SindiTabaco. Se necessário, o transportador deve acionar os contatos de emergência: 190 – Brigada Militar; 191 – Policia Rodoviária Federal; 192 – SAMU; 193 – Bombeiros; 197 – Polícia Civil; 198 – Polícia Rodoviária Estadual.

Divulgação
Divulgação

Lançado primeiro hackathon de Odontologia do Brasil 291

Lançado primeiro hackathon de Odontologia do Brasil

Maratona de inovação na área será totalmente online e gratuita

Hackathons são eventos voltados para o desenvolvimento de ideias e tecnologias inovadoras para problemas práticos das organizações, de startups a universidades. A fórmula tem apresentado excelentes resultados para instituições que querem inovar, descobrir novos talentos e se atualizar.

O formato se assemelha a uma maratona, sendo que o principal objetivo é estimular o desenvolvimento de soluções inéditas para problemas e desafios reais. O modelo é, ainda, uma ótima oportunidade para profissionais desenvolverem habilidades como o trabalho em equipe, altamente apreciado no mercado de trabalho.

Mesmo que os hackathons existam desde 1999, a iniciativa até o momento não havia chegado ao mundo dos dentistas. Porém, a partir da próxima quinta-feira, dia 17 de junho, a lacuna será preenchida. A data marca o lançamento do Dental Ideathon, iniciativa pioneira, com o propósito de fomentar a cultura do empreendedorismo e trazer soluções inovadoras para desafios reais na área da Odontologia.

A primeira edição do Dental Ideathon terá como patrocinadora master a S.I.N. Implant System, referência global em implantes e componentes dentários, com sua trajetória apoiada em inovação e pesquisas científicas produzidas em universidades de Odontologia de vários países.

A maratona colaborativa vai acontecer entre 17 a 20 junho, e terá 52 horas de duração, com abertura oficial marcada para dia 18, às 19h30min. Todas as etapas serão feitas de forma online.

Em seu primeiro dia, o hackathon irá contar com workshops de preparação e oficinas de criatividade, design e gamificação. Já entre os dias 18 e 20 de junho as equipes irão se dedicar à elaboração de projetos, com mentoria de convidados e parceiros.

No último dia do evento acontecem os pitchs, com as propostas apresentadas em vídeos.

O objetivo da Dental Ideathon é o estímulo ao desenvolvimento de soluções inovadoras para problemas reais ligados à Odontologia. Entre os desafios estão: ‘como conectar a oral care com os pacientes ou dentistas’; ‘como monitorar a saúde bucal dos pacientes à distância’ e ‘como otimizar os serviços da equipe odontológica no atendimento ao paciente, de forma inovadora’.

Os problemas devem ser solucionados em quatro etapas: ideação, validação, prototipagem e apresentação (pitch), seguindo o cronograma da conferência.

O evento é voltado para acadêmicos da Odontologia, porém, a participação de estudantes e profissionais de outras áreas da saúde, assim como de carreiras ligadas a administração de empresas, TI, comunicação, marketing e publicidade, são incentivadas pela organização.

Para inscrições ou mais informações, basta acessar este endereço.

WinSocial lança campanha para incentivar vacinação 281

WinSocial lança campanha para incentivar vacinação

Ação com influenciadores visa estimular a imunização para pessoas com diabetes, grupo de risco da pandemia

A WinSocial, startup que oferece seguro de vida a pessoas com diabetes por meio da tecnologia, lançou uma campanha para incentivar que pessoas com esta condição de saúde – classificadas como grupo de risco – se vacinem contra a Covid-19.

Ao longo de todo o mês de Junho, os seguidores da WinSocial no Instagram que compartilharem fotos tomando a vacina ou apresentando o seu cartão de vacinação com as duas hashtags #winsocial #vacinasim, concorrerão a cinco kits especiais da startup com: uma camisa “Quem tem diabetes PODE!”, um cofre unicórnio e uma máscara de proteção personalizada.

A ação contará com a participação de mais de dez influenciadores digitais que abordam o tema de diabetes. O objetivo é promover o cuidado com a diabetes e celebrar a vida em um momento tão especial para pessoas com essa condição de saúde.

Os cinco posts mais curtidos até 30 de junho ganharão os kits, e os ganhadores serão anunciados dia 01/07 no Instagram da WinSocial.

Lúcio Roca Bragança: Seguro e recuperação econômica 297

Lúcio Bragança é advogado do escritório Agrifoglio Vianna / Arquivo JRS

Confira artigo do sócio do escritório Agrifoglio Vianna – Advogados Associados

Em um cenário de pandemia, com a consequente recessão econômica, é natural um aumento na precaução, com a adoção de estratégias econômicas mais conservadoras e redução de investimentos. Por conseguinte, o contrato de seguro, enquanto instituição econômico-social de suma relevância, desempenha papel para a recuperação da economia, por seu papel institucional de redutor de incertezas e expansão da livre iniciativa: “O que o seguro tem em vista, o bem que ele oferece, como instituição, a instituição que ele se dedica, é justamente produzir este bem, este valor almejado – essencialmente almejado por todo mundo, seja qual for a sua categoria social, sua riqueza, sua natureza – que é a confiança¹”.

O aumento da confiança proporcionado pelo sistema de garantias ofertado pelo seguro favorece a retomada dos negócios e dos investimentos necessários para a superação da crise. Nesta toada, presta serviço também à Democracia, já que, como visto, uma sociedade com medo constitui ambiente fértil para o surgimento de autocracias.

Esse papel do seguro é especialmente importante no Brasil, onde ainda remanescem as características do “homem cordial” apontado Sérgio Buarque de Holanda², com a cultura do apadrinhamento, pessoalização do poder e relações sociais afiançadas por laços pessoais. Por conseguinte, pessoas e empresas menos favorecidas, destituídas de contatos que lhe emprestem confiança, deixam de depender deste critério subjetivo para prosperar, podendo se valer da impessoalidade e da objetividade apresentadas pelo seguro – sendo o exemplo mais emblemático o do seguro-fiança.

Também ganham relevância, em época de crise, todas as características do seguro que favorecem o desenvolvimento econômico e social que, segundo Steven Weisbart, podem ser sintetizados em 10 pontos, divididos em 3 segmentos: segurança, estabilidade econômico-financeira e desenvolvimento³. Na promoção da segurança, o autor aponta: 

1. Seguradores são agentes de resposta financeira imediata (enquanto ajuda governamental, ou políticas públicas, podem demorar meses ou anos, a cobertura de risco coberto ocorre em até 30 dias); 

2. A cultura do seguro mitiga o risco (seja através exigências contratuais de ajuste, seja por incentivos educacionais de comportamento).

Na promoção da estabilidade econômica/financeira, tem-se os seguintes: 

3. Seguradores protegem o capital (através do imenso volume de recursos imobilizados em reservas, os seguradores apresentam grande resistência às crises financeiras e possuem uma capacidade muito maior do que os bancos de contribuir para o PIB em meio à recessão); 

4.O Seguro complementa ou supre políticas públicas (como ocorre mais visivelmente nos seguros de saúde, renda temporária, acidentes de trabalho, previdência, etc.); 

5. Auxilia a manutenção da cadeia produtiva (mediante coberturas específicas de interrupção de fornecimento ou amplas de ressarcimentos de prejuízos);

6. Injeção de capital (ao mitigar o risco dos particulares, incentiva o investimento e reduz a necessidade de precaução e poupança).

Quanto ao desenvolvimento, vêm os 4 últimos pontos:

7. Financiamento da dívida pública (ao imobilizar grande parte de suas provisões em títulos públicos, o seguro aumenta a capacidade de investimento dos governos).

8. Promoção de obras de infraestrutura (o seguro auxilia sobremaneira a viabilizar as grandes obras – papel ainda majorado pela nova lei Lei 14.133/21 – que muitos economistas defendem ser primordial para a retomada do crescimento);

9. Favorecimento de novas tecnologias (as pesquisas de última geração, por sua novidade e imprevisibilidade de resultados, demandam especial segurança financeira);

10. Facilitação de crédito (através dos seguros-prestamistas e demais ramos de seguro-garantia).

Atualmente, o cenário regulatório nacional está especialmente favorável ao cumprimento dessas promessas, visto que o regulador promoveu uma mudança paradigmática no mercado brasileiro, com a superação do que Walter Polido chama de “supremacia dos produtos de seguros padronizados, com diferença apenas no preço”⁴. Com os seguradores livres para redigirem seus clausulados, abre-se o caminho para produtos novos e inovadores, criativos e mais arrojados – qualidades essenciais para superação de qualquer crise. Ademais, aumenta a competitividade entre as empresas, com a tendência à diversificação dos produtos e maior possibilidade de escolha pelo consumidor.⁵ Por mais desalentador que sejam os efeitos da pandemia, é reconfortador perceber que, ao menos no que  tange à seara do Seguro, o Brasil trilha um caminho inédito, de vanguarda, na direção do desenvolvimento.

Referências:

¹EWALD, François. Risco, Sociedade e Justiça. In: AAVV. VI Fórum de Direito do Seguro ‘José Sollero Filho’ – IBDS.  São Paulo: Rocarati/IBDS, 2015, p. 29.

²HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 139 e ss.

³WEISBART, Steven. How Insurance Drives Economic Growth. Disponível neste endereço. Acesso em 18 de maio de 2021.

⁴POLIDO, Walter. O “day after” à liberação dos clausulados de seguros pela Susep. Disponível neste endereço. Acesso em 18 de maio de 2021.

⁵Id., ibid.

Espetáculos patrocinados pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros marcam presença na 8ª edição do Prêmio Bibi Ferreira 370

Alexandre Nogueira é diretor de Marketing do Grupo Bradesco Seguros / Divulgação

‘A Cor Púrpura’ e ‘Pippin’ concorrem em dez categorias diferentes

Como uma organização que preza pela promoção da cultura, a Bradesco Seguros patrocina dois dos principais espetáculos indicados ao 8º Prêmio Bibi Ferreira. ‘A Cor Púrpura’ e ‘Pippin’ estão concorrendo em dez categorias no campo técnico e de equipe criativa na edição deste ano. A premiação acontecerá em formato digital, diretamente do Teatro Sérgio Cardoso, em agosto. Todos os profissionais concorrentes acompanharão a cerimônia por vídeo.

O musical ‘A Cor Púrpura’, baseado no livro homônimo de Alice Walker, é o líder de indicações ao prêmio, concorrendo em oito categorias, com destaque para Melhor Musical; Melhor Adaptação – realizada pelo jornalista Arthur Xexéo -; e Melhor Atriz de Musical – com indicação da atriz Letícia Soares, que deu vida a Celie na adaptação brasileira. Já o espetáculo ‘Pippin’ figura entre os indicados em Melhor Figurino de Musical e Melhor ator de Musical, pela interpretação do personagem Pippin, feita pelo ator João Felipe Saldanha. Ambos os musicais integram o Circuito Cultural Bradesco Seguros, ação de incentivo cultural da seguradora.

“Incentivar a cultura sempre será um compromisso do Grupo Bradesco Seguros e poder contar com os espetáculos patrocinados por nós em um dos principais prêmios do teatro brasileiro é, sem dúvida, uma honra. Continuaremos garantindo expressões artísticas de qualidade a todo o público que gosta de assistir nos palcos boas histórias”, ressalta Alexandre Nogueira, Diretor de Marketing do Grupo Bradesco Seguros.

Por conta da pandemia de Covid-19, diversos espetáculos do Circuito Cultural Bradesco Seguros estão sendo adaptados para o formato de lives. Para acompanhá-los, basta seguir o Grupo Segurador nas redes sociais.

Cada gota conta: 108 vidas serão beneficiadas com campanha de doação de sangue da Unimed Londrina 367

Cada gota conta: 108 vidas serão beneficiadas com campanha de doação de sangue da Unimed Londrina

Programada para os dias 17 e 18 de junho, primeira doação do ano estima arrecadar 27 bolsas de sangue

A Unimed Londrina, desde 2012, incentiva a solidariedade dos seus colaboradores por meio de duas campanhas anuais de doação de sangue. A primeira edição de 2021, programada para esta quinta-feira (17) e sexta-feira (18), contará com o apoio de 27 colaboradores. Esta iniciativa celebra o Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado na última segunda-feira (14), e também integra as ações do Calendário da Saúde, campanha temática da cooperativa sobre saúde e bem-estar, cujo mote do mês é “Doar sangue: Cada gota conta”.

As doações de sangue dos colaboradores acontecerão no Hemocentro Regional de Londrina, vinculado ao Hospital Universitário (HU) da Universidade Estadual de Londrina (UEL), localizado na Rua Claudio Donisete Cavaliere, 156. Em ambos os dias da campanha, as doações serão no período diurno: na quinta-feira (17) das 14h às 17h, e na sexta-feira (18) das 14h às 15h30.

De acordo com a gerente de Sustentabilidade da Unimed Londrina, Fabianne Piojetti, a campanha tornou-se ainda mais importante devido às baixas nos estoques de sangue dos hemocentros em decorrência da pandemia do novo coronavírus. “Entendemos que é necessário ressaltar a importância da prática voluntária, mesmo com a pandemia. Com esta campanha, a cooperativa busca, por meio de uma grande corrente de solidariedade, fazer a sua parte para garantir a continuidade das coletas de sangue durante este período, pois cada gota conta”, destaca Piojetti.

Para tratar sobre a situação atual dos hemocentros, o Calendário da Saúde irá promover na próxima segunda-feira (21), às 19h, nas redes sociais da Unimed Londrina, uma live com o tema “Como a pandemia afeta o estoque do hemocentro?”. O bate-papo será intermediado pelo presidente da cooperativa, Dr. Omar Taha, e contará com a presença do coordenador do Hemocentro Regional de Londrina, hematologista e cooperado, Dr. Fausto Trigo; da hematologista e cooperada, Dra. Suellen Stallbaum; e da cliente e ex-colaboradora da operadora de planos de saúde, Bianca Veronesi, que contará sua experiência quanto à doação de sangue.