Quase 50% dos clientes brasileiros não confiam em companhias aéreas 1910

Quase 50% dos clientes brasileiros não confiam em companhias aéreas

Falta de transparência das empresas sobre direitos e elegibilidade impulsiona desconfiança

De acordo com um estudo recente da empresa britânica de pesquisa YouGov, encomendado pela AirHelp, empresa líder mundial dedicada a ajudar passageiros aéreos, quase metade (46%) dos brasileiros entrevistados não acreditam no tratamento justo em relação à compensação a passageiros após infração das companhias. O estudo foi realizado entre os meses de junho e julho de 2019 e ouviu 2.106 brasileiros. Em casos de voos cancelados ou de preterição, quando um passageiro, mesmo comparecendo pontualmente para o voo, não consegue embarcar em razão de diversos fatores, como overbooking, cancelamento e atrasos em razão de troca de aeronave ou imprevistos de operação, o consumidor tem direito à compensação financeira.

A baixa confiança nas companhias aéreas é causada por muitos exemplos de violação dos direitos dos passageiros, não apenas por não informá-los sobre seus direitos em caso de interrupção de voos, admitem 60% dos brasileiros que viajam de avião. As companhias aéreas maltratam seus clientes também no momento de pagar a compensação. 50% dos brasileiros que reivindicaram seus direitos devido à interrupção de voo para a companhia aérea responsável receberam o substituto de dinheiro (como vale-refeição, por exemplo), mas não a compensação financeira a que tinham direito. Na Europa, apenas 13% dos passageiros enfrentam situação semelhante.

“Os passageiros aéreos de todo o mundo são constantemente maltratados pelas companhias aéreas e a maioria dos viajantes não sabe como lutar pela compensação a que tem direito. Como organização, estamos lutando em defesa dos passageiros todos os dias e não descansamos até que os viajantes recebam tratamento mais eficiente, compensação financeira e a educação que merecem por parte das companhias aéreas”, diz Christian Nielsen, diretor jurídico da AirHelp. A pesquisa da AirHelp aponta que somente 5% dos brasileiros que viajam de avião conhecem seus direitos em situações de atraso, interrupção e cancelamento de voo.

Passageiros brasileiros não se sentem em posição de lutar por seus direitos

Os passageiros brasileiros não se sentem em posição de reivindicar seus direitos à empresa. O estudo da AirHelp mostra que apenas 49% dos passageiros brasileiros que pensam que são elegíveis entraram com uma compensação financeira à companhia aérea. 80% deles, que solicitaram compensação para a empresa responsável pela cancelamento ou atraso do voo, desistiram de lutar por seus direitos depois de receber a primeira rejeição da companhia aérea. Além da falta de transparência, os passageiros brasileiros precisam lidar com o tratamento inadequado de reclamações por parte das companhias aéreas. Um estudo separado* da AirHelp descobriu que as companhias aéreas rejeitam uma média de 58% das reclamações por motivos ilícitos.

“Os passageiros estão perdendo dinheiro que é legitimamente deles porque as companhias aéreas são desonestas com os direitos de seus próprios passageiros. O processo de pedidos de indenização tornou-se tão desanimador que muitos passageiros desistiram após a reivindicação inicial ter sido rejeitada, destacando o fato de que muitos consumidores se sentem impotentes contra as companhias aéreas. A legislação brasileira está em vigor para capacitar os passageiros e não deve ser usada pelas companhias aéreas como ilusão, permitindo que eles evitem sua responsabilidade legal. Com a alarmante taxa de 95% dos passageiros brasileiros desconhecendo seus direitos, a AirHelp continuará a educar e fornecer os recursos e conhecimentos necessários para garantir que a lei funcione a seu favor”, comenta Christian Nielsen, diretor jurídico da AirHelp.

Entre os motivos mais comuns pelos quais os brasileiros não solicitam a compensação de voo estão a falta de conhecimento sobre como registrar a reclamação e sobre os direitos dos passageiros, além da suposição de que o processo de compensação leva muito tempo.

Passageiros têm respaldo da legislação

Os passageiros brasileiros estão protegidos por uma resolução da Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil (ANAC). A legislação mais relevante para passageiros é conhecida como Resolução ANAC Nº 400, que define claramente as responsabilidades das companhias aéreas em relação aos passageiros quando ocorrem atrasos, cancelamentos e reservas em excesso de voos. Garante ainda vários direitos aos passageiros, especificando com precisão quais tipos de assistência as companhias aéreas precisam fornecer e quando. Sempre que uma companhia aérea deixa de prestar assistência, o Código Brasileiro de Defesa do Consumidor permite que os passageiros reivindiquem uma compensação pelo inconveniente.

As leis do Brasil permitem que os passageiros reivindiquem custos atrasados como comida, bebida e transporte após um problema de voo – estes são chamados de “danos materiais”. Mas, de acordo com o Código do Consumidor do Brasil, os passageiros também têm o direito de buscar uma compensação pelo que é conhecido como “danos morais”. Isso significa que não há necessidade de os passageiros provar que incorrem em um custo – as leis entendem que tempo perdido, oportunidades perdidas e tratamento inadequado também são importantes e merecem ser recompensados.

A lei se aplica a todos os viajantes aéreos que chegam ou partem de aeroportos brasileiros. O período de rescisão para solicitar indenização é de dois anos (para internacional) e cinco anos (para voos domésticos).

Tokio Marine lança pacote de medidas para a carteira de Produtos Massificados 406

Iniciativas visam a manutenção do atendimento e flexibilização de processos para apoiar os Parceiros de Negócios durante pandemia de Covid-19

A Tokio Marine, uma das maiores Seguradoras do País, tem feito uma série de ações com o objetivo de garantir que seus Parceiros de Negócios e Clientes, tanto da carteira de Produtos Massificados quanto de Produtos Pessoa Jurídica, sejam atendidos sem intercorrências, mesmo diante da necessidade de isolamento social em razão da pandemia de Covid-19. Além de simplificar ainda mais os processos, a estratégia visa garantir que os Corretores e Assessorias continuem amparados em todos os momentos e possam continuar com seus negócios durante esse período.

“Todas as iniciativas reforçam nosso compromisso com a continuidade dos negócios de nossos Corretores e Assessorias, oferecendo a flexibilidade necessária para que, mesmo em face do isolamento social, os mais de 30 mil Parceiros que operam com a Tokio Marine possam prestar o melhor serviço a seus Clientes”, afirma Marcelo Goldman, Diretor Executivo de Produtos Massificados da Tokio Marine.

Uma das medidas adotadas pela Tokio Marine foi ampliar os recursos digitais que permitem a realização de inspeções remotas e vistorias on-line em caso de sinistros. O processo é feito de forma remota por meio de uma chamada de vídeo agendada previamente pelo WhatsApp, Facetime ou Skype entre o Cliente e o Inspetor. Após esse processo, basta que o inspetor insira as fotos enviadas pelo Segurado e os laudos no sistema da Tokio Marine. Essa flexibilidade e a possibilidade de customização do atendimento permitem que o Corretor se molde ao cenário e às restrições de cada região.

A Companhia determinou que para renovações será mantido o preço da apólice anterior, ou o valor da cotação atual, caso ele seja menor, nos produtos Auto, Residencial e Condomínio, com o objetivo de contribuir com o planejamento financeiro dos Segurados. A Companhia permanece com a possibilidade de parcelamento em 12 vezes sem juros no cartão de crédito para a carteira de Automóvel e Residencial.

Ainda como parte das iniciativas para o Seguro Auto, a Tokio Marine oficializou a dispensa de Vistoria Prévia para todas as renovações de congêneres de veículos com mais de 10 anos (sem quebra de vigência e alteração do risco) nos produtos Individual e Frota. O prazo para instalação de rastreador foi também ampliado para 30 dias sem a necessidade de pedido de prorrogação para oferecer mais comodidade aos Clientes do Auto Roubo+Rastreador. Foi determinada, ainda, a prorrogação da disponibilidade do carro reserva em 7 dias, isentando o Cliente da taxa de devolução.

Já para a carteira de RD Massificados, além da disponibilidade de inspeção e vistoria digitais, a Companhia flexibilizou as regras de sinistros do Tokio Marine Aluguel para situações nas quais os aluguéis e encargos vencidos e não pagos tenham sido negociados amigavelmente entre locador e locatário, mas que, em função da situação extraordinária, não tenham sido quitados. Ainda pensando na segurança e comodidade de seus Parceiros, a Companhia disponibiliza o contrato padrão que pode ser assinado eletronicamente, na dificuldade de formalização da documentação locatícia.

Para o produto Residencial, foi determinada a dispensa de inspeção para casas com valor até R$ 2 milhões e imóveis de madeira de até R$ 100 mil. A medida vale também para todas as renovações Tokio e para o produto Condomínio. Nesse caso, a dispensa de inspeção se aplica para empreendimentos de até R$30 milhões e prédios construídos há até 30 anos.

Todas essas iniciativas são válidas até 31 de maio de 2020 e podem ser postergadas de acordo com a evolução do cenário da pandemia. A Tokio Marine continuará direcionando seus esforços para a adoção de novas medidas durante esse período de isolamento, cumprindo com seu compromisso de manter a excelência no atendimento a todos os seus públicos e contribuir para a continuidade dos negócios dos Corretores e Assessorias.

Campanha do GBOEX nas redes sociais intensifica dicas importantes de produtividade e saúde 391

Postagens incluem inciativas para a melhoria da qualidade de vida, cuidados para evitar o contágio com o coronavírus, ações para a produtividade em home office e muito mais

Visando contribuir com informações e dicas para que a população siga este período de isolamento social em harmonia com a família, com a saúde e com qualidade nas relações de trabalho, o GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas lançou uma campanha diferenciada em suas redes sociais.

As postagens incluem inciativas para a melhoria da qualidade de vida, cuidados para evitar o contágio com o coronavírus, ideias para se manter ocupado durante a quarentena e ações para a produtividade em home office.
“Acreditamos que juntos poderemos enfrentar esta pandemia, com união e força. As empresas estão se adaptando de forma a contribuir com a entrega de serviços e produtos com a mesma qualidade nesta fase. O GBOEX também está neste rol de empresas comprometidas com o bem-estar das pessoas e em continuar o seu trabalho com qualidade. Iniciativas como esta, que levem informação e orientação para aqueles que confiam na marca GBOEX, é essencial para nós. Trabalhamos para as pessoas, para proteger as suas famílias, este é o nosso compromisso”, comenta a superintendente de Marketing, Ana Maria Pinto.

Conforme a executiva, a empresa compilou dicas e recomendações de fontes oficiais, dos parceiros credenciados da rede de convênios, para divulgação nas redes sociais utilizando uma comunicação e um conceito leve e objetivo, linguagem simples e cores suaves, com a premissa de proporcionar cuidados e tranquilidade neste momento para seus públicos.

A criação é da Agência NOZ, responsável pela gestão das redes sociais do GBOEX. O trabalho é desenvolvido de forma integrada à linha de comunicação da empresa. As peças estão disponíveis no Facebook @GBOEXoficial e Instagram gboex_oficial.

Fenacor agradece às seguradoras que aderiram ao movimento de solidariedade 560

Entidade pede que seguradoras não apliquem as cláusulas de exclusão relacionadas à pandemias dos seguros de vida

A Fenacor divulgou um comunicado, onde agradece às 26 seguradoras que aderiram à campanha da entidade em relação à pandemia do coronavírus. As seguradoras se comprometeram  a não aplicarem as cláusulas de exclusão relacionadas à epidemias e pandemias dos contratos de seguros de vida.

Até o dia 31 de março, 12 seguradoras haviam aderido à campanha de solidariedade. Em apenas uma semana, o movimento cresceu e outras seguradoras se sensibilizaram com a causa. As seguradoras que aderiram ao movimento são: Bradesco Vida e Previdência, Brasil Seguridade, Caixa, Capemisa, Centauro ON, Chubb, Generali, Icatu, Itaú Seguros, Liberty, MAG, MAPFRE, MetLife, Mitsui Sumitomo, Omint, PASI, Porto Seguro, Previsul, Prudential, Sompo, SudaSeg Seguradora, SulAmerica, Sura, Tokio Marine, Unimed Seguros e Zurich Santander.

A Fenacor também reiterou o pedido para que as demais seguradoras participem da campanha de solidariedade.

Confira na íntegra o comunicado de agradecimento da Fenacor:

A Fenacor exalta, reconhece e agradece às 26 seguradoras de todos os portes que se sensibilizaram e já aderiram à nossa campanha de responsabilidade, cooperatividade e solidariedade, se comprometendo a não excluir as pandemias dos contratos de seguros de vida e de pessoas de forma geral. As mais recentes adesões, confirmadas nesta segunda-feira, foram das seguradoras Sompo e SudaSeg, além da Tokio Marine, que já havia tomado essa importante decisão no último final de semana.

A Federação destaca, com imensa satisfação, o pleno sucesso alcançado pelo movimento, até agora. Prova disso é o fato de as empresas que já anunciaram a sua adesão gerarem mais de 93% da receita global de prêmios apurada no ramo Vida.

É um claro sinal para a sociedade brasileira do elevado grau de maturidade e sensibilidade do nosso mercado. O setor de seguros reafirma, assim, o seu protagonismo nas ações que visam à plena segurança, amparo e proteção da população, inclusive nos momentos de maior crise, como o atual, em que avança no País a pandemia do coronavírus.

As respostas rápidas, assertivas e eficientes do mercado de seguros, nem sempre acompanhadas na mesma velocidade e eficiência por alguns governantes, fazem aumentar na sociedade a sensação de que todos estão amparados.

As 26 empresas que já aderiram ao movimento são as seguintes: Bradesco Vida e Previdência, Brasil Seguridade, Caixa, Capemisa, Centauro ON, Chubb, Generali, Icatu, Itaú Seguros, Liberty, MAG, MAPFRE, MetLife, Mitsui Sumitomo, Omint, PASI, Porto Seguro, Previsul, Prudential, Sompo, SudaSeg Seguradora, SulAmerica, Sura, Tokio Marine, Unimed Seguros e Zurich Santander.

A Fenacor volta a conclamar as seguradoras que ainda não se posicionaram a assumirem, se possível, esse mesmo compromisso, o quanto antes.

O momento é de Responsabilidade, Cooperatividade e Solidariedade!

Mag Seguros lança campanha para convocar todos à união e prevenção 448

Seguradora busca por meio da campanha, enfatizar o poder da prevenção que deve ser realizada por meio da higiene e do isolamento social

A Mag Seguros, seguradora especializada em seguro de vida e previdência com 185 anos de atuação no Brasil, lançou, nesta semana, campanha institucional em meios digitais e offline. A campanha tem como mote o ditado popular ‘Um por todos e todos por um’.

Por meio da campanha, a Mag Seguros tem como objetivo de traduzir de forma simples a importância da coletividade e do mutualismo, princípios que servem como base para o mercado de seguros.

“O mundo está passando por um momento crítico em sua história e entendemos que é nosso papel prestar um serviço à sociedade e contribuir para que todas as pessoas fiquem em segurança”, conta Nuno Pedro David, diretor de Marketing da Mag Seguros.

Outra preocupação da seguradora é, por meio da campanha, enfatizar o poder da prevenção que, neste momento, segundo as autoridades, deve ser realizada por meio da higiene e do isolamento social. A empresa ainda reforça a sua presença no dia a dia das pessoas até de forma remota ou digital, consequência do constante investimento em tecnologia e inovação da seguradora.

“Fizemos uma campanha simples e leve e que vai ser veiculada nas redes sociais”, completa David. A campanha foi assinada pela agência DPBR.

Link da Campanha: http://www.youtube.com/watch?v=Bs5Ol1YPOO4

Planos de saúde: ANS divulga números de fevereiro 426

No comparativo com fevereiro do ano anterior, o setor registrou aumento de beneficiários em planos de assistência médica

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) atualizou os números de beneficiários de planos de saúde relativos ao mês de fevereiro. No período, o setor totalizou 47.046.729 usuários em planos de assistência médica e 26.012.855 em planos exclusivamente odontológicos em todo o Brasil (veja tabelas abaixo).

Entre os estados, no comparativo com fevereiro do ano anterior, o setor registrou aumento de beneficiários em planos de assistência médica em 15 unidades federativas, sendo Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná os que tiveram o maior ganho de beneficiários em números absolutos.

Já no segmento exclusivamente odontológico, apenas um estado registrou queda em relação ao ano anterior (Alagoas). Nas demais unidades federativas, o aumento totalizou cerca de 1,7 milhão de usuários a mais. O maior crescimento (em números absolutos) foi registrado em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

A ANS ressalta que os números podem sofrer modificações retroativas em função das revisões efetuadas mensalmente pelas operadoras.

A consulta destes dados está disponível por meio da Sala de Situação, ferramenta do portal da ANS. Acesse aqui.

Confira aqui as tabelas com a evolução de beneficiários por tipo de contratação do plano e por UF.