Mongeral Aegon agora é MAG Seguros 3290

Mudança da marca foi apresentada durante o Magnext

Atenta à nova fase das formas de consumo e dos costumes dos corretores de seguros, a Mongeral Aegon apresenta a mudança de sua marca, que agora passa a se chamar MAG Seguros. A divulgação foi feita durante o Magnext, evento que contou com a participação de quase 3 mil corretores na última semana no Rio de Janeiro (RJ).

Simples, curta e eficaz, a nova arquitetura de Marcas do Grupo Mongeral Aegon parte dos 185 anos de história da empresa, num apelido carinhoso que, inicialmente, era utilizado nos corredores da seguradora. “O que a companhia faz e pensa é sempre voltado para o cliente, afinal, é para ele que cada vez mais inovamos e transformamos nossos produtos e serviços”, destacou o presidente Helder Molina.

Para 2019, a MAG projeta um crescimento de 19%. “Só no ano passado, tivemos 11 bilhões de acessos no nosso portal, o que é reflexo dos parceiros maravilhosos que temos nessa causa, com mais de 4 mil corretores parceiros, e da maior conscientização da população”, disse.

Além disso, a companhia lançou também a conta digital e o cartão de crédito, inicialmente para os corretores de seguros. Através do aplicativo MAG Finanças, após realizar cadastro, o profissional passa a ser usuário da conta digital, podendo fazer transferências, saques e diversos pagamentos. A ideia inicial é atender o corretor, mas os benefícios devem ser estendidos à sociedade em geral.

Presidente da FenaSaúde aponta rumos para a telemedicina 457

Precisamos falar sobre os planos de saúde individuais

João Alceu Amoroso Lima defendeu livre negociação entre prestadores e operadoras

O presidente da FenaSaúde, João Alceu Amoroso Lima, defendeu a rápida regulamentação definitiva da telemedicina. Ele ressaltou alguns aspectos que merecem atenção especial por parte do Conselho Federal de Medicina (CFM), a quem caberá à tarefa.

“A grande vitoriosa da pandemia foi a telemedicina. Filtrou a ida a prontos-socorros e atende centena de milhares de casos com índice de resolutividade de 85% na primeira consulta”, afirmou João Alceu, no webinar “Como a pandemia tem transformado as relações entre prestadores e operadoras de planos de saúde”, promovido pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) no dia 17 de setembro.

Com relação à territorialidade, ou seja, a possibilidade de pacientes serem atendidos por médicos de outra região ou estado, as melhores experiências indicam que o acesso deve se dar sem limitações. Já a decisão sobre a necessidade de a primeira consulta ser ou não presencial deve caber ao médico, caso a caso. Finalmente, a remuneração das consultas à distância deve resultar de livre negociação entre prestadores e operadoras, como ocorre com os procedimentos presenciais.

João Alceu, entretanto, afirmou que a empresa que estiver interessada na telemedicina apenas por redução de custos “queima a largada”. O objetivo é racionalizar as operações e oferecer um serviço mais eficiente para o beneficiário.

O presidente da FenaSaúde, em sua fala, também destacou os avanços no combate à covid-19. “Não se tinha protocolo, havia desconhecimento da doença. Aprendeu-se a melhorar o protocolo e os resultados são visíveis”, disse. João Alceu também comentou sobre a volta à normalidade dos índices de sinistralidade, após uma queda ocorrida durante o pico da pandemia. “O fato é que volume e frequência estão voltando. Acreditamos que lá para outubro ou novembro a frequência seja normalizada”, previu.

Também participaram do webinar o diretor-presidente da ANS, Rogério Scarabel; o presidente da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), Reinaldo Scheibe; o vice-presidente do conselho da Anahp e diretor geral do Hospital Israelita Albert Einstein, Henrique Neves. A mediação foi de Leandro Reis, vice-presidente médico da Rede D’Or São Luiz.

Troféu JRS 2020: Qual a corretora de seguros destaque do ano de 2020? 17910

Troféu JRS 2020: Qual a corretora de seguros destaque do ano de 2020?

Votação vai até às 23h59min do dia 23 de setembro no site do JRS

Chegou a hora do público eleger a Corretora de Seguros Destaque do Ano de 2020. A votação desta categoria do Troféu JRS 2020 vai até às 23h59min do dia 23 de setembro. Os vencedores serão conhecidos na cerimônia de reconhecimento, que acontece em formato Drive-In, completamente adaptada às recomendações para evitar a disseminação do covid-19. O evento será realizado no Estacionamento 4 do Aeroporto Internacional de Porto Alegre (RS).

Vote na etapa Corretora de Seguros (PF ou PJ) até às 23h59min do dia 23 de setembro:

A votação acontece no site do JRS e no hotsite do Troféu JRS. Nesta quarta terminou a escolha do Prestador de Serviços Destaque do Ano de 2020. Além da atual etapa, voltada à empresas que atuam no mercado de corretagem de seguros ou corretores Pessoas Físicas, também será eleita pelo público a Seguradora Destaque do Ano de 2020.

Faça campanha para sua empresa favorita

Abaixo disponibilizamos alguns itens para facilitar a criação de materiais para as redes sociais. Não esqueça de marcar @jrs.digital no Instagram!

Cronograma e regras:

  • Podem ser votadas seguradoras devidamente habilitadas pela Susep.
  • Podem ser votadas corretoras PF e PJ devidamente habilitadas pela Susep.
  • Podem ser votadas entidades, empresas e organizações prestadoras de serviços para o ecossistema de seguros.
  • Cada pessoa tem direito a um voto atrelado ao seu nome e e-mail.
  • Nomes e e-mails que estiverem duplicados, serão desconsiderados.
  • E-mails inválidos serão votos desconsiderados.
  • Data das etapas:
    Etapa Prestadoras de Serviço: de 20h do dia 13 de setembro às 23h59min do dia 16 de setembro.
    Etapa Corretoras de Seguros: de 20h do dia 17 de setembro às 23h59min do dia 23 de setembro.
    Etapa Seguradoras: de 20h do dia 24 de setembro às 12h do dia 27 de setembro.
  • Os vencedores serão convidados a participar da cerimônia de reconhecimento, no dia 27 de setembro, no Estacionamento 4 do Aeroporto Internacional de Porto Alegre (RS). Será ofertado apenas um convite para um veículo com até 4 pessoas por vencedor. O promotor desta ação não arcará com custos de deslocamento e/ou hospedagem dos vencedores.
  • Serão divulgadas prévias diárias com o resultado das votações, através do Instagram do JRS, entre os dias 14 e 26 de setembro, por volta das 18h.

 

Ver essa foto no Instagram

 

🔥🔥🔥Qual a Corretora de Seguros Destaque do Ano de 2020? 🔥🔥🔥 . Chegou a hora do público eleger a Corretora de Seguros Destaque do Ano de 2020. A votação desta categoria do Troféu JRS 2020 começa nesta quinta (17) e vai até às 23h59min do dia 23 de setembro. Os vencedores serão conhecidos na cerimônia de reconhecimento, que acontece em formato Drive-In, completamente adaptada às recomendações para evitar a disseminação do covid-19. O evento será realizado no Estacionamento 4 do Aeroporto Internacional de Porto Alegre (RS). . A votação acontece no site do JRS e no hotsite do Troféu JRS. Nesta quarta terminou a escolha do Prestador de Serviços Destaque do Ano de 2020. Além da atual etapa, voltada à empresas que atuam no mercado de corretagem de seguros ou corretores Pessoas Físicas, também será eleita pelo público a Seguradora Destaque do Ano de 2020. . Saiba mais em @jrs.digital ou nos links disponíveis na bio e nos stories! 🏆

Uma publicação compartilhada por JRS | Seguro Sem Mistério (@jrs.digital) em

Patrocinadores:

Entre os Patrocinadores Ouro estão Icatu Seguros, Rio Grande Seguros e Previdência, HDI Seguros, Mapfre, SulAmérica, Bradesco Seguros, MAG, Omint Saúde e Seguros, Fracel Corrretora de Seguros, Grupo Caburé Seguros, App Anjo, Grupo Life Brasil, Seguros Sura, Capemisa Seguradora e Agrifoglio Vianna Advogados Associados.
Patrocinadores Prata: Porto Seguro, União Seguradora, Grupo Aspecir, GBOEX, Neo Executiva Corretora de Seguros, ZL Brasil Corretora de Seguros, Caprice, ViverBem, Sancor e Caixa Seguradora.
Patrocinadores Bronze: MBM Seguro de Pessoas, SINDSEG RS, KSA Corretora de Seguros, Expermed e Solaris Corretora de Seguros.

Youse registra recorde de renovações de seguro e aumento de clientes na pandemia 802

Youse registra recorde de renovações de seguro e aumento de clientes na pandemia

Resultados positivos são atribuídos às iniciativas implementadas pela insurtech, como personalização no seguro, desconto no preço de renovação e assistências gratuitas

A Youse, plataforma de venda online de seguros da Caixa Seguradora, alcançou um recorde na taxa de renovação do seguro. O número de clientes que renovaram suas apólices entre abril e agosto foi 20 pontos percentuais acima do que no mesmo período em 2019. Mesmo diante da crise do coronavírus, a insurtech também teve alta de mais de 10% no número de clientes quando se compara agosto de 2020 com agosto de 2019.“As alternativas financeiras oferecidas para minimizar os impactos nos negócios e apoiar os consumidores foram cruciais para atingir este resultado positivo”, avalia José Luiz Machado, gerente de produtos na Youse.

Segundo dados internos, mais da metade dos clientes se beneficiaram do desconto no preço de renovação ou liberação de assistências gratuitas independentemente do contratado, durante essa pandemia. Além disso, clientes aproveitaram a possibilidade de adaptar seu seguro, recurso oferecido pela Youse, para deixar o valor mais barato neste período. “A renovação, por exemplo, foi uma ação em que geramos bons resultados e facilidade aos clientes. Reduzimos o preço para aqueles que renovassem nesse momento com 20% de desconto em média, com isso vimos as taxas de renovação aumentar mais de 20 pontos percentuais entre abril e agosto deste ano comparado ao mesmo período do ano passado”, compartilha Machado.

A possibilidade de adaptar o seguro de acordo com o momento do cliente também contribuiu para os números da Youse. A insurtech oferece autonomia na contratação do seguro. O usuário escolhe individualmente quais coberturas e assistências ele precisa e paga um valor final personalizado. Como é possível alterar a personalização durante o período de vigência do contrato, o cliente pôde revisar o que havia escolhido e alterar mediante sua necessidade. “Foi possível tornar a cobertura mais básica, sem abrir mão de serviços importantes. Um exemplo clássico é das pessoas que deixaram de usar o veículo com frequência”, comenta o especialista.

De acordo com a Youse, se o veículo não tem sido usado com frequência, o cliente pode, por exemplo, avaliar se a cobertura de colisão (perda total e parcial) e a de danos materiais são necessárias para o momento. Uma adaptação nessas coberturas pode implicar em economia de até 44%, segundo estimativas. “Medidas como essa podem ser temporárias, ajudam financeiramente no momento em questão, mas podem ser adaptadas conforme a nova rotina demandar ou o cliente quiser”, reforça.

Além disso, a Youse liberou, independentemente da contratação, as assistências guincho; psicológica, que oferece atendimento telefônico para apoio psicológico, psicoterapia e apoio social com objetivo de dar informações e encaminhamentos corretos e ajudar o cliente a resolver qualquer dificuldade; e a FarmaSeg na qual oferece descontos para a compra de medicamentos ou indicação de farmácias mais próximas.

Andréia Araújo e Marcelo Camargo abordam as mudanças no perfil dos consumidores de seguros 1856

Presidente do CVG-RS e advogado do escritório Agrifoglio Vianna participam de transmissão ao vivo, no canal do JRS no YouTube

Nesta terça-feira (22), a partir das 19h, acontece mais uma transmissão ao vivo no canal do JRS no YouTube. O tema do encontro será “Mudanças no Perfil dos Consumidores de Seguros”, que entrará em debate com a presidente do Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG-RS), Andréia Araújo, e o advogado do escritório Agrifoglio Vianna, Marcelo Camargo.

O bate-papo será mediado por Júlia Senna e William Anthony, apresentadores do JRS. O público pode enviar perguntas e interagir ao vivo com os participantes através do bate-papo, disponível durante a transmissão.

Justiça determina autofalência da APLUB 3147

Investimento na APLUB Capitalização contribui com APAEs

Foi apurado um déficit superior a R$ 300 milhões

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul registrou a autofalência da Associação dos Profissionais Liberais Universitários – APLUB. Sentença assinada por Giovana Farenzena, Juíza de Direito, no último dia 15 de setembro, reitera que este tipo de pedido é voltado para sociedades empresariais e seria incabível para uma associação civil. “Entretanto, após refletir um pouco sobre a questão, e tendo em vista a gravidade dos fatos à baila trazidos na exordial, convenci-me de que se impõe o acolhimento do pleito inicial”, proferiu ao acatar o pedido.

A Juíza destacou que a APLUB trata-se de uma entidade aberta de previdência complementar e que não está coberta pelo artigo 47 da Lei Complementar 109/2001, que dispõe sobre o Regime de Previdência Complementar e dá outras providências. “O art. 47 da LC 109/2001 nega a possibilidade de falência às entidades fechadas a que se refere, mas não estende a vedação sobre as entidades abertas, como é o caso da APLUB. Portanto, em nada dispondo acerca da falência de entidades abertas de previdência complementar, não vejo óbice, nesse ponto, ao pedido de autofalência veiculado. Além disso, a legislação brasileira e a jurisprudência indicam que é permitido às entidades sujeitas aos regimes de intervenção e liquidação extrajudicial falirem, como é o caso da requerente, aplicando-se remissivamente a legislação falimentar da LREF à Lei 6.024/74“.

A decisão é embasada na apuração de um déficit falimentar no valor de R$ 313.416.644,44, bem como déficit mensal médio superior a R$ 4.000.000,00. “O ativo da APLUB é incapaz de pagar sequer a metade dos credores privilegiados, não chegando a atingir os quirografários”.

O escritório Scalzilli Althaus, contratado pela APLUB durante a intervenção realizada pela Superintendência de Seguros Privados, disse que não restava outra alternativa a não ser o pedido de falência.

Foi solicitado o bloqueio dos ativos nas contas da entidade, bem como apontado o registro de ao menos 122 imóveis em cidades como Porto Alegre, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Canela, todas no Rio Grande do Sul. A APLUB chegou a contar com 30 mil associados e 6 mil beneficiários.

O processo de intervenção da Susep na APLUB acontecia desde 17 de dezembro de 2015. Em agosto de 2018, o então superintendente Joaquim Mendanha, decretou a liquidação extrajudicial da APLUB, mas uma liminar impediu o processo.

A Associação de Defesa da APLUB (ADA) afirmou que irá recorrer da decisão e estudar alternativas para evitar a falência definitiva.

Confira a sentença na íntegra.