Qual o novo papel do corretor de seguros? 1103

Tema foi abordado em encontro promovido pela ENS, em São Paulo

Que o papel dos corretores de seguros está mudando é um fato. Diante do atual cenário regulatório do setor, é preciso se reinventar e se atualizar para acompanhar todas as mudanças. Foi pensando nisso que a Escola de Negócios e Seguros (ENS) recebeu, nesta terça-feira (05), em São Paulo, Renato Gonçalves, sócio-diretor da Movida Consultoria e Corretagem de Seguros, para uma palestra sobre O novo papel do corretor de seguro.

O evento reuniu mais de 100 pessoas e contou também com um painel sobre O crescimento do mercado de seguros e os papéis das entidades representativas do segmento, como a Susep e Ibracor, com Ildelbrando Neres, sócio diretor da Neres Corretora de Seguros; Giuseppe Calabro, sócio do Valor Global Consultoria e Corretagem de Seguros; e André Rezende, sócio na WinSeg Consultoria. Na abertura, Maria Helena Monteiro, Diretora de Ensino Técnico da ENS, explicou que a ideia foi realizar um bate-papo mostrando quais as oportunidades desse mercado. “Estamos vivendo um importante momento na profissão e temos um mar de possibilidades para explorar. Por isso, reunimos profissionais qualificados para discutir sobre o tema”, explica.

Para Renato Gonçalves, o novo momento dos corretores de seguros pede que o profissional atue como empreendedor: “Visualizando todas as oportunidades, ameaças e fraquezas que o mercado nos oferece para entregar uma experiência muito mais efetiva e completa para o cliente”. Segundo o especialista, é muito importante que os corretores de seguro se mantenham atualizados. “Hoje existem inúmeros cursos de capacitação que trazem temas atuais e esse é um ponto primordial para se diferenciar no mercado”, conta Renato.

Ildelbrando Nerres apresentou números que mostram que a receita de produtos de acumulação (prev+vgbl) cresceu 16% de 2018 para 2019. “Contra números não há fatos, isso mostra claramente o quanto esse mercado é favorável e pode crescer”, explica. Quando questionado se a profissão do corretor de seguros irá acabar, Giuseppe Calabro explicou que enquanto o cliente entender que o corretor é relevante no processo, a profissão não irá acabar: “Nós precisamos conhecer aquilo que estamos fazendo e mostrar qual a responsabilidade do corretor de seguros frente aos clientes. Por isso, é muito importante nos dedicarmos no atendimento e oferecermos coisas novas para efeito do seguro”.

André Rezende trouxe para discussão a chegada da transformação digital no setor. “Ao longo dos últimos três anos tenho acompanhado alguns eventos sobre insurtechs e poucos trazem soluções pensadas no corretor. Mas, eu não acredito que isso levará ao fim da profissão. Nós, corretores de seguros, temos que implementar essas novas tecnologias no dia a dia para otimizar tempo e anular processos morosos. Temos que assumir um papel muito mais humanizado no atendimento para entregar a melhor solução para o cliente”, explica.

Como convidado especial o evento recebeu também Marcos Abarca, primeiro secretário do Sincor SP, que explicou que mercado vive um momento inquietude. Segundo ele, politicamente, as entidades representativas dos corretores de seguros estão trabalhando em prol da categoria principalmente para garantir diretos e consolidar a posição mercado. “Os Sindicatos de todo Brasil, o Ibracor e a Escola trabalham de mãos dadas. Tem muita gente se perguntando o que deve fazer, onde deve buscar formação profissional ou fazer o registro. Mas coisas não mudaram, a Susep só delegou ao Ibracor o poder de dar continuidade ao trabalho de habilitação e registros. Mas isso não significa que as entidades estão trabalhando de forma separada”, explica Abarca.

Reta final para matrículas na Graduação em São Paulo 763

Processo seletivo acontece no dia 20 de fevereiro (quinta-feira), sendo possível ingressar com a nota do ENEM e por transferência externa. Diplomados não precisam passar pelo processo seletivo

A indústria de seguros brasileira fechou 2019 com arrecadação de R$ 270,1 bilhões. O aumento nominal sobre o ano anterior foi de 12,1%, de acordo com dados divulgados pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg).

Para 2020, as expectativas são de que o setor poderá repetir esse índice, tendo como segmentos de maior destaque saúde e vida, acumulação, patrimoniais, rural, grandes riscos de engenharia e de transporte, crédito e garantia, marítimo e aeronáutico.

Com uma ampla gama de áreas para atuar e demandas por inúmeras funções, o mercado tem espaço para absorver gestores e administradores que nele pretendem seguir carreira. Para uma formação ampla que garante acesso mais rápido em funções práticas e instrumentais, a ENS oferece a Graduação Tecnológica em Gestão de Seguros.

Com duração de dois anos, o programa confere diploma de ensino superior e certificados parciais ao final de cada módulo. No momento, há vagas em São Paulo (SP) para formação da turma do primeiro semestre.

processo seletivo acontecerá no dia 20 de fevereiro, sendo possível ingressar, ainda, com a nota do ENEM (últimos dois anos) e por transferência externa. Diplomados também não precisam passar pelo processo seletivo.

Mais informações estão disponíveis no endereço profissaosegura.com.br , onde podem ser realizadas as inscrições.

Crescimento da Zurich na Região Sul supera o planejado 1139

Matéria foi destaque na edição 229 da Revista JRS; Confira

De acordo com o Diretor Comercial Regional Sul da Zurich Seguros, Waldecyr Schilling, o crescimento da região nos últimos para a companhia tem superado o planejado. “A nossa média de crescimento anual foi de 25%. Entre os ramos que se destacaram neste período estão Auto, Vida e corporativos”, destaca.

Waldecyr Schilling é Diretor Comercial Regional Sul da Zurich Seguros. Filipe Tedesco/JRS

Mesmo diante de um cenário bastante positivo, a equipe sulista da Zurich, sob o comando de Schilling, não se vê por satisfeita e está em busca de um resultado superior para finalizar este e o próximo ano. “Nossa estratégia para 2019 prevê um crescimento em torno de 30%, com uma forte participação nas linhas Motor, Vida, seguros empresariais e corporativos. Para 2020, e próximos anos, continuamos com excelentes perspectivas de crescimento em todas estas linhas de negócio”, comenta.

O executivo também ressalta que a conscientização dos segurados e exigências contratuais têm impulsionado o crescimento da carteira de responsabilidade civil em geral. “Os segurados estão mais conscientes perante a necessidade de contratação deste tipo de seguro. Esta carteira cresce a cada ano, à medida que as demandas judiciais se tornam cada vez mais frequentes e, como consequência, uma maior severidade dos valores a serem indenizados a terceiros”, conta.

A Zurich é uma marca consolidada mundialmente, sendo que a região Sul tem um papel importante e fundamental no crescimento das suas operações no Brasil. “Neste contexto, é um imenso prazer e privilégio estar à frente liderando essa região nos últimos oito anos. Continuo com a missão de fortalecer a marca, ampliar a distribuição do nosso portfólio de produtos no canal corretor, cuidar e estreitar ainda mais a relação com os nossos parceiros – corretores de seguros, firmar novas parcerias, e por fim, ajudar os nossos parceiros na fidelização dos nossos clientes finais”, afirma sobre a responsabilidade de, junto de sua equipe, liderar uma regional estratégica para a seguradora. “Outro ponto fundamental e importante, é o engajamento do time, o esforço, dedicação e empenho de cada um dos integrantes desse time. Definitivamente, faz toda a diferença e contribui diretamente para o sucesso e o protagonismo que a empresa tem alcançado no Sul”, complementa.

Quando o assunto é corretor de seguros, a companhia trabalha para manter sua atenção nestes parceiros. “O Corretor de seguros é sem dúvidas o nosso principal foco. Atuamos 100% focados em atender às suas necessidades”, defende. “A nossa missão é fortalecer e consolidar a marca Zurich e, estreitar o relacionamento com todos em toda a região Sul. Temos a ambição de nos tornarmos o parceiro nº 1 dos corretores de seguros. E, para isso, estamos trabalhamos incansavelmente para proporcionar a melhor experiência, por meio de um processo simplificado e ágil”, acrescenta.

Todo o suporte necessário para o trabalho do corretor é oferecido pela Zurich, que considera estes profissionais os grandes responsáveis pelo desempenho. “Aos nossos parceiros corretores de seguros, vai um importante recado: O Sul é uma região importante e estratégica para o desenvolvimento do mercado de seguros do nosso País. Com a perspectiva de retomada da economia, temos a oportunidade de juntos ampliarmos a nossa participação”, finaliza.

Altevir Prado e nova diretoria do Sindseg PR/MS iniciam mandato 2020/2022 919

Em março, cerimônia de posse marcará o novo ciclo da entidade

A nova diretoria do Sindicato das Seguradoras do Paraná e do Mato Grosso do Sul (Sindseg PR/MS) eleita por unanimidade assumiu nesta segunda (17) o mandato 2020/2022. O grupo conta com o superintende da Bradesco Seguros na Região Sul Altevir Prado como presidente e Gustavo Henrich, vice-presidente da Junto Seguros, como vice-presidente.

Leia também: Por unanimidade, Altevir Prado é eleito presidente do Sindseg PR/MS 

O dia também marcou a primeira reunião da diretoria. De acordo com nota publicada pela entidade, o encontro serviu para discutir a realização da cerimônia de posse, que deve ocorrer no dia 17 de março, e também os projetos e ações que serão implementados nos próximos doze meses em prol da modernização e representatividade do Sindseg PR/MS.

Além disso, mudanças já ocorreram na formação da diretoria, conforme acordo formal assinado com a CNseg. De dez diretores da gestão anterior, agora são três: o diretor financeiro, Moacir Abba de Souza; o 2º diretor financeiro, Leandro Ariel Poretti (Sancor); e o diretor secretário, João Maria Francisco (Centauro On). No Conselho Fiscal, são três membros efetivos: Vanderlei Scarpanti (Mapfre Seguros), Wilson Bessa Pereira (AIG) e Ulisses Ferreira Caldeira (Sompo). E mais três suplentes: Luciano Ambrosini (Allianz), Luciana Maria de Almeida Gomes (Porto Seguro) e Luciana Alves Sobreda Zago (Tokio Marine).

Por unanimidade, Altevir Prado é eleito presidente do Sindseg PR/MS 3763

Nova diretoria assume a partir do dia 15 de fevereiro

O Sindicato das Seguradoras do Paraná e do Mato Grosso do Sul (Sindseg PR/MS) elegeu sua nova diretoria durante a terça-feira, 14. Por unanimidade, o superintende da Bradesco Seguros na Região Sul Altevir Prado foi eleito presidente da entidade, em conjunto com a diretoria, que conta com Gustavo Henrich, vice-presidente da Junto Seguros, como vice-presidente.

A nova diretoria toma posse a partir do dia 15 de fevereiro. SindSeg PR/MS

Altevir Prado possui Mestrado em Economia pela Unisinos e Doutorado em Economia do Desenvolvimento pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com parte do seu doutorado realizado na Espanha, assumiu a Regional Sul da Bradesco Seguros em 2019. “É um sentimento de felicidade e ao mesmo tempo de um enorme compromisso que a gente passa a assumir, oficialmente, a partir de agora. Eu acho que é preciso lembrar que o Sindseg Paraná/Mato Grosso do Sul é uma das instituições mais antigas do país, praticamente centenária, e um dos sindicatos de maior representatividade e de maior respeito em todo país”, destacou ao JRS o novo presidente.

Ele e a diretoria eleita tem à frente o desafio de suceder a equipe que tinha como presidente João Gilberto Possiede, que soma mais de 70 anos de mercado segurador. “A sucessão no Paraná talvez seja uma das mais emblemáticas do país porque estamos continuando o trabalho de João Gilberto Possiede, que é uma lenda no mercado de seguros brasileiro, talvez como Miguel Junqueira foi no Rio Grande do Sul”, lembrou. “Substituí-lo é uma responsabilidade gigantesca. Então tem essa parte emblemática de não ser só uma eleição ou uma sucessão simples, mas, sim, uma sucessão emblemática que marca o encerramento de um ciclo para a abertura de um novo tempo na entidade”, acrescentou.

Prado ainda contou com exclusividade ao JRS que a diretoria eleita, sob seu comando, caminhará sob quatro eixos: ações coletivas e democráticas, respeito à cultura e tradições da instituição, a modernização do Sindseg PR/MS e promoção do protagonismo da entidade. “Estamos prestes a comemorar os cem anos e uma das principais missões, dentro desses quatro eixos, é preparar o Sindicato para os próximos cem anos. Ou seja, construir as bases ao comemorar o centenário e prepará-lo para as próximas gerações, o que é um desafio muito grande”, concluiu.

A trajetória completa do presidente da entidade foi destaque na edição 231 da Revista JRS. Leia em A fantástica trajetória de Altevir Prado.

Diretoria Sindseg PR/MS 2020/2022

Presidente: Altevir Dias do Prado Bradesco Seguros
Vice-Presidente: Gustavo Henrich Junto Seguros
Diretor Financeiro: Moacir Abba de Souza HDI
Diretor 2º Financeiro: Leandro Ariel Poretti Sancor
Diretor Secretário: João Maria Francisco Centauro On

Conselho Fiscal
Conselheiro Efetivo: Vanderlei Scarpanti Mapfre Seguros
Conselheiro Efetivo: Wilson Bessa Pereira AIG
Conselheiro Efetivo: Ulisses Ferreira Caldeira Sompo
Conselheiro Suplente: Luciano Ambrosini Allianz
Conselheiro Suplente: Luciana Maria de Almeida Gomes Porto Seguro
Conselheiro Suplente: Luciana Alves Sobreda Zago Tokio Marine

Conselho de Representantes junto à Fenaseg
Membro efetivo: Altevir Dias do Prado Bradesco Seguros
Membro suplente: Gustavo Henrich Junto Seguros

Porto Seguro proporciona atendimento humanizado durante chuvas em SP 1140

Companhia montou plantões de atendimentos nos locais afetados, possibilitando a resolução dos casos com rapidez

As chuvas que atingiram a cidade de São Paulo nesta semana chamaram a atenção por ser o maior temporal no mês de fevereiro em 37 anos. Embora a prefeitura tenha investido em melhorias nos últimos anos no município que conta com quase 9 milhões de veículos motorizados, as ações não foram suficientes para não alagar ruas e bairros diante de muita água que caiu.

O diretor geral da Porto Seguro, Rivaldo Leite.

Diante do acontecimento, a Porto Seguro proporcionou um atendimento humanizado aos seus clientes, em uma força-tarefa que envolveu a equipe da companhia, prestadores de serviços e os corretores de seguros. Em publicação na rede social, o diretor geral da seguradora, Rivaldo Leite, destacou que fazem “o possível para evitar acidentes com nossos clientes e o impossível quando eles ocorrem”.

Plantões de atendimento foram montados em edifícios atingidos, possibilitando que a área de sinistro liquidasse todos os casos em menos de 48h e serviços de cartório e despachante também foram levados aos locais. “Agradeço imensamente a todos os prestadores de serviços do Porto Socorro, atendentes da nossa Central 24h e os Peritos de sinistro que ficaram todo esse tempo lá”, comentou. “Não poderia deixar de agradecer também aos Corretores de Seguros que nos apoiaram bastante nesses momentos”, acrescentou.

Junto ao seu depoimento, ele também incluiu um vídeo (abaixo) de um episódio que aconteceu várias vezes durante a semana. “Com um trabalho quase que hercúleo – nossos heróis da resistência – os prestadores de serviços do Porto Socorro foram, como sempre, fantásticos. O maior impacto foi em 3 edifícios da Zona Oeste de SP, onde tivemos mais ou menos 600 veículos retirados dos subsolos. Atendemos clientes e não clientes, nesse momento o que vale e o acolhimento às vítimas dessa tragédia”, afirmou.

Os corretores de seguros que se envolveram aprovaram a operação de emergência, que consideraram humanizada, próxima e eficiente. “A Porto Seguro é uma que nos enche o coração de alegria e me faz ter certeza que estou no caminho certo enquanto corretora de seguros”, comentou Eleonara Barbosa na mesma rede social. “Muitos corretores também se envolveram no apoio, inclusive orientando e auxiliando não segurados deles, somos uma categoria que respeita a ética, empatia e o apoio à sociedade em momentos tão críticos”, complementou.