CCS-SP reúne associados para discutir MP 905 e autorregulação 1024

No encontro, foram discutidos o empenho das lideranças para manter em vigor a lei que regulamenta a profissão e os benefícios da autorregulação.

O primeiro almoço do ano realizado pelo Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP), no dia de 4 de fevereiro, no Terraço Itália, foi exclusivo para associados. Desta feita, os assuntos em pauta foram a Medida Provisória 905/19 e autorregulação da atividade de corretagem de seguros.

Convidado pelo CCS-SP, Paulo Meinberg, diretor do Ibracor, primeira autorreguladora autorizada pela Susep, comentou a trajetória da entidade que já completou 7 anos de existência. Ele explicou que o Ibracor surgiu como alternativa ao Conselho Federal dos Corretores, um antigo anseio da categoria, seguindo o modelo de autorregulação estabelecido pela Lei Complementar 137/2010.

Atualmente, o Ibracor já conta com mais de 13 mil associados, dos quais 5 mil em São Paulo. De acordo com Meinberg, o Instituto é responsável, hoje, pelo registro de novos corretores, somando até o momento 249 novos registros. Caso a MP 905/19 seja reprovada no Congresso Nacional, ele observou que os corretores voltarão para a supervisão da Susep. “Temos essa consciência, mas estamos atuando para que o mercado não fique desatendido”, disse.

O mentor Evaldir Barboza de Paula aproveitou a ocasião para explicar porque não acredita na aprovação da MP 905. Segundo ele, vencido o prazo de vigência de 120 dias, a MP perderá a sua eficácia. “É difícil porque além do recesso ainda existem alguns recursos no STF e depois haverá o Carnaval. O prazo expirará em 12 de abril”, disse.

Autorregulação é uma conquista

O presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, avaliou como positiva para a categoria a autorregulação. “Agora temos a possibilidade de uma autorregulação mais eficiente e eficaz”, disse. Ele lembrou que antes da edição da MP 905 as autorreguladoras não eram valorizadas pelo mercado. Entretanto, as lideranças do setor souberam reconhecer essa importância a ponto de firmarem consenso em torno de uma única autorreguladora, o Ibracor.

O compromisso foi expresso em um termo de ajustamento de conduta (TAC), assinado em 2015 pelos sindicatos de São Paulo e Rio de Janeiro, pela Susep, Fenacor, CNseg e Abecor. Após a MP 905, Camillo resgatou o TAC e o levou à Susep. Em seguida, a CNseg voltou a divulgar o TAC para lembrar aos seguradores o compromisso firmado. “O propósito foi coibir o que poderia ser uma catástrofe”, disse ele, referindo-se à possibilidade de alguma companhia ignorar a existência do canal corretor de seguros.

Entre a reprovação da MP 905, que faria os corretores voltarem à situação anterior, permanecendo sob a fiscalização da Susep, e a alteração do texto para evitar a revogação da Lei 4.595/64, Camillo prefere a segunda opção. Para ele, “o melhor dos mundos” seria a alteração do texto da MP, porque além de criar a oportunidade de modernizar a lei, também daria à categoria a chance de se autorregular. “Poderíamos tomar conta de nós mesmos”, disse.

Em relação a adesão gratuita ao Ibracor até 2021, cujo prazo se encerrou no final do ano passado, Camillo informou que os Sincors de todo o país estão estudando a possibilidade de subsidiarem seus associados. “Os associados que manifestarem o desejo e autorizarem terão o valor de adesão ao Ibracor subsidiado pelas entidades”, disse.

A ausência dos corretores paulistas nos cargos de liderança da categoria em nível nacional, uma das questões levantadas pelos associados e respondida por Camillo, foi também comentada pelo mentor Evaldir. “É hora de buscarmos o nosso espaço. Mas, tudo tem o seu momento, que precisa ser construído com tranquilidade e de forma articulada”, disse.

Em seguida, ele comentou alguns projetos pendentes e comunicou que em agosto terminará o prazo para apresentação de chapas para eleição de diretoria no CCS-SP, que será realizada em setembro, com a posse em outubro. “A renovação é importante”, concluiu.

 

 

CVG RS e ENS abrem inscrições para programa “Consultores em Vida e Previdência” 467

CVG RS e ENS abrem inscrições para programa "Consultores em Vida e Previdência" / Divulgação

Programa compartilha estratégias de venda nos ramos

O Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG RS) e a Escola de Negócios e Seguros (ENS) abrem inscrições, a partir de hoje, 17 de junho, para o “Programa CVP – Consultores em Vida e Previdência”, destinado aos corretores de seguros de todo o país. As aulas acontecem em agosto, aos sábados, em ambiente totalmente virtual, e vai destacar a metodologia Spin Selling, considerada uma das melhores para vendas de produtos de vida e previdência. Associados do CVG RS têm 30% de desconto. As vagas são limitadas e as inscrições acontecem até o dia 29 de julho, pelo e-mail secretaria@cvgrs.com.br.

O CVG RS e a ENS somam anos de experiência no mercado segurador e abrem oportunidade para ampliar o conhecimento do corretor de seguros em um dos segmentos com as mais altas previsões de crescimento para os próximos anos. O “Programa CVP – Consultores em Vida e Previdência” analisará aspectos de cada cobertura, de modo a desmistificar os produtos de acumulação e seus aspectos fiscais – incentivo e tributação. Dessa forma, o corretor vai poder planejar ações comerciais para a venda de vida e previdência, com a identificação de produtos mais aderentes à carteira e com atuação de forma consultiva, com o desenho de planos de benefícios adequados às necessidades de cada cliente.

O Programa vem repleto de conteúdos interativos e atividades colaborativas e práticas nos módulos: Oportunidades e estratégias – A comercialização de V&P, Mergulho técnico e Especialização em Vendas – técnica e prática, cada um deles com 8h. Análises mercadológicas, estudos de casos e simulações de vendas serão ferramentas de capacitação oferecidas aos participantes.

“Uma das premissas do CVG RS é proporcionar aos associados da entidade oportunidades de atualização, desenvolvimento e qualificação das matérias pertinentes à Vida, Previdência, Saúde, Empreendedorismo e Inovação. Para ratificar essa premissa criamos na nossa gestão a Diretoria de Educação e Capacitação que traz como head a experiente e reconhecida professora Jane Manssur, que liderou a ENS no RS por mais de 30 anos, e os executivos Jeane Atianezze, da SulAmérica Seguros; e Zuno Grillo, da Chubb Seguros. Ambos executivos atuam há mais de duas décadas no mercado segurador, além de também professores na ENS. A criação do Programa CVP – Consultores de Vida e Previdência em parceria com a ENS é o primeiro de muitos outros movimentos que virão neste sentido. Queremos até o final da nossa gestão deixar muitas sementes plantadas onde quem colherá os frutos serão os associados do CVG RS”, destaca a presidente do CVG RS, Andréia Araújo.

Odontoprev lança relatório anual de sustentabilidade 2020 441

Odontoprev lança relatório anual de sustentabilidade 2020

Material apresenta práticas ESG da companhia com destaque para projeto Carbono Neutro

A Odontoprev, empresa líder em planos odontológicos na América Latina, divulga o seu relatório anual de sustentabilidade referente ao período de 2020. O material completo com os destaques da companhia pode ser acessado em .

A nova edição do relatório destaca como as práticas ESG (do inglês, Environmental, social and corporate governance) já são parte do histórico e do modelo operacional da Odontoprev. Além de levar saúde bucal de forma democrática e acessível para mais de 7,5 milhões de brasileiros, desde a sua fundação, a Odontoprev trabalha com o propósito de impulsionar a odontologia e cuidar dos seus diversos stakeholders. É possível citar ainda o alinhamento de suas iniciativas com 8 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e a presença de cerca de 75% de mulheres no quadro de colaboradores. A forte estrutura de Governança Corporativa, desde 2006, ano que realizou seu IPO, reforça a preocupação da empresa com este tema. De modo a reafirmar essa atuação, a Odontoprev figura, pelo quarto ano consecutivo, no índice britânico FTSE4Good, do britânico FTSE Russell, que analisa 300 indicadores ESG, e pelo segundo ano recebeu o selo Bloomberg – Gender Equality Index.

Entre os destaques na área ambiental, está a estratégia da Odontoprev de avançar com a agenda focada nas mudanças climáticas. Para mitigar o impacto de sua atividade, desde 2007 a empresa realiza um projeto de plantio que já contabiliza mais de 13 mil árvores plantadas em parques como o corredor Ecológico do Vale do Paraíba (SP) e Gabriel Chucre (Carapicuíba).

Como parte desse avanço, a empresa decidiu neutralizar 100% das suas emissões desde a sua fundação através do mercado voluntário de carbono. A empresa procurou o Programa Amigo do Clima, da Way Carbon, que realizou um estudo que estimou as emissões históricas das operações da Odontoprev desde 1987, ano de sua fundação, e posteriormente emitiu certificação para compensar essas emissões, e tornou-se a primeira operadora de planos odontológicos carbono neutro do Brasil.

Os créditos foram emitidos no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), vinculado à Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), do Verified Carbon Standard (VCS), por meio do Projeto Conservação Florestal na Amazônia. Aliada com essa estratégia, a Odontoprev tem reduzido as emissões e avaliado metas sustentáveis para a companhia.

No âmbito social, a Odontoprev mantém tradicionalmente o suporte a diversas instituições, muitas delas há mais de 15 anos, e em 2020 não foi diferente. No total, a companhia apoiou 20 instituições, com a doação de cerca de 7 mil planos odontológicos para jovens e crianças em vulnerabilidade social, que podem também utilizar a plataforma Dentista Online, serviço de teleorientação, para tirar dúvidas e receber orientações sem que precisem sair de casa.

A Odontoprev apoia também financeiramente diversas associações e institutos que ajudam jovens e crianças. Entre eles estão a Turma do Bem, maior rede de dentistas voluntários do mundo.

Na frente econômico-financeira, a empresa apresentou resiliência em um ano marcado pela pandemia, e registrou 7,5 milhões de beneficiários em 2020, com adição líquida de 111 mil vidas no ano. O EBITDA da Odontoprev foi de R$ 543 milhões, 30% superior a 2019, com margem recorde de 30,8%. O lucro líquido foi de R$ 361 milhões, expansão de 26,8% em comparação a 2019. A empresa chegou ao fim de 2020 com caixa líquido de R$ 753 milhões, 34,5% superior aos R$ 560 milhões de 2019, e dívida zero. Ainda em 2020, a Odontoprev adquiriu a Mogidonto Planos Odontológicos e as clínicas Boutique Dental.

“O cenário sem precedentes e com muitas incertezas de 2020, lançou luz sobre um importante tema: a saúde. Na Odontoprev, como protagonistas do setor, intensificamos o cuidado com todos os nossos públicos e reforçamos o propósito de impulsionar a odontologia de qualidade. Direcionamos nossos esforços no cuidado com nossos colaboradores e com a sociedade, de modo a incentivar políticas sociais e de proteção ambiental, de acordo com os princípios ESG que pautam nosso trabalho de forma permanente, desde a fundação da empresa, como um valor inegociável”, comenta Rodrigo Bacellar, diretor-presidente da Odontoprev. “Nosso desejo é continuar o incentivo com o cuidado da saúde bucal, com a valorização de nossos dentistas e fomento à inovação e sustentabilidade do negócio e no setor, de modo a despertar cada vez mais sorrisos, todos os dias”, completa.

O Relatório de Sustentabilidade de 2020 ainda apresenta diversas iniciativas de tecnologia e inovação adotadas pela empresa, como a digitalização de diversos processos e consequentemente redução dos impactos ambientais pelo menor uso de papel e menor emissões de CO₂. Em 2020, por exemplo, foram feitas melhorias e atualizações no aplicativo para os corretores, que com automatização de processos e aperfeiçoamento na venda PME tornaram o cadastro de corretoras e as vendas 100% digital. Além disso, fundamental durante a pandemia por sua praticidade e garantia de segurança aos clientes e dentistas, a Solicitação Online (SOL) de Exames Radiológicos, implantada em 2019, evita a impressão de guias e, com isso, contribui para a economia de mais de 3 toneladas de papel por ano, o que evita também a emissão de CO₂ na atmosfera.

SulAmérica patrocina eFestival, palco mais digital da música 357

SulAmérica patrocina eFestival, palco mais digital da música / Reprodução

Evento conta com categorias exclusivas para Profissionais da Saúde e Corretores de Seguros

Com promoção da cultura musical brasileira há 20 anos, o eFestival conta nesta edição com a SulAmérica como aliada na missão de apoiar o cenário cultural nacional e dar visibilidade a revelações da música pelo país. O festival digital é dividido entre as categorias Instrumental (patrocínio máster SulAmérica) e Canção (oferecimento SulAmérica), e a novidade é que a parceria traz duas novas subcategorias de participação neste ano: profissionais da saúde e corretores de seguros, além de público geral.

Até o dia 30 de junho, os interessados devem realizar as inscrições neste endereço. Profissionais da Saúde e Corretores de Seguros deverão inserir, no ato de sua inscrição, o número do Registro Ativo em sua atividade profissional.

O apoio ao projeto cultural totalmente virtual tem como objetivo preservar a integridade das pessoas e trazer a arte como ferramenta de entretenimento neste momento. A ideia, por meio do paralelo com a Saúde Integral da SulAmérica, é incentivar as pessoas a viverem melhor, com equilíbrio da saúde física, emocional e financeira. O patrocínio ao eFestival é uma forma de respeitar a saúde e o bem-estar das pessoas em um contexto de pandemia, além de promover a saúde emocional por meio da música e possibilitar apoio à saúde financeira de profissionais que trabalham com música e eventos – um dos setores mais afetados – por meio da geração de renda e empregos.

O eFestival é um evento idealizado e realizado pela Dançar Marketing em parceria com o Ministério do Turismo – por meio da Secretaria Especial da Cultura – e do Governo do Estado de São Paulo – via Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Inscrições e etapas de participação

Assim como nas edições anteriores, o projeto acontece ao longo de oito meses, divididos em quatro etapas: inscrições, análise curatorial, votação popular e, por último, premiação.

Durante a primeira etapa, que acontece até o dia 30 de junho, os artistas devem acessar o site do eFestival para conhecer o regulamento das categorias Instrumental e Canção e o passo a passo para se inscrever. As inscrições poderão ser de composições originais ou inéditas – só não poderão ter selo de gravadora musical -, ou interpretações musicais.

Já na segunda etapa, os curadores do projeto e reconhecidos profissionais no meio musical – Carlos Calado e Ruriá Duprat-, em parceria com dois especialistas do júri técnico, irão selecionar os dez finalistas de cada subcategoria, de acordo com critérios de criatividade, originalidade, harmonização, interpretação e voz (este último apenas na categoria Canção). Os selecionados serão divulgados no dia 29 de julho, com votação popular, como terceira etapa, a partir do dia seguinte (30) e que irá até o final de agosto.

E na etapa final de premiação, no dia 15 de setembro serão conhecidos os dez primeiros colocados de cada subcategoria. Cada um receberá sessão de coaching ministrada pelos curadores, e premiação em dinheiro (para os três primeiros de cada subcategoria). Além disso, os primeiros colocados ainda dividirão o palco com importantes nomes da música nacional.

SulAmérica e a cultura

Como parte das ações de sustentabilidade, com foco no pilar de Saúde Emocional, a companhia apoia iniciativas culturais e esportivas em todo o país há muitos anos, praticamente durante todos os seus 125 anos de existência. Por meio do programa Circuito SulAmérica Música e Movimento, a companhia aportou, apenas em 2020, mais de R$ 16 milhões em projetos por meio da Lei de Incentivo à Cultura, o que consolidou a seguradora como a que mais investiu em cultura no ano passado.

A SulAmérica também patrocinou espetáculos que foram sucesso em todo o país, como Tim Maia – Vale Tudo, As Noviças Rebeldes, Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz, Palavra Cantada, Turma da Mônica – O Show e muitos outros. Por mais de duas décadas, patrocinou o projeto Aquarius, da Orquestra Sinfônica Brasileira, e patrocina a Orquestra Ouro Preto e sua Academia, uma iniciativa que forma e dá bolsas a jovens músicos.

SulAmérica aprova pacote de doações e ações relacionadas à Covid-19 620

SulAmérica aprova pacote de doações e ações relacionadas à Covid-19

Iniciativas reforçam combate à pandemia e à fome em todo o Brasil

A SulAmérica aprovou um pacote de doações e ações emergenciais relacionadas à Covid-19 em um total de R$ 6 milhões para 2021. Esse montante soma-se aos mais de R$ 10 milhões doados em 2020 e traduz o compromisso da companhia em ajudar os brasileiros que lutam há mais de um ano contra a pandemia. A verba será distribuída em diferentes ações com organizações que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 e à fome em todo o Brasil.

Entre as ações incentivadas estão doações ao movimento União BR para atender as necessidades de hospitais públicos, como a compra de cilindros de oxigênio. Isso se soma às ações sociais da instituição, como o apoio mental, por meio do Psicologia Viva, aos familiares de vítimas e internados pela Covid-19 e trabalhadores da linha de frente. No mês de maio, ofereceu apoio para reinserção de mulheres no mercado de trabalho, em parceria com a Catho e a EduK.

No ano passado, a SulAmérica ajudou na reforma de leitos na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e na construção de um hospital de campanha no Rio de Janeiro. Em 2021, participou também do grupo “Juntos pelo Amazonas”, formado por 15 empresas que se uniram para doar usinas de oxigênio para a Fiocruz. A doação para fomentar a produção de oxigênio foi renovada em fevereiro, em parceira com 19 outras empresas via movimento União BR, para instalar seis usinas em hospitais públicos do Amazonas.

Fator Seguradora anuncia Renato Kawamoto como novo Gerente Comercial para o interior de SP 443

Fator Seguradora anuncia Renato Kawamoto como novo Gerente Comercial para o interior de SP / Reprodução

Executivo atua há 21 anos no mercado de seguros

Em uma rede social, a Fator Seguradora anunciou a contratação de Renato Kawamoto como novo Gerente Comercial para atender os clientes do interior São Paulo. Kawamoto atua há 21 anos no mercado de seguros, com forte experiência na área de vendas, especializado em seguros corporativos como Riscos Patrimoniais, Riscos de Engenharia, Responsabilidade Civil, Linhas Financeiras, Frotas e Aeronáuticos.

Na nota, a companhia expressou a alegria em anunciar o novo contratado e estimou que a experiência seja excelente e duradoura. “Queremos que você se sinta bem e muito acolhido em seu novo ambiente de trabalho. Seja muito bem-vindo à Fator Seguradora”, completou a seguradora.

Saiba mais sobre a Fator Seguradora neste endereço.