Sancor Seguros reforça presença em São Paulo 1426

Companhia fechou parceria com Assecor Assessoria

Na última terça (18), a Sancor Seguros realizou evento de lançamento de sua parceria com a Assecor Assessoria em São Paulo. Além dos representantes de cada empresa, estiveram presentes o presidente da Sincor-SP, Alexandre Camillo, e alguns corretores, que ouviram atentamente dados institucionais do grupo Sancor e suas perspectivas para a nova fase na capital paulista.

Originalmente argentina e consolidada no sul do Brasil desde 2013, a Sancor Seguros tem como objetivo aumentar o cooperativismo, aproveitando a força da representante para levar seus produtos a uma praça tão disputada e importante do país. A ideia é ser uma das grandes fornecedoras do produto “Vida” e ganhar espaço na capital, para que a empresa se desenvolva ainda mais no Brasil.

“Nós ainda não somos conhecidos em São Paulo, então agregamos nossa marca a uma assessoria já conhecida na região, com pessoas de alta relevância no mercado segurador e, com isso, conseguimos passar ainda mais credibilidade ao corretor”, explica o Superintendente Comercial Sancor Seguros, Rosimário Correa Pacheco, sobre a escolha da assessoria.

Para Alexandre Camillo, presidente do Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP), a parceria tem tudo para dar certo. “Conheci a Sancor na Argentina e foi uma experiência fantástica, tem umas particularidades interessantes – em vez da sede na capital, é localizada no interior de cidades afastadas dos grandes centros. A cidade possui 21 mil habitantes e, chegando lá, você se depara com uma estrutura comparável a grandes empresas, em porte de grandeza, receptividade fantástica, um operacional maravilhoso e um apego ao corretor incondicional. Convivendo com as modernidades e tecnologias que temos, mas com foco no corretor, trazendo essa história para São Paulo juntamente da Assecor, a experiência será promissora”, opina Camillo.

“Esta parceria é um marco”, diz André Oliveira, Diretor das Operações Comerciais da Assecor. “Estamos aqui com três mãos para trabalharmos juntos e dar início a algo grandioso – a da Assessoria, da Sancor e dos Corretores, que farão proposta de valor.”, complementa Oliveira.

A Sancor chegou ao Brasil em 25 de abril de 2013 e já fez as adaptações necessárias para atender as demandas do país, como em sua identidade visual – alterando sua marca para a cor magenta. Em Maringá, iniciou as operações no mesmo ano com seguros de agronegócios, o que a tornou a segunda maior seguradora em grãos no país. Após essa experiência, partiu para outros ramos, como: automóveis, agronegócios, pessoas, empresas, patrimoniais e viagem.

No primeiro ano, 2013, o faturamento da Sancor foi de R$ 3 milhões, já com mais corpo, em 2019, a empresa fechou o ano com mais de R$ 432 milhões – o que representa um crescimento de 27,7% em relação ao último exercício. “Para 2020, nossa projeção é atingir um faturamento de R$ 538 milhões e já pensando em 2021, a meta é fechar o ano com R$ 635 milhões”, explica o Superintendente Comercial Sancor Seguros, Pacheco.

Para Pacheco a missão da empresa de desburocratizar e avaliar caso a caso pretende ser mantida na capital paulista. “A indenização é uma forma de dar continuidade à vida das pessoas e, para isso, é necessário ter responsabilidade e deixar nas mãos das pessoas certas”, reforça o Superintendente Comercial da Sancor.

Fundada em 1945, o Grupo Sancor Seguros é hoje a maior seguradora argentina, com cerca de 5.850.00 segurados, 2.965 colaboradores, 6.900 corretores e 760 escritórios. Sua sede fica em Sunchales, província de Santa Fé, Argentina. Hoje no Brasil a empresa possui estrutura de 1.450.000 segurados, 250 colaboradores, 2.035 corretores e 18 escritórios.

HDI apoia uso de tecnologia em iniciativa para localizar pessoas desaparecidas 349

Projeto “Volta Pra Casa”já ajudou a localizar mais de 130 pessoas

O projeto “Volta Pra Casa”, apoiado pela HDI Seguros e que combina tecnologia e distribuição de conteúdo em rede para potencializar os apelos de famílias à procura de parentes, ajudou a localizar 137 pessoas desaparecidas. Iniciada no último trimestre de 2019, a ação conta com a parceria de diversas ONGs e apoiadores para conectar pessoas em busca de parentes desaparecidos em todo o Brasil e até o momento colaborou para que muitas famílias pudessem retomar o convívio com seus parentes desaparecidos.

A história da família Santos, de Ibicarai, na Bahia, foi uma das mais emocionantes do projeto. A separação dos familiares aconteceu por conta da condição psiquiátrica da mãe deles, que por sofrer de esquizofrenia, teve de dar os quatro filhos para adoção. Já em idade adulta, Valdelice Santos, uma das filhas, soube do “Volta Pra Casa” e começou a busca pelos irmãos com ajuda do projeto, tendo reencontrado dois deles, Washington e Catarina de imediato, e uma sobrinha, filha de uma irmã já falecida.

Depois de 35 anos, Valdelice teve o seu primeiro contato com a família no final do ano passado, por telefone, o que ela descreve como “um presente de Natal para minha mãe e para todos nós”. A reconstrução dos laços parentais representa o início de uma nova fase para a família, que em janeiro deste ano teve o primeiro encontro em família, com direito a fotos e vídeos registrando o momento especial. “A gente está muito feliz, pois a família é muito grande e só temos que agradecer”, comemora.

“Dados levantados pelo projeto indicam que mais de 100 pessoas desaparecem por dia no Brasil, sendo metade delas crianças e adolescentes. Na HDI valorizamos muito o aspecto humano das ações e por isso nos sensibilizamos com o projeto e decidimos contribuir com a causa. Por meio de um aplicativo e muitos esforços, foi possível proporcionar doze finais felizes para famílias que agora estão unidas”, afirma Murilo Riedel, presidente da HDI Seguros.

O projeto “Volta Pra Casa” utiliza o aplicativo MultiplierApp, que permite o acesso unificado de diferentes perfis de redes sociais em uma única plataforma, com a possibilidade de programar vídeos ou transmissões ao vivo, que são condensados em links compartilháveis. A partir do momento em que o link é clicado, o usuário que autorizar a indexação do conteúdo às suas redes sociais exibe o material a todos os seus contatos simultaneamente, maximizando a audiência ao produtor original.

A solução ajuda a viralizar os materiais, potencializando as possibilidades de reencontros. A entidade Mães da Sé atua como curadora dos conteúdos, que devem ser enviados por WhatsApp e compostos por um vídeo curto com as últimas informações sobre a pessoa antes do desaparecimento, duas fotos dela e o Boletim de Ocorrência do caso. Depois de validado, o material é inserido no banco de dados da entidade, sendo imediatamente encaminhado ao MultiplierApp, que faz a edição final e dispara para toda a rede cadastrada lá, disseminando assim os apelos.

57,3% dos corretores renovam apólices mesmo durante pandemia 914

Pesquisa da Som.us ouviu 931 profissionais

Uma sondagem da Som.us, consultoria de seguros do grupo do C6 Bank, mostrou que 57,3% dos corretores de seguros têm conseguido renovar praticamente todas as apólices de seus clientes, mesmo com alguma dificuldade, em meio à pandemia. A pesquisa ouviu 931 profissionais do segmento na semana retrasada.

O número de corretores de seguros que conseguiram renovar quase todas as apólices teve piora na semana retrasada, com queda de seis pontos percentuais em relação ao período anterior. O responsável pela área de seguros do banco, Fabio Basilone, diz que o setor vem resistindo bem à crise. Fatores como a flexibilização dos preços e das formas de pagamento, além do aumento da procura por modalidades como seguros de vida, ajudam a explicar o desempenho positivo. Mas, apesar da resiliência do segmento, 30% dos corretores de seguros ouvidos registraram aumento da inadimplência.

Clube da Pedrinha RS renova logotipo e cria conta no Instagram 823

Entidade completou 15 anos em maio

O Clube da Pedrinha do Rio Grande do Sul acaba de renovar o seu logotipo. A entidade, que completou 15 anos em maio deste ano, reúne e integra profissionais da área de seguros, previdência e capitalização, além de gestores de entidades parceiras.

Recém empossada, a diretoria do Clube aproveitou a ocasião da data de aniversário para apresentar o novo visual. “Nada melhor do que aproveitar o momento em que o novo está em alta para reinventar, também, o nosso logotipo”, destaca a presidente do Clube da Pedrinha RS, Suellen Farias.

Além disso, a entidade também criou uma conta no instagram. O @clubedapedrinhars é um espaço em que os pedrinhas e demais colegas de mercado poderão conferir fotos de encontros, se atualizar de algumas informações e participar de lives com convidados especiais. “Este é um primeiro sonho desta gestão, que está iniciando nesse momento tão desafiador, e que temos a certeza de que será um sucesso. Nosso objetivo é manter os membros do clube próximos e continuar, nesse novo formato, o trabalho que vem sendo realizado pelo clube.”, conta Suellen.

Susep reforça que declarações atribuídas a Solange Vieira são inverídicas 2381

Superintendência enviou nota de esclarecimento à toda imprensa no final da tarde de ontem, 27

Após repercutir no mercado a suposta declaração da superintendente da Susep, Solange Vieira, a autarquia reforçou, em nota enviada à toda imprensa no final da tarde desta quarta-feira (27), que as declarações são inverídicas, conforme já havíamos noticiado. Leia abaixo:

Esclarecemos que as declarações atribuídas a Solange Vieira em recente matéria jornalística sobre a pandemia COVID-19 são inverídicas. Reiteramos que, a convite do então ministro Luiz Henrique Mandetta, a economista esteve em março no Ministério da Saúde (MS), para contribuir com os modelos de projeção decorrente da pandemia utilizados por aquela pasta. Na ocasião, foram observados os cenários apresentados e seus impactos, com foco sempre na preservação de vidas. A economista declara seu repúdio a toda e qualquer ilação que impute a alguma análise proferida juízo de valor em sentido contrário ao direito à vida e à saúde para todos, de qualquer idade, a qualquer tempo. Medidas legais cabíveis sobre o assunto estão sendo analisadas.

De acordo com reportagem, Solange Vieira teria considerado bom que as mortes se concentrem entre os idosos; Susep nega 8200

Solange Vieira é superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep)

Superintendente da Susep teria dado declaração durante reunião no mês de março

Portais jornalísticos nacionais divulgaram reportagem de autoria da Reuters, considerada a maior agência internacional de notícias, em que foi atribuída à superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Solange Vieira, declarações polêmicas. De acordo com o texto, Solange teria afirmado: “É bom que as mortes se concentrem entre os idosos… Isso melhorará nosso desempenho econômico, pois reduzirá nosso déficit previdenciário.”

Quem forneceu o relato à agência Reuters foi o epidemiologista que era chefe do departamento de imunização e doenças transmissíveis do Ministério da Saúde, Julio Croda. A informação também foi corroborada por outra autoridade, que, falando sob condição de anonimato, contou que recebeu informação do ocorrido, mas não estava na reunião.

O trecho ainda ressalta que a superintendente da Susep é aliada do ministro da economia, Paulo Guedes, e que esteve envolvida na importante reforma previdenciária do governo no ano passado. “[Ela] também mostrou pouca urgência quando foi apresentada a previsões do Ministério da Saúde em meados de março […]. O ministério previu mortes generalizadas entre os idosos, se o vírus não fosse contido”, destaca a reportagem.

Procurada pelo JRS, a assessoria da Susep retornou que as declarações atribuídas à superintendente não procedem. “Esclarecemos que as declarações do senhor Júlio Croda atribuídas a Solange Vieira em recente matéria jornalística são improcedentes. Reiteramos que, a convite do então ministro Luiz Henrique Mandetta, a economista esteve em março no Ministério da Saúde (MS), para contribuir com os modelos de projeção decorrente da pandemia de COVID-19 utilizados por aquela pasta. Na ocasião, foram observados os cenários apresentados e seus impactos, com foco sempre na preservação de vidas”, diz. O texto enviado por e-mail a nossa redação ainda ressalta que Solange repudia qualquer análise nesse sentido e que medidas legais adequadas serão tomadas: “A economista declara seu repúdio a toda e qualquer ilação que impute a alguma análise proferida juízo de valor em sentido contrário ao direito à vida e à saúde para todos, de qualquer idade, a qualquer tempo.  Medidas legais cabíveis sobre o assunto estão sendo analisadas”.

A Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor) disse lamentar e repudiar veemente a declaração de Solange Vieira. “Postura insensível e desumana da superintendente da Susep, em absoluto desrespeito aos familiares dos mais de 25 mil brasileiros mortos em decorrência da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)”, destaca.

A Fenacor ainda considera absolutamente inaceitável e inconcebível que este seja o sentimento de quem lidera a autarquia responsável por supervisionar o mercado de seguros e de previdência privada. “A brutalidade e a falta de empatia demonstradas pela superintendente da Susep causam repulsa na sociedade brasileira e nos faz questionar uma vez mais se ela reúne as mínimas condições para ocupar o posto de comando de um órgão do Governo cujo foco precisa estar direcionado para ajudar as pessoas a superarem a mais grave crise na saúde pública dos últimos 100 anos”, finaliza.

*O título desta reportagem foi alterado para fins de compreensão.