Sancor Seguros reforça presença em São Paulo 1653

Companhia fechou parceria com Assecor Assessoria

Na última terça (18), a Sancor Seguros realizou evento de lançamento de sua parceria com a Assecor Assessoria em São Paulo. Além dos representantes de cada empresa, estiveram presentes o presidente da Sincor-SP, Alexandre Camillo, e alguns corretores, que ouviram atentamente dados institucionais do grupo Sancor e suas perspectivas para a nova fase na capital paulista.

Originalmente argentina e consolidada no sul do Brasil desde 2013, a Sancor Seguros tem como objetivo aumentar o cooperativismo, aproveitando a força da representante para levar seus produtos a uma praça tão disputada e importante do país. A ideia é ser uma das grandes fornecedoras do produto “Vida” e ganhar espaço na capital, para que a empresa se desenvolva ainda mais no Brasil.

“Nós ainda não somos conhecidos em São Paulo, então agregamos nossa marca a uma assessoria já conhecida na região, com pessoas de alta relevância no mercado segurador e, com isso, conseguimos passar ainda mais credibilidade ao corretor”, explica o Superintendente Comercial Sancor Seguros, Rosimário Correa Pacheco, sobre a escolha da assessoria.

Para Alexandre Camillo, presidente do Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP), a parceria tem tudo para dar certo. “Conheci a Sancor na Argentina e foi uma experiência fantástica, tem umas particularidades interessantes – em vez da sede na capital, é localizada no interior de cidades afastadas dos grandes centros. A cidade possui 21 mil habitantes e, chegando lá, você se depara com uma estrutura comparável a grandes empresas, em porte de grandeza, receptividade fantástica, um operacional maravilhoso e um apego ao corretor incondicional. Convivendo com as modernidades e tecnologias que temos, mas com foco no corretor, trazendo essa história para São Paulo juntamente da Assecor, a experiência será promissora”, opina Camillo.

“Esta parceria é um marco”, diz André Oliveira, Diretor das Operações Comerciais da Assecor. “Estamos aqui com três mãos para trabalharmos juntos e dar início a algo grandioso – a da Assessoria, da Sancor e dos Corretores, que farão proposta de valor.”, complementa Oliveira.

A Sancor chegou ao Brasil em 25 de abril de 2013 e já fez as adaptações necessárias para atender as demandas do país, como em sua identidade visual – alterando sua marca para a cor magenta. Em Maringá, iniciou as operações no mesmo ano com seguros de agronegócios, o que a tornou a segunda maior seguradora em grãos no país. Após essa experiência, partiu para outros ramos, como: automóveis, agronegócios, pessoas, empresas, patrimoniais e viagem.

No primeiro ano, 2013, o faturamento da Sancor foi de R$ 3 milhões, já com mais corpo, em 2019, a empresa fechou o ano com mais de R$ 432 milhões – o que representa um crescimento de 27,7% em relação ao último exercício. “Para 2020, nossa projeção é atingir um faturamento de R$ 538 milhões e já pensando em 2021, a meta é fechar o ano com R$ 635 milhões”, explica o Superintendente Comercial Sancor Seguros, Pacheco.

Para Pacheco a missão da empresa de desburocratizar e avaliar caso a caso pretende ser mantida na capital paulista. “A indenização é uma forma de dar continuidade à vida das pessoas e, para isso, é necessário ter responsabilidade e deixar nas mãos das pessoas certas”, reforça o Superintendente Comercial da Sancor.

Fundada em 1945, o Grupo Sancor Seguros é hoje a maior seguradora argentina, com cerca de 5.850.00 segurados, 2.965 colaboradores, 6.900 corretores e 760 escritórios. Sua sede fica em Sunchales, província de Santa Fé, Argentina. Hoje no Brasil a empresa possui estrutura de 1.450.000 segurados, 250 colaboradores, 2.035 corretores e 18 escritórios.

Setor de seguros cresceu 32,9% em junho 2324

Comparação é com o mês de maio; Dados são da Susep

Em comparação ao mês de maio, o setor de seguros fechou junho registrando crescimento de 32,9%, com uma receita total de R$ 23,35 bilhões no período. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) divulgou a síntese dos principais dados relativos ao desempenho do mercado na terça-feira, 04.

“Apesar de ainda haver uma queda de 4,3% no acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2019, já se verifica uma recuperação, principalmente nos segmentos de seguros de danos e pessoas”, destaca a nota oficial da autarquia.

Além disso, ressalta que a síntese mensal dos principais dados do mercado é produzida com base nas estatísticas geradas pela Assessoria de Estudos e Relações Institucionais da Susep, a partir dos dados encaminhados pelas companhias supervisionadas, o que acontece através do sistema FIPSUSEP. Os dados podem ser visualizados no site da Superintendência, através deste endereço.

Ciclone bomba: seguros minimizam perdas 18514

Este e outros destaques estão na edição 238 da Revista JRS; Confira

Em decorrência da pandemia do coronavírus no Brasil, a absoluta relevância da indústria seguro como prestadora de serviços que atenuam a ansiedade com as incertezas do que pode acontecer amanhã já estavam vindo à tona para as pessoas menos avisadas sobre o segmento. Essa importância do setor teve novo realce no final do junho e começo de julho, quando o ciclone bomba provocou centenas de prejuízos materiais e pessoais à população dos estados do Sul do país.

É claro que os persistentes efeitos da Covid-19 no mercado segurador e a atuação das seguradoras e corretores de seguros em reparar os danos provocados pelas tempestades em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul estão em destaque nesta edição da Revista JRS. Há espaço, claro, para boas notícias, como as novas práticas e o lançamento de produtos que empresas do setor vêm efetivando em adaptação ao novo perfil do consumidor brasileiro e à necessidade de se implementar ferramentas digitais para dar continuidade ao trabalho.

Não deixe de acompanhar as próximas páginas. Constate que, embora, o vírus e o ciclone tenham gerado muita dor, o ser humano e, em especial, os operadores em seguros estão tirando lições práticas do atual momento, para recuperar parte da segurança das pessoas.

JRS completa 20 anos e anuncia novidade ao mercado 9004

Veículo especializado chega a duas décadas e reafirma compromisso com a indústria do seguro

Quem fez aniversário nessa pandemia sabe como a sensação é, no mínimo, diferente. As emoções são afloradas e muito de nós, mesmo mergulhados em dados que aparecem todos os dias em noticiários e nas redes, estamos nos conectando com o nosso lado mais humano a cada experiência que nos tira do habitual.

O sociólogo francês, especialista em ciências da comunicação, Dominique Wolton, defende que informar não é comunicar. A comunicação é mais complexa do que a informação. A informação é a mensagem e a comunicação é a relação entre as mensagens. Há 20 anos atrás, o nosso fundador, o jornalista Jota Carvalho, se empenhou em construir um veículo de imprensa especializado que fizesse exatamente isso. Que através da comunicação, agregasse aos players de um mercado tão importante para a sociedade e rico de valores, como é o de seguros.

A missão era (e ainda é) simples: disseminar a cultura do seguro. E para que isso seja possível, o caminho é fazer com que os players, sejam seguradores, corretores e prestadores de serviços desse mercado se comuniquem.

Se comuniquem para que as famílias brasileiras não fiquem desamparadas quando algum familiar venha a falecer, para que as pessoas tenham alternativas quando descubram alguma enfermidade grave ou que não fiquem sem suas casas quando eventos da natureza danifiquem seus lares. São tantos os exemplos em que a presença de uma apólice de seguro é indispensável que poderíamos escrever o dia inteiro.

“Ninguém faz nada sozinho”. Frase emblemática do nosso fundador. Mas o que ele também gostava de dizer era que, independente do meio, seja papel, digital, vídeo ou áudio, o JRS estaria lá. E por isso, convidamos a vocês que estão nos lendo, a acompanharem o lançamento de uma ação inédita, promovida pelo JRS, através do nosso perfil no Instagram @jrs.digital nesta sexta-feira, 31, às 18h.

20 anos de JRS

O Jornal Regional de Seguros (JRS) foi fundado em 31 de julho de 2000 pelo jornalista Jota Carvalho. Sua primeira edição está datada no mês de agosto dos anos 2000. Os periódicos iniciais eram em papel jornal, mas com o sucesso do case e interesse cada vez maior do público, logo o JRS virou uma revista colorida e mais atrativa. Acompanhando a revolução tecnológica, em 2006 o JRS lançou a Newsletter, um informativo diário com os principais informes do mercado gaúcho e nacional. No mesmo ano, a empresa lançou o seu site na web. Braço do JRS, o programa Seguro Sem Mistério na rádio Bandeirantes de Porto Alegre/RS e no canal 20 da NET-RS vai ao ar semanalmente e faz a ponte entre os consumidores e o mercado de seguros através de entrevistas e reportagens especiais.

Luciano Calabró Calheiros é o novo CEO da Berkley Brasil Seguros 3147

Executivo possui experiência internacional de 25 anos na indústria

Divulgação

A Berkley Seguros, um dos maiores grupos seguradores dos Estados Unidos, anuncia a chegada do executivo Luciano Calheiros na posição de CEO Brasil. 
Formado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da USP, Calheiros possui experiência internacional de 25 anos na indústria de seguros, dos quais 15 anos em posições de gestão, sendo a sua última atuação como CEO da joint-venture entre uma resseguradora global e um dos maiores grupos financeiro do Brasil.

“Estou muito honrado em trabalhar na Berkley, que é uma seguradora sólida financeiramente, íntegra e transparente. A Berkley tem uma ótima reputação no mercado e uma equipe altamente qualificada. Assumo com compromisso de dar continuidade a este trabalho de sucesso e que conquistou o respeito e reconhecimento de corretores e clientes”, comenta Calheiros. “Me identifiquei muito com a cultura, os valores e a forma que a liderança conduziu os negócios até o momento. Esses foram os principais motivos para aceitar este convite tão especial”, completa.

Para o executivo há ainda dois pontos importantes na sua chegada: com a pandemia, existe a necessidade de planejar o retorno dos colaboradores ao escritório, com o cuidado e segurança que o momento exige. Já olhando para os negócios, analisar as novas oportunidades, especialmente no médio mercado (middle market), para um crescimento rentável. “A Berkley possui todas as qualidades para se posicionar e se consolidar neste segmento, com um portfólio diversificado de produtos e linhas de negócio”, afirma.

Solange Vieira pode ser a próxima presidente do Banco do Brasil 1520

Superintendente da Susep está entre os cinco nomes cotados para assumir o cargo

De acordo com a CNN Brasil, a superintendente da Susep, Solange Vieira, está cotada para assumir a presidência do Banco do Brasil. A vaga está em aberto desde que Rubem Novaes renunciou ao cargo na última sexta-feira (24).

“A indicação do ministro da Economia, Paulo Guedes, é de que o próximo presidente do BB será alguém com um perfil “mais dinâmico e mais jovem” que Novaes, de forma a atender as mudanças e inovações do setor financeiro”, afirma a publicação.

Solange Vieira está à frente da Susep desde 2019. Outros nomes cotados são o presidente do Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Marcelo Serfaty, e três integrantes do staff do próprio Banco do Brasil: o vice-presidente VP Corporativo, Mauro Ribeiro Neto, o VP de Gestão Financeira e Relação com Investidores, Carlos Hamilton, e o atual presidente do Conselho de Administração, Hélio Magalhães.