Pedrinhas gaúchos reforçam importância da união da categoria 2016

Presidente do Sincor-RS foi palestrante de encontro, que também contou com a apresentação da chapa candidata para presidir o Clube pelos próximos dois anos

No primeiro encontro de 2020, o Clube do Pedrinha do Rio Grande do Sul convidou o Presidente do Sindicato dos Corretores do Estado (Sincor-RS), Ricardo Pansera, para palestrar sobre o mercado de seguros. O evento ocorreu no restaurante Casa do Marquês em Porto Alegre.

Guilherme Bini, presidente do Sindicato das Seguradoras (SindSeg RS) ressaltou a importância da proximidade dos sindicatos. ˜É o momento de nós levarmos informações, estarmos próximos do sindicato e dos corretores. Os nossos sindicatos precisam andar lado a lado de mão dadas”, afirmou Bini.

Ricardo Pansera iniciou a conversa com os pedrinhas em tom descontraído, em que agradeceu e elogiou a forma de integração entre os presentes. Ele contou um pouco da história do Sincor-RS e da profissão de corretor de seguros. Ele também criticou a Medida Provisória 905, que extingue 13 profissões, incluindo a de corretores de seguros.

“Não só os corretores de seguros, mas as outras categorias também estão unidas trabalhando. Estamos reunindo aos sindicatos das outras categorias para homologar o texto que retira essas profissões da Medida Provisória, que ninguém entendeu a ideia do Governo de querer gerar emprego extinguindo categorias, a exemplo a dos corretores de seguros, que possui 100 mil profissionais pelo país”, explicou Pansera.

Durante o seu discurso também foi abordado a importância Escola de Negócios e Seguros que profissionaliza os corretores de seguros, e diversos pontos históricos foram relembrados como a parceria feita em 1995, com o DPVAT, em que o sindicato investiu no atendimento ao público, ressaltando a importância da parceria e da comunicação entre seguradoras e corretoras, para beneficiar os clientes. Outro dado apontado por Pansera, mostrou uma estatística interna realizada pelo Sincor-RS, em que 89% dos casos de reclamação levados até a Ouvidoria, são solucionados através de uma conciliação.

Em entrevista para a nossa equipe, o presidente da Sincor-RS, destacou a importância do evento: “O pedrinha já é um encontro mensal tradicional com jantares, palestras, então para mim é um privilégio estar aqui fazendo a abertura do ano, conversando com o pessoal sobre a entidade que a gente representa, que é o Sindicato dos Corretores de Seguros, e também falar sobre o momento atual, as perspectivas desse ano. Mas não é uma palestra, é uma conversa entre amigos”.

Pansera também afirmou estar confiante na economia para este ano. “Eu acredito muito numa reviravolta da economia, porque a economia é um termômetro para o mercado de seguros, muito embora o nosso mercado está num momento interessante, já que terminamos 2019 com dois dígitos de crescimento, acima da inflação. Isso é uma perspectiva muito interessante para todos para todos os seguradores e corretores de seguros”, contou.

A noite também foi palco da apresentação da chapa da candidata para presidir o Clube do Pedrinha nos próximos dois anos. Em entrevista, Suellen Castro, atual Diretora Jurídica do Clube, contou um pouco sobre as suas propostas para presidir a próxima gestão. “Para compor a chapa, eu trouxe pessoas que não faziam parte da diretoria ainda, agradeci muito a contribuição de pessoas que já estavam há muito tempo com a gente, que com toda certeza foram fundamentais para o crescimento do Clube. Também quero aumentar o número de pessoas novas e manter aquelas pessoas que são a essência da fundação. Então eu tentei fazer uma mescla, a ideia é fazer uma gestão moderna, mais inovadora. É um desafio gigante mas tem tudo pra dar certo”, contou.

A atual Presidente do Clube do Pedrinhas, Ana Maria Pinto, também falou sobre a sua indicação para a próxima gestão. “A Suellen é a candidata que inscreveu a chapa dela, mas até o final do mês qualquer pedrinha pode apresentar a sua chapa. Não havendo outra chapa, a Suellen passa a presidir a gestão”, disse.

Confira os componentes da chapa de Suellen Castro:

Presidente: Suellen Castro
Vice Presidente: Yara Bolina
Secretária: Daniela Zimmer
Diretor financeiro: Luiz Felipe
Diretor social: Giovani Menger
Diretora Social Adjunto: Gislaine Rodrigues
Diretora de Marketing: Júlia Senna
Diretor de Marketing Adjunto: Marcelo
Diretor de Relacionamento com o mercado: Fernando Menezes
Diretor de Relacionamento com o mercado adjunto: Luis Felipe Paradeda
Diretora Jurídica: Niris Cunha
Diretor jurídico adjunto: Lorenzo

Imagens: Matheus Pé/JRS

 

Susep propõe simplificação do seguro para automóveis 517

Susep propõe simplificação do seguro para automóveis

Autarquia inicia consulta pública que permitirá ao consumidor contratar seguro mesmo sem carro próprio

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) colocou em consulta pública proposta de circular que flexibiliza e simplifica os seguros de automóveis no Brasil. A medida visa facilitar e ampliar o acesso a essa importante modalidade de seguro, responsável por um volume de R$ 35 bilhões em prêmios emitidos em 2020, o que permitirá maior diversificação de produtos, mais inovação e seguros mais baratos. Apesar do alto volume de receitas, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e da Susep, apenas 16% da frota de veículos no Brasil tinha cobertura de seguros em 2019. Mesmo ao considerar a frota com até 10 anos, o número não supera 33%.

Entre as mudanças propostas está a possibilidade de o seguro ser contratado mesmo sem identificação exata do veículo. Algo em prática em diversos países, mas inexplorada no mercado brasileiro. Isso facilita, por exemplo, o acesso ao seguro por motoristas de aplicativos e condutores que adotam o compartilhamento de automóveis, utilizam carros por assinatura ou alugados, o que amplia ainda mais as oportunidades de acesso e inclusão. Essa proposta está em linha com a crescente tendência de economia compartilhada.

Para a superintendente da Susep, Solange Vieira, trata-se de ação importante no processo de acesso ao seguro e desenvolvimento do setor. “Temos trabalhado para que o seguro seja uma escolha relevante para que o consumidor, o cidadão, possa se proteger e proteger seu patrimônio”, afirma. Na avaliação da Superintendente, a flexibilização no segmento auto é um exemplo de transformação de forte impacto em termos de possibilidades para negócios e inovação em um mercado tradicional. “Esta medida, sem dúvida, propiciará muitas oportunidades para o mercado e, principalmente, para novos consumidores do seguro, como aqueles que não são proprietários do veículo, mas precisam do seguro como instrumento de trabalho – motoristas de aplicativos e locadores, por exemplo. Trata-se de oferecer mais acesso e possibilidade de escolhas, dando mais poder para o consumidor e desenvolvendo o mercado”, completa.

O diretor da Susep, Rafael Scherre, destaca outras importantes novidades trazidas pela proposta. Ele cita, por exemplo, a livre possibilidade de combinação de coberturas, tanto típicas do segmento automóvel quanto de outras linhas de negócio. Scherre enfatiza a possibilidade de coberturas parciais de casco e a exclusão de limite para caracterização de indenização integral, o que permite maior diversificação de produtos e preços para necessidades e preferências de diferentes consumidores. “Esperamos um crescimento significativo do mercado nos próximos anos, com ampliação de cobertura, inclusão e principalmente inovação. E a partir de agora as bases para um ambiente favorável à competição e novos negócios, com menos restrições regulatórias, estão lançadas”, acrescenta o diretor.

Mariana Arozo, coordenadora-geral de Seguros Massificados, Pessoas e Previdência da Susep, lembra que o consumidor terá também a possibilidade de contratar coberturas de Responsabilidade Civil Facultativa (RCF) e Acidentes Pessoais de Passageiros (APP) vinculadas ao condutor. “A proposta traz grande flexibilidade em relação às regras atuais. Esperamos novos produtos e mais segurados – sempre com boas práticas de conduta e total transparência por parte das seguradoras. Comparando com os números da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), é um mercado com potencial para dobrar de tamanho”.

Com base nos dados da OCDE (2019), a penetração do mercado de seguros para automóveis no Brasil é de 0,53% do Produto Interno Bruto (PIB), que representa a metade da média da Organização (1,06%).

Mercado relevante

Em termos de arrecadação de prêmios, os seguros de automóveis representaram 44,8% do mercado de seguros de danos no Brasil, em 2020. Trata-se da modalidade de seguros mais “popular” no país, que gerou uma receita de R$ 35,34 bilhões no ano passado, frente aos R$ 78,86 movimentados pelo segmento de danos.

Divulgação/Susep
Divulgação/Susep

Seguro Sem Mistério aborda investimentos da Zurich na Região Sul 591

Siga a transmissão ao vivo a partir das 17h30min, no Canal do JRS no YouTube

O programa Seguro Sem Mistério desta terça (04) recebe Luciano Vicente da Silveira, Diretor Regional Sul da Zurich no Brasil. O executivo vai contar tudo sobre os investimentos realizados pela companhia na Região Sul, em um bate-papo que será comandado pelos jornalistas Júlia Senna e William Anthony. Tudo acontece a partir das 17h30min, no Canal do JRS no YouTube.

Graduado em direito pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Silveira possui MBA Executivo pela Fundação Dom Cabral, de São Paulo. Com carreira executiva de 30 anos no mercado segurador, consolidada em gestão comercial e de negócios nos segmentos de seguros gerais, saúde, vida, capitalização e previdência privada, o executivo trabalha na Zurich desde março de 2011, onde já liderou duas diretorias comerciais, a própria Regional Sul, de março de 2011 a agosto de 2016, e a Regional São Paulo Interior desde então. Recentemente, o executivo foi designado novamente para o comando da Regional Sul.

Aproveite para enviar perguntas e recados ao convidado através do chat ao vivo. Aproveite e inscreva-se no Canal do JRS no YouTube para ficar por dentro das novidades. A atração ainda conta com exibição nos canais 20 (SD) e 520 (HD) da NET Rio Grande do Sul – com apresentação inédita sempre aos domingos, a partir das 11h30min, e reprises de terça à sábado ao longo da programação.

B3: Registro Digital de Apólice garante transparência, eficiência e segurança às seguradoras 3108

Apostando cada vez mais no mercado de seguros, o Registro Digital de Apólice é uma contribuição altamente inovadora da B3 ao setor. A facilidade conquistou destaque mesmo antes de iniciar o prazo do registro obrigatório de operações de seguros, que começou a valer em novembro de 2020 para os ramos de seguro garantia (setores público e privado), quando ainda era facultativa às seguradoras.

Icaro Demarchi Araujo Leite é superintendente de Produtos de Seguros da B3. Crédito da foto: André Ananias Gregorini

No momento em que uma companhia passa a registrar as apólices com a B3, a empresa atende a todos os requisitos máximos de transparência, eficiência e segurança no registro de operações de seguros. “Entendemos que os dados registrados pelas companhias são de suma importância, razão pela qual adotamos e praticamos os mais altos padrões de segurança da informação e de governança de dados, em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (e anteriormente já em compliance com a GDPR), oferecendo o ambiente adequado para o tratamento de dados para atendimento das demandas deste mercado”, destaca o Superintendente de Produtos de Seguros da B3, Icaro Demarchi Araujo Leite.

O prazo para a completa implementação do SRO (Sistema de Registro de Operações) vale até o dia 20 de março de 2023. Atualmente, a B3 é a registradora de importantes players como BMG, Pottencial, Newe, Junto e Sompo, entre outros, que já somam mais de 60% do mercado de seguro garantia.

“A antecipação da integração e início do registro das operações, além de preparar as companhias para o atendimento da demanda regulatória, possibilitará a utilização e construção de soluções de valor para as companhias aproveitando as sinergias com os demais mercados em que a empresa opera”, explica o Superintendente.

Graças à expertise da B3 no mercado financeiro e de capitais, o registro das operações de seguro permitiu o estreitamento das relações com as seguradoras, fomentando inúmeras oportunidades. “A B3 está empenhada em tornar o processo de registro de operações o menos complexo possível, atendendo entidades de todos os portes e independentemente de sua capacidade tecnológica atual. Temos a percepção de que com o início da obrigatoriedade em novembro de 2020, as companhias estão se mobilizando para estarem adequadas antes da obrigatoriedade de registro dos demais ramos de seguro, previdência, capitalização e resseguro”, comenta.

Por isso, caso alguma empresa deseje buscar o auxílio da B3 para registrar digitalmente suas apólices, o momento é perfeito. “As seguradoras que já registram e as interessadas em iniciar essa digitalização contam com o suporte de um time de profissionais capacitados e conhecedores do mercado segurador. São profissionais que se colocam perto das empresas e estão obstinados em satisfazer os clientes. O ambiente de diálogo criado com o mercado segurador, Susep e registradoras a partir do registro eletrônico é altamente promissor para o desenvolvimento do mercado e, consequentemente, para os consumidores”, afirma. “A B3, parte desse processo, almeja ser uma infraestrutura de mercado segurador, com um portfólio de produtos e serviços voltados ao desenvolvimento e aprimoramento do setor”, conclui.

B3 no JRS

Leonardo Pereira de Freitas: Seguro, um item essencial para o planejamento financeiro 2179

Leonardo de Freitas é diretor de Organização de Vendas da Bradesco Seguros / Divulgação

Confira coluna de Leonardo de Freitas, diretor de Organização de Vendas da Bradesco Seguros

Inicio de mais um ano, geralmente é o período de organizar a vida e se preparar para um novo ciclo, renovar as perspectivas. É época de pensar nas metas que queremos atingir e se preparar para cumpri-las. E por que não aproveitar o ambiente propício – de reflexões e mudanças, para olhar as finanças e planejar melhor a vida financeira? Em tempos de pandemia, esse tem sido um movimento cada vez mais frequente entre os brasileiros; já que muitos enfrentam dificuldades, seja financeira ou por questões de saúde, e precisam começar a se atentar para a importância de estar preparado para os imprevistos. Atualmente, grande parte das pessoas já mudaram completamente suas prioridades e hábitos de vida.

A pesquisa Panorama-Covid, realizada pelas áreas de pesquisa e inteligência de mercado da Globo, explorou essa tendência e identificou que 88% dos respondentes estão preocupados com a crise sanitária e 62% afirmam ter medo de perder o emprego. Entendemos que esse novo momento despertou uma nova mentalidade – a preocupação com o futuro; e com isso, a necessidade de se preparar para os eventos inesperados.

Buscar opções de investimento é um dos fatores mais importantes do planejamento financeiro, embora o senso comum restrinja essa prática quando não há avaliação de gastos e contenção de dívidas. Em primeiro lugar, é preciso equilibrar as contas no presente, mas também buscar opções que tragam segurança e garantam o bem-estar para a longevidade. Neste aspecto, o seguro é um item que pode ser inserido no planejamento financeiro e que oferece benefícios tanto à curto prazo, quanto à longo prazo; e em tempos de crise, pode assumir um papel ainda mais importante, como um investimento essencial.

Pensando no presente, e nos potenciais benefícios de uma apólice de seguro, podemos entender sua importância a partir dos imprevistos, quando paramos para avaliar o papel das suas coberturas no dia a dia. Quantas vezes você já economizou tempo e dinheiro porque acionou o seguro para resolver algum problema com o carro? Quanto já poupou de gastos médicos por investir em um plano de saúde? Já deixou de fazer reforma ou trocar algum eletrodoméstico com a cobertura do seguro residencial?

Todas essas ocasiões, em que acionamos o seguro, representam uma economia de gastos significativa no orçamento; prevenindo custos financeiros, que mais tarde poderiam, eventualmente, se tornar grandes dívidas. Portanto, contar com um seguro significa investir um pouco mais agora para evitar prejuízos muito maiores futuramente, em situações cotidianas que fogem completamente do nosso controle.

Contudo, notamos que as pessoas começam a despertar a consciência para a relevância do seguro – adquirindo uma concepção de risco. E essa nova realidade pode ser facilmente percebida quando observamos o aumento expressivo da procura de alguns segmentos dentro do mercado segurador. Por exemplo, a grande adesão ao home office, o aumento da permanecia dentro das residências e as mudanças nas rotinas dos lares, gerou um aquecimento do seguro residencial. Segundo balanço da Superintendência de Seguros Privados (Susep), o Residencial arrecadou R$ 2,7 bilhões entre janeiro e outubro de 2020, um aumento de 3,6% com relação ao mesmo período de 2019.

Falando de futuro, é certo que o seguro não é a única opção para oferecer segurança e proteção, afinal investir em produtos financeiros, como previdência privada é importante também; essa é uma boa forma para quem deseja garantir um “pé de meia” para a posteridade, mesmo quando não for mais possível trabalhar. Com isso, além de produtos como o seguro de Vida, a Previdência também é uma solução para garantir que os clientes tenham uma renda para recorrer.

Olhando para o mercado, os produtos de Vida também tiveram crescimento entre janeiro e outubro de 2020, com aumento de 10,5%, segundo dados da Susep; e têm um potencial imenso de penetração nos próximos anos, sendo também um ótimo recurso em casos de doenças graves, despesas médicas e hospitalares; além de uma série de assistências que estão disponíveis para os segurados.

Por fim, seja pensando no presente ou no futuro, é essencial considerar a adesão aos seguros quando se desenha um planejamento financeiro. Avalie quais os segmentos e tipos fazem mais sentido dentro dos seus hábitos e estilo de vida, e certamente você encontrará boas opções que atendem as suas prioridades. Além disso, se há dúvidas sobre onde adquirir, ou em qual produto investir, é necessário procurar a orientação de um especialista – nesse caso, um corretor de seguros; que irá, primeiramente, entender seu momento de vida – alinhado com as suas condições financeiras, para encontrar a solução adequada às suas necessidades.

“Quinta com Benefícios” bate recorde de público com palestra do presidente do Sindseg PR/MS 1675

Altevir Prado provoca reflexão e emoção ao repetir sucesso de público alcançado por apresentações do ano passado

O tradicional evento organizado pelo Instituto Superior de Seguros e Benefícios Brasil (ISB) “Quinta com benefícios”, que reúne lideranças para dialogar sobre o mercado de seguros, bateu recorde de público com mais de 7 mil visualizações em sua última edição, na quinta-feira (29). A transmissão contou com palestra do presidente do Sindicato das Seguradoras do Paraná e Mato Grosso do Sul (Sindseg PR/MS), Altevir Prado.

Com o tema “De Volta pra Casa – Parte II – Em busca da Verdade”, a palestra é uma continuação da que foi ministrada no ano passado em que Prado faz uma leitura filosófica das medidas de restrição de circulação em função da pandemia. Avalia o momento como uma oportunidade de introspecção e de reencontro das pessoas com suas características essenciais, virtudes, vontades e vocações.

Citando grandes pensadores como Platão, Nietzsche, Hegel e Santo Agostinho, o palestrante mostra que a evolução da sociedade acabou caminhando para a imposição de certos estereótipos de sucesso que induzem a leitura equivocada de uma sociedade dividida entre ganhadores e perdedores.

“Na ânsia de figurar no grupo dos vencedores, as pessoas acabam exercendo um papel social que muitas vezes está completamente desvinculado de sua essência”, disse Altevir Prado ao abordar a busca inquieta pela vitória pode até resultar em saúde e sucesso profissional, mas muitas vezes não produz o mais importante: a felicidade.

“Poucos encontram a verdade, porque poucos procuram onde ela está”, disse Prado, citando Agostinho. “As ilusões que nos afastam da verdade são criadas por nós mesmos”, completou.

Conhecer a verdade, de acordo com o palestrante, trata-se do autoconhecimento – o que gosta e quer para si. E aí sim, dotado deste conhecimento, poder empreender os esforços para alcançar a verdadeira felicidade.

O presidente do Sindseg PR/MS deixa claro que não se trata de um convite ao ócio, de simplesmente abandonar as ‘obrigações’. “Muito mais do que isso, é conhecer as próprias virtudes e saber empregá-las para alcançar o seu propósito de vida”. Como fazer isso? Altevir Prado deixa no ar esta resposta sugerindo que será o tema de uma próxima palestra para o ano que vem, provavelmente com o tema “De volta pra casa – Parte III”.

A palestra foi transmitida pelo canal do JRS no YouTube e teve participação da presidente do ISB Brasil, Joceli Pereira, e do vice-presidente, Carlos Cordeiro. Com mediação da jornalista Júlia Senna, a live também contou com a presença da Diretora de Saúde do ISB Brasil, Danielle Saad (Bradesco Seguros), e da Diretora de Desenvolvimento Profissional da entidade, Fabiana Guarenghi (Critério Consultoria).

Palestrante

Presidente do Sindseg PR/MS e Executivo Regional Sul da Bradesco Seguros, Altevir Prado tem formação acadêmica em Filosofia, História e Ciências Econômicas, com Mestrado em Teoria Econômica (Unisinos) e Doutorado em Desenvolvimento Econômico pela PUC-RS, homologado pela Universidade Complutense de Madrid, na Espanha. Atua há 22 anos no mercado e fez carreira na Bradesco Seguros.