App Anjo: Tecnologia a serviço do corretor de seguros 11699

Este e outros destaques do mercado brasileiro de seguros estão na edição 234 da Revista JRS

Comprometido em conquistar a parcela de 85% de brasileiros que não contam com seguro de vida, o mercado de seguros tem apresentado excelentes soluções no que diz respeito não só a produtos completos e diferenciados, mas também a formas de comercialização. Essa última, que fica a cargo das corretoras de seguros, é ainda mais complexa, pois necessita de mecanismos inteligentes para atingir as pessoas, diante da constante transformação das formas de consumo.

Nesse sentido, desde o final do ano passado, os corretores de seguros contam com um novo aliado quando o assunto é venda no segmento vida. Isso porque o Grupo Caburé, atento a esse cenário, lançou o Anjo, um aplicativo desenvolvido pela empresa para facilitar a distribuição deste tipo de seguro.

Ficou curioso ou curiosa? Este e outros destaques do mercado de seguros estão em evidência nas 52 páginas da Revista JRS. Uma excelente leitura!

Ciclone bomba: seguros minimizam perdas 18505

Este e outros destaques estão na edição 238 da Revista JRS; Confira

Em decorrência da pandemia do coronavírus no Brasil, a absoluta relevância da indústria seguro como prestadora de serviços que atenuam a ansiedade com as incertezas do que pode acontecer amanhã já estavam vindo à tona para as pessoas menos avisadas sobre o segmento. Essa importância do setor teve novo realce no final do junho e começo de julho, quando o ciclone bomba provocou centenas de prejuízos materiais e pessoais à população dos estados do Sul do país.

É claro que os persistentes efeitos da Covid-19 no mercado segurador e a atuação das seguradoras e corretores de seguros em reparar os danos provocados pelas tempestades em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul estão em destaque nesta edição da Revista JRS. Há espaço, claro, para boas notícias, como as novas práticas e o lançamento de produtos que empresas do setor vêm efetivando em adaptação ao novo perfil do consumidor brasileiro e à necessidade de se implementar ferramentas digitais para dar continuidade ao trabalho.

Não deixe de acompanhar as próximas páginas. Constate que, embora, o vírus e o ciclone tenham gerado muita dor, o ser humano e, em especial, os operadores em seguros estão tirando lições práticas do atual momento, para recuperar parte da segurança das pessoas.

JRS completa 20 anos e anuncia novidade ao mercado 9000

Veículo especializado chega a duas décadas e reafirma compromisso com a indústria do seguro

Quem fez aniversário nessa pandemia sabe como a sensação é, no mínimo, diferente. As emoções são afloradas e muito de nós, mesmo mergulhados em dados que aparecem todos os dias em noticiários e nas redes, estamos nos conectando com o nosso lado mais humano a cada experiência que nos tira do habitual.

O sociólogo francês, especialista em ciências da comunicação, Dominique Wolton, defende que informar não é comunicar. A comunicação é mais complexa do que a informação. A informação é a mensagem e a comunicação é a relação entre as mensagens. Há 20 anos atrás, o nosso fundador, o jornalista Jota Carvalho, se empenhou em construir um veículo de imprensa especializado que fizesse exatamente isso. Que através da comunicação, agregasse aos players de um mercado tão importante para a sociedade e rico de valores, como é o de seguros.

A missão era (e ainda é) simples: disseminar a cultura do seguro. E para que isso seja possível, o caminho é fazer com que os players, sejam seguradores, corretores e prestadores de serviços desse mercado se comuniquem.

Se comuniquem para que as famílias brasileiras não fiquem desamparadas quando algum familiar venha a falecer, para que as pessoas tenham alternativas quando descubram alguma enfermidade grave ou que não fiquem sem suas casas quando eventos da natureza danifiquem seus lares. São tantos os exemplos em que a presença de uma apólice de seguro é indispensável que poderíamos escrever o dia inteiro.

“Ninguém faz nada sozinho”. Frase emblemática do nosso fundador. Mas o que ele também gostava de dizer era que, independente do meio, seja papel, digital, vídeo ou áudio, o JRS estaria lá. E por isso, convidamos a vocês que estão nos lendo, a acompanharem o lançamento de uma ação inédita, promovida pelo JRS, através do nosso perfil no Instagram @jrs.digital nesta sexta-feira, 31, às 18h.

20 anos de JRS

O Jornal Regional de Seguros (JRS) foi fundado em 31 de julho de 2000 pelo jornalista Jota Carvalho. Sua primeira edição está datada no mês de agosto dos anos 2000. Os periódicos iniciais eram em papel jornal, mas com o sucesso do case e interesse cada vez maior do público, logo o JRS virou uma revista colorida e mais atrativa. Acompanhando a revolução tecnológica, em 2006 o JRS lançou a Newsletter, um informativo diário com os principais informes do mercado gaúcho e nacional. No mesmo ano, a empresa lançou o seu site na web. Braço do JRS, o programa Seguro Sem Mistério na rádio Bandeirantes de Porto Alegre/RS e no canal 20 da NET-RS vai ao ar semanalmente e faz a ponte entre os consumidores e o mercado de seguros através de entrevistas e reportagens especiais.

Luciano Calabró Calheiros é o novo CEO da Berkley Brasil Seguros 3143

Executivo possui experiência internacional de 25 anos na indústria

Divulgação

A Berkley Seguros, um dos maiores grupos seguradores dos Estados Unidos, anuncia a chegada do executivo Luciano Calheiros na posição de CEO Brasil. 
Formado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da USP, Calheiros possui experiência internacional de 25 anos na indústria de seguros, dos quais 15 anos em posições de gestão, sendo a sua última atuação como CEO da joint-venture entre uma resseguradora global e um dos maiores grupos financeiro do Brasil.

“Estou muito honrado em trabalhar na Berkley, que é uma seguradora sólida financeiramente, íntegra e transparente. A Berkley tem uma ótima reputação no mercado e uma equipe altamente qualificada. Assumo com compromisso de dar continuidade a este trabalho de sucesso e que conquistou o respeito e reconhecimento de corretores e clientes”, comenta Calheiros. “Me identifiquei muito com a cultura, os valores e a forma que a liderança conduziu os negócios até o momento. Esses foram os principais motivos para aceitar este convite tão especial”, completa.

Para o executivo há ainda dois pontos importantes na sua chegada: com a pandemia, existe a necessidade de planejar o retorno dos colaboradores ao escritório, com o cuidado e segurança que o momento exige. Já olhando para os negócios, analisar as novas oportunidades, especialmente no médio mercado (middle market), para um crescimento rentável. “A Berkley possui todas as qualidades para se posicionar e se consolidar neste segmento, com um portfólio diversificado de produtos e linhas de negócio”, afirma.

Solange Vieira pode ser a próxima presidente do Banco do Brasil 1502

Superintendente da Susep está entre os cinco nomes cotados para assumir o cargo

De acordo com a CNN Brasil, a superintendente da Susep, Solange Vieira, está cotada para assumir a presidência do Banco do Brasil. A vaga está em aberto desde que Rubem Novaes renunciou ao cargo na última sexta-feira (24).

“A indicação do ministro da Economia, Paulo Guedes, é de que o próximo presidente do BB será alguém com um perfil “mais dinâmico e mais jovem” que Novaes, de forma a atender as mudanças e inovações do setor financeiro”, afirma a publicação.

Solange Vieira está à frente da Susep desde 2019. Outros nomes cotados são o presidente do Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Marcelo Serfaty, e três integrantes do staff do próprio Banco do Brasil: o vice-presidente VP Corporativo, Mauro Ribeiro Neto, o VP de Gestão Financeira e Relação com Investidores, Carlos Hamilton, e o atual presidente do Conselho de Administração, Hélio Magalhães.

Neo Executiva reestrutura processos com foco na inovação ao cliente 4620

Corretora de 11 anos conta com atuação nacional

A Neo Executiva está aproveitando, em todas as nuances possíveis a uma corretora do segmento, as novas oportunidades que se abrem em decorrência dos hábitos que vêm surgindo durante o distanciamento social, provocado pela pandemia do coronavírus. Por exemplo: o home office facilitou, de forma indireta, o pessoal da empresa a redesenhar as estruturas internas e a modernizar os processos de trabalho. Estando em isolamento social e resguardados, gestores e colaboradores passaram a pensar, em casa, na renovação dos fluxos da corretora.

Além disso, os temores e incertezas decorrentes da covid-19 mudaram o perfil do consumidor, no que diz respeito à percepção dele quanto à importância do seguro de vida para as famílias. E isso foi captado pela Neo Executiva, a qual, a partir dessa constatação, passou a deslanchar um projeto de inovação na prestação de serviços da empresa. “Inovação está presente em cada pensamento, em cada atitude, em cada projeto. Indico essa palavra como símbolo do momento da Neo, no sentido de fazer mais e melhor neste novo cenário. A empresa precisa transformar as novas demandas em entregas, as quais serão possíveis investindo em inovação”, destacam os diretores Julia Fetter Bueno e Luis Henrique Bueno.

O processo já começou, a partir do momento em que a Neo Executiva está fortificando a marca nas plataformas online e passou a atuar cada vez mais em vendas digitais. Em razão da pandemia, o digital se fortaleceu na empresa. “O distanciamento social foi muito duro para a área comercial, dado o perfil da diretoria e das equipes, que sempre gostaram do contato pessoal, do trabalho presencial, do aperto de mão a clientes e parceiros que trabalham nas seguradoras. As próprias viagens às filiais da corretora são motivo de saudades”, relata Julia, que enfatiza também que a adaptação ao trabalho remoto está ocorrendo de forma proativa e, inclusive, gerando frutos.

Os diretores anunciam que, em breve, todos os produtos oferecidos pela Neo Executiva vão estar disponíveis para vendas online. Esta ação responde à nova percepção de que o consumidor passou a ter a respeito do seguro de vida, que é “a coluna vertebral, a raiz das atividades da Neo”, mesmo esta sendo uma corretora plena.

“Sempre foi o tendão de Aquiles, o pouco valor que o consumidor dava ao seguro de vida. Mas isso está mudando como efeito da pandemia. As pessoas estão pesquisando mais sobre seguros de pessoas. Ainda isso não se converteu 100% em compras. Mas essa nova mentalidade das pessoas precisa entrar no radar do corretor de seguros, que tem que ter essa sacada de transformar o cenário de temor e incerteza em oportunidades”, afirmam. “Cabe ao corretor de seguros instigar o cliente a transformar este medo em atitude. E a atitude a ser buscada é o proteger, o recorrer ao seguro de vida como forma de proteger a família e o patrimônio das pessoas”, complementam.

A Neo Executiva foi fundada em 2009, em Porto Alegre, estando expandida hoje para filiais em São Paulo, Florianópolis, Recife e Maceió. A empresa se especializou em seguro de pessoas, trabalhando com foco em apólices coletivas, em parceria com entidades de classe, como sindicatos, associações e cooperativas. A nova fase, que está em momento avançado, vai digitalizar todos os processos de compras dos produtos da empresa, de modo a atender, de forma personalizada, os anseios dos clientes, cada vez mais exigentes.​