Como evitar o contágio do coronavírus por meio de cédulas e moedas? 841

Startup de finanças dá dicas de higienização e comenta como substituir a moeda comum por troco digital

O avanço de casos confirmados no país aumenta o número de questionamentos sobre a doença. Por isso, o cuidado para prevenir o contágio do coronavírus deve ser maior. Assim como lavar as mãos e cobrir nariz e boca ao tossir e espirrar, outras medidas podem ajudar a evitar a propagação do novo vírus.

Muitos estados decretaram situação de emergência exigindo o fechamento de alguns comércios e estabelecimentos. Mas ainda permanecem abertos mercados, farmácias, padarias, postos de combustível e outros serviços essenciais. Durante o pagamento de uma compra, uma nota ou qualquer moedinha, pode transformar essa simples ação em problema de saúde. Vale lembrar que a transmissão da doença ocorrer por contato com pessoas infectadas ou superfícies que tenham o vírus.

Nesse caso, as cédulas de papel e a moedas podem transmitir uma série de bactérias e não apenas o coronavírus. Pensando nisso, a Troco Simples – criadora de uma tecnologia que reverte as moedas comuns de troco em moedas digitais para facilitar a vida dos varejistas separou algumas dicas sobre higienização e cuidados no manuseio do dinheiro.

Lavar as mãos com água e sabão ou utilizar álcool em gel

Um dos hábitos mais simples e eficientes que podemos adotar ao manusear o dinheiro é higienização das mãos. Após o contato com cédulas e moedas é preciso evitar esfregar os olhos, colocar a mão na boca e nariz. Nesse caso, o álcool em gel é eficaz para reduzir o risco de infecções, assim como lavar a mão com água e sabão, ambos previnem o coronavírus. O ideal é sempre higienizar as mãos o quanto antes depois do contato com o dinheiro.

Mudar hábitos comuns durante contato com dinheiro

Muitas pessoas têm o hábito de contar dinheiro passando o dedo na língua. A ação é extremamente prejudicial a saúde, a partir do momento que você molha o dedo na boca e conta o dinheiro facilita a entrada de bactérias e vírus no organismo. Além disso, o fato da saliva entrar em contato com as cédulas, aumenta a quantidade de agentes maléficos nesses itens. Por isso é preciso redobrar a atenção durante saques de dinheiro em caixas eletrônicos, ao pagar contas, comprar produtos ou qualquer outra tarefa que envolva a conferência de dinheiro.

Usar alternativas às cédulas e moedas

Para reduzir os riscos e garantir mais segurança contra infeções e a contaminação por coronavírus, ao efetuar uma compra presencialmente em comércios e estabelecimentos a utilização de cartão de crédito ou débito evitam o contato com cédulas e moedas. Além disso, por ser de plástico o cartão tem uma higienização mais prática. Segundo Anderson Locatelli, diretor executivo da Troco Simples outra opção durante as transações é aceitar solicitar o troco digital. “A solução permite receber a moedinha de troco diretamente no CPF do comprador. É possível também fazer o pagamento das próximas compras com o valor acumulado evitando o contato total com o dinheiro”, explica.

Prevcom promove vacinação de funcionários e seus familiares contra os vírus Influenza A e B 445

Fundação colocou todas as equipes em regime home office e adotou medida adicional para reforçar a imunidade de seus colaboradores durante o período de confinamento

A Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (Prevcom), instituição responsável pela gestão dos planos de previdência complementar dos servidores estaduais, promoveu a aplicação da vacina quadrivalente contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e Influenza B (cepas Victoria e Yamagata) em seus funcionários e familiares. A iniciativa adicional integra o conjunto de ações coordenadas pela Diretoria Executiva para proteção de seus colaboradores durante o período de confinamento.

A Fundação adotou as medidas recomendadas pela Organização Mundial de Saude (OMS) e, desde o dia 23, todas as equipes trabalham em sistema home office. As atividades da instituição seguem normalmente com os funcionários operando por meio de acesso remoto à base de dados, com suporte da área de Tecnologia da Informação. As reuniões programadas serão realizadas por vídeo conferência.

A entidade se estruturou para dar suporte aos servidores inscritos nos planos de previdência complementar pelo canal participante@prevcom.com.br. O atendimento presencial foi temporariamente suspenso.

BB Seguros anuncia indenização integral em caso de morte por Covid-19 597

Definição se sobrepõe à cláusula contratual de exclusão de pandemia, em caráter excepcional, visando minimizar os impactos à sociedade

A BB Seguros informou que pagará indenizações em caso de morte decorrente de infecção pelo novo coronavírus, conforme os valores previstos nas apólices de seguros de vida.

A definição se sobrepõe à cláusula contratual de exclusão de pandemia, em caráter excepcional, visando minimizar os impactos à sociedade. “Neste momento tão delicado, a certeza de estar protegido traz a tranquilidade necessária para encarar ocasião tão desafiadora para a sociedade brasileira”, afirma Ivandré Montiel, presidente da Brasilseg, uma empresa BB Seguros.

A empresa continua monitorando a situação com toda atenção, e analisando todas as medidas que possam contribuir para que as pessoas vençam este período.

Confira as seguradoras que decidiram não aplicar cláusula de exclusão 1016

Cláusulas de exclusão eram relacionadas à epidemias e pandemias, como a do coronavírus

Nesta segunda-feira, dia 30, a Fenacor divulgou uma carta aberta ao mercado segurador e à imprensa, manifestando o seu agradecimento às seguradoras que não aplicaram as cláusulas de exclusão nos contratos de seguros de vida relacionados à epidemias e pandemias. Em nota, a Federação afirmou que o momento é de solidariedade e que a ação demonstra que o setor segurador está pronto para garantir a proteção de vida e de saúde de todos.

Segundo a publicação, já aderiram a não aplicação das cláusulas de exclusão, as companhias: Caixa, Chubb, Icatu, Liberty, MAG, MetLife, Previsul, Prudential e Sura. Ao final, a Fenacor pediu para que outras seguradoras atuem da mesma forma, oferecendo respostas rápidas e eficazes às pessoas afetadas por essa pandemia e aos seus familiares.

Confira na íntegra a carta aberta divulgada pela Fenacor:

“A Fenacor vem a público elogiar e manifestar seu agradecimento às seguradoras que, em defesa da população brasileira e cumprindo a principal missão que cabe ao nosso mercado – a de proteger e amparar as pessoas em todos os momentos – decidiram não aplicar, principalmente nos contratos de seguros de vida, cláusulas de exclusão ou restritivas de direitos relacionadas às epidemias ou pandemias, permitindo, assim, a ampla cobertura para eventuais casos de sinistros em decorrência do coronavírus (Covid-19). Até o momento, já adotaram essa posição as seguintes companhias: Caixa, Chubb, Icatu, Liberty, MAG, MetLife, Previsul, Prudential e Sura.

O momento é de ampla solidariedade e a ação efetiva do mercado de seguros demonstra que o nosso setor está pronto para, mais uma vez, comprovar o quanto é relevante como pilar do processo de desenvolvimento do País, garantindo a proteção da vida e da saúde de todos.

Por fim, a Fenacor concita as demais seguradoras a assumirem esse mesmo compromisso de oferecer respostas rápidas e eficazes às pessoas afetadas por essa pandemia e aos seus familiares. Pois, o foco de todos nós, neste momento de crise, deve ser direcionado para o bem estar da população e para a proteção da saúde e da Vida.

A hora é agora. Vamos nos orientar pela responsabilidade social e nos deixar contaminar pela solidariedade em primeiro lugar. Não temos tempo a perder!”

Clube de Vantagens Bradesco Seguros oferece ofertas especiais para beneficiar os clientes neste período 834

Confira lista de produtos e serviços com descontos na plataforma Clube

O Clube de Vantagens Bradesco Seguros, plataforma que oferece ao segurado cadastrado descontos em diversos produtos e serviços, negociou novas ofertas para compras online/delivery para serem utilizados durante a quarentena. As promoções englobam diferentes segmentos, como farmácias, restaurantes, eletrodomésticos, suporte fitness à distância entre outros.

O Grupo Bradesco Seguros e as empresas parceiras do Clube oferecem promoções para que os consumidores economizarem sem precisar sair de casa. Para usufruir dos descontos, basta ser cliente da Bradesco Seguros nos grupos de Previdência, Vida, Residencial, Saúde, Dental, Capitalização ou Cartão de Crédito e se cadastrar no site Clube de Vantagens. A plataforma também pode ser acessada via smartphone, por meio do aplicativo da Bradesco Seguros.

Confira os principais descontos e acesse todos os benefícios disponíveis no site ou aplicativo

Petróleo cai ao menor nível em 18 anos, com previsão de queda de 25% na semana 832

Contratos chegaram a ser vendidos abaixo de US$ 20 o barril em Nova York

Os contratos futuros do petróleo caem às mínimas de 18 anos, com a referência americana da commodity, o WTI, chegando a perder temporariamente o nível dos US$ 20.

A Casa Branca anunciou no domingo que estenderá as suas recomendações de distanciamento social até o fim de abril, com o número de casos confirmados nos EUA ultrapassando hoje os 140 mil. A mudança de postura contrasta com comentários anteriores do presidente americano, Donald Trump, de que ele queria reabrir partes da economia até a Páscoa.

“Está bem claro que o próximo trimestre, pelo menos, será extremamente ruim”, disse Oliver Jones, economista de mercados da Capital Economics, à Dow Jones Newswires. “Veremos algumas contrações extremamente acentuadas na atividade econômica de muitas economias avançada. É algo histórico”, afirmou.

A perspectiva de uma paralisação mais extensa da economia aumenta ainda mais a pressão sobre o petróleo, que tem sido fustigado também por uma guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia.

Este não é apenas um dos maiores choques econômicos de que tem memória, “mas as indústrias de combustíveis fósseis, como o petróleo, estão também em dificuldades, pois historicamente serviram como pedra angular das interações sociais e da globalização, cuja prevenção é agora a principal defesa contra o coronavírus”, disse Jeffrey Currie, executivo do Goldman Sachs, à Dow Jones.

Currie diz que o petróleo vai sofrer um impacto duas vezes maior do que o da atividade econômica, “com a demanda recuando esta semana, caindo 26 milhões de barris por dia, ou 25%”.

Há pouco, o contrato do petróleo WTI para maio operava em queda de 5,95%, a US$ 20,23 por barril, depois de tocar a mínima intradiária de US$ 19,85 mais cedo. O contrato do Brent – a referência global – para o mesmo mês recua 11,07%, a US$ 22,07 por barril.

Apesar das perdas acentuadas do petróleo, porém, os índices acionários globais retomam a recuperação anotada na semana passada, impulsionada pelas medidas de política monetária e fiscal, incluindo um enorme pacote de estímulos de US$ 2 trilhões anunciado pelo governo americano. No Brasil, por exemplo, apesar do Brent (referência mundial) cair 11%, as ações mais negociadas da Petrobras subiam 1,50%, às 14h24.

Os mercados entraram em uma nova fase na sua resposta à pandemia, disse James McCormick, estrategista da NatWest Markets. Depois que os governos e bancos centrais tomaram passos extraordinários para proteger as pessoas e o sistema financeiro em março, os investidores estão agora tentando avaliar o impacto econômico da piora da pandemia e a efetividade dos pacotes de estímulos sendo oferecidos.

“Em abril vamos entender um pouco mais do impacto sobre o crescimento e estaremos esperando por alguns sinais de um achatamento das curvas de infecção e de mortalidade”, disse o economista.