Campanha de Páscoa da Zurich e Z Zurich Foundation auxilia 25 mil pessoas 953

Projeto arrecadou R$ 22.375,00 desde lançamento da campanha no início de abril

Para minimizar o impacto da disseminação do vírus e contribuir com a higiene pessoal, a Zurich incentivou a doação de produtos de prevenção (sabonete líquido antisséptico, álcool em gel antisséptico e máscara respiratória-n 95) para que as famílias beneficiadas pelas ONGs apoiadas pela seguradora se mantenham protegidos.

O projeto, chamado Páscoa em Ação, integra um conjunto de ações sociais da Zurich e Z Zurich Foundation relacionadas ao Coronavírus, e arrecadou R$ 22.375,00 desde lançamento da campanha no início de abril. Ao aderir à ação, os participantes escolheram no site (https://zurichsolidaria.abraceumacausa.com.br) um item de higiene pessoal que tinha um valor correspondente a ser doado. E, para cada R$ 1,00 arrecadado, a Z Zurich Foundation doou mais R$1,00.

Serão beneficiadas pelos recursos financeiros as famílias assistidas pelas ONGs Somar, GRAACC, Locomotiva, Olga Kos e Hurra! e o IPPE (Instituto de Pesquisas e Projetos Empreendedores). Com esta campanha, o objetivo da Zurich e Z Zurich Foundation é auxiliar diretamente 25 mil pessoas.

Cláudia Leite assume a Diretoria Comercial de Saúde e Benefícios da MDS Brasil 359

Claudia Leite Silva é a nova Diretora Comercial de Saúde e Benefícios da MDS Brasil / Divulgação

Profissional lidera equipes há 20 anos com possui habilidades de comunicação e desenvolvimento de pessoas

A MDS Brasil, uma das principais corretoras do País no segmento de seguros, resseguros, gestão de benefícios e consultoria de riscos, anuncia a contratação de uma nova executiva para compor o seu time. Claudia Leite Silva assume a Diretoria Comercial de Saúde e Benefícios (Health & Benefits).

Claudia, que já está há 20 anos liderando equipes, possui habilidades de comunicação e desenvolvimento de pessoas. A executiva trilhou uma sólida carreira em empresas do Mercado Financeiro, de Serviços, Comunicação e Saúde, e também tem experiência em gestão de equipes de vendas, gestão comercial de carteiras e negociações com clientes e parceiros.

Ariel Couto, CEO da MDS Brasil e Americas Regional Manager da Brokerslink, disse que a nova executiva contribuirá para a consolidação de projetos que visam a agregação de soluções inovadoras à Gestão de Saúde e Benefícios. “O mercado tem exigido pessoas cada vez mais capacitadas e que estejam atentas às tendências e transformações. Claudia terá uma grande missão e, com certeza, por conta de sua expertise, vai gerar muitas oportunidades de negócios para a MDS Brasil”, afirma.

Gustavo Quintão, Vice-Presidente de Saúde e Benefícios da MDS Brasil, explica que Claudia vai atuar com indicadores a fim de identificar fatores de risco, tendências e comportamentos e, assim, desenvolver um conjunto de soluções customizadas de acordo com as demandas do mercado. “Claudia fará um trabalho diferenciado nesta importante frente de atuação. Sua experiência como líder e contato em outras grandes empresas são fundamentais para este sucesso”, afirma.

“Estou muito honrada em compor o time da MDS Brasil e acredito que teremos bons resultados nos negócios da empresa. Os 20 anos que passei liderando e motivando outras pessoas a alcançarem objetivos são a minha principal bagagem e, sem dúvida, serão fundamentais para a concretização deste novo desafio”, conclui Claudia Leite.

CCG Saúde inaugura clínica no Shopping Bourbon Wallig 6972

Nova unidade foi preparada para atendimentos de baixa complexidade

Filipe Tedesco/JRS
Filipe Tedesco/JRS

A nova clínica do CCG Saúde, localizada no Shopping Bourbon Wallig, na Zona Norte da Capital dos gaúchos já está funcionando. Pensado para atendimentos de baixa complexidade, o novo espaço, de 600 metros quadrados, prevê receber em torno de 350 pacientes por dia e 250 pessoas diariamente no laboratório Marques D’Almeida, marca própria do CCG, instalado no segundo andar.

O empreendimento de R$ 1,7 milhão, faz parte do plano de expansão traçado pela empresa, e conta com serviços de atendimento clínico, infantil e até mesmo com consultórios bem equipados de psicologia. “A clínica conta com atendimentos por ordem de chegada para clínico e pediatra, e também com especialidades com agenda marcada”, comenta a gerente de marketing do CCG Saúde, Mariana Rossari.

Além disso, a nova operação está em local estratégico, uma vez que a unidade localizada na Avenida do Forte está encerrando as suas atividades e a clínica do Wallig passa a atender a demanda de porto-alegrenses que moram na Zona Norte da cidade. “Escolhermos estar dentro do shopping pelas questões de segurança, conveniência e conforto para os nossos usuários”, destaca.

Aos corretores de seguros, a executiva destaca que é o CCG é um plano de saúde verticalizado e, por isso, é, também, acessível. “Fiquem atentos ao CCG, ofereçam aos seus clientes. Pois, além de ser acessível, em breve teremos o Hospital Humaniza em Porto Alegre e conseguiremos ter toda cadeia de atendimento dentro de casa”, finaliza.

Doadores de sangue podem ganhar um Seguro de Acidentes Pessoais 916

Doadores de sangue podem ganhar um Seguro de Acidentes Pessoais

Campanha “Heróis existem na vida real” é promovido pela ZL Brasil Corretora de Seguros

A ZL Brasil Corretora de Seguros lançou nesta quarta-feira (25), Dia Nacional do Doador de Sangue, a campanha “Heróis existem na vida real”. Válida até o dia 04 de dezembro de 2020, a iniciativa dará um Seguro de Acidentes Pessoais para quem é doador.

Gostou? Para participar é muito simples, basta enviar uma foto do comprovante de doação para o e-mail contato@zlbrasilseguros.com.br. O Seguro AP tem validade de um ano.

Divulgação
Divulgação

Distribuída em 3 unidades: Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC) e São Paulo (SP), a ZL Brasil Corretora de Seguros conta com um time de profissionais altamente capacitados, com mais de 10 anos de experiência em seguros, para atender e assessorar, desde a contratação até a utilização de produtos do mercado segurador.

Regina Lacerda é coordenadora e coautora do livro Mulheres no Seguro 425

A corretora de seguros Regina Lacerda, proprietária da Rainha Corretora de Seguros / Divulgação

Corretora de seguros há 30 anos, quando pediu exoneração do judiciário do Distrito Federal para se dedicar à missão de proteger, a executiva é referência no cenário nacional, especialmente no empreendedorismo feminino

A corretora de seguros Regina Lacerda, proprietária da Rainha Corretora de Seguros, sediada há 30 anos em Brasília-DF, é a responsável pela publicação que tem dado o que falar no setor. O livro Mulheres no Seguro terá lançamento oficial no dia 25 de novembro, pela editora Leader, mas já está à venda em livrarias online.

A editora Leader criou uma série de publicações sobre mulheres empreendedoras em diversos setores, e para desenvolver o trabalho sobre a ascensão feminina nos seguros convidou Regina Lacerda. Foram selecionadas mulheres com papel de destaque no setor em todo o Brasil para apresentarem suas histórias inspiradoras, e a obra demorou um ano para ser concluída. “Fizemos uma grande pesquisa de nomes para compor o livro, iniciamos com 200 para chegar às 30 coautoras finais. Foi um grande trabalho, e consegui realizar, mesmo com minha rotina agitada, pela estrutura montada pela editora, o que me deu muita tranquilidade e permitiu que a obra tivesse um aspecto editorial muito denso e profissional – este é um dos melhores livros do segmento feminino no Brasil”, garante Regina.

O trabalho foi coroado com a participação da escritora Lya Luft como prefaciadora. “Foi justamente por se tratar de um trabalho dedicado e de qualidade que uma escritora de renome como Lya Luft aceitou nosso convite”, comemora.

Com uma inspiradora trajetória profissional, Regina Lacerda também é uma das 30 coautoras. Seu capítulo é o primeiro, intitulado “O mercado abre as portas para a feminilidade”, onde ela conta sua história. Carioca, chegou a Brasília aos 12 anos de idade, na década de 70, com os pais e cinco irmãos para ajudar a construir a cidade. “Para o meu pai, servidor público, foi um marco chegar em Brasília. Como a cidade gira em torno do serviço público, eu também desejei essa atuação e aos 18 passei no concurso para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal”. Exerceu sua atividade no judiciário por 10 anos, quando conheceu a área de seguros, em 1988, através do convite de um amigo para atuar como inspetora de produção da Sasse, seguradora da Caixa, que estava abrindo seu escritório em Brasília. Regina pediu uma licença sem vencimentos e trabalhou por dois anos lá, onde conheceu e se apaixonou pela missão de proteger.

Habilitou-se corretora de seguros em 1989, quando a então Funenseg levou o curso a Brasília, com professores do Rio de Janeiro. “Meu diretor na Sasse me aconselhou a fazer, disse que era uma oportunidade única, pois não saberíamos quando haveria nova turma. Eu estava no último semestre de pedagogia, precisei trancar a faculdade para focar no curso de corretora, uma das poucas mulheres estudando seguros na época”. O envolvimento foi tamanho que ela pediu exoneração do cargo público vitalício para se dedicar a empreender como corretora de seguros, e hoje a Rainha Seguros é referência não apenas em Brasília, mas em todo o Brasil.

A atual Escola de Negócios e Seguros (ENS) convidou Regina para ser testemunho de credibilidade na campanha “Seguro, uma vocação da mulher” que visibilizou quatro mulheres do Brasil que eram referência na profissão. Essa campanha foi realizada em 1993 e circulou em todas as revistas femininas nacionais à época, incluindo a Domingo, do Jornal do Brasil, e a Veja. A partir daí o tema empreendedorismo feminino começou “a seguir” Regina. “Não fui eu quem levantou essa bandeira, há mais de duas décadas, foi esse tema que me chamou para ser porta-bandeira dele”, diz.

“O livro Mulheres no Seguros é formado por mulheres apaixonadas pelo seguro. O convite para coordenar o trabalho caiu no meu coração de forma especial, tive um sentimento tão forte de pertencimento ao setor, que aceitei de pronto, com muito prazer e muita responsabilidade”, conta.

Regina é corretora de seguros, pedagoga, pós-graduada pela FGV em Administração Pública, teóloga e pós-graduada em Ciência da Religião. É acadêmica titular da Academia de Letras e Música do Brasil. Além de coordenadora do trabalho e uma das 30 coautoras, Regina também fez o texto de introdução, onde destaca que não há limite para as mulheres. “Segundo o mais recente Estudo de Mulheres no Mercado de Seguros no Brasil, realizado pela ENS, atualmente as mulheres compõem 55% do setor de seguros. Já somos maioria no setor em geral, mas em cargos de liderança ainda estamos desbravando. Nosso objetivo é que todas essas mulheres, que já são mais do que homens, possam ocupar cargos de lideranças e, assim, construir um mercado de seguros mais igualitário”.

Em 2014 recebeu convite para ser candidata a deputada estadual pelo Distrito Federal e hoje Regina é deputada distrital suplente pelo PODEMOS. Nesse momento está também fundando o CESB – Clube de Executivas de Seguros de Brasília, do qual será a presidente.

Além do livro Mulheres no Seguro, Regina escreveu sua história recentemente no livro “Empreendedoras de Alta Performance – Brasília” com a participação de outras 29 empresárias de sucesso da cidade, de segmentos diferentes. Regina foi a única representante da área de seguros no livro.

Mulheres do Seguro

O livro “Mulheres no Seguro” será lançado pela editora Leader no dia 25 de novembro, às 19 horas, pelo canal no YouTube. A obra, indo além da história do seguro, chama atenção para outra questão que precisa ser discutida: a equidade de gênero.

Com 30 depoimentos femininos, apresentando o perfil de executivas que atuam neste setor, nas principais cidades brasileiras, o livro promove amplo debate sobre o assunto. As 30 coautoras são: Regina Lacerda, Alessandra Monteiro, Andrea Mathias, Camila Davoglio, Carolina Vieira, Daniela Paschoal, Ellen Oliveira, Enir Junker, Eva Vazquez, Fabiana Resende, Francesca Bianco, Gisele Christo, Graziella Castilho, Guadalupe de Andrade, Isabel Alves Azevedo, Isabel Barbosa, Liliana Caldeira, Linda Bessa, Margo Black, Patrícia Campos, Paula Lopes, Rosana Techima, Rossana Costa, Simone Cristina Fávaro, Simone Ramos, Simone Vizani, Solange Guimarães, Stephanie Zalcman, Vanessa Capua e Vanessa Rocha.

Ficha técnica

Título: Mulheres do Seguro
Lançamento: 25 de novembro, 19 horas, organizado pela TV Gestão RH
Editora: Editora Leader
ISBN: 978-65-88368-11-4
Páginas: 360
Formato: 22,8 x 15,4
Preço: R$ 69,90
Vendas virtuais: Submarino, Americanas.com, Shoptime, Extra, Casas Bahia, Ponto Frio e Amazon
Vendas físicas: Saraiva, Cultura, Travessa, Livraria da Vila, Martins Fontes, Livrarias Curitiba

Evento online apresentou oportunidades de negócios em microsseguros 820

O fundador da Educa Seguros, Anderson Ojope; e o presidente da Associação Nacional das Microsseguradoras, Edson Calheiros / Divulgação

Conferência foi promovida pela ANM em parceria com a Educa Seguros

Exatos 1.011 profissionais do setor de seguros participaram ontem (24) da I Conferência Nacional de Microsseguros, evento online realizado pela Associação Nacional das Microsseguradoras (ANM), em parceria com a Educa Seguros.

Edson Calheiros, presidente da ANM, é um estudioso de microsseguros desde 2007, diretor da ALM Seguradora desde 2014, sendo ela uma das primeiras microsseguradoras do Brasil. A ANM foi criada em 2016 com o objetivo de fortalecer os pleitos das microsseguradoras junto ao órgão regulador e ao mercado segurador. Para ele, o microsseguro no Brasil pode ser um instrumento de poupança interna para a população de baixa renda. “É considerado um seguro inclusivo, que tem como característica a inclusão dessas famílias no planejamento financeiro, não garante fortuna e sim a subsistência”, explicou.

Anderson Ojope, fundador da Educa Seguros, reafirmou o propósito da empresa de levar conhecimento sobre oportunidades de negócios ao mercado. “O microsseguro pode ser uma grande oportunidade de negócios para os corretores de seguros, apesar do baixo ticket na venda, ela é vantajosa de duas formas: pela possibilidade de vendas em massa (já que atinge a maior parte dos brasileiros) e pelo aculturamento da sociedade, como uma forma de penetração do setor para quem ainda não contrata seguros”.

Durante todo o dia o evento contou com a participação de José Luis Ferreira da Silva, diretor Geral da CG do Brasil e diretor da ANM, mediando os painéis. “O microsseguro evoluiu graças à tecnologia que tornou a contratação simples, imediata e a baixo custo, permitindo vislumbrar canais de distribuição massificados como no relacionamento com fintechs, cooperativas, sindicatos, clubes, lojas de varejo e tantas outras possibilidades para aqueles corretores de seguros que buscam desenvolver seus negócios transformando o mercado e cumprindo o papel de protetores da sociedade”.

Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP, também abordou a importância da tecnologia para a viabilização do produto no painel “Sucesso na distribuição de Microsseguros”. “A tecnologia pode ajudar nas oportunidades, especialmente na distribuição de um produto de ticket baixo, de busca de um custo administrativo que seja viável, uma remuneração que sustente a operação. A comissão do microcrosseguro não é baixa se tiver uma visão da distribuição, uma ação coletiva, focada. Não é um produto para ser vendido de porta em porta, um a um, mas pode apresentar uma belíssima remuneração dependendo da estratégia e ação desenvolvidas”, ressaltou.Enio Miraglia, diretor da Milenium Consultoria, também mostrou como a tecnologia e a regulamentação estão prontas que o corretor opere este produto.

No painel “O início do Microsseguro no Brasil”, estiveram Armando Vergílio, presidente da Fenacor; Solange Beatriz, diretora de Relações de Consumo e Comunicação da CNSeg e Marcello Bittencourt, procurador do Governo Federal. “Os microsseguros, ou seguros inclusivos, têm enorme relevância para o amparo e proteção desse segmento da sociedade, ainda mais agora diante da nova ordem que surge a reboque da pandemia”, garantiu Armando Vergílio. Solange Beatriz lembrou que a Susep estuda novo marco normativo centrado em flexibilidade e vantagens regulatórias. “O Sandbox e as regras de proporcionalidade são contribuições indiretas para o microsseguro. Da mesma forma, insurtechs poderão agregar valor com soluções que reduzam custos”. Marcello Bittencourt apontou que os corretores de seguros poderão contratar como prepostos milhares de jovens das Classes C, D e E para a venda em comunidades e igrejas dessa importante modalidade de proteção financeira que é o microsseguro.”

Falaram sobre “O Microsseguro no mundo”, Camyla Fonseca, técnica de Capacitação em Seguros Inclusivos da Organização Internacional do Trabalho (OIT); Pedro Pinheiro, superintendente de Relações de Consumo e Sustentabilidade da CNSeg; Katharine Pulvermacher, diretora Executiva da Microinsurance Network; e Eugênio Velasques, presidente da Comissão de Seguros Inclusivos da CNseg.

“A regulação de produtos de microsseguros no Brasil” foi apresentada por Bento Zanzini, diretor da Psychonomics Consultoria Empresarial; Drª Angélica Carlini, advogada de seguros; e Fabio Izoton, presidente do CCS-RJ.

Já no painel “O papel das Microsseguradoras no Brasil” estiveram Márcio Carvalho, diretor da Capemisa Capitalização; David Novloski, diretor Comercial da Sudaseg; Rogério Bruch, representante da Oxxy Seguros; Newton Queiroz, CEO da Argo Seguros; Aldo Faleiro, diretor da Equatorial Seguradora; e Ronaldo Marques, diretor Executivo Comercial RJ/ES da Icatu Capitalização.

Patricio Neto, Head Of User Experience Design da Caixa Seguradora, trouxe os desafios dos Microsseguros num cenário de macro mudanças.

Foram apresentados cases de sucesso no desenvolvimento dos microsseguros “PASI e o seu papel social”, por André Araújo (gerente de Relações Institucionais do PASI); “Com essa bike você vai longe”, por Amilcar Vianna (fundador da Wosi), “Sucesso de vendas com Microsseguros”, por Ricardo Campos (diretor da WRX); e o case da Segna, por Silvio Guedes (diretor Comercial da Segna).

Para descontrair, duas breves apresentações motivacionais feitas por Daniel Lascani, jornalista, autor do portal Carreira & Sucesso, em “Doses de inspiração”.

Para Anderson Ojope, foi atingido o objetivo de despertar o interesse e ampliar o conhecimento sobre os microsseguros junto aos corretores de seguros e demais profissionais do mercado. “O microsseguro é importante para todas famílias que não têm o princípio do seguro como educação financeira, não somente as de baixa renda. A ideia é mostrar para os corretores de seguros que o microsseguro pode ser uma ferramenta de educação”.

Todos os vídeos poderão ser acessados no canal da ANM no YouTube.

*Com edições de Redação JRS.

New Report

Close