Futurologista prevê como o Coronavírus vai mudar a vida da população mundial 1399

Ray Hammond é futurologista / Divulgação

Estudo aborda como a residência, a saúde, a mobilidade e as viagens podem evoluir em 2021

Com o fim da pandemia global – previsto para dezembro de 2020¹ -, surgirá uma nova maneira de viver e o mundo, com certeza, será muito diferente. Tendo em vista antecipar algumas mudanças que moldarão essa nova realidade, a Allianz Partners, líder em assistência 24 horas e seguro viagem, produziu, em parceria com o Futurologista Ray Hammond, o relatório “Life after Covid-19”.

Dividido em quatro categorias – casa, saúde, mobilidade pessoal e viagens -, o conteúdo exclusivo traz os seguintes destaques:

  • Casa: as residências não serão mais um lugar para passar apenas noites e fins de semana, elas se tornarão uma fortaleza digital multifuncional;
  • Saúde: a tecnologia digital para a saúde será a norma, incluindo a telemedicina e incentivando a rápida adoção de tecnologias vestíveis, que são dispositivos inteligentes utilizados como um acessório (relógios, pulseiras ou até mesmo óculos de realidade virtual);
  • Mobilidade pessoal: as viagens rodoviárias voltarão aos níveis normais e as principais cidades do mundo continuarão reorganizando a infraestrutura para estimular o uso da micromobilidade;
  • Viagens: medidas rigorosas de saneamento serão adotadas em todo o setor de lazer e turismo e as viagens aéreas de lazer provavelmente voltarão aos níveis pré-COVID-19 somente após alguns anos. 

Que são melhor detalhados abaixo:

  1. A casa assume uma dimensão completamente nova

A Covid-19 acelerou o futuro das casas e deu a elas um novo papel. Embora o trabalho em casa tenha sido uma exceção antes da pandemia, ela se tornará cada vez mais normal para os empregos que a permitem. O lar, portanto, se tornará mais do que apenas um local de lazer, será um centro de trabalho. Isso incluirá seu uso crescente para profissões como personal trainer, locutores de rádio e psicoterapeutas. Além disso, a residência se tornará um centro de aprendizado, pois os universitários terão cada vez mais probabilidade de passar um semestre ou dois na casa dos pais.  A casa do futuro também será transformada em uma fortaleza digital com sensores inteligentes, e até mesmo monitoramento integrado de saúde, como equipamentos e aplicativos de diagnóstico eletrônico, que permitirão a segurança e a independência dos moradores.

No futuro, será um local em que poderemos obter atendimento médico e acomodar equipamentos e serviços para idosos. A longo prazo, algumas famílias poderão escolher criar espaço em casa para cuidar de um membro da família que necessite de cuidados específicos. Além disso, será possível realizar conexões de vídeo para permitir que as pessoas vulneráveis sejam tratadas remotamente pelos profissionais de saúde, no conforto de sua própria casa.

  1. Os cuidados de saúde terão que responder a novas expectativas

As sociedades reformadas que emergirão da pandemia de 2020 estarão mais sábias e muito mais preparadas para lidar com qualquer novo risco à saúde pública. A opinião pública exigirá mais gastos com saúde por parte dos governos, e os países localizarão cada vez mais cadeias de suprimentos médicos para garantir acesso rápido a medicamentos e equipamentos.

Médicos e pacientes continuarão, na medida do possível, a realizar consultas de rotina remotas e online, pois a entrega digital de serviços e informações médicas tem o potencial de aliviar as imensas filas dos sistemas de saúde. Durante a crise da Covid-19, além de permitir consultoria e apoio aos pacientes, a telemedicina também ajudou a impedir a propagação do vírus, reduzindo o número de pessoas que visitam clínicas e hospitais. A tecnologia se tornará habitual com a rápida adoção de tecnologias vestíveis.

Com a chegada da pandemia e o subsequente isolamento social, o número de pacientes que relataram problemas de saúde mental, como tristeza, aumento da ansiedade e depressão, aumentou drasticamente. Os profissionais de saúde mental também têm feito uso considerável de aconselhamento remoto, o que permite um melhor acompanhamento médico a longo prazo para aqueles que mais sofrem.

Prevê-se que as consequências da saúde mental durem mais que a própria pandemia; é muito provável que os profissionais continuem a usar as consultas por vídeo em sua combinação de métodos de tratamento no futuro.

  1. Uma mudança em direção no compartilhamento e mobilidade flexível

Embora o uso de “máscaras inteligentes²” permita identificar as pessoas doentes, o volume de passageiros nos trens será reduzido e muitas pessoas vão repensar suas viagens. Durante os lockdowns, as pessoas descobriram que podiam pedir suas compras ou outros itens de compras online com facilidade e rapidez. Muitos trabalhavam em casa e agora se perguntam se faz sentido possuir um carro. É provável que isso acelere a tendência de aluguel de carros a curto prazo, e não a posse de carros, e provavelmente aumente o número de pessoas que utilizarão o modelo de compartilhamento de carros.

Nos últimos meses, milhares de quilômetros de ciclovias foram construídas em cidades que estão sendo fechadas ao trânsito. Viajantes de todo o mundo adotaram massivamente a bicicleta à medida que emergem dos meses de isolamento social. Isso terá um impacto positivo no uso de novos modos de micromobilidade, como bicicletas, bicicletas elétricas, patinetes e scooters (compartilhadas e próprias) que podem levar as pessoas para diversos lugares e ainda evitar o uso de transporte público, ajudando a reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa e melhorando a qualidade do ar.

Ao mesmo tempo, as autoridades precisarão fornecer pontos de carregamento, criar mais ciclovias e regular o uso para garantir que os motociclistas estejam seguro, respeitem os limites de velocidade, usem capacete e tenham responsabilidade pelos itens de mobilidade compartilhada. Com o aumento do uso e por ser um equipamento compartilhado, os fornecedores precisarão garantir a segurança de todos e fornecer regras de higiene e dicas de seguranças básicas. 

  1. A experiência de viagem nunca mais será a mesma 

A Covid-19 tem sido um verdadeiro ponto de virada para a indústria de viagens: aviões permanecem aterrados, serviços de trem reduzidos, navios de cruzeiro não puderam atracar por causa de passageiros infectados e restaurantes e hotéis tiveram que fechar por causa de medidas sanitárias. O período pós-pandemia abrirá uma nova era de precaução com menos espontaneidade e mais proteção contra o vírus.

Prevê-se que o transporte aéreo de curta distância e as viagens aéreas domésticas se recuperem primeiro, mas os viajantes mudarão de comportamento, incluindo máscaras durante toda a jornada e os abraços e beijos de despedidas dos familiares serão fora do aeroporto. Em alguns casos, pontes de embarque, ou ponte telescópica para aviões serão usadas como um “túnel desinfetante”. As companhias reduzirão as malas da cabine para acelerar o embarque e reduzir o risco de contaminação, além de diminuir os serviços de bordo.

Os mais afetados certamente serão a indústria de cruzeiros, pois ninguém tem uma visão clara de como eles podem ser organizados, respeitando o distanciamento social e, acima de tudo, a quarentena de viajantes doentes para evitar a contaminação.

A hospitalidade será impactada por medidas aprimoradas de saneamento. É provável que os restaurantes reabram com menos horas, por menos dias, com muito menos mesas e menus bastante simplificados. Enquanto isso, os pedidos de entrega e retirada de aplicativos para smartphones continuarão em alta. Os pacotes all inclusive de hotel provavelmente serão redesenhados para remover a entrega de comida e bebida em estilo buffet, e assim garantir que os hóspedes recebam serviço em suas mesas individuais e distanciadas. As excursões locais deverão ser fornecidas para festas individuais e, inevitavelmente, serão mais caras.

Finalmente, as viagens de negócios serão reconsideradas, pois a pandemia mostrou que o gerenciamento global de projetos pode ser feito por videoconferência, permitindo reduções de custos financeiros e de emissões de Gases de Efeito Estufa. Provavelmente, apenas reuniões comerciais, exposições e eventos esportivos internacionais voltarão aos níveis normais no futuro próximo.

Sirma Boshnakova, CEO da Allianz Partners, comenta: “A crise do Coronavírus tem nos levado a muitas mudanças na maneira como vivemos nossa vida cotidiana e, com isso, as expectativas e os comportamentos dos consumidores evoluíram. Encomendamos este relatório para poder antecipar e desenvolver as soluções mais inovadoras e eficazes para nossos clientes, oferecendo a eles tranquilidade agora e no futuro. Como líder em serviços de assistência 24 horas e seguro viagem, estamos prontos para apoiar as transformações nos negócios mais importantes para o nosso grupo: residencial, saúde, auto e viagens”.

O relatório completo está disponível para leitura neste endereço. 

¹Cientistas de dados da Universidade de Tecnologia e Design de Singapura utilizaram inteligência artificial para criar previsões baseadas em dados das trajetórias da Covid-19 em diferentes países, prevendo finalmente quando o surto atual terminará. O relatório pressupõe que uma vacina provavelmente será encontrada e administrada a granel no terceiro trimestre de 2021.

²Uma nova geração de máscaras que mostra se uma pessoa com sintomas de Covid-19 espirra nas proximidades. Essas máscaras estão agora em desenvolvimento no MIT e na Universidade de Harvard nos EUA.

Axway revela infraestrutura tecnológica do Open Finance em evento gratuito 547

Claudio Maia é Open Banking Leader LATAM da Axway / Divulgação

Webinar debaterá a preparação das instituições financeiras para se adequarem ao modelo, com experiências de profissionais

As instituições financeiras estão passando por uma revolução tecnológica para se adequarem aos requisitos e aproveitar as oportunidades do Open Finance. O movimento, que teve início com o compartilhamento dos dados bancários dos clientes no Open Banking, agora avança para todo o sistema financeiro.

Para debater como tem sido a experiência do ponto de vista técnico e funcional, a Axway participa do evento “Revelando a Infraestrutura do Open Finance”, no dia 26 de maio, às 14h. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo site da plataforma Prensa.

O debate reunirá especialistas de empresas que estão prestando o suporte tecnológico às instituições financeiras, para que elas estejam em conformidade com o Open Finance. Claudio Maia, Open Banking Leader LATAM da Axway, apresentará os principais desafios e lições das experiências do Open Finance do Brasil até o momento, revelando a estrutura que tem possibilitado o modelo.

“Temos acompanhado de perto nossos clientes, dando suporte desde a implementação do sistema, e apoiando a cada atualização ou desafio. Chegamos em um ponto em que já é possível avaliar algumas das principais lições dessas experiências, olhando sempre para o futuro”, disse Maia.

Mais informações sobre o evento, no site.

Abramge reúne mulheres de sucesso para abordar trajetórias 524

Abramge reúne mulheres de sucesso para abordar trajetórias / Divulgação

Evento presencial contou com gestoras dos setores privado e público da saúde suplementar

A Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge) e o Instituto pela Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros (IDIS) promoveram nesta terça-feira, dia 24 de maio, o evento presencial “Mulheres: Saúde, Conquistas e Desafios”. A iniciativa trará quatro palestrantes que abordarão suas trajetórias, que equilibram a gestão e a vida pública, além de expor seus desafios e conquistas, da perspectiva da mulher.

A iniciativa contou com a presença dos palestrantes Thereza Moreno, vice-presidente de Soluções Inclusivas na Prudential do Brasil; Adriana Ventura, deputada federal (Novo – São Paulo); Eliane Medeiros, diretora de Fiscalização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS); e Ranny Alonso, diretora de Comunicação Corporativa na UnitedHealth Group Brasil. O evento foi mediado por Valéria Schmitke, presidente do IDIS.

As palestrantes compartilharam suas histórias de vida, como mulheres e mães, suas trajetórias profissionais em suas respectivas carreiras e o que esperam de um futuro com maior diversidade para as pessoas.

A abertura do evento ficou por conta de Carina Martins, responsável por Gestão de Qualidade e Controladoria no Sistema Abramge, que falou um pouco da importância das mulheres no setor de saúde e como provedoras de saúde em suas famílias, e Valéria Schmitke, presidente do IDIS, que também foi a moderadora do evento, e comentou sobre a necessidade de conscientizar as lideranças sobre a importância de integrar pessoas das mais diferentes origens, seja por gênero (mulher), LGBT+ e raça/etnia, PCDs, gerações e outros, o esforço para se vencer barreiras de afinidades e proporcionar uma integração completa dos colaboradores em um ambiente que proporcione diversidade.

Na sequência, as convidadas Thereza Moreno, vice-presidente de Soluções Inclusivas na Prudential do Brasil; Eliane Medeiros, diretora de Fiscalização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS); Adriana Ventura, deputada federal (NOVO/SP) – por meio de vídeo; e Ranny Alonso, diretora de Comunicação Corporativa na UnitedHealth Group Brasil, falaram de suas trajetórias e o que pensam e fazem para melhorar a conscientização quanto a necessidade de diversidade em todas as áreas, não só no ambiente de trabalho, mas também em serviços sociais e educação.

Como lição, as palestrantes avaliaram a temática no desenvolvimento temporal de suas carreiras, a importância das mulheres fazerem escolhas e serem protagonistas das suas próprias jornadas de vida, o papel da escuta ativa, do respeito do espaço das falas femininas nos ambientes de lideranças e da importância de cada instituição permitir a diversidade na construção dos planos de carreiras de seus profissionais.

Daniela Ártico, assessoria jurídica e coordenadora dos serviços de medicina integrativa da Nossa Saúde, apresentou o case da operadora onde a representatividade feminina é muito acima da média, tendo alcançado mais de 90% dos cargos gerenciais e diretivos ocupados pelas mulheres, e que foi fundada e é liderada até hoje por mulheres.

Encerrando, o presidente da Abramge Renato Casarotti disse que ainda temos muito a avançar, acredita que é um processo inicial e que a transformação virá do aprendizado com as novas gerações, assim como ele, como pai, tem aprendido a conviver com a diversidade pelos olhos da sua filha.

Em nova campanha publicitária, Prudential apresenta motivos para contratar um seguro de vida 633

Iniciativa promete emocionar o público com histórias cotidianas que mostram diversos motivos para as pessoas buscarem proteção financeira

A Prudential do Brasil, maior seguradora independente do mercado de seguro de pessoas do país, acaba de lançar sua nova campanha publicitária, que promete emocionar e fazer o público rever a maneira como pensa em seguro de vida ao mostrar os motivos pelos quais o produto é uma proteção financeira que está crescendo entre as pessoas. A campanha estreou em rede nacional no intervalo do programa Fantástico, da TV Globo, na noite de domingo (22).

Com o conceito criado pela Made “A vida é cheia de motivos para fazer um seguro de vida. E a Prudential é especialista em todos”, o filme traz diversos momentos da vida das pessoas para despertar a importância de proteger quem amamos ou a nós mesmos.

“Como especialistas em vidas, temos o compromisso de estimular o conhecimento da sociedade sobre o papel do seguro de vida como parte do planejamento financeiro das famílias e sua função social ao ajudar as pessoas nos momentos mais difíceis. Em nosso novo filme, queremos despertar as pessoas para a importância de estar protegido por meio de cinco histórias do cotidiano que farão com que todos se identifiquem com pelo menos um dos momentos de vida”, explica o vice-presidente de Marketing e Digital da Prudential do Brasil, Carlos Cortez.

Já Álvaro Rodrigues, CEO e sócio-fundador da Made no Brasil, explica o racional da campanha. “Nosso objetivo com a campanha é quebrar algumas das muitas barreiras que o brasileiro tem com o tema. Para isso, nossa estratégia usou as objeções que o público usa como argumentos para não fazer um seguro de vida e as transformamos em motivos. Motivos para estar sempre protegido. Ninguém melhor que a Prudential para liderar essa conversa. Mais do que vender, a Prudential tem a vocação de formar esse mercado. O filme ´Motivos´ é apenas o primeiro passo nesse sentido. Estamos muito orgulhosos”.

A nova campanha, assinada pela Made, contará com um plano de mídia online e offline. Na TV aberta estará presente nos intervalos dos principais programas da TV Globo, na F1 e nas finais da NBA na Band. Na TV fechada, está previsto o patrocínio do Estúdio I, da Globo News e ainda em canais com uma cobertura expressiva como: ESPN, Fox Sports, Universal e Multishow.

Completam o plano de mídia inserções em revistas e jornais, além de diversas ações nos meios digitais que acontecerão durante os próximos meses.

No Brasil, a penetração do mercado de seguros de vida ainda representa menos de 1% do PIB nacional e apenas 15% dos brasileiros possuem o produto seguro de vida como parte do seu planejamento financeiro e familiar, de acordo com uma pesquisa realizada pela Prudential em parceria com o Ibope. Já nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 60% dos americanos contam com algum tipo de seguro de vida (Fonte: Limra – 2018). No Japão, esse índice é ainda maior, correspondendo a 90% da população (Fonte: EY).

Porém, o seguro de vida é um produto que tende a crescer no Brasil, uma vez que desde o início da pandemia, a sociedade passou a refletir mais sobre a finitude da vida e a necessidade de proteção financeira diante de imprevistos. Segundo estimativas da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), a projeção de arrecadação do mercado prevê um crescimento de até 22,9% para o segmento individual e de até 7,4% para o segmento coletivo.

“O seguro de vida pode ajudar muitas famílias a enfrentar imprevistos, como aconteceu durante a pandemia de Covid-19. Os benefícios pagos pelas seguradoras tiveram uma utilidade significativa para a sociedade se reestruturar. Por isso, queremos levar essa proteção para um número cada vez maior de brasileiros e reforçando ao público os motivos para estar protegido”, explica Cortez.

Ficha Técnica

  • Campanha: Motivos;
  • Cliente: Prudential do Brasil;
  • Agência: Made;
  • Criação e Gestão da Marca Prudential: Made;
  • Produção vídeo: Silence;
  • Direção: Dudu Lopes;
  • Produção Áudio (incluindo a criação da música especialmente para a campanha): Sonido, Lucas Duque;
  • Aprovação do cliente: Carlos Cortez e Fernanda Riezemberg.

Prudential do Brasil celebra terceiro ano de patrocínio ao Teatro Prudential 411

Teatro Prudential, no Rio de Janeiro / Divulgação

Desde reabertura, em 2019, sala de espetáculos do Rio já levou arte e cultura para mais de 155 mil pessoas e gerou mais de 15 mil empregos diretos e indiretos

Na última terça-feira, 24 de maio, o Teatro Prudential, patrocinado pela Prudential do Brasil, completa três anos de reabertura. A tradicional sala de espetáculos do Rio de Janeiro, que estava fechada por quase 20 anos, foi devolvida ao público em 2019, com o apoio da seguradora. Desde então, o espaço recebeu mais de 155 mil pessoas, entre o modelo presencial e online, e já contabiliza mais de 156 apresentações. Além de ser reconhecido como um importante equipamento cultural da cidade, o teatro também está contribuindo para movimentar a economia do município do Rio. Nesses três anos, foram gerados mais de 15 mil empregos diretos e indiretos.

Localizado no histórico Edifício Manchete, na Glória, bairro da Zona Sul do Rio, o teatro foi projetado por Oscar Niemeyer e tem paisagismo de Burle Marx. O espaço é o único da cidade a possuir um palco reversível, permitindo que o público se acomode no jardim da área externa da casa de espetáculos. A arena, com capacidade para 359 lugares internos e 120 externos e um palco de 140 metros quadrados, possibilita aos artistas e produtores múltiplas formas de criar arte e entretenimento. Mesmo tendo apenas três anos, o teatro mais carioca do Rio já é reconhecido por priorizar o reconhecimento plural, que valoriza a diversidade cultural para os apreciadores da arte nos mais variados estilos.

“Como seguradora, sabemos como é importante cuidar e devolver um patrimônio. Por isso, é muito gratificante para nós comemorar com os cariocas o marco de três anos da revitalização desse teatro, que é símbolo da cultura e da história do Rio de Janeiro. Ficamos orgulhosos em contribuir para o desenvolvimento do cenário cultural e econômico do município durante os últimos três anos e queremos seguir apoiando a cultura e a economia da cidade por muito mais tempo”, afirma a Gerente Sênior de Marketing, Fernanda Riezemberg.

Para celebrar o terceiro aniversário, o Teatro Prudential terá programação especial, com direito a show inédito e intimista do cantor Ney Matogrosso, que se apresenta ao lado do pianista Leandro Braga, no dia 24 de maio. Aniela Jordan, gestora do Teatro Prudential e sócia do Instituto Evoé, responsável pela gestão e curadoria das programações do Teatro Prudential, exalta a pluralidade do espaço em receber as mais diversas vozes ao longo desses três anos.

“O Teatro Prudential abraçou os espetáculos de música nos últimos dois anos e tem dado muito certo. Além dos shows realizados em 2021, apresentamos a Série Tributos, o Festival da Consciência Negra, a 2ª edição do Festival Somamos, que vem abrindo espaço para novos talentos da nossa música e, mais recentemente, os shows em parceria com o Blue Note Rio além da 2ª edição da série Dramaturgia em Leituras e Março com Elas, com uma programação em homenagem ao mês das mulheres. Em 2022 seguiremos nesse caminho”, detalha Aniela.

Teatro Prudential conta com palco reversível | Divulgação
Teatro Prudential conta com palco reversível | Divulgação

Allianz Seguros chega ao Brasesul com novidades em campanhas de vendas focadas em diversificação 438

Karine Barros (Diretora executiva Comercial da Allianz) e Luciano Ambrosini (diretor Comercial Regional Sul da Allianz Seguros) / Foto: Tulio Vidal / Divulgação

Evento será realizado em Foz do Iguaçu (PR) nos dias 26 e 27 de maio; Companhia apresentará novas ações de incentivo aos corretores locais

A Allianz Seguros estará presente no Congresso Sul Brasileiro dos Corretores de Seguros (Brasesul). Promovido pelos Sindicatos dos Corretores de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o evento acontecerá nos dias 26 e 27 de maio, em Foz do Iguaçu (PR), e será totalmente presencial. Um público de duas mil pessoas é estimado, entre congressistas, corretores, assessorias e representantes de entidades do setor.

Diretora executiva Comercial da Allianz, Karine Barros comemora a retomada do Brasesul, inicialmente prevista para 2020. “Participar de um evento dessa magnitude é motivo de orgulho para a Allianz. Teremos a oportunidade de rever nossos parceiros de negócios, apresentar as novidades da companhia e, claro, estreitar ainda mais o relacionamento com os corretores locais”, diz.

Karine frisa, ainda, que a Allianz vem de um movimento importante de integração com as operações de Automóvel e Massificados da SulAmérica, o que permitiu à companhia entregar ao mercado soluções como Frota Fácil Digital, Caminhão Individual e Viagem, melhorias na carteira de Automóvel, ampliação do produto Moto e aumento do limite de aceitação em Auto Frota (veículos de carga) e Caminhão para R$ 1 milhão. “Nossos produtos e operações agora são 100% Allianz e queremos firmar esse novo momento junto ao canal de distribuição”, acrescenta.

Também patrocinadora do Brasesul, a Allianz receberá os corretores em um estande exclusivo na Feira do Mercado Segurador, realizada simultaneamente ao Congresso. No espaço, a companhia apresentará duas novas campanhas de vendas, que levarão corretores e acompanhantes para os shows de Justin Bieber e Coldplay no Allianz Parque – além da já conhecida AlliadoZ 2022, voltada a corretores de todo o Brasil. “Nosso objetivo principal é estimular o canal de vendas a operar cada vez mais com um portfólio diversificado, especialmente nas linhas de Massificados, com produtos como Vida, Residência e Condomínio – sendo esse último a Allianz líder de mercado –; e de Riscos Corporativos, com seguros voltados a Transportes, Empresa Corporate, Equipamentos Agrícolas e de Riscos Diversos”, pontua Luciano Ambrosini, diretor Comercial Regional Sul da Allianz Seguros.

O executivo avalia a importância da região para o mercado segurador, considerando que o Sul foi responsável por 19% do faturamento do segmento (sem VGBL DPVAT) no ano passado, de acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep). “É, de fato, uma região que traz muita força ao nosso setor, e a presença no Brasesul vem para corroborar o compromisso da Allianz com os parceiros de negócios que aqui atuam”, finaliza.