Bradesco Dental lança plano odontológico para o segmento premium corporativo 1641

Bradesco Dental lança plano odontológico para o segmento premium corporativo

Bradesco Dental Prívian oferece rede credenciada exclusiva para atendimento personalizado e pacote de serviços Concierge

A Bradesco Seguros lança o Bradesco Dental Prívian, plano odontológico corporativo focado no segmento premium. O produto foi desenvolvido especialmente para quem busca exclusividade e excelência no atendimento. Entre as qualidades do novo produto está uma rede exclusiva de dentistas especializados para atendimento diferenciado, além de contar com ampla cobertura.

Outro importante diferencial do Bradesco Dental Prívian é a possibilidade de contar com serviços exclusivos do Bradesco Dental Concierge, proporcionando todo o cuidado necessário ao beneficiário. Entre os destaques que o Concierge do plano oferece estão: personal assistant – consultor dedicado para atendimento personalizado dos beneficiários; indicação de dentista no exterior; reembolso internacional; reembolso digital em até 48 horas úteis; Spa Day odontológico com equipe dedicada para a realização de todo o tratamento em um único dia.

“O Dental Prívian foi um produto especialmente desenvolvido para categoria premium, pensando em todos os detalhes para que o beneficiário tenha todo o conforto, desde a escolha do profissional ao tratamento, independentemente de onde ele estiver, garantindo uma experiência única”, comenta Marta Esposito Peixoto, Gerente de Relacionamento Prívian.

Os planos Bradesco Dental Prívian, além de contarem com ampla cobertura – prótese completa, clareamento e implante – podem ser utilizados logo após a contratação, por não haver carência. Além disso, todos os tratamentos, mesmo os realizados fora da Rede Credenciada, contam com valores de reembolso diferenciados, e são acompanhados pela equipe interna de Gestão da Qualidade composta por Cirurgiões Dentistas para garantir a excelência e segurança dos beneficiários.

ANS atinge maior índice de resolução de demandas de consumidores desde 2013 263

ANS atinge maior índice de resolução de demandas de consumidores desde 2013

Em 2020, Agência solucionou 91,6% das queixas registradas em canais de atendimento

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) atingiu, em 2020, o maior percentual de resolução de queixas de consumidores registradas em seus canais de atendimento desde 2013: a cada 100 demandas, mais de 91 foram resolvidas pela intermediação de conflitos que a ANS realiza entre consumidores e operadoras de planos de saúde.

A Notificação de Intermediação Preliminar (NIP) é a ferramenta criada pela ANS para agilizar a solução de problemas relatados pelos consumidores. A partir do registro de uma queixa num dos canais de atendimento da Agência, uma mensagem é enviada automaticamente à operadora. A partir de então, a operadora terá até 5 dias para resolver demandas relacionadas à assistência do beneficiário ou até 10 dias úteis para solucionar queixas de natureza não assistencial, como problemas com carteira do plano, reembolso, reajuste.

“O índice de 91,6% alcançado em 2020 mostra a efetividade da NIP na solução ágil de problemas dos consumidores. Mesmo o ano passado tendo sido atípico, em razão da pandemia de Covid-19, a ANS conseguiu dar as respostas necessárias à sociedade, atingindo esse patamar histórico de resolutividade”, destacou o diretor de Fiscalização da ANS, Maurício Nunes.

O gráfico abaixo traz a séria histórica dos índices de resolutividade das demandas abertas pelos beneficiários, separadas por demandas assistenciais e não assistenciais.

Divulgação
Divulgação

Resolutividade de demandas relacionadas à Covid-19

Quanto a demandas relacionadas à Covid-19, o índice de resolutividade das queixas gerais atingiu 90,8%. Especificamente sobre queixas relativas a exames de diagnóstico (RT-PCR), o índice chegou a 93,2%. Em relação aos exames para identificação de anticorpos (testes sorológicos), o índice chegou a 92,8%.

Desde o início da pandemia do novo Coronavírus, a ANS vem monitorando diariamente as demandas por informação ou registros de reclamações de beneficiários nos seus canais de atendimento. Para dar transparência a esses dados, foi criado um painel dinâmico sobre demandas de beneficiários relacionadas à Covid-19, disponível no portal da Agência.

Atendimento a consumidores

Em 2020, a ANS recebeu 270.553 pedidos de informação e 150.756 reclamações em seus canais de atendimento. Desse total, 19.538 eram pedidos de informação e 16.355 reclamações relacionadas à pandemia.

O principal canal de recebimento de demandas é o Disque ANS, central telefônica de atendimento gratuito, que recebeu 375.049 ligações no ano passado. Pelo Fale Conosco, portal da Agência, foram recepcionadas 45.589 demandas.

Dimensão do setor

Em dezembro de 2020, o setor de planos de saúde contava com 47,6 milhões de beneficiários em planos de assistência médica e 27 milhões em planos exclusivamente odontológicos. Em abril de 2021, o setor passou a contar com 48,1 milhões de beneficiários em planos médico-hospitalares e 27,7 milhões em planos exclusivamente odontológicos, sendo o maior número registrado desde julho de 2016.

Para esclarecer dúvidas ou registrar uma reclamação, o consumidor pode entrar em contato com a ANS pelos seguintes canais de atendimento:

  • Disque ANS: 0800 701 9656;
  • Site da ANS;
  • Central de atendimento para deficientes auditivos: 0800 021 2105;

Alper Seguros incorpora 30 anos de expertise da Next Mark e oferece mix de produtos 354

Alper Seguros incorpora 30 anos de expertise da Next Mark e oferece mix de produtos

Corretora chega com condições comerciais agressivas e inovações tecnológicas

Após adquirir a Next Mark, corretora gaúcha com mais de 30 anos de expertise em seguros agrícolas e corporativos, a Alper leva para o Rio Grande do Sul uma carteira completa de produtos e serviços, além da sua plataforma de distribuição digital de seguros.

O diretor da filial Rio Grande do Sul Thiago Lins, revela que até primeiro de julho todo o processo de transição de sistemas estará concluído, o que trará maior eficiência e agilidade aos negócios. “A Alper chega no sul com condições comerciais mais agressivas e soluções de serviços que a Next não tinha acesso. Também vamos trazer novos players para trabalhar junto conosco, e teremos uma maior diversidade de produtos”, explica o executivo.

Entre os novos produtos que serão oferecidos pela Alper, estão o Dr. Alper, uma plataforma de telemedicina que funciona 24h por dia, sete dias por semana. Também está prevista uma nova plataforma destinada aos seguros garantia. “Será uma solução proprietária que vai envolver todo o processo de cotação e fechamento online de diversas demandas de seguro garantia”, explica. Para o segundo semestre, a empresa quer lançar uma ferramenta semelhante destinada ao seguro de cargas.

A Alper Consultoria em Seguros é listada no Novo Mercado, maior nível de governança corporativa da B3. No início do ano a empresa realizou uma captação de R$ 110 milhões e, a maior parte desse montante está sendo investido em fusões e aquisições.

Brasileiros se protegem mais com seguros e ratificam aversão a riscos 378

Brasileiros se protegem mais com seguros e ratificam aversão a riscos

Na comparação anual, procura por seguros subiu 36,8% em abril

O sentimento de aversão a riscos continua a ampliar a demanda de seguros de danos (materiais e responsabilidade contra terceiros), de benefícios (vida e previdência, principalmente), e a estimular brasileiros a poupar ou fazer filantropia, por meio dos títulos de capitalização. Esse comportamento está espelhado nos últimos números do setor segurador divulgados pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), na edição 46 da Conjuntura CNseg.

Nos quatro primeiros meses do ano, o setor de seguros apresentou alta de 15,5% sobre os quatro primeiros meses do ano passado, totalizando R$ 92,7 bilhões neste exercício (sem Saúde e DPVAT). Apenas em abril, com movimentação de R$ 21,5 bilhões, o crescimento foi de 36,8%, comparando-se ao resultado do mesmo mês do ano passado. O desempenho de abril foi puxado pela forte expansão dos planos VGBL, cuja procura cresceu 96,8% sobre o mesmo mês do ano passado. Dada a densidade do VGBL no market share do setor segurador, todos os indicadores melhoraram com seu bom comportamento. Com isso, as provisões técnicas do setor alcançaram a cifra de R$ 1,213 trilhão, crescimento de 8,8% sobre abril de 2020.

Nenhuma atividade econômica apresentou uma expansão tão vigorosa quanto o seguro no comparativo mês contra o mesmo período do ano anterior. Após os 36,8% do setor segurador de alta, aparecem as atividades industriais (34,7%), comércio (10,1%) e serviços (4,5%).

Na base anualizada até abril, o setor segurador já acumula expansão de 6,3%. Um mês antes, até março, a alta acumulada era de 2% e de apenas 0,1% em fevereiro. A taxa mais alta vigorosa agora tem também relação com a base comprimida de abril do ano passado (R$ 15,7 milhões arrecadados; o segundo mês a ser atingido pela pandemia).

Apesar dos números positivos, o Presidente da CNseg, Marcio Coriolano, diz que os cenários ainda não permitem expectativas mais assertivas de desempenho do setor no ano. “Mais especificamente, o cenário neste ano corrente dependerá crucialmente do tamanho da taxa de aumento do PIB para abrir espaço à recuperação de ramos de seguros caudatários da produção industrial, agrícola e comercial, que é o caso dos grandes riscos patrimoniais. E dependerá também do incremento da renda pessoal e do emprego, combustíveis da demanda por produtos básicos patrimoniais, cobertura de vida, previdenciários, saúde suplementar e capitalização”, escreve ele, no editorial da Conjuntura CNseg.

No acumulado do ano, os destaques em termos de taxa de expansão foram o segmento de Cobertura de Pessoas (18,5%), seguido por Danos e Responsabilidades (12,4%) e Capitalização (5,3). Todos os ramos tiveram crescimento, mas pelo menos oito foram superlativos: Rural (41,0%); Responsabilidade Civil (35,8%); Transportes (25,8%); Planos VGBL (24,3%); Patrimonial (14,3%); Habitacional (11,7%); Marítimos e Aeronáuticos (11,7%); Seguro de Vida (11,5%).

Em relação à sinistralidade, o segmento de Danos e Responsabilidades, que havia caído de 54,8% no primeiro trimestre de 2020 para 52,5% em 2021, agora no quadrimestre voltou a estreitar-se (52,9% contra 51,6%), influenciada pelo ramo de Automóveis. Já a sinistralidade do ramo Patrimonial, que havia saltado no primeiro trimestre de 44,8% para 70,8% – pela contribuição dos seguros residenciais e condominiais, com maior uso e, consequentemente, aumento da frequência de eventos – também se estreitou na comparação de quadrimestres, embora menos (48,1% contra 66,1%). No segmento de Cobertura de Pessoas, a sinistralidade dos seguros de Vida – Risco continua a agravar-se, de 25,4% para 39,2%, resultado dos eventos pandêmicos, detalha a publicação da CNseg.

Novas facilidades do Bradesco Saúde Concierge para 150 mil beneficiários 368

Maria Beatriz Padilha é superintendente executiva da Bradesco Saúde / Divulgação

Atendimento conta com satisfação de 92%

O Bradesco Saúde Concierge, plano que se diferencia por uma série de serviços exclusivos, alcançou a marca de 150 mil segurados, em meio a uma série de novidades. A experiência dos clientes ganhou ainda mais excelência, com a reformulação do serviço de Segunda Opinião Médica Internacional nos canais digitais e o lançamento da Orientação Médica por Vídeo, serviço que tem se destacado nos atendimentos referentes à Covid-19.

Outra evolução dos serviços do Concierge foi a ampliação do programa Saúde em Equilíbrio, que, além de dicas nutricionais, passou também a oferecer orientações para a prática de exercícios físicos. Entre as novidades também está o aumento dos limites de valores da cobertura de despesas médicas, hospitalares e odontológicas no Seguro Viagem.

O cliente acessa os serviços pelo App Concierge e também pelo site, que recentemente ganhou um novo layout, com navegação mais amigável e intuitiva neste endereço.

“Com os avanços tecnológicos, foi criada uma jornada mais ágil para o cliente, por meio do aplicativo Concierge, além de uma melhor experiência no novo site. E o conjunto de novos serviços tornou o produto ainda mais completo. Nosso objetivo é proporcionar uma experiência única aos nossos beneficiários”, destaca Maria Beatriz Padilha, superintendente executiva da Bradesco Saúde.

Satisfação e serviços de destaque

Com 92% de satisfação no atendimento, o sucesso do Concierge está na escolha criteriosa dos serviços oferecidos aos clientes. Entre eles, estão o Teste do Pezinho e a vacina BCG dedicados aos filhos recém-nascidos dos beneficiários, ambos sugeridos para os primeiros 30 dias de vida do bebê.

Os clientes contam, ainda, com a comodidade das salas VIPs nos principais centros de referência médico-hospitalar nas capitais de Rio de Janeiro e São Paulo. O destaque mais recente é o novo espaço da sala VIP no Hospital do Coração (HCor), em São Paulo.

Os serviços domiciliares também são importantes diferenciais. Os mais solicitados são a Coleta de Exames e as Vacinas do Viajante, que tornam a experiência do cliente Concierge mais confortável e segura.

BMG Seguros: a nova era do saneamento 291

BMG Seguros: a nova era do saneamento

ESG, project finance e contratos de performance foram destaques de webinar FGV com apoio BMG Seguros

Webinar que debateu a nova era do saneamento no Brasil discutiu a participação da iniciativa privada no setor de saneamento, cujos investimentos previstos estão calculados entre R$ 700 milhões e R$ 1 trilhão.

Segundo os especialistas Benedito Braga, diretor-presidente da Sabesp, Carlos Brandão, CEO da Iguá Saneamento, e Rogério Tavares, vice-presidente de Relações Institucionais da Aegea, esta projeção vultosa se dá graças à Nova Lei do Saneamento (14.026/2020), prestes a completar um ano, que possibilita o investimento em infraestrutura tão fundamental para a retomada do crescimento da economia brasileiro. Um exemplo de que este é o caminho certo foi o sucesso do leilão da Cedae no fim de abril deste ano, o maior da América Latina no setor.

Para Renata Oliver, vice-presidente de negócios da BMG Seguros, o setor de saneamento é um dos mais importantes e prioritários para o governo: “O marco do saneamento tem um efeito multiplicador em toda a sociedade, com impacto direto principalmente na saúde e no turismo, entre outros segmentos. E o mercado de seguros está acompanhando essa onda de investimento e buscando soluções inovadoras para o setor. O seguro não pode ser coadjuvante nas discussões, pois tem papel fundamental como viabilizador da infraestrutura”.

Apesar dos avanços, Benedito Braga, alertou para o grande desafio de garantir a segurança jurídica nos processos, pois a nova lei já enfrenta questionamentos no Supremo Tribunal Federal (STF). Além disso, ele ressaltou a importância de se ter uma situação política sólida, para que o setor privado possa confiar nesse processo: “O governo federal precisa arredondar questões de natureza legal e não pode se eximir de por dinheiro no saneamento, achando que o setor privado é o salvador da pátria. Temos 5.400 municípios no país e o setor privado pode não ter interesse em todos eles”.

Para Carlos Brandão, a aprovação do marco do saneamento trouxe pilares importantes para a iniciativa privada atuar no setor com clareza de metas e possibilidade de investir com segurança jurídica. Ele prevê que nos próximos dois anos mais players devem participar dos projetos de licitação, a exemplo do que ocorreu com a Cedae, que atraiu grande interesse do setor privado: “Acredito que o tema ESG (ambiental, social e governança) é uma das chaves nesse processo, pois cria valor, traz capital novo e abre uma perspectiva positiva para a população, ou seja, traz um circulo virtuoso de atração para esse novo cenário”.

Para Rogério Tavares, os bons resultados alcançados nos últimos processos abre maior possibilidade de trazer capital privado para a universalização de serviços, seja em parceria público-privado (PPP), seja via privatização. “A lei trouxe um processo de abertura que tornou o setor muito atrativo e no qual apostamos bastante. Portanto, é natural atrair novos entrantes, até porque o volume de investimentos é muito grande”.

Segundo Tavares, isto deve ocorrer ao longo do tempo, depois de eliminar as últimas arestas do marco legal e consolidar a lei, que é fundamental tanto para o desenvolvimento do país quanto para a população que mora nas periferias das grandes cidades e regiões longínquas: “Para tanto, é preciso avançar no desenvolvimento de Project Finance, modalidade na qual sempre tivemos dificuldade no Brasil, pois se tiver que oferecer garantia dos acionistas para grandes investimentos, não dará certo”.

Novos Projetos

Os especialistas concordam que a questão de escalabilidade é um item fundamental em todo e qualquer novo projeto, a fim de garantir seu equilíbrio financeiro. Além disso, é preciso considerar a regionalização da lei, que não constava no projeto original, que dá aos municípios o poder de decisão de participar ou não de um projeto que engloba outras cidades, em uma região metropolitana, por exemplo, que tenha interesses comuns. Segundo Benedito Braga, “a ideia é boa, mas é preciso cuidar da operacionalização para que não haja problemas”.

De acordo com a Renata Oliver, outro ponto a ser observado nos novos contratos diz respeito à obrigatoriedade de as empresas atestarem sua capacidade financeira. Nesse sentido, os seguradores terão o importante papel de fazer um filtro, pois sem garantias não será permitido participar dos processos de licitação: “Como muitas companhias públicas não atendem essa exigência, resta saber se as empresas privadas terão capacidade de absorver todos os projetos.”

Gesner Oliveira, coordenador do Centro de Estudos de Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV EAESP, finalizou o evento destacando o avanço nas discussões ao longo de quase um ano da Nova Lei de Saneamento, que passaram a englobar temas fundamentais para se criar um ambiente propício para investimentos no setor de saneamento, como ESG, project finance e contratos de performance, o que estava longe da realidade brasileira pouco tempo atrás.