LGPD entra em vigor nesta sexta-feira; empresas precisam se adequar o quanto antes 803

LGPD entra em vigor nesta sexta-feira; empresas precisam se adequar o quanto antes

Especialista afirma que companhias devem garantir segurança e privacidade em operações

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a lei nº 13.709 e com isso a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) começa a valer a partir desta sexta (18). Após a publicação no Diário Oficial da União, a série de medidas para proteger os dados e a privacidade do cidadão, como evitar vazamentos de dados, empresas e órgãos públicos deverão adotar medidas para ficarem em conformidade com a nova lei.

Com a vigência, empresas precisam se adequar o quanto antes para cumprir os requisitos da nova legislação. É o que diz Adriano Mendes, advogado especializado em Direito Digital, Empresarial e Proteção de Dados. O especialista, que também é consultor para assuntos jurídicos da Trend Micro, empresa líder global em cibersegurança, afirma que mais importante do que a data que a lei passará a valer é o movimento que as companhias em geral devem fazer para que consigam endereçar as exigências da legislação no que tange ao trato e à proteção das informações dos usuários.

“Agora, desde quando a lei entrou em vigor é o de menos, uma vez que as empresas ainda não olharam para as suas implicações. As que não estão se adequando estão perdendo tempo. Ou seja, aquelas que ainda não se adequaram à legislação, deveriam estar fazendo isso independente da vigência da lei”, diz Mendes. Para o especialista, o que as companhias precisam realizar no momento é um assessment interno, de modo a verificar quais aspectos da sua operação estariam mais sensíveis às readequações de acordo com a LGPD.

Apesar da vigência da LGPD, a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão responsável por fiscalizar e normatizar a aplicação da lei, segue ainda com futuro incerto. Falta a nomeação dos seus diretores pelo presidente da República para a sabatina e ratificação do Senado.

Independente da resolução sobre a validade da lei e suas implicações, Mendes avalia que as empresas não podem aguardar as definições das normativas regulatórias para se adequarem à LGPD. O especialista afirma que companhias de diversos setores terão impacto muito grande nas suas receitas financeiras caso sejam penalizadas pelo não cumprimento da lei. “Empresas com faturamento acima de R$ 1 bilhão, especialmente àquelas com lucro na faixa de 5% da sua receita, além de sociedades controladoras que possuem um grande volume de dados, são as companhias que mais precisam estar preocupadas com os impactos de não adequação à LGPD”, afirma.

O consultor jurídico da Trend Micro ressalta que daqui para frente as empresas devem adotar os conceitos de security and privacy by design. Ou seja, todas as iniciativas adotadas dentro das operações das organizações já devem conter  tanto o fator de segurança como de privacidade na sua concepção. “É importante que as companhias tenham claro que medidas de segurança e processos deverão ser documentados para mostrar a transparência e a governança também para a LGPD”, diz.

As empresas e os negócios têm o desafio de se adequar aos requerimentos e procedimentos descritos na LGPD para garantir os direitos dos titulares, a aderência aos princípios e fundamentos da Lei, bem como aos procedimentos de resposta a incidentes e aos titulares. “Mapear e monitorar quais circunstâncias a operação coleta, armazena e manipula dados que envolvam informações de pessoas físicas identificadas ou identificáveis é passo primordial. Depois, avaliar se essas informações foram coletadas da maneira correta e qual base legal é a adequada para que se justifique seu uso”, ressalta Mendes.

Estudo recente da Trend Micro apontou que a LGPD se aplica a qualquer tipo de negócio e gera reflexões sobre a quantidade de informações que são recolhidas e para qual finalidade. Também há questões que envolvem o compartilhamento de dados com outras empresas e negócios. Mesmo que seja um datacenter, um provedor de hospedagem ou um call center, os fluxos de dados precisam agora ser identificados e analisados para saber como será necessário documentar e o que informar na relação de Controlador e Operador e do Controlador e os direitos dos titulares, avalia o relatório da Trend Micro.

Sincor-SP e Porto Seguro celebram Outubro Rosa com a peça teatral online Cara Palavra 509

Sincor-SP e Porto Seguro celebram Outubro Rosa com a peça teatral online Cara Palavra

Trata-se da tradicional iniciativa de conscientização do Outubro Rosa

O Sincor-SP e a Porto Seguro promovem nesta sexta-feira (30 de outubro), às 19h, o teatro online “Cara Palavra”, com Débora Falabella, Mariana Ximenes, Andréia Horta e Bianca Comparatto. Trata-se da tradicional iniciativa de conscientização do Outubro Rosa.

“Outubro é um mês para conscientização da saúde da mulher e da prevenção ao câncer de mama”, lembra a 2ª vice-presidente do Sincor-SP, Simone Martins. “Este evento foi preparado com muito carinho para nossa celebração anual. Conto com a participação de todas, e se cuidem, façam os exames de prevenção”, convida.

“Minha amiga corretora, não deixe de participar deste agradável momento e não deixe de se cuidar”, reforça Raquel Gomes, coordenadora da Comissão feminina do Sincor-SP.

Cara Palavra

Um sarau poético performático, com Andreia Horta, Bianca Comparato, Débora Falabella e Mariana Ximenes. Entre poemas de autoras brasileiras contemporâneas, trechos de músicas, vídeos, cenas de ficção e textos biográficos, as atrizes falam para o público sobre o cotidiano, o amor, o drama, a arte, a solidão e a reinvenção em tempos de pandemia, num fluxo caleidoscópico de poesia.

Confirme sua participação neste endereço.

Contratações no Brasil retornam aos níveis pré-pandemia, revela LinkedIn 536

Contratações no Brasil retornam aos níveis pré-pandemia, revela LinkedIn

Expansão, entretanto, não deve compensar o aumento do desemprego

Os ventos favoráveis da recuperação do mercado de trabalho estão parando, de acordo com novos dados do LinkedIn, a maior rede social profissional do mundo. Dados de 15 países, incluindo Brasil, China, França, Suécia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos, mostram que, embora as contratações tenham melhorado desde o início da pandemia, a maioria dos países não voltou a um crescimento consistente do mercado de trabalho. Para a maioria dos países, que ainda lutam contra a Covid-19, a contratação pode ter atingido o limite.

Divulgação
Divulgação

O levantamento do LinkedIn, que mostra a taxa de contratações por país de fevereiro a outubro de 2020, sugere ainda que evitar um lockdown para preservar a economia não melhora o quadro nacional de contratações no longo prazo, como prova a Suécia ainda atrás de outros países europeus em sua taxa de contratação. Enquanto isso, a França está apresentando uma das recuperações de contratações mais consistentes de todos os 15 países, apesar de ter medidas de contenção em vigor.

Divulgação
Divulgação

Como muitos países europeus enfrentam uma segunda onda de infecções, os dados do LinkedIn sugerem que as contratações não devem melhorar a uma taxa que compensará o aumento do desemprego e subemprego. As tendências do início do ano também significam que há potencial para outra queda significativa nas contratações nos próximos meses em todo o mundo. Embora o cenário para quem procura emprego seja muito desafiador, a pesquisa mostra que há focos de oportunidades no mercado, com mais de 14 milhões vagas de empregos disponíveis no LinkedIn globalmente.

Ajudando os candidatos a encontrar novas oportunidades

Para ajudar as pessoas que estão em busca de novas oportunidades, o LinkedIn está lançando:

Career Explorer – uma ferramenta interativa para ajudar as pessoas a encontrar empregos que correspondam às suas habilidades técnicas e comportamentais (as soft skills). Usando os dados do LinkedIn, os candidatos a emprego conseguem ver como suas habilidades podem levá-los a novas oportunidades e quais cursos do LinkedIn Learning podem ajudá-los a preencher essas lacunas. A ferramenta será lançada em beta em inglês a partir de hoje, com aprimoramentos e inclusão de idiomas adicionais ao longo dos próximos meses.

Os usuários do LinkedIn também podem continuar a usar a moldura de foto do perfil #OpenToWork para sinalizar aos empregadores que estão procurando novas oportunidades. Nossos dados mostram que os usuários que já adotaram a ferramenta estão recebendo 40% mais mensagens de recrutadores e são 20% mais propensos a receber mensagens dos seus colegas na rede.

Recrutadores, profissionais de RH e gerentes que estão contratando também poderão passar a usar a moldura de foto do perfil #Hiring para sinalizar cargos em aberto para sua rede, de modo que os candidatos possam ver facilmente quem está contratando.

Para desenvolver novas habilidades, os usuários podem acessar ainda os cursos de aprendizagem gratuitos da Microsoft e do LinkedIn disponíveis aqui. Só nos últimos três meses, mais de 13 milhões de pessoas em todo o mundo acessaram este conteúdo. No Brasil, são nove trilhas de aprendizagem com mais de 90 cursos em português.

Empregos e habilidades mais demandadas

As habilidades digitais são uma demanda particular, com o LinkedIn prevendo que o mercado de tecnologia terá um aumento crescerá de quase 150 milhões ofertas de empregos nos próximos 5 anos. No Brasil, três das cinco vagas que seguem crescendo em ritmo constante são ligadas ao setor:

  • Consultor de negócios
  • Engenheiro de software Java
  • Desenvolvedor Frontend
  • Vendedor
  • Desenvolvedor Dotnet

Globalmente, o levantamento também identificou as habilidades cuja demanda está crescendo mais rapidamente desde o início da pandemia:

  • Programação
  • Marketing digital
  • Previsão financeira
  • Análise de dados
  • Metodologia Ágil

Qualicorp anuncia compra de carteira de clientes da Health Administradora de Benefícios 638

Qualicorp anuncia compra de carteira de clientes da Health Administradora de Benefícios

Aquisição contempla 4,3 mil vidas do portfólio de planos coletivos por adesão atendidas pela operadora Grupo NotreDame Intermédica no Estado de São Paulo

A Qualicorp – administradora de planos coletivos por adesão – anuncia a compra da carteira com 4,3 mil vidas de planos coletivos por adesão da Health Administradora de Benefícios. A transação faz parte da estratégia de crescimento da Companhia com foco na diversificação de portfólio e de parcerias para ampliar o acesso à saúde privada de qualidade.

O portfólio adquirido é comercializado em parceria com o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI) no Estado de São Paulo. Dentro da Companhia, a carteira fará parte do Clube de Saúde – subsidiária do Grupo Qualicorp com atuação voltada para as operadoras com opções de planos de saúde mais acessíveis, um dos focos de crescimento da Companhia.

“Estamos muito felizes e satisfeitos em anunciar essa aquisição. Estamos sempre atentos às oportunidades de mercado para a realização de novas aquisições e parcerias, visando à expansão do portfólio para oferecer cada vez mais opções de planos de saúde à população”, comenta Bruno Blatt, CEO da Qualicorp.

Além das novas vidas da Health Administradora, em 2020, a Qualicorp adquiriu a carteira com 14 mil vidas da administradora de benefícios fluminense Clube Care, operadas pela Assim Saúde. Ainda neste ano, a empresa lançou mais de 20 novos produtos e parcerias inéditas, como, por exemplo, com as operadoras Assim Saúde, Grupo NotreDame Intermédica, Paraná Clínicas, Centro Médico Gaúcho e Smile Saúde, além de novas opções no portfólio de planos coletivos por adesão da SulAmérica e da Bradesco.

“As novas parcerias e a inclusão de novos produtos no portfólio continuam como um dos principais focos de crescimento da Companhia”, destaca Elton Carluci, vice-presidente Comercial, de Inovação e Novos Negócios da Qualicorp.

A compra da carteira da Health Administradora de Benefícios soma-se às 1,3 milhão de vidas que a Qualicorp tem em seu portfólio na categoria Adesão médico-hospitalar.

Bom humor para as situações que fogem do controle dá o tom da nova campanha da Allianz Seguros 624

Seguradora retorna à mídia reforçando presença nos seguros de Automóvel e Residencial; comunicação da Ogilvy Brasil traz o mote “Quando não dá pra controlar, você tem com quem contar”

Uma gargalhada fora de hora, aquela vontade de dançar quando toca sua música favorita, um cochilo incontrolável. Muitas situações podem sair do controle no dia a dia – algumas, no entanto, nem tão agradáveis, como um pneu furado ou um vazamento doméstico. A nova comunicação da Allianz Seguros reforça seu posicionamento como parceira justamente nesses momentos.

A comunicação, que estreia nesta quinta-feira, 29, fica no ar por cinco meses e é assinada pela Ogilvy Brasil, marca o retorno da Allianz Seguros à mídia e traz o mote: Quando não dá pra controlar, você tem com quem contar. Para materializar o conceito, a campanha ativará as coberturas e as assistências, principalmente, do seguro de Automóvel e também do Residência, reforçando que, mesmo em momentos difíceis, a Allianz oferece conveniência, segurança e credibilidade.

“A Allianz adquiriu, recentemente, as operações da SulAmérica Auto e Massificados, o que posicionou a empresa como uma das líderes de mercado em seguros de varejo. Desta maneira, com a campanha, o nosso objetivo é ampliar o reconhecimento da marca e reforçar a sua visibilidade nacionalmente por meio dos produtos de Automóvel e Residência”, conta Luiz Cartolano, diretor de Marketing da Allianz Seguros. Com a integração das operações em andamento, a ação tem como objetivo atrair e reter clientes e o canal de vendas. Portanto, para o executivo, “com bom humor e leveza, a comunicação aproximará e fortalecerá a marca Allianz junto aos consumidores e corretores.” Atualmente, a companhia tem cerca de três milhões de veículos e 550 mil imóveis segurados.

O filme principal da campanha, Sono, narra, em 30 segundos, a história de um casal e seu bebê dentro do carro. O pai registra com o celular uma situação divertida do pequeno, enquanto a mãe acompanha a cena na direção. É quando, de repente, o casal é surpreendido por uma nova situação que foge do controle: um problema com o pneu do carro.

Para Márcio Fritzen, ECD da Ogilvy Brasil, o insight da comunicação foi inspirado na própria vida real, sendo a empatia a principal mensagem. “A melhor matéria-prima para uma campanha é a vida. Pensando nisso, nos inspiramos nas coisas que não conseguimos controlar, como o sono, a risada e a vontade de dançar. Do mesmo jeito que há também situações incontroláveis em casa ou no deslocamento com o carro. Mostramos com a comunicação que para esses momentos, elas podem contar com a Allianz”, explica.

O planejamento de mídia contempla TV aberta, payTV e estratégia robusta no digital, com redes sociais, YouTube, podcast e mídia display. As peças exploram a linguagem das redes sociais, trazendo um tom descontraído e próximo para a marca.

FICHA TÉCNICA

AGÊNCIA

Agência: Ogilvy Brasil
Título:  Quando não dá para controlar
Cliente: Allianz Brasil
Diretor-geral de criação: Félix del Valle
Diretor de Criação Executivo: Márcio Fritzen
Head of Art: Ricardo Leme Lopes
Diretor de Criação Associado: Diego Wortmann e Guilherme Moreira
Diretor de Arte: Diego Wortmann e Thomaz Maksu
Redator: Guilherme Moreira e Caio Carvalho
Assistente de Arte: Tales Tashiba, Jhonny Quinto, Yasmin Oliveira e Miller Faris
Mídia: Vanessa Giannotti, Silvia Tajiki, Carolina Chadi e Vitória Soares
Atendimento: Denise Caruso, Felipe Obara e Giovanna Giannini
Planejamento: Thais Frazão, Cleber Almeida, Caroline Betella e John Oliveira
Data: Viviane Sbrana e Italo Carmo
RTV: Fabiano Beraldo, Juliana Henriques e Hellen Gazetta
Aprovação Cliente: Luiz Cartolano, Lara Murta, Vanessa Ramaglia e Vanessa Oliveira

PRODUÇÃO FILME
Produtora:
 Cafe Royal
Diretora:  Georgia Guerra peixe
Produção Executiva: Moa Ramalho e Giovana Grigolin
Primeiro Assistente de Direção:  Manu Carvalho e Bruno Roberti
Atendimento: Talita Antunes
Coordenadora de Produção: Alex Missaka e Alessandra Cipolletta
Coordenador de Pós-Produção: Andreza de Oliveira
Montador: Matheus Akkari e Daniel Crepaldi
Finalizador: Reinaldo Souza
Color: Psycho n’ look
Motion: Daniel Manguinha, Lauro Santiago e Daniel Lima

PRODUÇÃO ÁUDIO

Produtora de som:  Lucha Libre Áudio
Atendimento: Daniela Celer
Coordenação de Som: equipe lucha libre
Produção: equipe lucha libre
Criação trilha:  Paulinho Corcione
Mixagem e Finalização: esquipe lucha libre
Locutor: Ivan Teixeira

Rede Saúde Total apoia o Dia Nacional de Luta contra o reumatismo 631

Rede Saúde Total apoia o Dia Nacional de Luta contra o reumatismo

20 milhões de pessoas sofrem de doenças reumáticas no Brasil

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, 20 milhões de pessoas sofrem de doenças reumáticas no Brasil, mas o número pode ser ainda maior. Apesar de existirem mais de 120 tipos de doenças reumáticas, nem sempre o diagnóstico é feito corretamente. Comemorado no dia 30 de outubro, o Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo alerta a população em relação à necessidade do seu diagnóstico precoce e tratamento adequado.

Essas enfermidades não atingem apenas pessoas idosas, acometem também homens e mulheres, adultos, entre 40 e 50 anos, além de jovens e crianças. O grupo de doenças reumáticas engloba cerca de cem tipos de enfermidades, que afeta as articulações, sendo a Artrite Reumatoide (AR) a mais conhecida e três vezes mais comum em mulheres do que em homens. Reumatismo não é uma doença em si, mas sim um termo que reúne várias complicações que comprometem articulações, ossos, tendões e músculos, além de algumas doenças do sistema imunológico, entre elas artrose, tendinite, bursite, lombalgia, gota, artrite reumatoide, lúpus, osteoartrite (bico de papagaio), fibromialgia e outras.

O diagnóstico das doenças reumáticas é feito com base em exames clínicos, laboratoriais e de imagem (raios-X e ressonância magnética). O tratamento inclui fisioterapia, medicamentos (antiinflamatórios e agentes imunobiológicos) e adoção de hábitos saudáveis, como não fumar e praticar exercícios físicos. O alerta a população é importante, pois o diagnóstico muitas vezes ocorre com atraso de mais de cinco anos, já que a doença pode se apresentar em surtos de branda intensidade. Quanto mais cedo se inicia o tratamento, melhor a qualidade de vida do paciente.