Eventos incentivam divulgação científica e combatem negacionismo 763

Eventos incentivam divulgação científica e combatem negacionismo

Postgraduate Meeting e Encontro de Iniciação Científica e Tecnológica reunirão pesquisadores, professores e estudantes do Brasil e do exterior

A PUC-Campinas realiza, de 28 a 30 de setembro, dois eventos voltados à divulgação da ciência e da tecnologia. O II Postgraduate Meeting será realizado do dia 28 ao dia 30, e o XXV Encontro de Iniciação Científica e X Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação ocorrerão dias 29 e 30 deste mês. Os dois eventos serão online, com transmissões pelas redes sociais da Universidade. A TV PUC-Campinas pode ser acessada neste endereço.

Para a abertura do Postgraduate Meeting, no dia 28 de setembro, às 18h, será realizada a palestra “A Ciência entre a Desinformação e o Excesso de Informação”, com o físico, professor e Secretário de Comunicação da Unicamp, Prof. Dr. Peter Alexander Bleinroth Schulz.

Para o Encontro de Iniciação Científica, a abertura, no dia 29 de setembro, às 8h30min, será com a palestra “Como se Comunicar Melhor sobre Ciência com seus Colegas e o Resto do Mundo”, com Gabriel Andrade Alves, jornalista científico da Folha de S. Paulo.

Os dois palestrantes abordarão as dificuldades, as oportunidades e boas experiências na área de divulgação de ciência e tecnologia. Eles também gravaram um podcast para o canal Olhar Contemporâneo, do site da PUC-Campinas. O podcast pode ser acessado neste endereço.

Entre os temas que abordaram estão a utilização da internet, redes sociais e novas tecnologias para divulgação da ciência, a importância da comunicação para os pesquisadores e as melhores formas de tratar fake news e negacionismo da ciência.

Gabriel destaca que ironizar ou reagir agressivamente a movimentos que costumam negar evidências científicas não funciona. “Na verdade, essas pessoas não negam a ciência. Elas são céticas, desconfiadas, e precisamos entender como pensam e quais são seus argumentos para esclarecer as suas dúvidas”, diz.

Ele também elogia novas iniciativas de divulgar ciência, como eventos abertos e fora das universidades e centros de pesquisa. Mas alerta para a necessidade de avaliar melhor essas iniciativas para que não se tornem apenas eventos voltados para a própria comunidade acadêmica.

O professor Peter também acredita que é preciso melhorar a comunicação e mostrar, principalmente, como o conhecimento científico é construído. “A ciência ainda é respeitada, mas o interesse muitas vezes é somente sobre os resultados e respostas a problemas, como a pandemia da covid-19. Mas poucos divulgam como o conhecimento é construído, que é um processo lento, rigoroso e sistemático”, disse.

Por isso, ele defende que os pós-graduandos passem a ser preparados para falar não só para seus pares, mas também para a comunidade em geral.

O Encontro de Iniciação Científica e o Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação são realizados pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação para qualificar, incentivar, socializar e fortalecer a Iniciação à Pesquisa na Universidade em todas as áreas do conhecimento.

Os alunos também participam de palestras e minicursos, socializam os Planos de Trabalhos realizados e são avaliados pelos docentes pesquisadores da Universidade e por Bolsistas de Produtividade do CNPq.

No Postgraduate Meeting o objetivo é apresentar as pesquisas que se iniciam na Pós-Graduação, a partir da apresentação dos slides em inglês desenvolvidos nos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu pelos alunos ingressantes dos Cursos de Mestrado e pelos alunos do 2º ano dos Cursos de Doutorado, especialmente aqueles apoiados por bolsas de estudo da Universidade ou de agências de fomento externas, como CNPq, Capes e Fapesp.

Para ver programação completa do II Postgraduate Meeting acesse este endereço.

Para ver programação completa do XXV Encontro de Iniciação Científica e X Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação acesse este endereço.

Mais de 1,6 milhão de pessoas receberão parcela do Auxílio Emergencial Extensão nesta segunda 446

Caixa começa a pagar extensão do Auxílio Emergencial a partir de amanhã; Confira as datas

Ao todo, beneficiários receberão R$ 420,2 milhões

A Caixa realiza nesta segunda-feira (26) o pagamento de R$ 420,2 milhões referente à segunda parcela do Auxílio Emergencial Extensão para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com final de NIS número 6. Ao todo, mais de 16 milhões de pessoas cadastradas no Programa Bolsa Família foram consideradas elegíveis para a segunda parcela do Auxílio Emergencial Extensão e receberão, no total, R$ 4,2 bilhões durante o mês de outubro.

Para quem recebe o Bolsa Família nada muda. O recebimento do Auxílio Emergencial Extensão atende aos mesmos critérios e datas do benefício regular, permitindo a utilização do cartão nos canais de Autoatendimento, Unidades Lotéricas e Correspondentes Caixa Aqui; ou por crédito na conta Caixa Fácil.

Para o pagamento do Auxílio Emergencial Extensão, os beneficiários do Bolsa Família tiveram avaliação de elegibilidade realizada pelo Ministério da Cidadania – conforme Medida Provisória nº 1.000, de 02 de setembro de 2020 – e recebem o valor do Programa Bolsa Família complementado pela extensão do Auxílio Emergencial em até R$ 300,00 ou em até R$ 600,00, no caso de mulher provedora de família monoparental. Se o valor do Bolsa Família for igual ou maior que R$ 300,00 ou R$ 600,00, o beneficiário receberá o valor do Bolsa Família, sempre privilegiando o benefício de maior valor.

A Caixa publica as atualizações diárias de números referentes ao pagamento do Auxílio Emergencial neste endereço e em suas redes sociais.

Renegociação de contratos é saída em meio à crise 247

Emanuel Pessoa é advogado especialista em Negociação, Contratos, Inovação e Internacionalização de Empresas / Divulgação

Emanuel Pessoa alerta que escuta ativa e comunicação objetiva são fundamentais para garantir resoluções positivas

Em momentos de crise como o que estamos vivendo atualmente, diversos aspectos da vida cotidiana são diretamente afetados. E no mundo dos negócios não é diferente. Algumas obrigações e formalidades precisam se adaptar ao novo cenário e é necessário garantir que todas as partes envolvidas estejam de acordo para que nenhuma saia prejudicada.

É aí que entra em cena uma modalidade característica de períodos de incertezas: a renegociação de contratos. “Estamos diante de um acontecimento inesperado que atinge a sociedade como um todo, afetando o equilíbrio econômico e financeiro de acordos firmados nas mais diversas áreas”, afirma o advogado Emanuel Pessoa. Mestre em Direito pela Universidade de Harvard, Pessoa aplica o método desenvolvido pela instituição para renegociar contratos de profissionais liberais e empresários em disputas comerciais, o que pode ser resolvido tanto amigavelmente quanto na Justiça.

O método propõe sete etapas que auxiliam profissionais do Direito e também pessoas leigas a renegociar contratos de forma clara e objetiva, levando em conta as necessidades dos envolvidos.

A primeira etapa diz respeito aos interesses: é preciso satisfazer o desejo de ambas as partes. A segunda trata das opções: quanto mais opções forem criadas para firmar o negócio ou a renegociação, maiores as chances de fazer um bom acordo. “A falta de opções parece um ultimato, ‘é pegar ou largar’. E muitas vezes, mesmo que um acordo sem opções seja muito bom, o outro lado pode rejeitar a proposta simplesmente por se sentir acuado e coagido”, alerta.

Em seguida, vem a legitimidade: é preciso adotar um critério objetivo e justo para a negociação, ou seja, criar ganhos mútuos. “O locador que insiste em receber o aluguel completo imediatamente sem levar em conta o cenário atual não está percebendo que isso pode impedir o inquilino de ter o fôlego necessário para se recuperar ao longo do mês e também no pós-crise. Essa atitude pode fazer com que o locador perca aluguéis futuros, saindo ainda mais prejudicado”, explica Pessoa. Nesse caso, o ideal é buscar um critério que não dependa exclusivamente da vontade dos envolvidos para contornar a situação e chegar a uma conclusão capaz de ajudar a todos, como usar o faturamento como medida da redução do aluguel.

Outra etapa foca no relacionamento: entender o lado do outro proporciona um ambiente de confiança mútua, o que pode facilitar a negociação presente e também outras que possam surgir no futuro.

Quais são as alternativas: se não der certo o acordo, quais outros acordos são possíveis? Quanto mais houverem, melhor a capacidade de negociar. “Você se sente mais confiante a pedir mais, sem se sentir obrigado a aceitar condições injustas”, explica.

Comunicação é fator fundamental para qualquer tipo de negociação: É importante saber conversar de forma clara, direta e precisa para não haver mal entendido e nem deixar passar batido partes importantes do contrato.

E por último vem o compromisso: A dica do advogado é não demorar para formalizar o que foi decidido: o ideal é utilizar palavras conclusivas como “fechado”, “combinado” ou “temos acordado” preferencialmente por escrito. “Por conta do isolamento, é possível resolver a questão por WhatsApp ou e-mail, sendo que as duas partes devem manifestar se concordam ou não com os novos termos. Tudo isso vale como registro”, diz.

Segundo o advogado, agora é hora de priorizar despesas e acordos relacionados à sobrevivência, como alimentação e saúde, além das atividades necessárias para exercer a profissão ou operar a própria empresa. Dessa forma, contratos de aluguel (para moradia ou espaço de trabalho), obrigações com funcionários, entre outros, podem ser ajustados levando em conta o interesse em comum de todos: manter as coisas funcionando normalmente de uma forma justa que seja positiva para ambas as partes.

Vale lembrar que em renegociações trabalhistas, todas as decisões devem ser feitas de acordo com a Medida Provisória 936, atualmente em discussão no Supremo Tribunal Federal. Qualquer negociação relacionada ao trabalho que não siga o trâmite legal está sujeita a ser questionada.

Para Pessoa, a atenção deve ser redobrada especialmente em tempos de crise já que muita gente está com os ânimos exaltados. Nesse caso, o ideal é deixar as emoções de lado e focar nos problemas a serem resolvidos. “A empatia é a melhor atitude neste momento. Fazer um esforço para se colocar no lugar do outro e entender que a situação está difícil para todo mundo é fundamental. Os interesses de todos estão alinhados: ninguém quer que o empreendedor quebre, que o trabalhador seja demitido ou que o fornecedor não seja pago. Quando há esse entendimento as partes conseguem se acertar”, finaliza.

Demanda do consumidor por crédito cresce 5,0% e registra a segunda alta seguida 570

Demanda do consumidor por crédito cresce 5,0% e registra a segunda alta seguida

Região Norte foi a responsável pelo maior número de pedidos de crédito

A demando do consumidor por crédito teve a sua segunda alta anual consecutiva, de acordo com o indicador da Serasa Experian. Em setembro deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado, a procura por crédito registrou crescimento de 5,0% (considerando a mesma visão, em agosto, a alta foi de 0,7%). A região Norte foi a que apresentou a maior expansão em setembro (9,4%), seguida do Sudeste (5,5%), Sul (4,2%), Centro-Oeste (4,0%) e Nordeste (3,6%).

Divulgação
Divulgação

Por faixa de renda, a maior alta (6,1%) foi verificada entre as pessoas que ganham até R$ 500,00. Esse aumento é o primeiro depois de sete quedas seguidas. Na sequência, vem os consumidores que recebem entre R$ 500,00 e R$ 1.000,00, com avanço de 5,4%, o segundo seguido no ano. “Esse crescimento pode ser um reflexo do menor valor do auxílio emergencial em setembro. Até agosto, esse valor era o dobro e, em muitos casos, maior que a renda do indivíduo. Com a queda pela metade, os consumidores podem ter ido atrás de crédito para honrar seus compromissos”, avalia o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

Divulgação
Divulgação

Comparação mensal

Quando considerada a comparação mês a mês – setembro x agosto 2020 – o índice aumentou 6,3%, após uma queda de 1,9% em agosto x julho 2020. A região Norte registrou a maior alta em setembro (9,7%), seguida do Nordeste (8,1%), Centro-Oeste (6,4%), Sudeste (6,2%) e Sul (3,7%).

Curso online da Serasa Experian apoia saúde financeira dos brasileiros

Para auxiliar e orientar os consumidores a cuidarem de suas finanças pessoais, a Serasa Experian disponibiliza um curso online e gratuito que apresenta fundamentos básicos sobre organização financeira. O conteúdo traz dicas de como elaborar o orçamento doméstico, priorizar dívidas, negociar, construir um fundo de emergência, entre outros conceitos básicos de finanças pessoais.

Por meio do planejamento e das técnicas econômicas ensinadas, é possível concretizar ambições de curto, médio e longo prazo. Para ter acesso ao conteúdo gratuito basta entrar no site e começar os estudos!

OLX Brasil fecha parceria com fintech para oferecer crédito pessoal 240

OLX Brasil fecha parceria com fintech para oferecer crédito pessoal

Integração com tecnologia da EasyCrédito permite que usuários do marketplace de compra e venda de itens usados acessem ofertas de empréstimo pessoal

A OLX Brasil fechou uma parceria com a EasyCrédito, fintech que conecta pessoas que precisam de crédito com empresas que oferecem empréstimos, financiamentos e cartões. Na prática, qualquer usuário cadastrado poderá agora solicitar empréstimo pessoal e ter seu pedido analisado pelas mais de 30 instituições financeiras parceiras da EasyCrédito.

Para os consumidores, a principal vantagem é ter acesso a diversas opções de crédito pré-aprovado enquanto navegam pela plataforma da OLX. Ao lado dos produtos anunciados haverá um botão que dará acesso ao novo recurso.

Essa facilidade de simular um pedido de empréstimo, de uma única vez e em mais de 30 empresas de crédito, só é possível graças às APIs (sigla em inglês para Interfaces de Programas de Aplicativos) da EasyCrédito. Por ser uma tecnologia “aberta”, ela permite o compartilhamento seguro das informações do usuário cadastrado na plataforma da OLX com as instituições financeiras.

“O que fazemos é uma prévia do que o Open Banking promete em favor dos consumidores de serviços financeiros, ou seja, estimular a competição entre as empresas para o cliente ter a melhor oferta de crédito, dentro do seu perfil”, destaca Marcos Túlio Ramos, CEO da EasyCrédito.

Já a OLX busca gerar mais valor e beneficiar cada vez mais seus usuários, oferecendo outra solução inovadora em sua plataforma. Os valores, após aprovados, poderão ser utilizados para aquisição de produtos anunciados na OLX ou mesmo para outras finalidades, como o pagamento de contas pessoais.

“O nosso propósito é empoderar os brasileiros para realizarem os seus sonhos, reinventando o modelo de consumo. Proporcionar acesso mais amplo, simples e conveniente ao empréstimo pessoal possibilita ampliar as opções de consumo dos usuários da OLX com segurança e agilidade durante sua jornada de descoberta e compra na plataforma. Estamos inovando e criando um marketplace de empréstimo pessoal dentro do nosso próprio marketplace de compra e venda de itens usados”, explica Joel Rennó Jr., sócio e CFO da OLX Brasil.

Como funciona

Por meio dos acesos neste endereço ou diretamente na página de qualquer produto, o cliente poderá fazer uma simulação e descobrir se possui crédito pré-aprovado. Em menos de dois minutos, o cliente visualiza, na própria plataforma da OLX, as propostas geradas pelas instituições financeiras conectadas na API da EasyCrédito. Em seguida, basta o cliente escolher a proposta que melhor se adequa à sua realidade financeira e fazer a contratação do crédito.

“Nossa missão é transformar vidas por meio do crédito. Para isso, entendemos que as soluções de crédito precisam estar disponíveis para o consumidor em diversos momentos. Nossas APIs otimizam o tempo do consumidor, evitando que ele efetue várias buscas e acabe desistindo de realizar algum sonho ou até mesmo resolver um problema”, afirma Ramos, lembrando que o empréstimo obtido pode ser utilizado, inclusive, para outros fins.

Crédito em Alta

A EasyCrédito, que utiliza um algoritmo próprio para analisar rapidamente o perfil de crédito do consumidor, fazendo um match (combinação) do perfil da pessoa com instituições financeiras e fintechs, continua crescendo.

Durante a pandemia, a fintech atingiu mais de 5 milhões de propostas de crédito analisadas e a projeção é elevar o faturamento em sete vezes em relação ao do ano passado. A meta para 2021 é ousada e a empresa quer atingir mais de 20 milhões de pessoas para se consolidar como o principal gateway no mercado.

“Existe gateway para quase tudo, pedir comida, assistir filmes, fazer uma viagem, realizar pagamentos ou pedir um transporte. Agora, também é possível ter acesso a crédito em diversos momentos de forma totalmente integrada, tão simples como pedir o almoço”, conclui Ramos.

C6 Bank lança guia sobre transformação digital para PMEs 483

C6 Bank lança guia sobre transformação digital para PMEs

E-book gratuito explica seis passos ao alcance do pequeno empreendedor para ajudá-lo a entrar de vez no mundo digital

O C6 Bank lança hoje o livro digital “6 passos para entrar no mundo digital – dicas e histórias para estimular você a modernizar o seu pequeno negócio”, que ajuda o pequeno empreendedor a iniciar a transformação digital de sua empresa. O e-book está disponível gratuitamente para download neste endereço.

O objetivo é mostrar com alguma teoria e exemplos práticos que é possível transformar um pequeno empreendimento ou uma prestadora de serviços em um negócio dinâmico, capaz de se adaptar às mudanças de hábito do consumidor. O livro apresenta seis passos para iniciar a jornada digital. São eles: cultura digital, conhecimento, criatividade, conectividade, capacidade técnica e cliente.

“Não é exagero dizer que a pandemia de Covid-19 antecipou o processo de transformação digital dos negócios, modificando as relações comerciais em um movimento majoritariamente eletrônico. Para o empreendedor, é hora de se preparar para oferecer o melhor dos dois mundos – o físico e o digital”, diz Philippe Katz, CEO da PayGo, empresa de meios de pagamento do C6 Bank.

O guia também explica como é possível fazer a conexão do pequeno negócio com o ecossistema digital, seja ele representado pela presença nas redes sociais, pela integração a soluções financeiras ou pelo uso de softwares de gestão. Segundo pesquisa do Sebrae realizada no ano passado, 44% dos donos de microempresas e empresas de pequeno porte relatam dificuldade com a gestão das redes sociais da empresa e 52% desejam maior qualificação nas áreas de controle e gestão financeira. Outro estudo, realizado pela H2R Pesquisas para o C6 Bank em agosto de 2020, mostra que 57% dos MEIs usam a conta bancária pessoal também para gerenciar seu negócio, sinal de que o segmento é carente de educação financeira e que há baixa penetração de serviços financeiros adequados ao perfil do microempreendedor.

O C6 Bank oferece conta gratuita para MEIs. A oferta dá direito a 100 TEDs gratuitas por mês, saques gratuitos nos caixas eletrônicos da rede Banco24Horas, cartão múltiplo C6 Business isento de anuidade, pagamentos, CDBs, maquininha C6 Pay com possibilidade de isenção da taxa de adesão e Limite da Conta (cheque especial). MEIs contam ainda com a tag de pedágio C6 Taggy, que é isenta de taxa de adesão e mensalidade, empréstimo, entre outros benefícios.

Ao longo dos próximos meses, o banco deve lançar outros produtos para pessoa jurídica. O objetivo da instituição é ser um banco completo tanto para pessoas físicas quanto para MEIs e PMEs.

O livro “6 passos para entrar no mundo digital – dicas e histórias para estimular você a modernizar o seu pequeno negócio” é uma iniciativa do C6 Bank e da PayGo. As empresas acreditam que conhecimento é uma das chaves para a construção e manutenção de um negócio sustentável e esperam que o e-book seja útil na jornada de transformação digital de muitos empreendedores.