Setor de seguros demonstra resiliência diante da crise, aponta presidente da CNseg 4776

Confira essa e outras reportagens na edição 240 da Revista JRS

O mercado brasileiro de seguros foi responsável por evitar uma queda ainda maior do Produto Interno Bruto do Brasil no segundo trimestre do ano. Foi o que destacou o presidente da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), Marcio Coriolano, em entrevista ao repórter William Anthony. O correspondente do JRS em São Paulo foi convidado pelo Clube dos Corretores de Seguros (CCS-RJ) e Educa Seguros para mediar o bate-papo, transmitido para quase 4 mil espectadores no YouTube. Este e outros conteúdos integram a edição 240 da Revista JRS.

Coriolano destacou o cenário macroeconômico vivido pelo Brasil desde 2015, quando foi registrada a maior crise econômica da história recente do País. “O setor é movido por três atributos econômicos principais, que são: produção, emprego e renda. O que aconteceu entre 2015 e 2018 foi uma recessão profunda que atingiu indistintamente esses pilares. No caso do setor de seguros, a recuperação começou em 2018 e os números foram excepcionais em 2019, quando o mercado cresceu 12,2%. Esperava-se a continuidade do crescimento em 2020, mas o vírus se abateu sobre a cabeça de todos”, comentou o presidente da CNseg. “Essa crise epidemiológica gerou uma crise de mobilidade, que ensejou em uma crise econômica. O setor de seguros, por sua resiliência e capacidade de reação, ainda conseguiu ter um crescimento no primeiro trimestre em relação ao ano anterior. Já em abril, houve uma queda de 22% na produção em relação ao mesmo mês do ano passado. Em maio os números melhoraram um pouco, dado crescimento dos segmentos VGBL e PGBL e, em junho, o crescimento foi mais expressivo. Não digo que estamos nadando de braçada. Os desafios são grandes nesse nosso mercado, mas isso também gera oportunidades. O mercado de seguros, mesmo em um período de crise mais grave, foi capaz de crescer”, enfatizou.

William Anthony entrevista Marcio Coriolano, presidente da CNseg / Foto: Diogo Vives/Divulgação
William Anthony entrevista Marcio Coriolano, presidente da CNseg / Foto: Diogo Vives/Divulgação

Marcio Coriolano enfatizou a rápida adaptação do setor e da Confederação ao trabalho remoto. O especialista acredita que um formato híbrido de atuação “veio para ficar”. “O teletrabalho demonstrou que se pode fazer muito mais e com muito mais produtividade do que no trabalho presencial. É sabido que a tecnologia é um braço auxiliar e atributo muito importante na hora de orientar os segurados”, afirmou.

Na opinião do também ex-presidente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), o principal efeito da crise desencadeada pelo coronavírus foi o sentimento de finitude. “Se alguém acreditava que o risco não existia passou a acreditar agora. Isso representa uma oportunidade enorme de as pessoas perceberam a importância do seguro. Os públicos estão procurando serviços e benefícios, mesmo que com coberturas mais limitadas e custos mais acessíveis, até por conta do uso da tecnologia”, comentou ao defender uma maior redução dos custos regulatórios, a fim de propiciar uma maior capilaridade, e do andamento de reformas estruturais.

Reservas técnicas e confiança no Brasil

Coriolano destacou os mais de R$ 1,2 trilhão de reais existentes em reservas técnicas no segmento de seguros, o que comprova a confiança do setor no País. “Nenhum empresário põe dinheiro em um setor onde é preciso colocar dinheiro na frente para acumular. Ninguém investe se não houver confiança em um país e, por aqui, acontece cada vez mais o contrário – o setor de seguros cresce”, acrescentou. “Temos uma importante missão civilizatória e precisamos cobrar mais dos poderes para que ajudem a ampliar soluções cada vez mais flexíveis e que possam atender os distintos públicos existentes no Brasil, uma Nação com dimensões continentais e profundas diferenças regionais”.

De acordo com o líder da CNseg, a indústria de seguros é reconhecida em nível mundial por sua solvência. “Todo o mercado de seguros é absolutamente regulado em qualquer lugar do mundo. Isso não é uma invenção brasileira. A Susep tem aumentado os requisitos de capital e solvência e nós agradecemos por isso. O número de intervenções do órgão regulador também é pequeno, restrito à situações históricas, o que comprova a solvência do setor”, disse ao enfatizar que as camadas menos favorecidas da sociedade são as que mais precisam de seguro.

Importância do propósito na hora da distribuição

Durante o bate-papo, Marcio Coriolano ressaltou a importância do propósito existente entre quem formula e quem distribui as soluções ofertadas pela indústria seguradora. “Essa dupla é permanente, uma não existe sem a outra. A crise traz oportunidades para os corretores e eles têm a missão de perceber o que cada segmento da população quer e precisa. Aí quem vai mandar é a capacidade e a formação técnica. É preciso reconhecer o trabalho estupendo dos profissionais de corretagem do Brasil”, justificou.

Paixão pelo mercado segurador

A paixão, sem dúvida, é algo que move boa parte dos agentes que integram o segmento de seguros. Com o presidente da CNseg isso não é diferente. “Tenho uma trajetória bastante longa e profunda neste mercado. Aprendi a respeitá-lo quando estava do outro lado do balcão, quando atuei no órgão regulador. Depois estive ao lado da produção, distribuição, venda e atendimento aos segurados. Só consigo ficar empolgado e apaixonado por este mercado, que tem a particularidade que os outros não possuem, que é o de entregar proteção à população”, finalizou.

Fairfax lidera as contratações de apólices subvencionadas para soja 525

Fairfax lidera as contratações de apólices subvencionadas para soja

Empresa registrou crescimento de 70% em prêmios entre 2018 e 2019 e prevê recorde em 2020

A cultura do seguro rural está avançando no Brasil. O setor está recebendo maior atenção do Ministério da Agricultura, por meio do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), e os produtores ruais estão atentos em busca de boas oportunidades para contratar o seguro.

A seguradora canadense Fairfax está acompanhando a evolução do mercado de seguro rural com otimismo. De acordo com Fabio Damasceno, Diretor de Agronegócio da Fairfax Brasil, o avanço é fruto da conscientização sobre a importância do seguro para minimizar os riscos da atividade rural. “O mercado está amadurecendo e os números comprovam isso. Quando o agricultor encontra um produto adequado para as suas necessidades, passa a enxergá-lo como uma ferramenta de gestão de risco. O seguro representa um insumo dentro da cadeia e não um custo”, afirma.

O ano de 2020 se consolida como um marco para a história do seguro rural no Brasil. Foram disponibilizados R$ 955 milhões para os subsídios do PSR, ante R$ 440 milhões em 2019. “Temos o melhor cenário de todos os anos para o acesso ao seguro rural, com o maior volume de recursos disponível. O cenário está caminhando para que grande parte da produção agrícola brasileira seja assegurada. Este ano deverá superar os 10 milhões de hectares com apólices subvencionadas”, afirma Guilherme Frezzarin, Gerente Técnico da Unidade de Agronegócios da Fairfax Brasil.

Recorde de contratações

Até a primeira quinzena de outubro, 140 mil apólices de seguro rural (todas as modalidades) já tinham sido subvencionadas com os recursos previstos para 2020, enquanto no ano passado o PSR encerrou o ano com cerca de 95 mil apólices subvencionadas. Para a atual safra de soja verão, foram aprovadas 75 mil apólices subvencionadas e a Fairfax responde por 15% deste segmento. “Estamos liderando nas contratações de seguro subvencionado para as safras de verão”, conta Frezzarin.

Segundo Frezzarin, o PSR oferece um percentual subsidiado pelo Governo de até 55% sobre o valor do prêmio, a depender da modalidade de seguro e do perfil do produtor. Essa política pública vêm se adaptando ao longo dos anos para ajudar o produtor a proteger a atividade rural. “O Ministério têm buscado incentivar alguns tipos de produtos, como o seguro de produtividade, custeio e seguro de faturamento”, diz Frezzarin.

Além disso, o Ministério da Agricultura lançou, em julho deste ano, o projeto Monitor do Seguro Rural, que vai ajudar a impulsionar o mercado de seguro rural. A inciativa promove reuniões para ouvir representantes do setor, com o objetivo de avaliar os produtos e serviços ofertados pelas seguradoras e propor melhorias até 2022.

Oportunidades

Outra boa notícia é que, com a expansão do mercado, houve uma redução no valor dos prêmios e as soluções também estão evoluindo. “Houve um decréscimo de 4,4% na taxa média do Brasil entre 2019 e 2020. Atualmente, já existem no mercado produtos mais aderentes à realidade da fazenda e seus riscos. Temos soluções feitas sob medida com recurso global e decisão local”, afirma Damasceno.

Operando desde 2010 no Brasil, a Fairfax tem uma cultura inovadora e vem crescendo significativamente. Segundo o diretor de Agronegócio, a Fairfax Brasil cresceu 70% em prêmios entre 2018 e 2019, por exemplo. “O segmento de seguro agrícola ganha cada vez mais importância e cresce junto com o agronegócio brasileiro. A tendência é oferecermos produtos cada vez mais personalizados”, diz Damasceno.

A Fairfax Brasil têm se destacado por meio de processos eficientes, parcerias perenes e bons relacionamentos. De acordo com o Gerente Comercial de Agronegócios da Fairfax Brasil, Diego Caputo, a Fairfax conseguiu manter a presença junto aos parceiros neste ano, apesar dos desafios em razão da pandemia do coronavírus. “A unidade de negócios Agro da Fairfax Brasil está cada vez mais próxima do agricultor. O cooperativismo ganhou relevância e os elos da cadeia estão se fortalecendo através da colaboração”, afirma Caputo. “As fortes parcerias entre Fairfax Brasil, cooperativas e corretores especialistas permitem a criação de produtos que atendam às necessidades do produtor para que ele plante tranquilo, consciente e de forma sustentável.”

O gerente técnico Guilherme Frezzarin reforça que as mudanças climáticas trazem um cenário cada vez mais desafiador para o agronegócio, evidenciando a importância do seguro para proteger as lavouras. “Temos um histórico recente de quebras de safra na região Sul, a sinistralidade foi altíssima para safras de verão e de inverno. Os eventos climáticos têm acontecido com mais frequência e com maior severidade”, analisa Frezzarin.

Venda de consórcios dá um salto e registra 179% de aumento em vendas no mês de agosto 630

Venda de consórcios dá um salto e registra 179% de aumento em vendas no mês de agosto

BR Consórcios apostou em garantir serviço de qualidade, mesmo remotamente

A pandemia trouxe muita incerteza a todos os negócios e, inicialmente, independente do ramo de atuação, o mercado ficou atônito, já que muitas pessoas ficaram sem saber o que fazer, com reações negativas e sem rumo. A BR Consórcios, empresa com mais de 70 mil clientes ativos pelo Brasil, adotou a postura de que nada iria mudar, garantindo toda ajuda necessária aos consorciados, a construir patrimônio e garantir um futuro financeiro mais seguro. Com isso, alavancaram as vendas, iniciando o período pandêmico com 80% e, agora, no mês de agosto, subiram para 179%.

“Isso trouxe muita coesão às equipes e segurança aos clientes, que perceberam que nós estávamos passando por um problema mundial, mas de forma serena e tranquila. Desta forma, muitos se apoiaram na empresa como quem segue um farol no meio da neblina”, afirma o diretor comercial da BR Consórcios, José Roberto Luppi.

Desde o início da pandemia, a BR Consórcios e suas associadas se posicionam no mercado, atuando com vendas consultivas que demonstram a necessidade de pensar no futuro e construir segurança financeira através do sistema de consórcios. Assim o público percebeu, claramente, que quem é previdente e desloca parte da renda oriunda do trabalho para o pagamento de uma cota de consórcio, constrói patrimônio e está mais preparado para tropeços conjunturais, como o que está acontecendo nesta pandemia.

“Um fator externo que não prevíamos dinamizou este processo, pois as pessoas que tem renda mais regular, através de emprego com remuneração fixa, ou que tiveram rápido sucesso na transição para o home office, e mantiveram seus rendimentos, neste período, fizeram muita economia, pois o isolamento social eliminou gastos supérfluos regulares, criando ou aumentando sobra de caixa em muitas famílias. Esta sobra, está sendo, em parte, direcionada para o sistema de consórcios, como forma de investir no futuro”, afirma o diretor.

Qualidade no serviço é a chave do sucesso

Segundo Luppi, há alguns fatores que determinaram serem assertivos no aumento das vendas. “Considero dois fatores importantes: o primeiro é a segurança de que precisamos continuar trabalhando da mesma forma e de que tudo isto vai passar, gerando confiança na equipe interna, que repassa isso aos nossos clientes, ou seja, clima de controle da situação. E o segundo, está na sobra de caixa das famílias, que tem possibilitado aumento de vendas aos atuais clientes, bem como a conquista de novos consorciados”.

Com a rápida transição para o sistema home office, a empresa conseguiu alcançar todos os clientes, possibilitando manutenção e ampliação dos ritmos de negócios. Segundo dados disponibilizados pela empresa, em todas as regiões que atuam, cresceram no período, tanto que houve recordes de vendas em território nacional. Isso em todas as categorias que a BR trabalha (motocicletas, automóveis, serviços, imobiliárias, entre outras).

“Este aumento se deu no período inicial da pandemia e, consequente, registramos quedas nas vendas, embora essa queda tenha sido menor do que em outros setores econômicos. A recuperação foi muita rápida e em forma de V, fator que nos surpreendeu positivamente”, diz Luppi.

Divulgação
Divulgação

“Trabalhamos com metas anuais de vendas que são estabelecidas entre outubro e novembro do ano anterior, ou seja, foi estabelecida sem o cenário de isolamento social no horizonte, e pelo que percebemos teremos nossas metas anuais atingidas, mesmo com a conjuntura atual”, apresenta o diretor. 

Agosto foi um mês de salto

A BR Consórcios bateu o índice histórico de IRC, com incríveis 78,3%. Isso significa que os clientes estão muito satisfeitos com as ações da empresa.

Divulgação
Divulgação

Também, em agosto, bateram o recorde de confecção de contratos de imóveis em um mês, com uma evolução de 97%, em relação a janeiro de 2020.

Divulgação
Divulgação

Outro destaque é que em agosto, a BR Consórcios obteve o segundo maior número de contemplações dos últimos cinco anos, ficando atrás somente do mês de junho deste ano.

Divulgação
Divulgação

“Conexão Futuro Seguro” chega aos corretores do Rio Grande do Sul 965

"Conexão Futuro Seguro" chega aos corretores do Rio Grande do Sul

Transmissão foi exclusiva para profissionais associados ao Sincor-RS

Em formato inédito e inovador, a “Conexão Futuro Seguro” promovido pela Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), Escola de Negócios e Seguros (ENS) e Sindicatos de Corretores do todo o Brasil, chegou aos corretores do Rio Grande do Sul, nesta quarta (28). Todos os participantes receberam certificado de participação, além de acompanhar uma enorme gama de soluções, benefícios, ferramentas e oportunidades de negócios.

A transmissão foi exclusiva para profissionais da corretagem PF ou PJ associados ao Sincor-RS. Além disso, foram realizados diversos sorteios durante o evento, como de notebooks e celulares de última geração. Um carro zero km será sorteado na etapa Conexão Futuro Seguro Brasil.

Um dos principais assuntos abordados durante a transmissão foi a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). “Tema de extrema relevância para as empresas corretoras de seguros, que deverão cumprir todos os dispositivos estabelecidos. A palestrante foi a Dra. Angelica Carlini, uma das maiores especialistas no assunto no Brasil”, comentou o Sindicato em nota enviada à redação.

Outra palestra, destacou a utilização da Certificação Digital como ferramenta para aumentar sua carteira de clientes e os resultados dos corretores de seguros. A grande novidade foi o lançamento da habilitação para Agente Autônomo de Investimentos por parte da ENS.

*Com informações de Sincor-RS.

Seguros Volkswagen firma parceria com Porto Seguro 765

Seguros Volkswagen firma parceria com Porto Seguro

Clientes VWCO podem contar com a confiabilidade de duas grandes marcas ao contratar proteção para caminhões

Com o objetivo de oferecer benefícios cada vez mais exclusivos para os seus clientes, a Volkswagen Caminhões e Ônibus e os Seguros Volkswagen, em parceria com a Porto Seguro, passam a oferecer planos de seguros que proporcionam maior comodidade e segurança para o dia a dia dos caminhoneiros e frotistas.

Agora, os clientes VWCO podem contar com a confiabilidade de duas grandes marcas ao contratar seguros para caminhões. Os pedidos de orçamentos dos seguros podem ser realizados através do Assistente Virtual da VWCO, neste endereço. Após um breve cadastro, o cliente poderá escolher o melhor plano para sua necessidade.

“A Volkswagen Caminhões e Ônibus está sempre procurando entender as necessidades de seus clientes, para oferecer serviços que otimizem tempo e processos. Nossa parceria, através da Seguros Volkswagen com a Porto Seguro, vem para proporcionar uma experiência única aos clientes VWCO”, comenta Antonio Cammarosano, diretor de Venda e Pós-Vendas.

“Acreditamos que essa parceria é uma maneira de reforçar o compromisso da Porto Seguro com os caminhoneiros, que rodam pelo nosso país e movimentam a maior parte da nossa carga”, declara Jaime Soares, diretor do Porto Seguro Auto.

Além do seguro para caminhões, que inclui coberturas para roubo, furto, colisão, incêndio, danos a terceiros e outros opcionais, os clientes VWCO terão acesso na plataforma, ainda este mês, a outros produtos do portfólio da Porto Seguro, entre eles:

Seguro de Vida Empresarial: pode ser contratado por pequenas, médias e grandes empresas para proteção financeira de sócios, funcionários e seus familiares. O produto é flexível e permite que as coberturas e os capitais segurados sejam adaptados à realidade de cada cliente. A contratação pode ser feita para grupos a partir de duas pessoas. Empresas que utilizam o Regime de Tributação pelo Lucro Real conseguem deduzir até 100% do valor do seguro como Despesa Operacional no Imposto de Renda.

Seguro para Empresas: garante proteção na medida certa para pequenas, médias e grandes empresas que atuam no comércio, na indústria ou no serviço. São várias opções de cobertura que podem ser contratadas de acordo com a necessidade de cada negócio.

Seguro Odontológico: cinco opções de planos, desenvolvidos para os colaboradores das empresas, têm custo acessível e contam com mais de oito mil dentistas referenciados para atendimento. A rede pode ser consultada através de diversos canais como site, aplicativo, SMS ou chatbot. A validação dos procedimentos é realizada no consultório odontológico através do e-Token. Desta forma, não é necessário assinar as guias comprovando o atendimento – ou seja, o processo é 100% online.

Porto Seguro promove live para celebrar o Dia Nacional do Dentista 629

Sandra Ossent é gerente de Odontológico da Porto Seguro / Divulgação

Transmissão conta com a participação do cozinheiro Raul Lemos

No último domingo, 25, foram celebrados o Dia Nacional do Dentista e o Dia Nacional da Saúde Bucal. As datas valorizam os profissionais de odontologia, que de acordo com o Conselho Federal de Odontologia, são mais de 300 mil no Brasil, bem como a importância do cuidado com saúde da boca. E para celebrar essas efemérides, o Porto Seguro Odontológico promove nesta quinta-feira, 29, uma live em comemoração às datas.

A ação terá início às 19h30min e será uma aula-show gastronômica com a participação do cozinheiro Raul Lemos, vice-campeão da segunda edição do maior reality show gastronômico do mundo e digital influencer no segmento culinário. A gerente do Porto Seguro Odontológico, Sandra Ossent, comanda a live, que ainda contará com dentistas da rede credenciada participando de forma remota e uma plateia interativa.

“Temos produzido mensalmente lives sobre temas relacionados à odontologia e administração de consultórios para estreitar o relacionamento com os profissionais credenciados. E desta vez, para celebrar o Dia do Dentista, vamos promover essa live com o chef Raul, que vai misturar odontologia e gastronomia, em uma conversa leve e descontraída que será aberta para todos os nossos colegas cirurgiões-dentistas”, afirma Sandra.

A live terá o apoio da Panasonic, líder global no desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras, que aposta na recém-lançada categoria de cuidados pessoais. Durante a interação, serão disponibilizados irrigadores orais compactos, portáteis e que funcionam a pilha, além de benefícios e descontos em produtos para os dentistas que estiverem na audiência.

Os interessados em acompanhar a live, que é aberta para todos os públicos, podem acessar este endereço.

Serviço

Evento: Live do Porto Seguro Odontológico – Celebração Dia do Dentista.
Convidado especial: Cozinheiro Raul Lemos.
Data e hora: 29 de outubro, às 19h30min.