Icatu amplia facilidades e coberturas do produto Horizonte 1045

Gustavo Arruda é gerente de Desenvolvimento de Produtos de Vida da Icatu Seguros / Divulgação

Produto passa a oferecer liberdade de escolha nas vigências das coberturas e uma nova experiência de venda 100% online

Maior seguradora entre as independentes, a Icatu Seguros traz mais flexibilidade para a comercialização do Horizonte, um dos produtos mais completos do mercado de Vida individual, que alia proteção e planejamento financeiro, com coberturas e benefícios customizados aos mais diversos perfis e realidades. Lançado no ano passado, este seguro é orientado pela inovação e oferece, além das coberturas tradicionais do seguro de Vida, a formação de reserva, inclusive com possibilidade de resgate pelo cliente. Com isso, o corretor ganha a oportunidade de ampliar ainda mais seu escopo de atuação.

A plataforma de vendas, cotação e contratação está ainda melhor, com um fluxo 100% online, que conta com assinatura eletrônica e análise inteligente da proposta, o que garante uma experiência intuitiva ao cliente e ao corretor. Com estas novidades o seguro pode ser aceito automaticamente após a conclusão da venda. Há ainda um novo fluxo de cartão de crédito com cobrança online e imediata, permitindo que o corretor receba a comissão ainda mais rápida.

Além das melhorias digitais, o Horizonte passa a oferecer liberdade de escolha sobre a vigência das coberturas, prazos de pagamento flexíveis e inclusão de novas coberturas adicionais. Com mais autonomia e flexibilidade o segurado pode escolher estar protegido entre 10 anos, 20 anos, ou de forma vitalícia, conforme regras do produto.

As coberturas incluídas fazem este produto ser o mais completo do mercado. Agora os clientes podem contar com proteção por incapacidade temporária e invalidez por doença. Além de outras garantias para proteger o segurado e usufruir do produto ainda em vida, como doenças graves e invalidez por acidente.O Horizonte ainda conta com benefícios adicionais, como o Seguro Viagem e a Assistência Domiciliar, para todos os clientes.

Com intuito de democratizar o acesso dos brasileiros, o produto é comercializado a partir de R$ 100 e com mensalidades fixas, reajustadas apenas pela inflação. O segurado pode se proteger com capitais que variam entre R$ 50 mil e R$ 5 milhões.

Como este é um produto resgatável, a partir do 25° mês de vigência o cliente pode usar o valor de resgate disponível para qualquer imprevisto ou ainda para quitar antecipadamente o seguro.

“Este é um produto flexível, que atende às principais necessidades de quem busca proteção financeira e que acompanha a reformulação que estamos fazendo em nossa grade para corretores, buscando opções cada vez mais alinhadas com o que seus clientes precisam”, afirma o gerente de Desenvolvimento de Produtos de Vida da Icatu Seguros, Gustavo Arruda. “Há coberturas temporárias, com proteção até a conclusão dos estudos de um filho, por exemplo, e condições variadas de pagamento, o que melhor se adequar ao perfil do segurado”, explica o executivo.

Regina Lacerda é coordenadora e coautora do livro Mulheres no Seguro 422

A corretora de seguros Regina Lacerda, proprietária da Rainha Corretora de Seguros / Divulgação

Corretora de seguros há 30 anos, quando pediu exoneração do judiciário do Distrito Federal para se dedicar à missão de proteger, a executiva é referência no cenário nacional, especialmente no empreendedorismo feminino

A corretora de seguros Regina Lacerda, proprietária da Rainha Corretora de Seguros, sediada há 30 anos em Brasília-DF, é a responsável pela publicação que tem dado o que falar no setor. O livro Mulheres no Seguro terá lançamento oficial no dia 25 de novembro, pela editora Leader, mas já está à venda em livrarias online.

A editora Leader criou uma série de publicações sobre mulheres empreendedoras em diversos setores, e para desenvolver o trabalho sobre a ascensão feminina nos seguros convidou Regina Lacerda. Foram selecionadas mulheres com papel de destaque no setor em todo o Brasil para apresentarem suas histórias inspiradoras, e a obra demorou um ano para ser concluída. “Fizemos uma grande pesquisa de nomes para compor o livro, iniciamos com 200 para chegar às 30 coautoras finais. Foi um grande trabalho, e consegui realizar, mesmo com minha rotina agitada, pela estrutura montada pela editora, o que me deu muita tranquilidade e permitiu que a obra tivesse um aspecto editorial muito denso e profissional – este é um dos melhores livros do segmento feminino no Brasil”, garante Regina.

O trabalho foi coroado com a participação da escritora Lya Luft como prefaciadora. “Foi justamente por se tratar de um trabalho dedicado e de qualidade que uma escritora de renome como Lya Luft aceitou nosso convite”, comemora.

Com uma inspiradora trajetória profissional, Regina Lacerda também é uma das 30 coautoras. Seu capítulo é o primeiro, intitulado “O mercado abre as portas para a feminilidade”, onde ela conta sua história. Carioca, chegou a Brasília aos 12 anos de idade, na década de 70, com os pais e cinco irmãos para ajudar a construir a cidade. “Para o meu pai, servidor público, foi um marco chegar em Brasília. Como a cidade gira em torno do serviço público, eu também desejei essa atuação e aos 18 passei no concurso para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal”. Exerceu sua atividade no judiciário por 10 anos, quando conheceu a área de seguros, em 1988, através do convite de um amigo para atuar como inspetora de produção da Sasse, seguradora da Caixa, que estava abrindo seu escritório em Brasília. Regina pediu uma licença sem vencimentos e trabalhou por dois anos lá, onde conheceu e se apaixonou pela missão de proteger.

Habilitou-se corretora de seguros em 1989, quando a então Funenseg levou o curso a Brasília, com professores do Rio de Janeiro. “Meu diretor na Sasse me aconselhou a fazer, disse que era uma oportunidade única, pois não saberíamos quando haveria nova turma. Eu estava no último semestre de pedagogia, precisei trancar a faculdade para focar no curso de corretora, uma das poucas mulheres estudando seguros na época”. O envolvimento foi tamanho que ela pediu exoneração do cargo público vitalício para se dedicar a empreender como corretora de seguros, e hoje a Rainha Seguros é referência não apenas em Brasília, mas em todo o Brasil.

A atual Escola de Negócios e Seguros (ENS) convidou Regina para ser testemunho de credibilidade na campanha “Seguro, uma vocação da mulher” que visibilizou quatro mulheres do Brasil que eram referência na profissão. Essa campanha foi realizada em 1993 e circulou em todas as revistas femininas nacionais à época, incluindo a Domingo, do Jornal do Brasil, e a Veja. A partir daí o tema empreendedorismo feminino começou “a seguir” Regina. “Não fui eu quem levantou essa bandeira, há mais de duas décadas, foi esse tema que me chamou para ser porta-bandeira dele”, diz.

“O livro Mulheres no Seguros é formado por mulheres apaixonadas pelo seguro. O convite para coordenar o trabalho caiu no meu coração de forma especial, tive um sentimento tão forte de pertencimento ao setor, que aceitei de pronto, com muito prazer e muita responsabilidade”, conta.

Regina é corretora de seguros, pedagoga, pós-graduada pela FGV em Administração Pública, teóloga e pós-graduada em Ciência da Religião. É acadêmica titular da Academia de Letras e Música do Brasil. Além de coordenadora do trabalho e uma das 30 coautoras, Regina também fez o texto de introdução, onde destaca que não há limite para as mulheres. “Segundo o mais recente Estudo de Mulheres no Mercado de Seguros no Brasil, realizado pela ENS, atualmente as mulheres compõem 55% do setor de seguros. Já somos maioria no setor em geral, mas em cargos de liderança ainda estamos desbravando. Nosso objetivo é que todas essas mulheres, que já são mais do que homens, possam ocupar cargos de lideranças e, assim, construir um mercado de seguros mais igualitário”.

Em 2014 recebeu convite para ser candidata a deputada estadual pelo Distrito Federal e hoje Regina é deputada distrital suplente pelo PODEMOS. Nesse momento está também fundando o CESB – Clube de Executivas de Seguros de Brasília, do qual será a presidente.

Além do livro Mulheres no Seguro, Regina escreveu sua história recentemente no livro “Empreendedoras de Alta Performance – Brasília” com a participação de outras 29 empresárias de sucesso da cidade, de segmentos diferentes. Regina foi a única representante da área de seguros no livro.

Mulheres do Seguro

O livro “Mulheres no Seguro” será lançado pela editora Leader no dia 25 de novembro, às 19 horas, pelo canal no YouTube. A obra, indo além da história do seguro, chama atenção para outra questão que precisa ser discutida: a equidade de gênero.

Com 30 depoimentos femininos, apresentando o perfil de executivas que atuam neste setor, nas principais cidades brasileiras, o livro promove amplo debate sobre o assunto. As 30 coautoras são: Regina Lacerda, Alessandra Monteiro, Andrea Mathias, Camila Davoglio, Carolina Vieira, Daniela Paschoal, Ellen Oliveira, Enir Junker, Eva Vazquez, Fabiana Resende, Francesca Bianco, Gisele Christo, Graziella Castilho, Guadalupe de Andrade, Isabel Alves Azevedo, Isabel Barbosa, Liliana Caldeira, Linda Bessa, Margo Black, Patrícia Campos, Paula Lopes, Rosana Techima, Rossana Costa, Simone Cristina Fávaro, Simone Ramos, Simone Vizani, Solange Guimarães, Stephanie Zalcman, Vanessa Capua e Vanessa Rocha.

Ficha técnica

Título: Mulheres do Seguro
Lançamento: 25 de novembro, 19 horas, organizado pela TV Gestão RH
Editora: Editora Leader
ISBN: 978-65-88368-11-4
Páginas: 360
Formato: 22,8 x 15,4
Preço: R$ 69,90
Vendas virtuais: Submarino, Americanas.com, Shoptime, Extra, Casas Bahia, Ponto Frio e Amazon
Vendas físicas: Saraiva, Cultura, Travessa, Livraria da Vila, Martins Fontes, Livrarias Curitiba

Evento online apresentou oportunidades de negócios em microsseguros 818

O fundador da Educa Seguros, Anderson Ojope; e o presidente da Associação Nacional das Microsseguradoras, Edson Calheiros / Divulgação

Conferência foi promovida pela ANM em parceria com a Educa Seguros

Exatos 1.011 profissionais do setor de seguros participaram ontem (24) da I Conferência Nacional de Microsseguros, evento online realizado pela Associação Nacional das Microsseguradoras (ANM), em parceria com a Educa Seguros.

Edson Calheiros, presidente da ANM, é um estudioso de microsseguros desde 2007, diretor da ALM Seguradora desde 2014, sendo ela uma das primeiras microsseguradoras do Brasil. A ANM foi criada em 2016 com o objetivo de fortalecer os pleitos das microsseguradoras junto ao órgão regulador e ao mercado segurador. Para ele, o microsseguro no Brasil pode ser um instrumento de poupança interna para a população de baixa renda. “É considerado um seguro inclusivo, que tem como característica a inclusão dessas famílias no planejamento financeiro, não garante fortuna e sim a subsistência”, explicou.

Anderson Ojope, fundador da Educa Seguros, reafirmou o propósito da empresa de levar conhecimento sobre oportunidades de negócios ao mercado. “O microsseguro pode ser uma grande oportunidade de negócios para os corretores de seguros, apesar do baixo ticket na venda, ela é vantajosa de duas formas: pela possibilidade de vendas em massa (já que atinge a maior parte dos brasileiros) e pelo aculturamento da sociedade, como uma forma de penetração do setor para quem ainda não contrata seguros”.

Durante todo o dia o evento contou com a participação de José Luis Ferreira da Silva, diretor Geral da CG do Brasil e diretor da ANM, mediando os painéis. “O microsseguro evoluiu graças à tecnologia que tornou a contratação simples, imediata e a baixo custo, permitindo vislumbrar canais de distribuição massificados como no relacionamento com fintechs, cooperativas, sindicatos, clubes, lojas de varejo e tantas outras possibilidades para aqueles corretores de seguros que buscam desenvolver seus negócios transformando o mercado e cumprindo o papel de protetores da sociedade”.

Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP, também abordou a importância da tecnologia para a viabilização do produto no painel “Sucesso na distribuição de Microsseguros”. “A tecnologia pode ajudar nas oportunidades, especialmente na distribuição de um produto de ticket baixo, de busca de um custo administrativo que seja viável, uma remuneração que sustente a operação. A comissão do microcrosseguro não é baixa se tiver uma visão da distribuição, uma ação coletiva, focada. Não é um produto para ser vendido de porta em porta, um a um, mas pode apresentar uma belíssima remuneração dependendo da estratégia e ação desenvolvidas”, ressaltou.Enio Miraglia, diretor da Milenium Consultoria, também mostrou como a tecnologia e a regulamentação estão prontas que o corretor opere este produto.

No painel “O início do Microsseguro no Brasil”, estiveram Armando Vergílio, presidente da Fenacor; Solange Beatriz, diretora de Relações de Consumo e Comunicação da CNSeg e Marcello Bittencourt, procurador do Governo Federal. “Os microsseguros, ou seguros inclusivos, têm enorme relevância para o amparo e proteção desse segmento da sociedade, ainda mais agora diante da nova ordem que surge a reboque da pandemia”, garantiu Armando Vergílio. Solange Beatriz lembrou que a Susep estuda novo marco normativo centrado em flexibilidade e vantagens regulatórias. “O Sandbox e as regras de proporcionalidade são contribuições indiretas para o microsseguro. Da mesma forma, insurtechs poderão agregar valor com soluções que reduzam custos”. Marcello Bittencourt apontou que os corretores de seguros poderão contratar como prepostos milhares de jovens das Classes C, D e E para a venda em comunidades e igrejas dessa importante modalidade de proteção financeira que é o microsseguro.”

Falaram sobre “O Microsseguro no mundo”, Camyla Fonseca, técnica de Capacitação em Seguros Inclusivos da Organização Internacional do Trabalho (OIT); Pedro Pinheiro, superintendente de Relações de Consumo e Sustentabilidade da CNSeg; Katharine Pulvermacher, diretora Executiva da Microinsurance Network; e Eugênio Velasques, presidente da Comissão de Seguros Inclusivos da CNseg.

“A regulação de produtos de microsseguros no Brasil” foi apresentada por Bento Zanzini, diretor da Psychonomics Consultoria Empresarial; Drª Angélica Carlini, advogada de seguros; e Fabio Izoton, presidente do CCS-RJ.

Já no painel “O papel das Microsseguradoras no Brasil” estiveram Márcio Carvalho, diretor da Capemisa Capitalização; David Novloski, diretor Comercial da Sudaseg; Rogério Bruch, representante da Oxxy Seguros; Newton Queiroz, CEO da Argo Seguros; Aldo Faleiro, diretor da Equatorial Seguradora; e Ronaldo Marques, diretor Executivo Comercial RJ/ES da Icatu Capitalização.

Patricio Neto, Head Of User Experience Design da Caixa Seguradora, trouxe os desafios dos Microsseguros num cenário de macro mudanças.

Foram apresentados cases de sucesso no desenvolvimento dos microsseguros “PASI e o seu papel social”, por André Araújo (gerente de Relações Institucionais do PASI); “Com essa bike você vai longe”, por Amilcar Vianna (fundador da Wosi), “Sucesso de vendas com Microsseguros”, por Ricardo Campos (diretor da WRX); e o case da Segna, por Silvio Guedes (diretor Comercial da Segna).

Para descontrair, duas breves apresentações motivacionais feitas por Daniel Lascani, jornalista, autor do portal Carreira & Sucesso, em “Doses de inspiração”.

Para Anderson Ojope, foi atingido o objetivo de despertar o interesse e ampliar o conhecimento sobre os microsseguros junto aos corretores de seguros e demais profissionais do mercado. “O microsseguro é importante para todas famílias que não têm o princípio do seguro como educação financeira, não somente as de baixa renda. A ideia é mostrar para os corretores de seguros que o microsseguro pode ser uma ferramenta de educação”.

Todos os vídeos poderão ser acessados no canal da ANM no YouTube.

*Com edições de Redação JRS.

Porto Seguro renegocia R$ 50 milhões em aluguéis entre abril e outubro 428

Nelson Aguiar é superintendente de Riscos Financeiros e Capitalização da Porto Seguro / Divulgação

Medida beneficiou mais de 24 mil inquilinos de imóveis residenciais e comerciais em todo o país

A perda e a redução de renda ocasionadas pela pandemia fizeram com que muitos inquilinos optassem por renegociar valor dos aluguéis. Entre abril e outubro deste ano, a Porto Seguro renegociou, através do seguro fiança, mais de R$ 50 milhões em aluguéis de imóveis residenciais e comerciais, beneficiando mais de 24,3 mil inquilinos em todo o Brasil. O número é 938% superior ao registrado nos mesmos meses de 2019, quando a companhia auxiliou pouco mais de 2,3 mil clientes.

“O aluguel é um dos itens que mais pesa no bolso dos consumidores e vejo que o acordo entre os envolvidos na locação (inquilinos, proprietários e imobiliárias) é a melhor alternativa neste momento em que o orçamento familiar está sendo diretamente impactado”, diz Nelson Aguiar, superintendente de Riscos Financeiros e Capitalização da Porto Seguro.

Parcelamento dos aluguéis em atraso ou a vencer

As imobiliárias e proprietários de imóveis podem oferecer aos inquilinos que realizaram a locação com a garantia do Porto Seguro Aluguel a possibilidade de pagarem os aluguéis em atraso ou a vencer e encargos da locação em até 10 vezes no cartão de crédito. As possibilidades do aluguel parcelado são válidas desde que o inquilino não tenha sinistros abertos.

ENS promove primeira edição da Oficina do Corretor de Seguros online 427

Seminário de Inovação marcará inauguração da Sala do Futuro e lançamento de livro

Transmissão ao vivo acontece no dia 28 de novembro, a partir das 10h

Sempre buscando se adaptar ao cenário de 2020, a ENS transformou em digital um tradicional evento antes realizado presencialmente. Trata-se da Oficina do Corretor de Seguros, iniciativa voltada aos alunos em fase de conclusão do Curso para Habilitação de Corretores de Seguros, ministrado pela Escola.

Ao promover uma aproximação dos formandos com as principais seguradoras do País, a Oficina apresenta uma primeira visão de como é a atuação do corretor na prática, já que as empresas têm a oportunidade de mostrar seus produtos e modo de operação.

Pela primeira vez, o evento será realizado de forma online, para os mais de 600 alunos inscritos. As atividades acontecerão na Sala do Futuro, com transmissão ao vivo pelo canal da ENS no YouTube, no dia 28 de novembro, a partir das 10h. A abertura será feita pelos representantes da ENS, Tarcísio Godoy (diretor geral), Maria Helena Monteiro (diretora de Ensino Técnico) e Ronny Martins (gerente Regional São Paulo).

Na sequência da programação, a professora Rosana Sá apresentará a palestra “A chave da Transformação: Uma abertura intencional para os novos tempos!”. O destaque do evento será o circuito com as seguradoras, conduzido pelo professor Ildebrando Neres, que contará com a participação das companhias Bradesco Seguros, Capemisa, Icatu, Liberty, MAG, Mapfre, Omint, Porto Seguro, Sompo, SulAmérica, Sura, Unimed e Amil. Também haverá sorteio de brindes para os inscritos durante todo o evento.

“Consideramos este evento de extrema importância para os corretores que estão se formando, pois é um momento em que podem conhecer as equipes comerciais e os produtos das principais seguradoras, realizar networking e participar de debates sobre a profissão”, finalizou Maria Helena Monteiro.

Transmissão da Oncoclínicas recebe o ator Zé Victor Castiel 429

O ator Zé Victor Castiel / Reprodução/Prefeitura de Garibaldi (RS)

Transmissão acontece a partir das 18h, nesta quarta (25)

Conhecido ator de TV, cinema e teatro, Zé Victor Castiel será o convidado da quinta live do projeto do Grupo Oncoclínicas no RS cujo episódio desta quarta-feira (25) será Falando de Saúde & Cultura. Com início às 18h, a live será conduzida pelos oncologistas do Grupo Oncoclínicas no RS, Carlos Barrios e Stephen Stefani, que farão a correlação do tema e saúde.

A estreia de Zé Victor em telenovela foi há 20 anos, em Laços de Família, atualmente sendo reprisada, e seu personagem Viriato tornou-se conhecido no Brasil porque era um marido apaixonado, mas que sofria de impotência sexual. Na sua participação na live da Oncoclínicas, ele também irá contar um pouco da sua trajetória como escritor, professor, produtor cultural e ainda integrante do trio gaúcho Homens de Perto, que faz espetáculos bem humorados usando elementos do Teatro de Revista.

O projeto Falando de Saúde adota um formato leve e espontâneo para tratar de bem-estar e qualidade de vida, sempre apresentado na última quarta-feira de cada mês. O projeto faz parte das iniciativas da Oncoclínicas no RS para aproximação com os diferentes públicos, assim como as rodadas virtuais do Ciclo de Discussões Científicas que abordam assuntos de relevância para a área da saúde com a presença de especialistas.

A live com Zé Victor Castiel poderá ser acompanhada neste endereço ou pelo perfil da Oncoclínicas RS no Facebook.

New Report

Close