Corretor Nova Geração da SulAmérica ganha edição especial em ambiente interativo totalmente online 1392

Lauzana aponta comportamento do consumidor como chave para o futuro

Com o tema Inteligência Digital nos Negócios, edição será exclusiva para a atualização de participantes de edições anteriores

Entre os dias 14 e 16 de dezembro, a SulAmérica conecta jovens corretores na primeira edição virtual do Corretor Nova Geração, que tem como tema central a Inteligência Digital nos Negócios. Realizado duas vezes ao ano pela SulAmérica, o programa que já reuniu mais de 500 jovens filhos de corretores e corretoras de todo o país em 14 edições presenciais, será voltado pela primeira vez para participantes das edições anteriores, que participarão de workshops e atividades em um ambiente interativo.

“As transformações digitais já vinham acontecendo, mas vimos elas darem um salto neste ano. O objetivo desta edição do Corretor Nova Geração é atualizar os conhecimentos de quem já participou do programa, que teve início em 2013. De lá para cá, as coisas mudaram muito e o corretor precisa estar antenado com o que há de mais moderno para poder vender e se relacionar com seus clientes da melhor forma possível”, conta André Lauzana, vice-presidente Comercial e Marketing da companhia.

O Corretor Nova Geração 3.0 traz em sua programação as novidades da companhia, como o IndicaSAS, uma plataforma inédita fruto da parceria entre SulAmérica e Órama, que apoia os corretores a incrementarem sua atuação e seus negócios, além de conteúdos sobre o mercado, com especialistas convidados para falar sobre temas como marketing digital, diversificação de carteira, entre outros. “Decidimos manter o programa e adaptá-lo para o formato virtual porque temos um comprometimento forte com nossos parceiros. Além disso, temos muito para compartilhar a partir da ampliação do nosso olhar para a Saúde Integral, que tem total ligação com diversificação de carteira e novas oportunidades de negócios para os corretores”, completa.

O convite será enviado por e-mail e WhatsApp e o acesso ao evento será por meio do PRASABER, a Escola de Negócios da SulAmérica, que pode ser acessada via aplicativo exclusivo ou pelo site.

Prudential do Brasil reforça compromisso com a ética em mês especial sobre o tema 331

Prudential do Brasil reforça compromisso com a ética em mês especial sobre o tema

Companhia tem o objetivo de reforçar a importância da integridade na condução dos negócios

Para a Prudential do Brasil, fazer as coisas da maneira certa é a única forma de fazer. Ética e confiança são palavras que permeiam todas as atividades. E com o objetivo de reforçar a cultura ética, os princípios e valores da companhia e o Código de Ética e Conduta, neste mês de abril, a Prudential do Brasil promove o Mês da Consciência Ética. Com o conceito ‘Integridade, de todas as formas, todos os dias’, uma programação completa e dinâmica foi elaborada para que todos possam entender como a ética deve ser vivenciada, devendo estar sempre presente no dia a dia de cada um.

Como uma das iniciativas programadas para o mês está o envio de uma carta de compromisso ético assinada pelos executivos da companhia para colaboradores, parceiros comerciais e corretoras franqueadas. Na mensagem, a carta traz os princípios que orientam a empresa: Fazer a escolha certa, Ter uma perspectiva de longo prazo, Vencer com talento, cultura e execução e Fazer e manter as promessas.

Entre as ações direcionadas apenas para os colaboradores estão a realização de uma palestra com o tema “Ética: Pro agora. Pro amanhã. Pro futuro. Qual é o nosso legado?” com o professor Renato Noguera, doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor dos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Filosofia da UFRRJ, e a criação de um game interativo, que trará diferentes cenários e três caminhos a serem seguidos em cada um deles. A proposta do game é que o colaborador reflita sobre as respostas e, tendo em mente as orientações do Código de Ética e Conduta “Fazendo as Escolhas Certas” da Prudential e das políticas internas, escolha o caminho certo a seguir. Para fechar, haverá o envio de mensagens especiais da liderança.

“O Mês da Consciência Ética é uma iniciativa global da Prudential, que reforça o nosso compromisso de trabalhar dentro dos mais altos padrões de integridade, ancorando nosso propósito, princípios e valores éticos na forma como construímos o hoje e nos preparamos para o amanhã. Fazemos compromissos de longo prazo e isso requer confiança, que é fortalecida por um posicionamento sólido e constante. É esse compromisso que faz a Prudential ser considerada por sete anos consecutivos uma das empresas mais éticas do mundo pelo Ethisphere Institute, um líder global na definição e no avanço das melhores práticas éticas nos negócios”, destaca Gabriela Al-Cici, diretora de RH, CHRO e BEO da Prudential do Brasil.

A Prudential ainda aproveita o período para reforçar que está aberta a ouvir a todos sobre qualquer preocupação ética e incentiva os colaboradores, parceiros comerciais e corretoras franqueadas a acessar o Canal de Integridade, no qual é possível, além da plataforma na web, fazer um relato através de um telefone 0800, de forma anônima, se desejável.

MBA Gestão Jurídica da ENS tem nova data de início 516

MBA Gestão Jurídica da ENS tem nova data de início

Curso é realizado totalmente na modalidade online

O MBA Gestão Jurídica em Contratos de Seguro e Inovação, ministrado pela Escola de Negócios e Seguros (ENS), teve o início das aulas ampliado para 24 de maio. Com isso, os interessados terão mais oportunidade para iniciar esse projeto de qualificação profissional.

O curso é realizado totalmente na modalidade online, o que viabiliza a participação de profissionais de todo o País. É indicado para graduados em Direito, Economia, Administração, Gestão, Engenharia, Ciências Contábeis e Atuariais, Medicina, Tecnologia da Informação, entre outros que possam agregar conhecimentos sobre seguros em sua atividade ou ampliar o conhecimento que já possuem.

O MBA está organizado em três módulos e, com 366 horas/aula no total, pode ser concluído em três semestres. Não há necessidade de realização de monografia ao final.

Os módulos contêm as seguintes disciplinas:

  • Módulo I – Direito Securitário, Regulação em Seguros, Distribuição de Seguros, Seguro de Automóvel e Inovação em Seguros;
  • Módulo II – Seguro de Pessoas e Acidentes Pessoais, Seguros de Responsabilidade Civil, Previdência Complementar, Riscos e Seguros Cibernéticos, e Seguros de Riscos de Engenharia e Propriedade;
  • Módulo III – Fundamentos de Resseguro, Seguros de Crédito e Garantia, Saúde Suplementar, Governança Corporativa, Compliance e Controles Internos, e Seguros de Transporte.

Aulas gravadas

Todos os módulos se encerram com palestras de importantes juristas brasileiros sobre temas bastante atuais, como análise econômica do direito e contratos de seguro, mediação, conciliação e arbitragem para contratos de seguro, e regulação de sinistros e fraude contra seguros.

As aulas são gravadas para permitir ao aluno assistir em outros momentos, caso necessário. A plataforma digital é educacional e permite efetiva interação entre alunos e professores, além de atividades em grupo ou em duplas, o que torna a relação ensino-aprendizagem mais dinâmica.

Para inscrever-se basta acessar o site da Escola de Negócios e Seguros, onde mais informações estão disponíveis.

C. Josias & Ferrer esclarece prejuízos não indenizáveis no Seguro Auto 424

C. Josias & Ferrer esclarece prejuízos não indenizáveis no Seguro Auto / Divulgação

Escritório especialista em direito securitário explica diferenças entre tipos de crime para análise de cobertura

Um caso recente chamou a atenção do mercado segurador e reforça que devemos estar atentos aos itens listados como prejuízos não indenizáveis nas apólices de seguros. Um profissional relatou o problema que uma cliente enfrentou, ao ter a cobertura negada pela seguradora, com base nas condições do contrato de seguros, exatamente por se tratar de um dos itens listados como prejuízos não indenizáveis.

Maria Izabel Indrusiak Pereira é advogada sócia do escritório C. Josias & Ferrer / Divulgação
Maria Izabel Indrusiak Pereira é advogada sócia do escritório C. Josias & Ferrer / Divulgação

O caso, resumidamente, é o seguinte: a segurada foi a um restaurante e, lá chegando, foi abordada por um falso manobrista que a convenceu a deixar a chave do veículo, pois não havia vagas disponíveis no recuo utilizado pelos clientes, em frente ao estabelecimento. Ela entregou a chave e somente ao sair do restaurante constatou que havia sido enganada, ficando sem o veículo. Contatado pela segurada, o corretor abriu o aviso de sinistro na seguradora e forneceu a documentação de praxe, mas, alguns dias depois, houve a recusa de indenização.

“Nesse caso, a segurada foi vítima de um crime, mas esse crime não tinha cobertura na apólice”, esclarece Maria Izabel Indrusiak Pereira, advogada sócia do escritório C. Josias & Ferrer. Por isso, a importância de diferenciar os tipos de crime que podem ser cometidos contra o veículo segurado, facilitando a identificação e a classificação do ocorrido em casos concretos, para análise de cobertura ou não, conforme regras da apólice.

“Via de regra, as apólices têm cobertura para furto e roubo”, pontua Izabel. Outros crimes, como extorsão (exemplo: o segurado sofre grave ameaça e é obrigado a levar o veículo segurado até um local determinado, entregando-o aos criminosos), apropriação indébita (exemplo: criminoso aluga carro em locadora e, passado o período do contrato, não devolve o veículo) e estelionato (exemplo: criminoso simula pagamento para compra do veículo, faz depósito com cheque falso, pega o carro e desaparece, não pagando pelo negócio), figuram como prejuízos não indenizáveis, ou seja, sem cobertura na maioria das apólices de seguros.

“Para aplicar a lei ao caso concreto, considerando também as previsões e redações contratuais, é verdadeiro afirmar que os tribunais analisam o tema com foco na relação de consumo. E quando presente conflito aparente de tipo penal (sendo necessário definir qual o crime cometido), via de regra, analisam a intenção (dolo), o núcleo da vontade do infrator. Mas é fato que a seguradora assume risco determinado, para tal calculando e cobrando o prêmio. Pagar sinistro por crime que não tem cobertura fere a mutualidade”, finaliza a advogada.

Reforma da Previdência: saiba quais regras valem para 2021 290

Reforma da Previdência: saiba quais regras valem para 2021

Advogado especialista em Direito Previdenciário indica melhor caminho para quem deseja aposentar-se

A Reforma da Previdência entrou em vigor por meio da Emenda Constitucional 103 e completou um ano em novembro de 2020, trazendo uma série de mudanças anuais para que os trabalhadores consigam a aposentadoria. Segundo o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em setembro de 2019 foram concedidas 152 mil aposentadorias, já em 2020 apenas 95 mil, em grande maioria para mulheres.

Atualmente, o número de aposentadorias vem sofrendo uma queda em relação aos anos anteriores. Entre as mudanças, algumas regras de transição sofrem alterações anualmente. Neste caso, as regras são direcionadas para os segurados do INSS e que já contribuem com o órgão antes da reforma, mas não estão na idade mínima para aposentadoria.

Para entender melhor sobre as mudanças vigentes em 2021, Átila Abella, especialista em Direito Previdenciário e cofundador da startup Previdenciarista – plataforma que oferece ferramentas para automatizar e otimizar as análises previdenciárias -, explica quais os principais pontos de atenção e alterações.

Tempo de contribuição e idade mínima

Em 2021, as mulheres precisarão ter 57 anos e tempo mínimo de contribuição de 30 anos. Já os homens, a partir dos 62 anos, com tempo mínimo de contribuição de 35 anos.

Cálculo de contribuição

A remuneração é calculada a partir da média dos salários, aplicando a regra de 60% do valor da média das contribuições realizadas a partir de julho de 1994, mais 2% a cada ano que exceder 15 anos de tempo de contribuição para mulheres e 20 anos de contribuição para os homens, sendo que para obter uma aposentadoria com valor de 100% da média uma mulher precisa contar com 35 anos de contribuição e um homem 40 anos.

Regra de transição pelo sistema de pontos

“Dentro do INSS, existe uma regra com sistema de pontos onde o trabalhador deve alcançar uma meta que resulta na soma de sua idade mais o tempo de contribuição. Neste ano, a pontuação para homens é 98 e para mulheres 88 pontos”, explica Abella. A reforma da previdência prevê um aumento de um ponto a cada ano, chegando a 100 para mulheres em 2033 e 105 para homens em 2028.

Transição por idade

Para os homens, não houve mudança no requisito idade, permanecendo a idade mínima de 65 anos. Já para as mulheres, desde 2020 a idade mínima de aposentadoria tem acréscimo de seis meses a cada ano, chegando em 62 anos até 2023. Para ambos, o tempo exigido é de 15 anos de contribuição, desde que já fossem filiados ao INSS antes da reforma da previdência. Portanto, a regra de transição é para que as mulheres completem 61 anos em 2021.

E quem estava próximo de se aposentar?

Para quem estava perto da aposentadoria, necessariamente a dois anos ou menos do tempo mínimo de contribuição em 13/11/2019, data da publicação da promulgação da reforma, será possível se aposentar sem idade mínima.

Mas com uma ressalva: cumprindo um pedágio de 50% do tempo que ainda restava da data da reforma. “Se o contribuinte estivesse com apenas um ano faltando para completar o tempo de contribuição, deverá trabalhar mais seis meses, assim terá um total de um ano e meio e conseguirá obter o benefício, apenas com a ressalva de que nesta regra será aplicado o fator previdenciário no cálculo do seu benefício”, finaliza Átila Abella.

Sete dicas para fazer o seu dinheiro “esticar” 420

Sete dicas para fazer o seu dinheiro "esticar"

Especialista e fintech dizem o que você pode fazer ou mudar no dia a dia para ver o seu dinheiro sobrar e durar mais

Fazer o dinheiro render e ter uma reserva financeira são desejos dos brasileiros que, diante das instabilidades financeiras e um mercado instável, parecem ter ficado mais difíceis de conseguir. Porém, existem alguns hábitos que podem ajudar.

A Grão, primeira fintech a possibilitar o micro investimento no Brasil, que tem como missão sempre promover a educação financeira para que os brasileiros alcancem seus objetivos, ao lado da mentora de bem-estar financeiro Maiara Xavier, revela 7 dicas para o seu dinheiro “esticar” mais. Saiba mais:

  1. “Aprender a dizer não para o que não é importante”, diz Maiara. Você precisa avaliar cada compra antes de fazê-la e identificar o que realmente é importante e necessário. Às vezes é preciso dizer não. Assim você deixa de gastar em excesso e prioriza os itens que são indispensáveis.
  2. “Faça o compromisso de poupar uma parte do salário”, diz ela. A ideia é que você, sempre que receber o salário, reserve 10% para guardar, independentemente da sua posição de trabalho, se é formal ou não. Depois, é só investir a quantia e colocar o seu dinheiro para trabalhar. Na Grão, ele não fica parado. Ao contrário, está sempre rendendo para você.
  3. “Tente criar múltiplas fontes de renda”, indica a mentora. Assim você deixa de depender de apenas uma fonte. Uma forma segura de ter mais segurança financeira é variar as fontes de renda. Estude as oportunidades, pense no que você faz de melhor e tente colocar em prática.
  4. “Outra boa dica é desenvolver o hábito de vender”, sugere a especialista. A gente explica: todo mundo tem algo que pode vender. Podem ser roupas ou sapatos em bom estado, com pouco uso, resultado de uma compra impulsiva, por exemplo. Identifique as oportunidades, divulgue e venda. É um dinheiro extra caindo na conta.
  5. “Aprenda a planejar suas compras”, diz Maiara. É o chamado consumo consciente! O brasileiro habituou-se a comprar primeiro e depois pensar em como pagar. Está errado. O ideal é fazer o contrário: só gastar o que você pode pagar. Ou então poupar dinheiro para conquistar uma meta.
  6. “Defina bem os seus objetivos”, indica. A dica simples: mantenha o foco e tenha objetivos muito bem definidos do que você realmente quer conquistar. São essas motivações que vão te levar a ter uma relação mais saudável com o seu dinheiro.
  7. “Desafie a si mesmo e movimente a sua vida financeira”, finaliza a especialista. No app da Grão, por exemplo, existem diferentes desafios que estimulam o usuário a investir um pouquinho por dia para ver esse dinheiro crescer e tornar permanente o hábito de guardar dinheiro.