Perfil e desafios da terceira idade como beneficiários de plano de saúde no Brasil 1553

Ricardo Sant´Ana é diretor de Benefícios da Lockton Brasil / Divulgação

Confira artigo de Ricardo Sant´Ana, diretor de Benefícios da Lockton Brasil

O envelhecimento populacional mundial já é uma realidade e, no Brasil, isso não é diferente. A maior longevidade da população é uma grande conquista da sociedade, entretanto, de certa forma, isso traz consigo um ponto de reflexão sobre o cenário dos planos de saúde.

Segundo dados apresentados pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), em março de 2020, havia 6,6 milhões de idosos com mais de 60 anos com planos de saúde no Brasil, o que representa 14% do total de beneficiários da saúde suplementar (47 milhões). Esse número dobrou nos últimos 20 anos, quando eram apenas 3,3 milhões de idosos.

Ao analisamos o perfil desses beneficiários, percebemos que, em março de 2020, 63% dos idosos estavam em planos coletivos e 37% em planos individuais ou familiares. Esse cenário também modificou ao logo dos anos, a partir de um salto do número de idosos em planos coletivos, especialmente nos empresariais que quintuplicaram entre 2020 e 2020.

Uma das consequências dessa transição demográfica é o custo médico assistencial, atuarialmente, que segue a premissa de que quanto maior a idade, maior a previsão de gastos. Se levamos em conta a questão da longevidade, com o passar do tempo, esses custos vão cada vez se tornando maiores.

Mas, quais os impactos dos idosos nos planos médicos? Devido a longevidade, mais tecnologia e o avanço da medicina, é indiscutível que as pessoas estão tendo uma maior sobrevida e boa parte delas com o amparo dos planos de saúde privados, cuja oferta é cada vez mais escassa e cara.

Os reflexos de toda essa evolução podem ser sentidos em inúmeras variáveis. Vamos citar algumas:

  1. Aumento dos preços dos planos corporativos – como a sinistralidade é mensurada de forma conjunta, a tendência de uma maior sinistralidade é mais evidente quando a população mais idosa vai crescendo (maior utilização), influenciando os custos totais de ativos e inativos.
  2. Aumento dos valores de passivo atuarial – as projeções de valores a serem consideradas em balanço (quando indicado pelas normas contábeis internacionais), acabam por aumentar à medida que a população mais idosa cresce, pois o compromisso futuro, embora diminua o prazo, tem seu valor agravado.
  3. Escassez de planos individuais – de acordo com a legislação em vigor, os critérios de aceitação, formas de reajuste, condições de cancelamento etc. desestimulam as operadoras a oferecer esse tipo de solução.
  4. Preço dos planos individuais – existem dispositivos jurídicos que normatizam as faixas etárias para a constituição de preços, de forma que, para cobrar mais caro na faixa etária mais alta, a operadora precisa cobrar mais alto a faixa etária mais baixa, além, é claro, de uma faixa etária estática cujo preço acima de 59 anos não tem reajuste em caso de mudança de idade.
  5. Maior nível de sinistros em função da COVID-19 – as pessoas mais idosas são as que mais estão suscetíveis ao agravamento de intercorrências da COVID-19.
  6. Dificuldade de recolocação de planos corporativos no mercado – uma das questões analisadas pelas operadoras ao oferecer suas condições para um plano corporativo é a análise atuarial das faixas etárias. Empresas com grupos maiores de pessoas com idades mais avançadas resultam em preços finais mais altos, para fazer frente ao potencial sinistro proporcional a esse grupo.

De acordo com a área atuarial da Lockton, se fizermos projeções atuariais capazes de precificar um plano para o futuro, teríamos que poupar uma verdadeira fortuna. Esse é um desafio que a terceira idade irá enfrentar para o futuro, bem como as empresas que possuem pessoas nessas condições.

Seria fundamental algum tipo de estímulo efetivo do governo de forma a trazer mais sustentabilidade para essa importante parte da saúde, pois, caso contrário, será algo que afetará a todos futuramente.

No passado, houve conversas iniciais sobre estímulos fiscais para a acumulação de recursos financeiros através de plano de previdência para subsídio de plano de saúde no futuro. Mas, infelizmente, foi mais uma boa ideia que não seguiu adiante.

Leandro Martinez é o novo Presidente da Chubb no Brasil 12106

Leandro Martinez é o novo Presidente da Chubb no Brasil / Reprodução

Companhia anuncia mudanças na diretoria em território brasileiro

A Chubb, maior seguradora de propriedade e responsabilidade civil de capital aberto do mundo, anuncia que, Leandro Martinez, atual Diretor Presidente Adjunto, foi nomeado Presidente da Chubb Brasil, sucedendo a Antonio Trindade, que passará a se dedicar exclusivamente à Presidência do Conselho de Administração da Chubb no Brasil, a partir de 1º de setembro.

Antonio irá representar a empresa junto aos órgãos reguladores, apoiando as decisões estratégicas locais, após um período de transição. “A experiência e o perfil do Antonio são ideais para esta posição e representam múltiplas vantagens competitivas para Chubb na indústria de seguros no Brasil. Estou muito feliz que ele tenha aceitado este novo desafio”, disse Marcos Gunn, Vice-Presidente Sênior, Chubb Group e Presidente Regional, Chubb América Latina.

Em sua nova função, Leandro terá responsabilidade geral pelos negócios de seguros gerais da empresa, incluindo propriedade e responsabilidade civil comercial, ramos pessoais tradicionais e especializados e seguros de acidentes e saúde complementar. Ele supervisionará todas as facetas do negócio, incluindo estratégia, produto e desenvolvimento de negócios, operações de subscrição e serviços e desempenho geral do negócio.
“A promoção do Leandro é um reconhecimento à sua trajetória de sucesso e às muitas contribuições, não apenas para nossas operações no Brasil, como também em toda a região da América Latina.

Leandro se juntou à Chubb em janeiro de 2011, como Head de Linhas Financeiras. Dois anos depois, foi promovido a Vice-Presidente Regional, Linhas Financeiras, baseado em Miami. Em 2018, retornou ao Brasil como Vice-Presidente de P&C e, em setembro do ano passado, assumiu como Diretor Presidente Adjunto. Desde então, foi um aliado estratégico na gestão da equipe e dos negócios da Chubb no Brasil.

Allianz lança seguro saúde para pequenas e médias empresas a partir de 3 vidas 531

Karine Barros é diretora executiva de Negócios Corporativos e Saúde da Allianz Seguros; e Matthias Kuehn é diretor da Allianz Saúde / Divulgação

Produto oferece cobertura nacional e ampla rede referenciada, além de acomodação em apartamento privativo e acesso à telemedicina em todos os planos

O segmento de microempresários e empreendedores individuais vem crescendo consideravelmente. Somente entre janeiro e abril deste ano, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) contabilizou a abertura de mais de um milhão de empresas no país. O número corresponde a 25% dos novos CNPJs registrados ao longo de todo o ano de 2020, quando o Brasil somou quatro milhões de novos empreendimentos abertos. Para atender a esse público, a Allianz passa a disponibilizar, para pequenas e médias empresas, um seguro saúde a partir de três vidas.

O produto conta com cobertura nacional e ampla rede referenciada de ponta, além de acomodação em apartamento privativo em todos os planos oferecidos. Os clientes ainda têm acesso gratuito ao serviço de telemedicina para atendimento a cerca de 40 especialidades, entre elas Psicoterapia, Clínica Médica, Infectologia, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Cirurgia.

“O seguro saúde da Allianz agora atende desde empreendedores individuais até grandes empresas. Com isso, além de estarmos alinhados às atuais práticas de mercado, reforçamos a possibilidade de recebermos clientes de todos os portes”, destaca Karine Barros, diretora executiva de Negócios Corporativos e Saúde da Allianz Seguros. “Apresentamos um modelo de seguro saúde abrangente, com diferenciais de coberturas e serviços, o que traduz uma ótima relação custo-benefício a um preço competitivo”, diz a executiva.

Simplicidade, conectividade e agilidade, atributos que permeiam as demais soluções da companhia, também estão presentes no Allianz Saúde PME. “A cotação do seguro saúde a partir de três vidas é realizada em menos de três minutos, por meio de navegação simples e poucos campos para preenchimento, entre eles dados resumidos da empresa proponente e seleção de planos”, reforça Matthias Kuehn, diretor da Allianz Saúde.

O Allianz Saúde PME é comercializado em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte e conta com cobertura nacional. Para mais informações sobre o produto, acesse este endereço.

Autonomia para cotações de 50 a 199 vidas

Recentemente, a Allianz também apresentou ao mercado o Allianz Saúde – PME 50, um sistema que oferece agilidade e autonomia na cotação de ofertas que envolvem entre 50 e 199 vidas. Em apenas duas telas, os corretores obtêm um cálculo personalizado sem tabela fixa e com preço na ponta. Além disso, os parceiros de negócios têm acesso às informações e valores, com a possibilidade de recebimento da proposta e emissão da apólice em questão de minutos, de maneira independente.

Bradesco Seguros quer ampliar penetração do Seguro Residencial no Brasil 348

Corretores poderão ofertar um produto único, com proteção para automóveis e residências, e benefícios exclusivos

O Bradesco Seguro Auto Lar, um produto único Auto + Residencial, é a aposta da companhia para ampliar a penetração do segmento de residências no mercado. No caso do corretor, é a opção de ofertar uma proteção ainda mais completa e abrangente.

“A Bradesco Seguros investe em inovação para oferecer produtos cada vez mais atrativos, com foco em maximizar a experiência do cliente. Aos corretores, é uma possibilidade de ofertar um produto mais amplo e que pode ajudar a incrementar as vendas e aumentar a receita com comissão”, destaca Saint’Clair Lima, diretor da Bradesco Auto/RE.

Entre as novidades, os consumidores terão acesso a coberturas personalizadas, sob medida, para casas e apartamentos, proteção básica mais abrangente, nova cobertura para moradia temporária e Responsabilidade Civil Facultativa (RCF) com Danos Morais no seguro residencial.

O pagamento do seguro Auto Lar poderá ser feito em um carnê único (Auto + Residencial), por meio de débito em conta ou cartão de crédito. Além disso, os clientes terão acesso a benefícios exclusivos, como sorteios de R$ 50 mil Reais mensais e 5% de desconto no prêmio, em pagamento com o cartão Bradesco Seguros para todo o Brasil (exclusivo para contratações até o fim de novembro).

Como parte da estratégia de divulgação do produto, a seguradora lançou uma campanha de marketing para consumidores e corretores, com a atriz e cantora Sandy como protagonista. Com conteúdo veiculado na TV e em canais digitais, a peça publicitária apresenta, de forma bem-humorada, que imprevistos com o imóvel podem acontecer com qualquer pessoa, até mesmo com as mais organizadas. Além disso, no dia 19 de outubro, a Bradesco Seguros promoveu uma live direcionada a corretores, para o lançamento do produto Auto Lar.

Icatu é eleita pela sétima vez como uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil 336

Camila Asenjo é diretora de Pessoas da Icatu / Divulgação

Companhia subiu 19 posições em relação ao ranking divulgado em 2020

A Icatu foi eleita, pela sétima vez consecutiva, como uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil, pelo Ranking Great Place to Work (GPTW) 2021, anúncio feito na noite de ontem. A empresa ficou entre as 30 melhores empresas de grande porte, categoria de mil a 9.999 funcionários, subindo 19 posições comparado ao ranking de 2020. Este reconhecimento é feito após a seguradora ter sido eleita a segunda melhor empresa para trabalhar pelo GPTW Rio de Janeiro, em setembro, e também como uma das melhores empresas para trabalhar entre as grandes seguradoras pelo levantamento do GPTW Instituições Financeiras.

Assim como a lista do GPTW Rio de Janeiro e Instituições Financeiras, divulgadas em setembro, a classificação do GPTW Brasil 2021 acontece a partir do reconhecimento dos seus mais de 2.100 funcionários que, no caso da Icatu, auxiliam diariamente a seguradora a entregar seu propósito de garantir que cada pessoa possa estar financeiramente protegida, e, assim, que viva melhor com mais qualidade de vida.

“Um reconhecimento como esse evidencia a nossa atuação como uma seguradora de pessoas para pessoas, sempre preocupada com as relações humanas e com a melhoria do clima organizacional da empresa. Somos uma companhia que valoriza e apoia o desenvolvimento de nossos funcionários. É com muita gratidão que recebemos o anúncio de mais esta premiação, o que nos motiva a seguir investindo no aperfeiçoamento contínuo de nosso trabalho”, destaca Camila Asenjo, diretora de Pessoas da Icatu.

6 vantagens de investir em previdência privada 336

Luiz Bacellar é CEO da Saks, fintech especializada em previdência privada / Divulgação

Confira artigo de Luiz Bacellar, CEO da fintech Saks

Sempre desconfiei das promessas de enriquecimento rápido. Depois de 15 anos trabalhando no mercado financeiro e olhando para os maiores investidores e empreendedores do mundo, é fácil notar que quase todos levaram um bom tempo para chegar onde estão.

Falando em investimentos, essa mentalidade de longo prazo é muito importante. Afinal, nesse caso, a disciplina de investir todos os meses, trará um impacto tão significativo quanto a rentabilidade do investimento escolhido.

Por isso, se o seu objetivo é acumular patrimônio, seja para construir a sua aposentadoria ou fazer a viagem dos seus sonhos, eu posso te garantir que o melhor meio é a previdência privada.

E não sou o único a acreditar nisso. Conforme a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), a previdência privada aberta atingiu em 2021 um aumento de 91,7% em captação líquida, um total de R$ 11,9 bilhões. Só em maio o setor teve alta de 83,7%, com uma injeção de R$ 3 bilhões.

Para te incentivar a começar a investir na sua previdência privada, separei algumas vantagens dessa modalidade de investimento para você.

As vantagens da previdência privada

1. A previdência privada é uma ótima forma de realizar objetivos

A previdência privada é conhecida tradicionalmente como uma modalidade eficaz para complementar a aposentadoria pública (INSS). Na verdade, o correto é tentar não depender do INSS.

No entanto, pode também auxiliar e financiar outros projetos de vida.

Comprar um carro, uma casa, custear o intercâmbio, abrir um negócio, garantir os estudos dos filhos ou netos. As possibilidades são infinitas.

Quanto antes você começar, maior será o efeito dos juros compostos.

2. Benefícios fiscais

Entre as principais vantagens da previdência estão os benefícios fiscais, já que com esse investimento é possível pagar menos imposto de renda.

Existem dois tipos de plano: o VGBL e o PGBL. O VGBL pode ser contratado por qualquer pessoa e tem todas as vantagens da previdência.

Já o PGBL é mais indicado para quem faz a declaração completa do imposto de renda (IR). Isso porque ele funciona como uma dedução legal com um teto de até 12% da renda bruta anual.

As tabelas de tributação são outra vantagem interessante. Existe a progressiva e a regressiva, elas se adaptam bem a diferentes perfis de investidores e objetivos. Para valores investidos por mais de dez anos com a tabela regressiva, por exemplo, é possível alcançar a menor alíquota de IR do mercado: 10%.

Já a progressiva, tem uma alíquota fixa de 15% no momento do resgate, mas esse valor pode ser compensado na declaração de IR, podendo variar de 0% a 27,5%.

Para escolher o plano certo, analise o seu perfil de investidor, seu objetivo e o tempo do investimento.

3. Ausência de idade mínima

Trata-se de um investimento que não exige idade mínima e por este motivo, acaba sendo a escolha ideal para pais que querem garantir o futuro de seus filhos.

Além de render mais que a poupança, ao fazer a previdência privada no nome dos seus filhos, o patrimônio acumulado já ficará no nome deles.

Quanto mais cedo você começar a investir no futuro dos seus filhos, maior será o patrimônio deles.

4. Resgate rápido e versátil

Você escolhe o melhor momento para realizar o resgate na previdência privada! É possível fazer isso a qualquer momento desde que esteja fora do prazo de carência (60 dias após a contratação ou movimentação de saída). Além disso, você pode usufruir do dinheiro acumulado de três formas:

  • resgate total ou parcial;
  • renda mensal temporária: você converte o valor investido em uma renda mensal, por um prazo determinado;
  • renda mensal vitalícia; o pagamento é recebido até o falecimento do titular.

5. Cria o hábito de poupar e investir

É muito prático investir na previdência privada. Você escolhe quanto quer guardar por mês e a forma de pagamento, se boleto ou débito automático. Isso te ajuda a desenvolver o hábito de poupar e investir todos os meses.

Como disse, na previdência privada, o maior valor está no hábito de investir todos os meses por um bom período de tempo. Você não precisa olhar todos os minutos para a tela para acompanhar a rentabilidade.

6. A portabilidade

Claro que quando digo que o hábito de investir todos os meses é mais importante que a rentabilidade, não estou desprezando o impacto que ela terá nos seus investimentos.

Se você pode ter uma rentabilidade melhor em algum outro plano de previdência, você deve buscar esse resultado.

E essa é uma grande vantagem da previdência. Você não precisa resgatar o dinheiro para migrar para outro fundo de previdência.

Caso não esteja satisfeito com os resultados do seu plano de previdência atual, você pode fazer uma portabilidade. Ou seja, migrar seu investimento para outra instituição ou fundo de investimento.

Desta forma, é possível fazer uma manutenção mais eficiente da sua carteira de investimentos ao longo dos anos e o principal, não paga IR sobre essa movimentação.

Essas são apenas algumas das vantagens da previdência privada. Se você realmente deseja se aposentar de forma digna, e eu acredito que todo brasileiro tem esse sonho, deve considerar esse como o seu principal investimento.