Vendas de ivermectina disparam 534% no RS; Medicamento não tem eficácia contra o coronavírus 2719

Vendas de ivermectina disparam 534% no RS; Medicamento não tem eficácia contra o coronavírus

Procura por antimalárico, vermífugo e antiparasitário aumentou em 2020, acompanhando mudanças nas regras da Anvisa, mesmo sem comprovação científica robusta de que funcionam

Em 2020, o ano em que o mundo sofreu uma revolução em todos os seus paradigmas por conta da pandemia de Covid-19, medicamentos como a hidroxicloroquina (antimalárico), a ivermectina (vermífugo) e a nitazoxanida (antiparasitário) tiveram altas expressivas nas vendas. O motivo é a crença de que esses medicamentos sejam fórmulas milagrosas que previnam ou curem a doença que praticamente parou o planeta. Embora não haja evidências científicas de que essa seja uma verdade, levantamento feito pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF) mostra que as vendas da hidroxicloroquina, por exemplo, mais que dobraram, passando de 963 mil em 2019 para 2 milhões de unidades em 2020. O aumento foi ainda maior no caso da Ivermectina, atingindo 557,26%. No Rio Grande do Sul, o aumento foi de 534% para a Ivermectina e de 119% para a Hidroxicloroquina (Veja quadros abaixo).

Dados – Brasil

MoléculaTotal 2019Total 2020Crescimento
Hidroxicloroquina Sulfato963.5962.026.910113,15%
Ivermectina8.188.21653.818.621557,26%
Dexametasona20.192.43422.496.38311,40%
Nitazoxanida9.214.55610.128.3519,91%
Ácido Ascórbico – Vitamina C44.263.66970.448.80459,15%
Colecalciferol – Vitamina D18.668.67733.809.82981,10%
Paracetamol48.331.24859.511.71623,13%
Dipirona sódica132.796.799149.888.92712,87%
Ibuprofeno65.249.25449.376.534– 24,32%

 Dados – Rio Grande do Sul

MoléculaTotal 2019Total 2020Crescimento
Hidroxicloroquina Sulfato93.897205.773119%
Ivermectina405.7542.570.673534%
Dexametasona1.012.0311.015.3820%
Nitazoxanida395.555424.2287%
Ascorbico Acido931.7421.623.97974%
Colecalciferol1.206.7472.330.17293%
Paracetamol6.461.0317.640.27518%
Dipirona sódica5.267.6625.788.13110%
Ibuprofeno4.596.2512.991.825-35%

Fonte: IQVIA (FMB, base Dez/20, apenas canal varejo, métrica em unidades) e Conselho Federal de Farmácia (CFF)

O quadro preocupa o Conselho Federal de Farmácia, que em sua 500ª Reunião Plenária Ordinária, realizada em 28 e 29 de janeiro, aprovou documento em que se manifesta sobre o chamado “tratamento precoce” da Covid-19. Na nota, o Plenário no CFF reafirma seu apoio à assistência à saúde baseada em evidências científicas e à vacinação; lembra que farmacêuticos têm obrigação ética e legal de promover o uso racional de medicamentos, e que a responsabilidade legal é compartilhada com proprietários de farmácias; reconhece a autonomia dos médicos na prescrição off label, mas reitera a responsabilidade técnica dos farmacêuticos na dispensação; e informa que infrações éticas, legais ou às normas sanitárias devem ser denunciadas aos conselhos regionais de Farmácia e aos órgãos de vigilância sanitária locais.

“O CFF já se posicionou inúmeras vezes diante da categoria e da sociedade, reafirmando sua defesa da assistência à saúde baseada em evidências” comenta o assessor da Presidência do CFF. Professor Tarcisio José Palhano. Inclusive publicou carta aberta e nota técnica sobre o tema, nas quais reafirma a autoridade técnica do farmacêutico no ato da dispensação de medicamentos off label (para finalidade distinta do uso aprovado pelo órgão sanitário). A orientação do conselho no caso da dispensação de medicamentos sob prescrição para uso off label é que, além de verificar todos os aspectos legais e sanitários que observa na dispensação dos medicamentos em geral, o farmacêutico esteja atento a outros detalhes importantes.

Um dos cuidados recomendados é verificar se houve a assinatura do Termo de ciência e consentimento entre o médico e o paciente. O farmacêutico também deve utilizar a sua competência técnica para avaliar e atender às necessidades do paciente e decidir cada situação, caso a caso, de modo a não permitir, de forma consciente, o dano evitável, bem como garantir que os benefícios de tratamentos sejam sempre superiores aos riscos que representam. Outras providências são o contato com o prescritor para esclarecer dúvidas, a aplicação de “Termo de Ciência e Responsabilidade”, caso o paciente opte por utilizar o medicamento mesmo tendo sido esclarecido sobre os potenciais riscos, e o preenchimento da “Declaração do Farmacêutico Responsável”.

“O CFF alerta que todos os medicamentos podem gerar efeitos adversos e que os riscos são ainda maiores para os medicamentos tarjados (aqueles de venda sob prescrição médica), não podendo ser negligenciados, considerando uma doença tão desafiadora como a Covid-19. A automedicação é fortemente desaconselhada”, alerta o assessor da Presidência do CFF, Tarcisio José Palhano. Ele lembra, ainda, que a Lei nº 13.021/14 diz que o “O farmacêutico e o proprietário dos estabelecimentos farmacêuticos agirão sempre solidariamente, realizando todos os esforços para promover o uso racional de medicamentos” (Art. 10) e que “O proprietário da farmácia não poderá desautorizar ou desconsiderar as orientações técnicas emitidas pelo farmacêutico” (Art. 11).

Normas sanitárias

É possível observar, por meio do levantamento, que há uma variação para maior nas vendas dos medicamentos claramente vinculada à pandemia. Também é possível notar que essa variação foi influenciada pela rigidez ou afrouxamento das normas sanitárias que disciplinam a prescrição e a dispensação durante o ano de 2020. Houve época em que a nitazoxanida e a ivermectina permaneceram sob controle especial, por exemplo. Nesses períodos, notamos certa redução. Importante destacar que as mudanças na legislação não têm efeito instantâneo sobre os números porque medicamentos em estoque não são imediatamente incluídos no controle quando as normas são baixadas, vez que o lançamento no SNGPC, que é o sistema da Anvisa para esse tipo de registro, é vinculado às notas fiscais.

Fundamental destacar, por fim, que o CFF está atento a esse problema e buscou alternativas para reduzir seu impacto sobre a saúde das pessoas. No mês de maio, realizou uma campanha pelo dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, em que divulgou pela primeira vez esses números. Na ocasião, alertou à população para a importância da assistência à saúde baseada em evidências científicas e alertou os farmacêuticos que, em meio a esse pânico gerado pela pandemia e diante da corrida desenfreada por medicamentos, continuassem pautando seu trabalho pelas normas éticas e pela legislação e normas sanitárias vigentes.

Dados – 2020

MoléculaJanFevMar (*)Abr(**)MaiJunJul(***)AgoSet(****)OutNovDezTotal 2020
Hidroxicloroquina Sulfato8193176036231.28811491410674682406240318

 

264.750196.820129398186525315.7782.026.910
Ivermectina666.016931.419818.3852.042.3973.708.1708.655.81712.106.0983.285.775 

2.685.099

 

2.293.2275.174.19711.452.02153.818.621
Dexametasona1.654.6771.524.9351.886.3411.450.7381.707.4052.637.4752.028.7051.898.6091.813.0691.773.0651.912.7072.208.65722.496.383
Nitazoxanida899.278780.030881.9841.205.261790.455622.277687.372475.127730.719887.412955.8391.212.59710.128.351
Ascorbico Acido3.178.2404.492.33318.806.5437.739.9106.394.7045.381.6404.897.7304.269.5393.520.8212.802.4394.153.5264.811.37970.448.804
Colecalciferol1.585.0951.550.7912.904.0762.650.5892.551.4932.645.8163.185.0753.010.4552.932.9653.020.0023.543.7314.229.74133.809.829
Paracetamol3.755.0003.915.45012.647.1454.706.2045.314.8494.842.6194.472.1303.769.3823.895.7183.667.2804.144.1234.381.81659.511.716
Dipirona sódica10.840.08010.302.96425.768.4329.933.65112.556.79011.646.65712.176.23710.766.41810.880.37610.894.52911.876.71112.246.082149.888.927
Ibuprofeno4.877.5894.750.4875.141.6572.585.3503.438.5403.795.8374.209.1853.713.5743.979.7914.036.5954.281.9894.565.94049.376.534
*20 de março de 2020 –  INCLUSÃO Lista "C1": CLOROQUINA e HIDROXICLOROQUINA -  Sujeitas a Controle Especial  - RESOLUÇÃO - RDC  Nº 351, DE 20 DE MARÇO DE 2020 (Listas de Substâncias Entorpecentes, Psicotrópicas, Precursoras e Outras sob Controle Especial).

**15 de abril de 2020 – Inclusão Lista "C1": NITAZOXANIDA - Sujeitas a Controle Especial - RESOLUÇÃO - RDC Nº 372, DE 15 DE ABRIL DE 2020.

***22 de julho de 2020 – EXCLUSÃO Lista "C1": CLOROQUINA, HIDROXICLOROQUINA, NITAZOXANIDA (Deixam de ser controlados). CLOROQUINA, HIDROXICLOROQUINA, IVERMECTINA, NITAZOXANIDA (Anexo 1) - tem mudança de regras, passando à prescrição em receituário simples, duas vias, com retenção da primeira. Escrituração no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) continua. RDC Nº 405, DE 22 DE JULHO DE 2020.

****01 de setembro de 2020 – EXCLUSÃO Do Anexo 1 da RDC 405 IVERMECTINA e NITAZOXANIDA - não precisa mais de retenção de receita, receita simples em uma via. (Resolução RDC nº 420/2020 – Exclusão de ativos da RDC nº 405/2020).

Dados – 2019

MoléculaJanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDezTotal 2019
Hidroxicloroquina Sulfato73.82772.91884.84774.39280.61376.17883.61683.22483.01485.69382.00883.266963.596
Ivermectina742.787687.286723.697689.354733.192652.791724.053666.491617.181635.819616.684698.8818.188.216
Dexametasona1.588.7721.531.3531.674.3841.696.4341.758.3011.578.3991.762.6671.713.4701.724.0521.750.9641.657.4691.756.16920.192.434
Nitazoxanida788.076769.370814.087774.556773.251677.422760.473798.336770.369812.472741.978734.1669.214.556
Ascorbico Acido2.586.1272.633.1544.101.6734.048.6034.873.5254.295.0274.259.6634.226.0753.474.5463.357.1333.194.9493.213.19444.263.669
Colecalciferol1.467.7711.424.4871.546.2791.399.9401.460.7371.386.3641.549.0041.615.6511.660.3231.772.0891.711.8851.674.14718.668.677
Paracetamol3.440.8573.293.8714.393.0544.452.4444.838.4154.303.3964.240.0223.841.3343.868.9323.891.4373.863.7993.903.68748.331.248
Dipirona sódica9.567.2459.118.39311.514.39211.541.25312.127.81611.172.37411.253.16811.414.55011.291.02611.694.93311.076.45211.025.197132.796.799
Ibuprofeno4.721.8914.481.5055.790.7735.454.1115.877.1425.150.2945.445.7435.375.0685.386.4186.220.5455.493.1475.852.61765.249.254

Ivermectina não funciona contra o coronavírus, alerta fabricante

A farmacêutica norte-americana MSD (Merck Sharp and Dohme) disse inexistirem evidências de que o medicamento traz benefícios ou seja eficaz contra o novo coronavírus. “Não acreditamos que os dados disponíveis apontem segurança e eficácia da ivermectina além das doses e populações indicadas na agência regulatória e aprovadas para prescrição”, disse o laboratório em nota.

Dr. Claudio José Albuquerque e Silva é novo Diretor Médico da MDS Brasil 484

Dr. Claudio José Albuquerque e Silva é Diretor Médico da MDS Brasil / Foto: Leonardo Rodrigues / Divulgação

Profissional possui sólida experiência em gestão de saúde e medicina assistencial

A MDS Brasil, uma das principais corretoras do País no segmento de seguros, resseguros, gestão de benefícios e consultoria de riscos, anuncia o Dr. Claudio José Albuquerque e Silva como novo Diretor Médico para a área de Gestão de Saúde. Com mais de 17 anos de experiência no setor de benefícios, Dr. Claudio será responsável por implementar estratégias para ampliar a visibilidade desta área e fortalecê-la com foco na gestão consultiva e na prevenção da saúde coletiva.

“Me sinto honrado por ter sido escolhido para este desafio. Quero dar continuidade ao propósito da MDS de proporcionar acesso a saúde e qualidade de vida aos colaboradores dos nossos parceiros e, contribuir com o meu know-how para fortalecer o nosso papel de consultores de gestão de saúde e benefícios para o mercado corporativo”, afirma Dr. Claudio.

Graduado em medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, especializado em ginecologia e obstetrícia, e pós-graduado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, além de MBA em Gestão de Saúde pela Fundação Getúlio Vargas do Rio (FGV-RJ), o executivo possui vasto experiência no segmento de gestão de saúde, com foco em governança e nas áreas clínica e técnica e soma passagens por grandes companhias, como Aon Brasil, Grupo Telefônica/Axismed e Unimed Leste Fluminense.

“Trabalharemos com o conceito de saúde mais ampla, que vai além somente da saúde física. Nossa missão, também é de zelar pela saúde mental, intelectual, espiritual, financeira, familiar social e profissional dos beneficiários. Por isso, nesta nova fase, somarei esforços a uma equipe de consultores especializados e dotada de ferramentas modernas e tecnológicas. Dessa forma, seguiremos antevendo e satisfazendo as demandas dos clientes de maneira personalizada e humanizada”, conclui o executivo.

Para Paulo Loureiro, Vice-Presidente de Saúde e Benefícios da MDS, a chegada do Dr. Cláudio reforça a expertise médica e eleva o status da MDS como autoridade ao que tange a esfera de gestão de saúde e benefícios. “Tenho convicção que todo o seu conhecimento, aliado à sua atitude e capacidade de liderança, serão fundamentais para sustentação e crescimento da área, não apenas em volume, mas também com iniciativas inovadoras e tecnológicas, que contribuirão para o desenvolvimento de soluções que ofereçam o melhor custo-benefício para os nossos clientes”, comenta Paulo.

Serviços de transporte crescem e trazem oportunidades para corretores de seguros 393

Mariana Miranda (Head Marine e Corporate Sales - Argo) e Ivor Moreno (Head Transportador da Argo Seguros) / Divulgação

Argo Seguros emitiu R$ 246,7 mi em prêmios de seguros no ano passado

As atividades de transportes e de serviços auxiliares aos transportes e correio cresceram 15,1% em 2021. É o que aponta a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Esse desempenho contribuiu para alavancar o crescimento do setor de serviços do País, que apresentou alta de 10,9% na comparação com 2020.

Ainda segundo o levantamento, essa é a maior taxa para um acumulado de janeiro a dezembro desde o início da série histórica, em 2012. Com o resultado, 2021 recupera as perdas de 2020, quando houve um recuo de 7,8% no setor de serviços.

O mesmo aconteceu no setor de seguros, com o ramo de Transporte crescendo 32% em 2021. Impulsionada pelo aumento da demanda, a Argo Seguros, por exemplo, registrou R$ 246,7 milhões de prêmios emitidos no ano passado, segundo levantamento da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Esse volume manteve a companhia entre as cinco principais seguradoras de transporte do país, com prêmio emitido de R$ 79,4 milhões em Transporte Nacional; R$ 76,6 milhões em Transporte Internacional e R$ 100,9 milhões em seguros de Transportadores. “Isso demonstra o enorme potencial que o ramo oferece aos corretores de seguros”, lembra Mariana Miranda, Head Marine e Corporate Sales da seguradora.

Já Ivor Moreno, Head Transportador da Argo Seguros, aproveitou para lembrar que o resultado é fruto também das ações que a companhia vem promovendo nos últimos meses. “Acredito que se deve muito ao nosso atendimento diferenciado nesse setor; do nosso foco em trading, agentes de cargas e despachantes; e dos investimentos em novas tecnologias”.

Recentemente a companhia lançou o ‘Radar Argo’, a central de inteligência de gerenciamento de risco da seguradora, que visa contribuir para maior segurança dos embarcadores e transportadoras e, consequentemente, na redução de custo da sinistralidade.

O serviço tem a capacidade de analisar se todos os itens da apólice estão sendo mesmo executados, como por exemplo, se os sensores da carga e a trava do baú estão funcionando normalmente; e se a escolta está na distância correta com relação ao caminhão. Outro benefício está na agilidade de pagamento do sinistro, já que facilita o trabalho do regulador na aferição se todos os itens da apólice estavam sendo cumpridos.

Prudential do Brasil estimula equilíbrio entre maternidade e carreira 334

Prudential do Brasil estimula equilíbrio entre maternidade e carreira / Foto: Alicia Petresc / Unsplash Images

No mês das mães, seguradora convida colaboradores a refletirem sobre bem-estar familiar e desenvolvimento profissional

A Prudential do Brasil está promovendo, durante o mês dedicado às mães, uma campanha interna para homenagear e valorizar aqueles que vivenciam a maternidade. A ação #mãespossíveis é uma iniciativa da seguradora para mostrar que filhos e carreira andam lado a lado e, ao mesmo tempo, convidar os colaboradores a refletirem sobre a maternidade, sem romantizar e sem vitimizar. O lançamento da campanha contou com um vídeo manifesto, trazendo depoimentos de colaboradores sobre a sua relação com a maternidade, e com uma folga durante o mês de maio oferecida a todas as colaboradoras que são mães, como uma maneira de dar mais qualidade ao tempo em família.

“Aqui na Prudential, nossa prioridade é acolher e apoiar todos os nossos colaboradores em seu desejo de exercer a parentalidade e de se desenvolver na carreira. O cuidar e proteger fazem parte do nosso propósito, do que oferecemos para nossos clientes, e não poderia ser diferente para nossos colaboradores”, comenta Gabriela Al-Cici, diretora de Recursos Humanos da Prudential do Brasil.

Karina Machado, colaboradora da Prudential / Arquivo pessoal
Karina Machado, colaboradora da Prudential / Arquivo pessoal

Para incentivar e motivar as colaboradoras – que representam 55% dos funcionários da seguradora -, a companhia convidou Camila Antunes, da Filhos no Currículo, para conversar sobre como equilibrar filhos e trabalho, em evento realizado no dia 11 de maio de 2022. Já para aquelas que estão interessadas em planejamento familiar e saber mais sobre congelamento de óvulos, a empresa apresentou uma palestra, no dia 25, com o especialista em medicina reprodutiva Felipe Konotop. Por meio de ações especiais com as do mês de maio e de benefícios que apoiam as mulheres que já são mães, as funcionárias da Prudential se sentem respeitadas e acolhidas.

“Descobri a minha gestação em meados de 2021, aos 42 anos de idade, e para a minha surpresa a notícia foi bem recebida pela minha equipe e pela minha liderança. Continuei empenhada no processo de promoção que eu já estava participando e fui promovida! Fiquei emocionada porque, embora pareça básico, a maioria das empresas deveria fazer isso”, relembra Karina Machado, Coordenadora de Inteligência de Mercado e mãe da Carolina, de 2 meses.

“Toda mulher grávida se sente um pouco insegura no trabalho, mas, aqui na Prudential, não experimentei essa sensação. Tive o acolhimento que precisava da minha equipe e da liderança. Pude usufruir da flexibilidade de trabalhar em casa, na modalidade híbrida, e continuar contribuindo com a empresa, além de conseguir me programar com calma para a licença. Eu me sinto respeitada”, conta Paula Chamorro, Analista Sr. de Franquia e à espera do Giovani.

Programa beneficia funcionária na hora do parto ou da adoção

Paula Chamorro, colaboradora da Prudential / Arquivo pessoal
Paula Chamorro, colaboradora da Prudential / Arquivo pessoal

A Prudential tem um programa especial para apoiar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, o Programa Viver Bem. Além de contar com ações que priorizam o bem-estar de todos os colaboradores, a iniciativa da área de Recursos Humanos possui benefícios especiais para atender as necessidades das colaboradoras da seguradora no momento da chegada de um bebê ou durante um processo de adoção.

A companhia é empresa cidadã desde 2019, oferecendo licenças maternidade e paternidade estendidas. Além disso, a seguradora mantém os valores integrais do cartão de alimentação e refeição dos colaboradores durante o período de licença. Outro benefício é o pagamento integral da participação nos lucros e resultados, sem descontar o período da licença.

A saúde mental também é uma preocupação da empresa, que oferece psicoterapia online gratuita duas vezes ao mês para todos os colaboradores. As gestantes que desejarem, podem contar com o acompanhamento psicológico durante toda a gravidez com profissionais especializados. Outros benefícios são: plano de saúde extensivo a dependentes, auxílios creche e babá, kit maternidade e salas de apoio à amamentação nos escritórios.

Europ Assistance Brasil marca presença no encontro de valorização às mulheres do Lady Diamond Club 561

Marcia Lourenço é Diretora de Recursos Humanos / Divulgação

Diretora de Recursos Humanos, Marcia Lourenço fará apresentação sobre ações desenvolvidas pela empresa

A Europ Assistance Brasil é patrocinadora do evento com foco na Proteção e Valorização da Mulher, encontro de empreendedoras promovido pelo Lady Diamond Club, fundado pela jornalista e empresária Débora Aguillar, que acontece nesta quinta-feira, 26 de maio, a partir das 12h30min, em São Paulo. A diretora de Recursos Humanos da EABR, Marcia Lourenço, marcará presença dividindo seu conhecimento, experiência e as ações desenvolvidas pela companhia em prol às mulheres. No evento também estarão presentes outras executivas da companhia, das áreas de qualidade e atendimento, novos negócios e marketing, a fim de disseminar a troca de experiências, networking, comprometimento com a equidade de gênero e o fortalecimento do papel das mulheres no ambiente corporativo.

Marcia Lourenço apresentará para as participantes o compromisso da Europ Assistance Brasil com a valorização de todas as pessoas, colaboradores, clientes e mulheres, encorajando a diversidade, investindo no aprendizado contínuo e no crescimento em um ambiente de trabalho transparente, coerente e acessível. “Desenvolver o potencial das pessoas, valorizar a mulher em todos os ambientes, é garantir o futuro a longo prazo da nossa empresa”, afirmou a diretora de Recursos Humanos.

O público-alvo do evento são mulheres entre 40 e 60 anos. Estão convidadas 70 empresárias e formadoras de opinião. O encontro acontece no bairro Morumbi, na residência de Marly Mansur, e terá parte da renda revertida para o programa Bem Querer Mulher, que promove atendimento humanizado e integral a mulheres que sofrem violência, oferecendo assistência social, apoio psicológico, suporte jurídico, conexão com o sistema de justiça, qualificação profissional, geração de renda e apoio familiar.

Divulgação
Divulgação

Porto e Azul Seguros tornam sites mais acessíveis com tradução em libras 560

Porto e Azul Seguros tornam sites mais acessíveis com tradução em libras / Divulgação

Dados indicam que ao menos 5% da população brasileira possui alguma deficiência auditiva

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), mais de 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, sendo 10 milhões com deficiência auditiva e 2,7 milhões com surdez profunda. Para esta parcela, correspondente a 5% da população brasileira, a acessibilidade é fundamental, seja para os desafios da rotina diária fora de casa, seja na hora de realizar ações básicas, como acessar um site, um perfil de rede social ou realizar uma compra por aplicativo.

Com o objetivo de tornar seus sites acessíveis a essa população, a Porto e a Azul Seguros firmaram uma parceria com a Hand Talk, empresa que oferece soluções para traduções automáticas na língua de sinais. O usuário que acessar o conteúdo das duas marcas passa a contar com um recurso de tradução virtual para a Língua Brasileira de Sinais, garantindo acessibilidade às pessoas surdas.

“O nosso objetivo é atender as necessidades apresentadas pela sociedade promovendo a autonomia daqueles que procuram os nossos serviços, sejam eles clientes ou corretores. Nosso compromisso é promover o acesso das pessoas a seguros e serviços simples, competitivos e confiáveis, com responsabilidade social e ambiental”, destaca Carolina Zwarg, diretora de Pessoas e Sustentabilidade da Porto.

Atualmente, apenas 1% dos sites brasileiros é considerado acessível, de acordo com pesquisa do BigDataCorp, realizada em parceria com o Movimento Web para Todos. E os sites de Porto e Azul Seguros terão uma tradutora virtual própria: a Maya, que por meio da utilização de inteligência artificial para o bem social, busca tornar a comunicação acessível para pessoas surdas, por meio de alta tecnologia. Para a Porto, por exemplo, a Maya fará um sinal próprio criado por pessoas surdas, usando uma configuração da palma da mão direita virada para cima, enquanto três dedos da mão esquerda realizam um movimento sutil, simbolizando a vela da Porto.

A iniciativa junto à Hand Talk, de acordo com Zwarg, está alinhada com a agenda ASG (ambiental, social e governamental) adotada pela empresa. “Essa é mais uma iniciativa para avançarmos cada vez mais no tema. Temos a responsabilidade de, por meio da inclusão, compreender todos os nossos públicos e clientes em potencial, que precisam estar incluídas no nosso negócio”.