Lead também é gente! 830

Richard Furck é corretor de seguros e consultor de empresas / Divulgação

Confira artigo de Richard Furck, corretor de seguros e consultor de empresas

Vejo muitos corretores de seguros hesitarem em entrar no universo das vendas on-line por acreditarem que nesse canal, o cliente só busca preço. Já escrevi um artigo em 2017 sobre os diferentes perfis de quem consome online (vale dar uma lida, pesquise entre meus artigos…), e acho incrível que ainda hoje persiste o mito de que quem compra na internet são os “millennials” ou apenas o comprador que só dá valor a preço.

Nesta virada de ano, eu e meu time estamos comemorando um resultado espetacular que afinal chegou, após 7 anos de uma longa e eterna aprendizagem que é o mergulho neste oceano vermelho e profundo das vendas online. Além de uma tonelada de tombos e erros cometidos, e alguns acertos, felizmente pudemos aprender muito deste universo, sobre o perfil do cliente, sobre o estilo do vendedor, e sobre o processo como um todo, principalmente observando de perto o trabalho incrível dos(as) consultores(as), escutando suas conversas com os clientes, analisando estrategicamente os números e indicadores da operação, ou simplesmente, apenas observando algumas propostas de seguros.

Dia destes, um dos meus “Topguns“ (como chamo meus consultores de vendas) trouxe-me duas propostas fechadas: Eram um VW Virtus, fechado em Navegantes/SC e um Jeep Compass, de uma pequena cidade no interior do Piauí cujo nome lamento não me recordar. Ambos os veículos eram zero km, e os seguros foram fechados na primeira ligação, com muito pouco desconto e margens bem satisfatórias para a operação. Mas a primeira coisa que me veio à cabeça, confesso, foi: “Tem 2 corretores em 2 cidades do Brasil que não fizeram seu trabalho direito… Como eles ‘perderam’ para internet?”.

Para entender esse negócio, fui investigar, conversando com o consultor e com os clientes, pois confesso que ainda alimentava parte daquele preconceito sobre o “cliente online”, e foi aí que vi que, na verdade, nenhum corretor ‘perdeu’ nada. Nosso consultor, sim, é que havia GANHO os dois negócios, com puro talento. “O cliente do Virtus me agradeceu pois fui o mais rápido a dar retorno e o mais rápido e entregar as cotações, tudo pelo WhatsApp. Concluiu que se éramos os mais rápidos pra vender, também éramos os mais rápidos para atender. Simples assim. Acho que a métrica de qualidade para ele, era apenas a rapidez de resposta”.

Já o cliente do Jeep Compass comentou comigo que tinha gostado muito da atenção dispensada pelo nosso consultor, da paciência dele, das explicações detalhadas, e da variedade de opções que recebeu, mas, mais que tudo, confidenciou, da simpatia, pois o vendedor falava sempre com um “sorriso na voz”. O diferencial foi que ao invés de “perguntar o perfil”, nosso consultor simplesmente conversou com o cliente sobre a vida e as necessidades dele, e teve a sensibilidade de captar os dados através de uma conversa agradável. Desta vez a experiência de compra foi garantida por pura empatia, simpatia, e espírito servidor (um pré-requisito para vendedores, e justamente por isso, um dos nossos 4 valores essenciais – Tá lá no nosso site!).

E foi assim, observando apenas duas propostas de seguro fechadas em um dia por um dos nossos consultores (Topguns, lembra?), que eu fiz uma verdadeira pós graduação em vendas e atendimento online: Não se pode sair por aí tentando classificar o que o “cliente da internet quer”… Simplesmente porque o cliente da internet, hoje, sou eu, é você, sua mãe, sua filha, é qualquer pessoa. Ao entrar nesse mundo, lembre-se: Independente do nome que darão às oportunidades de vendas, nós não tratamos com leads. Não atendemos prospects… Temos sucesso, pois nos tornamos especialistas em lidar com gente!

Associação das Mulheres do Mercado de Seguros lança nova marca 536

Associação das Mulheres do Mercado de Seguros lança nova marca

Anúncio foi realizado em evento virtual

A Associação das Mulheres do Mercado de Seguros (AMMS) anunciou, em evento virtual, o lançamento de uma nova identidade visual. A transmissão foi realizada nesta quinta-feira, 8 de abril, e tem o intuito de representar uma nova era para todas as associadas e mulheres do mercado de seguros. “Estamos chegando a outro patamar, em busca da transformação e do empoderamento das mulheres, em uma trajetória de ressignificância”, destacou a presidente da Associação, Simone Vizani.

O momento contou com apresentação da cantora Édria Tungavidya e participação de diretoras da instituição. A vice-presidente, Camila Davoglio, destacou o momento de amadurecimento da entidade e a jornada resultante de uma “emersão profunda”, em um longo caminho. “Foram vários encontros, por mais de um ano. Realizamos estudos, reflexões e releituras. Observamos o mercado e as necessidades das mulheres do setor. Mapeamos o nosso DNA para fortalecer a voz do nosso gênero. O desafio cresceu a cada etapa, pois percebemos que era preciso mudar a identidade. O resultado, esperamos, será um grande engajamento pela equidade de gênero, que é a causa maior da nossa marca”, frisou.

No final do evento, foram apresentados os depoimentos de diretoras e conselheiras da AMMS, que enfatizaram a relevância do projeto: Margo Black (primeira presidente da AMMS), Márcia Ribeiro, Mariana Valdiero, Liliana Caldeira, Margareth Carvalho, Ana Carolina Mello, Guadalupe Nascimento, Paula Lopes, Patricia Marzullo, Carolina Vieira, Daniela Tseimatzidis, Priscila Costa Russo, Carolina Fortunato e Simone Ramos.

*Com informações de Jorge Clapp.

Em alta temporada de ataques, vamos cuidar dos backups? 769

Em alta temporada de ataques, vamos cuidar dos backups?

Confira dicas de Leandro Lopes, diretor de engenharia de sistemas da Nutanix para a América Latina

Leandro Lopes é diretor de engenharia de sistemas da Nutanix para a América Latina / Divulgação
Leandro Lopes é diretor de engenharia de sistemas da Nutanix para a América Latina / Divulgação

Organizações em todo o mundo estão sujeitas a essa onda crescente de ameaças à segurança, que foi bastante intensificada pela pandemia. As empresas distribuídas e o trabalho remoto – muitas vezes com redes e conexões domésticas – mostraram-se pontos vulneráveis e suscetíveis a ataques e a vazamento de dados. Diferentes setores da economia e empresas de todos os tamanhos foram alvos em 2020 desses ataques, com destaque para a área da Saúde com hospitais, laboratórios, empresas de pesquisa de vacinas e tantas outras que sofreram as consequências desse novo cenário de riscos.

Então, quais são as implicações? Imagine ser o CIO de um hospital atingido por um ataque de ransomware durante uma pandemia. O impacto imediato é uma grande interrupção na capacidade de atender pacientes, agendar consultas, recuperar registros de pacientes e ter toda a comunicação prejudicada. O impacto potencial a longo prazo é a perda de dados confidenciais do paciente, perda de credibilidade e reputação e, claro, perda de receita.

Defesa em profundidade

Não existe uma solução única e mágica que possa garantir proteção contra todas as ameaças de ransomware. Nesse sentido, é importante praticar a defesa em profundidade que implica em contar com várias camadas para proteger seus dados. Alguns dos mecanismos de defesa que você pode considerar incluem educar os usuários finais, realizar varreduras regulares de vulnerabilidade, listas de permissões de aplicativos, controle de acesso baseado em funções e criar backups regulares de seus dados.

Por mais importantes que sejam essas técnicas de defesa em profundidade, os backups são sua última linha de defesa e podem restaurar seus dados após a ocorrência de um ataque cibernético. Combinar as melhores práticas de segurança com um planejamento sólido de backup e recuperação pode impedir prejuízos caros.

A proteção contra ransomware tem três aspectos: prevenção, detecção e recuperação. Obviamente, prevenir um ataque de ransomware é ideal, mas à medida que os invasores e as ferramentas se tornam mais sofisticados, isso nem sempre é possível. Em algumas formas de ataque, pode haver um longo intervalo entre a infecção real e a ativação do malware.

Os algoritmos de detecção são continuamente aprimorados e podem sinalizar o malware antes que ele seja ativado. Numa suposição (infeliz) em que ocorra uma execução real de malware, sua empresa precisa ser capaz de se recuperar rapidamente para evitar paralisações da operação e danos aos negócios.

Vejamos algumas das ferramentas e práticas recomendadas que você pode aproveitar para proteger seus dados:

1. Prevenir

  • Separação física, segmentação de redes de produção e rede de infraestrutura de backup.
  • Aplique a metodologia de backup 3: 2: 1: três cópias de seus dados em duas mídias separadas e uma cópia externa.
  • Use armazenamento imutável, habilitando os recursos para “bloquear” cópias de backup pelo período especificado para evitar a exclusão ou criptografia. Nem mesmo o acesso de administrador pode excluir ou modificar essas cópias de backup.
  • No dia a dia: Não use senhas padrão, aplique a políticas de senha fortes com autenticação multifator quando possível.
  • Use a segmentação de rede para separar o tráfego de gerenciamento de backup do tráfego de produção.
  • Restrinja o acesso com base em funções e identidades de usuário com RBAC (controle de acesso baseado em função).
  • Não use a integração do Active Directory (AD), mas use credenciais locais para backup, para que os ataques AD não afetem seu ambiente de proteção de dados.
  • Estabeleça agendamentos regulares de backup e realize revisões periódicas das políticas de backup.
  • Teste suas restaurações periodicamente para garantir que suas estratégias de backup e recuperação estejam funcionando corretamente a fim de atender aos SLAs pretendidos e que seus dados estejam seguros.
  • Mantenha backups de conjuntos de dados infectados para análise e detecção futuras.

2. Detectar:

  • Aproveite as ferramentas de proteção de dados para realizar a detecção de anomalias em tamanhos de backup e padrões de tráfego.
  • Restauração periódica (idealmente automatizada) de cargas de trabalho em um ambiente seguro para executar antivírus e verificação de segurança.
  • Use ferramentas de segurança atualizadas.
  • Verificação de log para tentativas de acesso não autorizado.

3. Recuperar:

  • Faça a recuperação rápida das máquinas com ferramentas de snapshot (cópia de dados). Como o nome aponta, estas ferramentas criam “fotos instantâneas” do ambiente e permitem um reestabelecimento rápido.
  • Tenha em mãos ferramentas para acelerar a restauração de cargas de trabalho com backup. Neste ponto, investir em soluções e conceitos de próxima geração como a hiperconvergência pode ser o ponto-chave para reduzir prejuízos de tempo de parada do sistema.
  • Essas práticas ajudarão sua organização a se recuperar rapidamente de um ataque ransomware e a proteger cópias limpas de backups com o mínimo de tempo de inatividade e elimina a interrupção dos negócios.

Luiz Mário Rutowitsch, presidente do CCS-RJ, participa do Seguro Sem Mistério nesta quinta (08) 646

Transmissão acontece a partir das 17h30min, no Canal do JRS no YouTube

O convidado do Seguro Sem Mistério desta quinta-feira (08) é o presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Luiz Mário Rutowitsch. O líder do CCS-RJ participa de um bate-papo mediado pelos apresentadores Júlia Senna e William Anthony, a partir das 17h30min, no Canal do JRS no YouTube.

Rutowitsch vai comentar sobre as ações desenvolvidas pela entidade para fomentar conhecimento e capacitação para os profissionais do mercado segurador fluminense, bem como o momento de sinergia vivido pela entidade com demais instituições do setor, como a Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), por exemplo. E ainda: Como as novas circulares emitidas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) podem afetar os profissionais da corretagem. “Será uma oportunidade para que os participantes do bate-papo possam conhecer as propostas da nova diretoria do CCS-RJ, eleita em dezembro de 2020, em prol da valorização do corretor de seguros”, explica o presidente do Clube.

Aproveite e envie suas perguntas e recados. Interaja com a transmissão através do chat e apareça no vídeo! Inscreva-se no Canal do JRS no YouTube e fique por dentro de todas as novidades.

O programa ainda possui apresentações de terça a domingo no canal 520 da NET HD para mais de 40 cidades do Rio Grande do Sul, com programas inéditos aos domingos, a partir das 11h30min.

Um ano após o primeiro pagamento de indenização por Covid-19 do Brasil, PASI bate recorde de atendimentos 554

André Araújo é gerente de Relações Institucionais do PASI / Divulgação

Foram registradas, até mesmo, indenizações por invalidez permanente por doença

Completou-se um ano da data em que foi paga a primeira indenização em decorrência de Covid-19 (08 de abril de 2020) e o PASI contabiliza atualmente mais de 350 famílias indenizadas em decorrência de morte em virtude do novo coronavírus. Um dado que também chamou atenção é que além das indenizações por morte, já ocorreram algumas solicitações de indenizações por invalidez permanente pela doença. “O PASI foi o primeiro a indenizar uma morte causada pela pandemia no Brasil”, destaca André Araújo, gerente de Relações Institucionais do PASI.

André ressalta que a média de idade dos segurados falecidos é de 56 anos, sendo que a grande maioria dos sinistros, 76%, ocorreram com segurados do sexo masculino. Além disso, destaca-se que o estado de São Paulo contabilizou a maior parte das vítimas, representando 36% do total.

Atendimentos da Central de Amparo PASI

Durante a pandemia, a Central de Amparo PASI bateu vários recordes de atendimentos. Foram contabilizados 5.070 acionamentos, representando um aumento de 337% na utilização dos serviços disponíveis.

Neste período, a maioria dos atendimentos prestados, 43%, foram relativos a traumas, transtornos e fobias, seguidos por apoio ao luto, que representou 13% dos acionamentos. O pico ocorreu no mês de abril de 2020 com 600 atendimentos realizados em um único mês.

Desde que foi criada, em abril de 2016, a Central já realizou cerca de 12.000 atendimentos de segurados e familiares espalhados por todo o Brasil.

A Central de Amparo PASI oferece aos segurados e suas famílias as assistências: Psicológica, Social, Nutricional, Fitness, Avaliação e Recolocação Profissional. No ano passado, por alguns meses, todas essas assistências foram disponibilizadas gratuitamente para os segurados PASI que não possuíam as assistências contratadas e também para os corretores de seguros e suas famílias, para que todos que precisassem de apoio, pudessem ser amparados e atendidos pelos profissionais de cada área.

Durante a pandemia, estão sendo atendidas pessoas com sintomas, diagnosticadas com o vírus, que temem a contaminação da doença e até pessoas que foram internadas e que se recuperaram. “A Central de Amparo PASI contribuiu e fez diferença na vida dos segurados e de seus familiares em diversos momentos, amenizando angústias, incertezas e inseguranças”, enfatiza Araújo, acrescentando que a pandemia veio elucidar sobre a importância destes serviços que promovem o bem-estar, a saúde física e mental das pessoas. “Nossa equipe se orgulha de estar cumprindo seu propósito social de proporcionar apoio e segurança em todos os momentos, gerando a inclusão e amparo através da proteção securitária”, conclui Araújo.

Café com Seguro da ANSP abordará simplificação da Norma dos Seguros de Danos 437

Evento virtual acontece no dia 20 de abril, 18h

No próximo dia 20, às 18h, a Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP) realizará mais um Café com Seguro Live que abordará o tema Simplificação da Norma dos Seguros de Danos. O evento será transmitido pelo canal da Academia no YouTube.

A Susep simplificou a normatização para os seguros de danos massificados e grandes risco e a a ANSP já realizou um evento Café com Seguro sobre esse tema, com participação de dois Diretores da Susep. “Esta é uma oportunidade para que você conheça a opinião das seguradoras sobre os impactos dessa simplificação na oferta e distribuição de produtos”, informou a instituição.

Programação

Abertura:
Ac. Edmur de Almeida – Diretor da ANSP.
Ac. João Marcelo dos Santos – Presidente da ANSP.

Contextualização:
Danilo Silveira – Diretor Executivo da FenSeg.

Debatedoras:
Magda Truvilhano – Vice-Presidente da Comissão de Riscos Massificados Patrimoniais da FenSeg.
Impacto para os Seguros Massificados

Thisiani Matsumura Martins – Presidente da Comissão Patrimonial de Grandes Riscos da FenSeg.
Impacto para os Seguros de Grandes Riscos

Moderação:
Paulo Marraccini – Vice-Presidente da ANSP

Coordenação:
Edmur de Almeida – Corretor de Seguros, Diretor de Fóruns Acadêmicos da ANSP e Coordenador comissão crédito, garantia e fiança locatícia do Sincor-SP e Fenacor.

Divulgação
Divulgação

Serviço:

Simplificação da Norma dos Seguros de Danos
Quando? Terça-feira, 20 de abril, 18h.