Carlos Josias: Jane Manssur, uma dama na estrada 2941

Carlos Josias, sócio fundador do C. Josias & Ferrer; e a educadora Jane Manssur / Arquivo Pessoal / Arquivo JRS

Confira coluna de Carlos Josias, sócio fundador do C. Josias & Ferrer

Nesses 50 anos de estrada – parece até disco do Erasmo – não dá para fugir do clichê: muita luz iluminou meu caminho. É clichê, sim, mas se encontrarem uma expressão melhor para definir quem surge no teu andar, te pega pela mão e mostra como se desvia das pedras – ninguém santo, bem entendido, até porque eu detesto pescaria, se é que me entendem – troco na hora, se me chegar antes do fim do texto.

Pois neste andar, alguns clichês do tipo poderia recordar e, na realidade, vivo recordando, como Claudio Fernando da Silva, Julio César Rosa, Jack Suslik Pogorelski, Gelson Corblini, Família Caburé entre outros tão importantes quanto.

Mas ninguém como uma Dama. Sim, houve uma Dama. Uma Senhora Dama. A Dama. A Dama mais importante que cruzou minha trilha.

Jane Manssur. Jane Manssur foi um marco divisor na minha história e do Seguro e, sem ser advogada, também na do Direito Securitário do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Educadora por vocação, enérgica, exigente, disciplinadora, sempre teve o dom de, sobretudo, ensinar educando, mantendo a fineza, a gentileza, sem nunca ter perdido a ternura – aprende esta Che.

Conheci a Jane em meados de 80, e vivenciei adiante o empreendimento mais significativo na história do Direito do Seguro do RS, talvez do país.

Um passo que alterou a visão do Judiciário sobre o setor securitário.

Antes disto Jane, num ato de bondade, me convidou para lecionar Direito do Seguro na ENS e mais, me concedeu a honraria de ajudá-la a montar o quadro docente ou completá-lo, pois alguns nomes ela já possuía.

Era meados para final de 80.

A ENS foi um sucesso mas o marco divisor veio nos anos 90, e por duas vezes Jane lecionou criatividade, talento, competência e sabedoria. Não só de Educadora, mas de Organizadora e Dirigente.

Num período em que operadores do seguro eram tidos como picaretas – sim, picaretas sim, sem nenhum exagero, não temos que ter vergonha disto, temos é que ter orgulho de ter sido derrubado este preconceito – perante o Judiciário e que um ministro do STF chegou a se referir ao Seguro como “este desconhecido”, com talento extra promoveu uma revolução. Generosa, Jane me concedeu nova honraria. Me convocou para a ajudar na organização de um Congresso entre Profissionais do Seguro e a Magistratura.

Lá me fui com a Laura Agrifoglio fazer o que fosse possível junto com A DAMA.

Aquele Congresso mudou a visão do Judiciário sobre o setor no Brasil inteiro. Todo o Tribunal de Justiça do RS, Associações de Magistrados do país inteiro, e militantes do seguro, técnicos e advogados, esgotaram as inscrições e lotaram a Serra Gaúcha. E por duas vezes. Tanto sucesso que o modelo foi importado pelo resto do Brasil e o Paraná logo em seguida repetiu o encontro. No Paraná fomos daqui eu e o Jardim, Presidente da AJURIS na ocasião, representando o RS, fruto da genialidade da Jane que até hoje modestamente, como sempre, diz que a ideia foi do Diretor Junqueira: que seja, mas ela traçou o plano e executou, com maestria. O resto da terrinha copiou.

Jane, A DAMA, foi pioneira e está na história do Seguro Brasileiro, e, generosamente, de carona, encontrou um cantinho para me incluir nela, timidamente.

34 anos no cargo, 75 turmas formadas, VIVA para nossa grande DAMA.

Saudações;
Carlos Josias, sócio fundador do C. Josias & Ferrer

Opinião de Valor do ISB Brasil aborda “Os reflexos da pandemia na Saúde Suplementar” 446

Encontro virtual acontecerá no dia 29 de julho, a partir das 9h

O ISB Brasil promove, a partir das 9h do próximo dia 29 de julho, o “Opinião de Valor”. O encontro virtual terá transmissão pelos canais do ISB Brasil e do JRS no YouTube e contará com participação de Vera Valente, Diretora Executiva da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde); do Dr. Rogério Scarabel, Diretor de Normas e Habilitação dos Produtos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS); e do Dr. Luis Rodrigo Schruber Milano, Diretor Presidente do Pilar Hospital.

“Este é o lançamento do Opinião de Valor, um programa do ISB Brasil para tratar de assuntos contemporâneos com a produção de conhecimento”, explicou a presidente do ISB Brasil, Joceli Pereira.

O público ainda poderá interagir com a transmissão através do chat ao vivo, com comentários e perguntas aos especialistas convidados. A entidade conta com 37 anos de atuação no mercado segurador, celebrados no último dia 09 de julho. O intuito do ISB Brasil é integrar os profissionais que atuam no ramo de Seguros Pessoais, com a finalidade de promover os ramos de Vida e Benefícios através de cursos, formações e aprimoramento profissional dos operadores do ecossistema segurador.

Mercados de capitalização e sorteios devem dobrar de tamanho nos próximos 5 anos 353

Mercados de capitalização e sorteios devem dobrar de tamanho nos próximos 5 anos

Projeção é do empresário Luiz Osório Silveira

O empresário, consultor e especialista em seguros, Luiz Osório Silveira / Divulgação
O empresário, consultor e especialista em seguros, Luiz Osório Silveira / Divulgação

Os mercados de Títulos de Capitalização e Sorteios vão, no mínimo, dobrar de tamanho nos próximos 5 anos e ultrapassar uma média anual de R$ 22 bilhões de faturamento para mais de R$ 45 bilhões até 2027. A projeção é de Luiz Osório Silveira, empresário, consultor e especialista do setor de seguros, previdência, capitalização e sorteios.

A entrada de novos players, a facilitação de acesso nas autorizações pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) e pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap), a redução dos valores cobrados pelas sociedades de capitalização diante da maior concorrência, a abertura do mercado, a oferta de novos produtos, novos canais de distribuição e o acesso a produtos digitais estão entre os motivos elencados por Osório para que os números venham a dobrar de tamanho.

Luiz Osório Silveira acaba de lançar o livro “Legalize Sorteios, Rifas e Promoções Comerciais” que aborda as duas únicas alternativas para autorização de sorteios no Brasil, além da Loteria Federal e das loterias estaduais. A obra traz um “passo a passo” para encaminhar os requerimentos junto à Secap e Susep, em especial quanto a documentação para Sorteios Filantrópicos, Títulos de Capitalização da Modalidade Filantropia Premiável, mecanismos de premiações para incentivar a venda de bens, produtos e mercadorias, as chamadas Promoções Comerciais e, ainda, os Títulos de Capitalização da Modalidade Incentivo. São 11 capítulos com detalhamento dessas operações em um verdadeiro manual de como realizar os sorteios.

No e-book, o autor demonstra as vantagens de cada uma das autarquias, suas diferenças e relaciona os documentos necessários para legalizar os sorteios, rifas e promoções comerciais, a legislação aplicável e as informações detalhadas de cada uma. O especialista convoca os mercados de seguros, previdência, capitalização e sorteios, e, em especial, os corretores de seguros para que venham conhecer os produtos, estudem as possibilidades de atender os próprios clientes que já trabalham com algum tipo de promoção comercial e, em especial, a chance de ampliar os ganhos de sua carteira através dos Títulos de Capitalização e Sorteios.

Saiba mais sobre o assunto em entrevista no programa Seguro Sem Mistério

Congresso Brasileiro do Agronegócio avalia desenvolvimento do mercado de carbono verde 330

Marcello Brito é Presidente do Conselho Diretor da ABAG; e Fábio Zenaro é Diretor de Produtos de Balcão e Novos Negócios da B3 / Divulgação

Evento virtual acontecerá no próximo dia 2 de agosto

Em meio às iniciativas, debates e ações implantadas por governos, empresas e instituições da sociedade civil para contribuir na diminuição do impacto das mudanças climáticas e para a descarbonização da economia, o 20º Congresso Brasileiro do Agronegócio, uma realização da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), em parceria com a B3, a Bolsa do Brasil, mostrará como o desenvolvimento do mercado do carbono verde no País é essencial nesse transição para uma economia mais limpa e como a atuação da cadeia do agro é primordial para contribuir nessa direção.

Com a expectativa de reunir milhares de profissionais no dia 2 de agosto, o evento online é considerado um dos mais relevantes do universo do agronegócio brasileiro e contará com as avaliações de importantes especialistas que tratarão do tema central Nosso Carbono é Verde. O encontro estará dividido em três painéis: Energia Limpa e Sustentável, Brasil Verde e Competitivo, O Futuro do Agro no Comércio Mundial para oferecer ponderações embasadas em anos de experiência e estudo, de modo a colaborar para ampliar o entendimento e a compreensão nos principais tópicos que norteiam cada temática. As inscrições para participar estão abertas, são gratuitas e podem ser feitas neste endereço.

O presidente do Conselho Diretor da ABAG, Marcello Brito afirmou em coletiva de imprensa promovida nesta quarta-feira, dia 21 de julho, que a escolha pelo tema não poderia ser diferente, com a maioria dos países debatendo o assunto e anunciando uma estruturação ou reestruturação de seus programas. “O evento trará uma prévia do que deve ser pauta na COP26. As principais economias e empresas estão avançando na estruturação financeira e econômica baseada no carbono e no pagamento de serviços ambientais. É uma nova realidade econômica, que será relevante para nosso país. Temos a chance de ser protagonista, com a implementação de uma agenda agroambiental, dentro de um mercado robusto de carbono”, acrescentou.

“Há pouco mais de um ano, passamos a oferecer plataformas tanto para o registro como para a negociação de créditos de descarbonização, os CBIOs, que ajudam o setor a efetivar seus negócios e vem atraindo, ainda que em menor número, também investidores não obrigados pelo Renovabio. Vemos grande potencial de expansão para os produtos ou iniciativas que estejam alinhados a práticas sustentáveis. Além do CBIO, temos discutido a evolução do mercado voluntário de carbono e de que forma a B3 pode contribuir para ele, considerando a pré-disposição de diversos players de aperfeiçoar esse mercado no país”, afirma Fabio Zenaro, diretor de Produtos de Balcão e Novos Negócios da B3.

A programação do evento foi construída com o objetivo de ressaltar como o potencial do agro para liderar essa transição para uma economia limpa, em sinergia com a preservação ambiental, que impulsionará o mercado de carbono verde no País. Isso porque é preciso transformar o sistema de produção mundial, buscando caminhos disruptivos e sustentáveis para o desenvolvimento nacional e global. O agro brasileiro pode ter sua terceira safra, que é justamente a neutralização do carbono.

Brito conduzirá, juntamente com o CEO da B3, Gilson Finkelsztain, a abertura do evento, a partir das 9h00, que terá o pronunciamento da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, a mensagem do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e do deputado federal Sérgio Souza, presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária.

Na sequência, o ex-ministro Roberto Rodrigues, coordenador do FGVAgro faz a apresentação de homenagem ao ex-ministro Alysson Paolinelli, indicado ao Nobel da Paz 2021. A ministra Tereza Cristina será homenageada com o Prêmio Ney Bittencourt de Araújo – Personalidade do Agronegócio. Já o Prêmio Norman Borlaug – Sustentabilidade será entregue à Celso Moretti, presidente da Embrapa.

A programação seguirá com a realização dos três painéis, moderados pelo jornalista William Waack e cuja dinâmica contará com um depoimento de importantes personalidades nacionais e o debate por renomados profissionais dos segmentos financeiro, cooperativista, energético, do agronegócio e de transporte, de institutos de pesquisa e de consultorias econômicas.

O CEO da Raízen, Ricardo Mussa, fará o depoimento do primeiro painel Energia Limpa e Sustentável, que pretende avaliar o panorama do mercado de energia renovável e biocombustíveis no País, uma vez que o desenvolvimento de novas soluções e tecnologias nesse segmento é fundamental para a descarbonização da economia. No debate, estarão: Antonio Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões; Gilberto Tomazoni, CEO Global da JBS; e Solange Ribeiro, presidente adjunta da Neoenergia.

Para o segundo painel Brasil Verde e Competitivo, Otávio Ribeiro Damaso, diretor de Regulação do Banco Central do Brasil proferirá seu depoimento para, na sequência, Carolina da Costa, sócia da Mauá Capital; Fábio Zenaro, da B3; e Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, trazerem sua avaliação sobre a importância de se ter métricas sustentáveis para uma maior competitividade do agro nacional bem como para a captação de recursos estrangeiros. Além disso, eles trarão o cenário atual e o potencial dos títulos verdes e como a sigla ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa) tem influenciado o mercado financeiro, por associar menos riscos ligados ao clima e à sustentabilidade.

Além de questões atuais, o Congresso Brasileiro do Agronegócio trará também a discussão sobre O Futuro do Agro no Comércio Mundial no terceiro painel. O embaixador Marcos Azambuja, conselheiro Emérito do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) ministrará seu depoimento para o debate de Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé; Elizabeth Farina, diretora Executiva da WRI Brasil; e Malu Nachreiner, presidente da divisão Crop Science da Bayer no Brasil. Os especialistas farão suas ponderações sobre como o Brasil poderá seguir na jornada de crescimento global, como uma atuação mais relevante na geopolítica mundial. Eles mostrarão os desafios que o setor precisará superar bem como as vantagens competitivas que podem ser aperfeiçoadas para que o agro cumpra sua missão de alimentar o mundo com nutrição, qualidade e sustentabilidade.

O presidente da ABAG será responsável pelo encerramento do Congresso Brasileiro do Agronegócio, cuja última edição, também promovida virtualmente, reuniu mais de 8000 participantes, um público formado por empresários, líderes setoriais, autoridades públicas ligadas aos governos federal, estadual e municipal, diversos parlamentares, além de inúmeros profissionais atuantes na cadeia do agro.

Serviço

Congresso Brasileiro do Agronegócio.
Tema: Nosso Carbono é Verde.
Data: 2 de agosto de 2021.
Horário: das 9h às 13h30min.
Inscrições e informações: neste endereço.

Divulgação
Divulgação

Unimed Londrina é certificada como “Excelente Lugar para Trabalhar” 437

Unimed Londrina é certificada como "Excelente Lugar para Trabalhar"

Reconhecimento é feito pela Great Place To Work (GPTW), consultoria referência no mercado mundial

A Unimed Londrina foi certificada pela Great Place To Work (GPTW) com o selo de “Excelente Lugar para Trabalhar”. A conquista é fruto do resultado de uma pesquisa de satisfação dos colaboradores, realizada pela GPTW neste ano. Para obter o reconhecimento é preciso alcançar, no mínimo, 70% de satisfação entre os funcionários. A Unimed Londrina obteve 85%.

A GPTW é uma instituição fundada nos EUA que presta consultoria em mais de 100 países, além de mensurar a satisfação dos funcionários de uma empresa, com relação ao clima organizacional, benefícios, remuneração, oportunidade de crescimento, dentre outros.

Ao receber o selo da GPTW, a empresa obtém credibilidade, tornando-se atrativa aos profissionais e apta para concorrer ao ranking “Melhores Empresas para Trabalhar”.

Dr. Omar Taha, presidente da Unimed Londrina, afirma que a certificação é resultado de um trabalho de qualificação e valorização desenvolvido pela cooperativa para seu quadro de funcionários. “Investimos em nossos colaboradores porque sabemos que temos uma equipe séria e comprometida, disposta a dar o melhor todos os dias. Ao oferecer um ambiente de trabalho comprometido com a excelência e bem-estar, retemos talentos e qualificamos os serviços prestados para os nossos clientes”, ressalta.

O superintendente Administrativo-Financeiro e Mercado da Unimed Londrina, Ricardo Pinelli, destaca a certificação obtida em uma época difícil ocasionada pela pandemia da Covid-19. “Um dos motivos de orgulho é saber que veio justamente num período tão atípico que estamos vivendo e que mesmo assim a cooperativa conseguiu se superar no trato e cuidado com suas equipes”, valoriza.

Segundo a gerente de Desenvolvimento Humano da cooperativa, Lucia Baum, o resultado simboliza o reconhecimento da grande maioria dos colaboradores que evidenciaram o valor e o cuidado que a Unimed Londrina presta às pessoas. “O melhor ainda é saber que quem disse isso foram os próprios colaboradores”, reconhece a gerente.

Com a conquista do selo, a Cooperativa passará por outras fases da certificação, ao inscrever suas práticas para os demais rankings da GPTW, como Melhores Empresas de Médio Porte PR; Melhores Empresas de Médio Porte BR; Melhores Empresas de Saúde etc.

Creditas ingressa no mercado de segurador com aquisição da Minuto Seguros 726

Sergio Furio, fundador da Creditas; e Marcelo Blay, fundador da Minuto Seguros / Reprodução

Trata-se da maior aquisição realizada pela fintech de crédito até o momento

A fintech Creditas anunciou a aquisição da Minuto Seguros, pioneira na comercialização online de apólices. O negócio é “significativamente maior” que a última transação realizada pela empresa, quando adquiriu a startup de motos elétricas Voltz por R$ 95 milhões, conforme declarou o CEO da Creditas, Sergio Furio à Revista Exame.

O movimento visa atender antiga demanda dos investidores da fintech pelo ingresso no mercado segurador. A Minuto Seguros tem mais de 160 mil clientes e R$ 250 milhões em emissão de prêmios anualmente. A Creditas emprega mais de 2500 pessoas e movimentou mais de R$ 2 bilhões em créditos desde a fundação.