A inovação pede passagem no setor de Seguros 468

Antonio Carlos Costa é presidente do Sindicato das Seguradoras RJ/ES / Arquivo JRS

Confira artigo de Antonio Carlos Costa, presidente do Sindicato das Seguradoras do Rio de Janeiro e do Espírito Santo (SindSeg RJ/ES)

A digitalização chegou e com ela estamos presenciando uma verdadeira revolução no Setor de Seguros. Vistoria prévia presencial, emissão de apólice física com seu respectivo carnê de pagamento, protocolo de propostas físicas, para citar alguns exemplos, já fazem parte do acervo de tempos pretéritos. Processos digitalizados, utilização de inteligência artificial e de algoritmos, bem como o advento de insurtechs operando com marco regulatório específico e devidamente aprovado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) estão transformando nosso Setor, mas precisamos ficar atentos aos grandes e pequenos sinais, faróis para decifrarmos o que fará sentido para o consumidor do futuro, ou melhor, do amanhã. Então estamos no caminho certo e nada precisa mudar?

O cientista e futurista Roy Amara definiu uma regra muito importante quando tratamos de novas tecnologias: “Nós tendemos a sobrestimar o efeito de uma tecnologia em curto prazo e a subestimar o efeito em longo prazo”. Precisamos aprender a nos estruturar de forma multidisciplinar e encorajar nossas empresas a errar rápido e regularmente, construindo cada vez mais uma cultura que estimula e apoia a inovação continuada.

As empresas que conseguirem estruturar uma estratégia ambidestra terão vantagem competitiva. E o que significa ser uma empresa ambidestra? É ter a capacidade de abrir duas frentes: uma para pagar as contas hoje e outra para pagar as contas no futuro. Sim, temos que cuidar dos clientes já conquistados, pagar os salários e as demais despesas operacionais e gerar lucro aos nossos acionistas, mas também precisamos desenvolver novos modelos de negócios, novos mercados, novos produtos ou serviços hoje inexistentes e que serão demandados daqui a 10 anos.

Vejo, por conseguinte, dois grandes desafios pela frente. Não subestimar as novas tecnologias, modelos de negócios e/ou produtos e serviços. Algumas dessas novidades se tornarão escaláveis e dominarão determinado segmento. E entrar atrasado nesse “novo mercado” pode custar a sua existência como empresa. Por outro lado, o grande desafio é manter e aprimorar os negócios existentes e que fazem sentido para o consumidor do agora. E em paralelo estruturar equipes de inovação para pensarem nas hipóteses impossíveis, ou ainda não pensadas, colocando-as em prática, testando, errando e consertando de forma ágil até que tenhamos uma nova e viável ideia que garantirá o futuro da empresa.

Live do Sincor-SP ensina corretores de seguros a prosperarem nas redes sociais 332

Live do Sincor-SP ensina corretores de seguros a prosperarem nas redes sociais / Divulgação

Transmissão foi realizada na manhã desta quinta-feira (29)

Para debater o tema “Redes Sociais – Desafios e Oportunidades para Corretores de Seguros”, as Comissões Negócios do Corretor e Jurídica do Sincor-SP receberam o corretor de seguros e fundador da startup Cliente Agente, Kleber de Paula, em live nesta quinta-feira (29). Na ocasião, os profissionais discutiram estratégias que podem ser adotadas pela categoria para gerar maior engajamento com clientes e trazer melhores resultados. É possível assistir à transmissão pelo canal da TV Sincor-SP, no YouTube.

Representando o presidente da entidade, Alexandre Camillo, e a diretora executiva responsável pela Assessoria Técnica, Simone Fávaro, na abertura, o 1º vice-presidente do Sincor-SP, Boris Ber, falou da importância de discutir o tema. “Uma live necessária para o momento, já que estamos nos conectando com as pessoas pelas redes sociais. E, o corretor de seguros vai precisar aprender como utilizar as ferramentas da melhor maneira e alcançar aqueles que não sabem a importância do seguro”, completou.

Perguntado sobre a diferença de usar e vivenciar as redes sociais, Kleber destacou que o ambiente digital é uma extensão dos relacionamentos. “Quando nos inserimos em um ambiente, é essencial saber que existem outras pessoas lá com as quais precisamos criar uma conexão. Por isso, tudo o que é publicado deve ter relevância, um significado para quem está do outro lado.”

O executivo ressaltou que para criar uma conexão com os consumidores, o corretor deve produzir posts de experiências, cases de sucesso e depoimentos de clientes. “Não adianta postar apenas produtos de seguros. Já imaginou você chegar num evento entregando panfleto? A primeira impressão tem que ser que os clientes precisam considerar você para resolver um problema. Então, primeiramente, é importante criar a conexão”, detalhou. Kleber ainda reiterou que, em um primeiro momento, para se relacionar nas redes sociais não se deve separar o pessoal do profissional. “Leva tempo para que uma marca tenha reconhecimento no digital. Então, é muito mais fácil eu, como pessoa, me conectar com os meus clientes.”

Sobre a iniciação nas redes sociais, Kleber deu dicas. “Quando fazemos uma publicação, é como dizer ao mundo para o que viemos. Primeiro, responda quem você é antes de vender seguro. Conte um pouco da sua história, como começou, quantos anos está na área. Quando a mensagem é bem construída, é possível atingir mais pessoas”.

A respeito de conteúdos pagos nas redes sociais, o executivo lembrou que é preciso ter cuidado, já que, às vezes, se gasta muito dinheiro e não tem o retorno desejado. “Se ainda não estruturou a rede social, se não tem frequência, constância e coerência naquilo que comunica, não é interessante investir dinheiro ainda”, e aconselha: “enxergue melhor onde está ambientado, qual é o público que te acompanha, de que maneira pode interagir com essa base e qual a hora que pode ser lembrado na contratação do seguro”.

As perguntas ao especialista foram feitas pelo coordenador e o integrante da Comissão Negócios do Corretor, Arnaldo Odlevati Junior e Marcelino Odlevati, assim como pelo coordenador e a integrante da Comissão Jurídica, Edson Fecher e Priscila Figueiredo.

Promoção “Mês do Amigo” dá 100% de desconto em extensões da ENS 313

Promoção "Mês do Amigo" dá 100% de desconto em extensões da ENS

Iniciativa é válida até o próximo dia 17 de agosto

No dia 20 de julho foi celebrado o Dia do Amigo. Para comemorar a data, a Escola de Negócios e Seguros (ENS) lançou a campanha promocional “Mês do Amigo”, que contempla cursos de extensão selecionados. Alunos que se matricularem até 17 de agosto receberão um cupom de 100% de desconto para oferecer a um amigo no mesmo programa.

Os cursos de extensão da ENS são indicados para profissionais que desejam aprimorar conhecimentos ou dar um novo direcionamento à carreira. Também são uma ótima opção para ampliar a rede de contatos e adquirir novas percepções sobre o mercado.

Com curto tempo de duração, os programas oferecem aprendizado específico por um investimento acessível. A promoção contempla 16 cursos, que abordam temas nas áreas Jurídica, de Riscos, Econômica, de Gestão e de Vendas. Há ainda opções sobre ramos específicos do setor, como Seguros Ambientais e Seguro Garantia.

Para participar é necessário ensino superior completo. A carga horária e o investimento variam de acordo com a extensão escolhida. Inscrições e outras informações podem ser encontradas no hotsite especial da promoção.

Campanha “Selfie que Salva” ajudou bancos de sangue a recolher mais de 12 mil bolsas no Rio de Janeiro 213

Campanha "Selfie que Salva" ajudou bancos de sangue a recolher mais de 12 mil bolsas no Rio de Janeiro / Divulgação

Ação capitaneada pela Unimed-Rio contou com a participação de outras marcas como Neoenergia, Estácio e White Martins

A campanha “Selfie que Salva”, idealizada pela Unimed-Rio durante o período conhecido como Junho Vermelho, celebra o resultado do sua primeira ação. Criada em 2021 pela cooperativa com o objetivo de estimular e conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue, a mobilização contribuiu para ajudar os bancos de sangue a completarem as mais de 12 mil bolsas de sangue no estado do Rio de Janeiro, que poderão ajudar a salvar cerca de 50 mil vidas. O número representa um aumento de 16%, ou 7.088 vidas preservadas, em relação ao mesmo período do ano passado. As doações foram realizadas nos pontos do HemoRio, GSH Serum e Hematologistas Associados.

Para a ação, a Unimed-Rio estimulou a doação por meio da inédita campanha chamada #selfiequesalva, que destacou a semelhança entre o ato de fazer uma selfie e doar sangue. A cooperativa também incentivou a participação de seus corretores, colaboradores, além de parentes de pacientes internados a doarem sangue.

“Estamos muito satisfeitos com esse resultado que ajudamos a alcançar com a campanha. Esperamos que os doadores continuem aparecendo em grande número, porque são essenciais para que mais vidas sejam salvas, principalmente enquanto a pandemia persistir”, diz Mauro Madruga, superintendente de Mercado e Operações na Unimed-Rio.

Vale destacar, ainda, que a Unimed-Rio também estimulou a adesão de outras empresas à iniciativa, que mobilizaram seus colaboradores. Participaram da campanha Junho Vermelho 2021 as marcas Estácio, MDS Group, Mude Wellness Media, Eletrobras, White Martins, Neoenergia, Prosper Distribuidora, Makemake – Reputação Corporativa, Seedtag, Clear Channel, Dom Pedro Conteúdo, Binder e Bandnews FM.

Requisitos básicos para doar sangue

  • Portar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista ou carteira do conselho profissional).
  • Estar em boas condições de saúde.
  • Ter entre 16* e 69 anos, desde que a primeira doação seja realizada até os 60 anos.
    *Jovens com 16 e 17 anos podem doar no HemoRio com autorização dos pais e/ou responsáveis legais e um documento de identidade original desse responsável. Confira o Modelo de autorização. No SERUM e no Hematologistas Associados, os jovens precisam estar acompanhados dos responsáveis legais.
  • Pesar no mínimo 50kg.
  • Não estar em jejum. Evitar apenas alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação.
  • Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas.
  • Se fez tatuagem e/ou colocou piercing, aguardar 6 meses para doar no Hematologistas Associados ou 12 meses no HemoRio ou no SERUM.
  • Não possuir piercing na língua e/ou na região genital ou 1 ano após a retirada.
  • Se passou por endoscopia ou procedimento endoscópico, aguardar 6 meses.
  • Não ter tido gripe ou resfriado nos últimos 30 dias.
  • Não ter tido Sífilis, Doença de Chagas ou AIDS.
  • Não ter diabetes em uso de insulina.

❗ Aguardar 48h para doar, caso tenha tomado a vacina da gripe, desde que não esteja com nenhum sintoma.

Algumas situações que impedem provisoriamente a doação de sangue

  • Febre acima de 37°C.
  • Gripe ou resfriado.
  • Gravidez.
  • Pós-parto (90 dias após o parto normal e 180 dias após a cesariana).
  • Amamentação (até 1 ano após o parto).
  • Uso de alguns medicamentos.
  • Anemia.
  • Cirurgias.
  • Extração dentária (7 dias).
  • Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina.
  • Transfusão de sangue: impedimento por 1 ano.

❗ Consulte a equipe do banco de sangue em casos de hipertensão, uso de medicamentos e cirurgias.

Para conferir os endereços dos bancos de sangue e os critérios específicos para o coronavírus, acesse o site da campanha.

SulAmérica Investimentos expande área de Crédito Privado com contratações e intensifica atuação no setor 423

Daniela Gamboa é Head de Crédito Privado da SulAmérica Asset / Divulgação

Asset reforça área e lança produtos de crédito ESG voltados para pessoas físicas e também grandes instituições

Uma das maiores assets independentes do Brasil e com R$ 46 bilhões de ativos sob gestão, a SulAmérica Investimentos expandiu sua área de Crédito Privado e reforçou o time com nomes estabelecidos no mercado. Os movimentos são parte da estratégia de fortalecimento do segmento de crédito com mais afinco em um momento de retomada da economia.

Hoje já são cerca de R$ 7 bilhões nesta classe de ativo sob gestão entre mandatos exclusivos e fundos abertos, com potencial de crescimento. Para Marcelo Mello, vice-presidente de Investimentos, Vida e Previdência da SulAmérica, a estratégia tem grande potencial de expansão na carteira de clientes e conta, ainda, com fortes pilares no tema ESG (sigla em inglês para ASG – ambiental, social e governança corporativa).

Reforço dedicado

A área, que desde o fim de 2020 é comandada pela Head de Crédito Privado, Daniela Gamboa (ex-BankBoston, Itaú BBA e Kinea), agora também conta com Leandro Trielli na Gestão de Crédito.

Leandro Trielli atua na Gestão de Crédito da SulAmérica Investimentos / Divulgação
Leandro Trielli atua na Gestão de Crédito da SulAmérica Investimentos / Divulgação

Trielli iniciou sua carreira no Unibanco e passou por Unibanco Asset Management, Santander Asset e Schroders. Possui Mestrado em Economia pelo Insper e graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina. Foi a quarta contratação para o time de crédito desde o ano passado.

“É um excelente momento para os fundos de crédito privado, com subida de juros e captação de dinheiro na indústria. Mais do que dobramos a equipe de Crédito porque acreditamos no crescimento e desenvolvimento da classe de ativo”, afirma Daniela Gamboa. “Este setor tem características de liquidez e de mercado que demandam especialização. Por isso era importante ampliarmos esta área dentro da asset. A equipe maior permite a gestora ser mais ativa nos mercados primário e secundário e também deve permitir o lançamento de produtos mais sofisticados”, continua.

Além de Gamboa e Trielli, o time também é composto por Marcelo Vecci (formado em Economia pela PUC-SP, faz parte da SulAmérica desde 1997 e trabalha nas operações financeiras da asset desde 2000), Lauro Campos (formado em Economia no Mackenzie, atua desde 1990 em análise de crédito, tendo trabalhado anteriormente em Banco Dibens, Banco BBA e BankBoston; ingressou na SulAmérica Investimentos em 1997) e outros três analistas de crédito, Daniel Batarce (ex-S&P, Fitch Ratings e Newfoundland Capital), Caroline Naves (ex-Banco de Tokyo, Fator e Banco Santander) e Bárbara Barbosa, todos com sólida experiência no setor financeiro e de crédito.

Produtos com compromisso

Alinhada com as melhores práticas ESG e ancorada na estratégia de expansão da área de Crédito Privado, a SulAmérica Investimentos lançou a família SulAmérica Crédito ESG, o primeiro que alia um filtro ESG à experiência em crédito da gestora. A oferta tem dois fundos: um destinado a investidores qualificados como pessoa física (SulAmérica Crédito ESG FI RF CP) e outro voltado para o segmento institucional (SulAmérica Crédito ESG Institucional FI RF CP).

O SulAmérica Crédito ESG é resultado da parceria com a Resultante, uma consultoria especializada em avaliações ESG, e é um fundo essencialmente best-in-class, que investe nas companhias com as melhores avaliações dentro dos seus setores relacionados aos critérios ESG, e destinado a investidores qualificados. O fundo foi estruturado para aproveitar as oportunidades da ampla diversidade de ativos de crédito privados oferecidas tanto no mercado local quanto em diversos mercados, e das oscilações entre preços dos ativos, com possibilidade de investimentos, entre outros, em debêntures de companhias abertas e fechadas, títulos bancários, CRIs, CRAs e FIDCs.

Os fundos buscam entregar retorno de CDI de +1,80 e CDI +2,00% a.a. – com priorização de alocações do risco adequado para este retorno, taxa de administração de 0,60% para parcela alocada em crédito do fundo e de 0,15% para parcela em caixa, além de taxa de performance de 20% sobre o que exceder do CDI.

“Tudo isso mostra que o SulAmérica Crédito ESG une o que há de melhor no mercado de investimentos com toda a responsabilidade dos critérios ESG e a tradição da SulAmérica”, finaliza Daniela.

Icatu é premiada no CX Excellence Award, promovido pela NICE 338

Rafael Caetano é diretor de Marketing e Relacionamento com Clientes da Icatu / Divulgação

Companhia ganhou na categoria Rookie Of the Year, que seleciona as empresas que mais se destacaram na adoção de novas soluções em 2020

O trabalho home office foi uma das principais mudanças causadas pela pandemia no setor corporativo. Com o novo cenário, muitas empresas precisaram migrar suas equipes para o trabalho remoto, seguindo as orientações dos órgãos públicos para a preservação da saúde. Foi o que aconteceu com a Icatu – maior seguradora entre as independentes em Vida, Previdência, Capitalização e Investimentos, que realizou a transição de 100% de sua equipe do Centro de Relacionamento com o Cliente (CRC) para trabalhar de casa, com a operação na nuvem, no primeiro ano da pandemia. Este feito, em apenas 72 horas, levou a Icatu a ganhar o prêmio internacional CX Excellence Award, promovido pela NICE – líder mundial de soluções para Contact Centers.

A seguradora, que concorria com outros cases internacionais e brasileiros, ganhou na categoria Rookie Of The Year, que identifica os clientes que regulamentaram as melhores práticas na implementação de solução do portfólio NICE ou NICE inContact em 2020. A categoria considera, entre os critérios de desempenho, excelência em comunicação e parceria com fornecedores, melhores práticas de implementação, incluindo eficiência de implementação, adoção de produtos, soluções e treinamento de agentes e equipe de supervisão.

Segundo o diretor de Marketing e Relacionamento com Clientes da Icatu, Rafael Caetano, o reconhecimento reforça o cuidado da companhia com as pessoas em um momento crucial. “Diante do cenário de pandemia, precisávamos implantar rapidamente uma solução tecnológica que viabilizasse o funcionário de realizar todo o atendimento de casa, além de oferecer qualidade de comunicação para evitar impacto aos clientes que poderiam precisar da Icatu a qualquer momento, já que nossa linha de negócios é especialmente focada em pessoas”, relata Rafael. “Ganhar esse prêmio mostra que alcançamos o nosso objetivo, que foi possibilitar aos nossos colaboradores um emprego seguro, além de continuar atendendo os nossos clientes”, completa. Durante o período de março a dezembro de 2020, a seguradora não apenas conseguiu manter o atendimento ao cliente sem interrupções, como também registrou um aumento de 10% de chamadas, comparado ao mesmo período do ano anterior.

“Temos muita satisfação de ver o projeto corajoso e arrojado da Icatu receber o CX Excellence Award. A empresa respondeu de forma proativa aos desafios da pandemia e garantiu tanto a segurança de seus agentes quanto a excelência do atendimento aos seus clientes com a plataforma CXone, uma solução nativa em nuvem que permite que organizações de todos os tamanhos façam a transição rápida de agentes de seus contact centers para o trabalho remoto, movam interações de forma dinâmica entre canais e lidem com volumes significativamente maiores tanto de chamadas por voz quanto digitais à medida em que a demanda aumenta nas áreas afetadas. Parabenizamos a Icatu pela premiação”, diz Luiz Camargo, Vice-Presidente da NICE para a América Latina.