As estradas necessitam de mais mulheres 932

Ana Luísa Orsolini é Head of ESG da VUXX / Divulgação

Confira artigo de Ana Luísa Orsolini, Head of ESG da VUXX

Há menos de 100 anos no Brasil, nós, mulheres, não podíamos trabalhar sem a autorização do próprio marido, votar, ou até mesmo ingressar no ensino básico. Apesar de muitos avanços, ainda possuímos diversos problemas estruturais para alcançar a igualdade, como disparidade salarial, jornada dupla e ausência de mulheres nos cargos de liderança e nas ditas “carreiras de homens”.

Realizar entregas, trabalhar na estrada, independentemente do tipo de veículo utilizado, é tido, ainda, como um trabalho masculino. De acordo com dados da Confederação do Nacional do Transporte (CNT), apenas 0,5% dos motoristas de caminhão no país são mulheres.

Em 2020, a corretora Minuto Seguros fez um levantamento que mostrou que o seguro de carro para mulheres pode ser até 23% mais barato do que para homens por elas serem mais cuidadosas. O levantamento “Mulheres no Trânsito”, da Seguradora Líder, confirma isso: em 2019, apenas 25% das indenizações pagas pelo seguro DPVAT foram para mulheres, enquanto 75% foram para homens. No caso dos pagamentos por acidentes fatais, 82% das vítimas são do sexo masculino. Mesmo sendo mais cuidadosas, ainda existe muito preconceito contra nós nesse setor.

Ouça também: A importância do ESG para o futuro das empresas

A VUXX é uma startup focada em logística digital, que atua, desde 2015, descomplicando a vida de todos os envolvidos no transporte de cargas através da conexão de empresas que necessitam de transporte a motoristas que possuem seu próprio veículo via aplicativo, de forma simples, rápida e intuitiva. Esse sistema, que seleciona motoristas por critérios puramente de performance, não faz qualquer discriminação sobre gênero.

Portanto, sem nenhuma ação afirmativa até aquele momento, apenas selecionando motoristas de acordo com o seu desempenho, no início de 2021, 4,5% das nossas rotas já eram feitas por mulheres, e o motorista que mais havia realizado rotas conosco era uma mulher.

Percebendo isso, quisemos aumentar esse número inaugurando o Projeto Mulheres, no qual engajamos e valorizamos nossas motoristas todos os dias. Com este projeto, em apenas 5 meses conseguimos aumentar o número de rotas femininas para 10%. Mas não vamos parar por aí, queremos no futuro chegar aos 50%, mostrando ao mercado que as mulheres são completamente capazes, sem que haja qualquer contraindicação ou lado negativo nesta história.

CNseg comemora Dia da Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros 390

CNseg comemora Dia da Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros

90,5% das seguradoras integrantes da Confederação adotam práticas ASG

Às vésperas da Conseguro 2021 – maior evento do mercado segurador brasileiro que chega a sua décima edição de forma online, interativa e gratuita – a Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) celebrou, no último sábado (25), o Dia da Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros. A data, criada pela entidade em 2019, tem como objetivo construir um ambiente de negócios que reflita e respeite ainda mais a diversidade.

Para Solange Beatriz Palheiro Mendes, diretora-executiva da CNseg, a data é um momento de imersão nas questões de diversidade e inclusão, uma pausa para reflexões sobre temas de enorme complexidade e desafios. “É a hora de jogar luzes em boas práticas do setor na área da diversidade e divulgá-las para que sejam replicadas por outros players. O Dia da Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros marca um compromisso público do setor, um caminho sem volta com um ambiente diverso, igualitário e inclusivo. É o chamamento à promoção de igualdade nos quadros das empresas, de tratamento justo entre pessoas, de fomento a um ambiente de trabalho respeitoso, seguro e saudável”, destaca.

Na Conseguro 2021, evento da CNseg que será realizado de 27 de setembro a 1º de outubro, o tema ganhará destaque no painel “Diversidade & Inclusão: por que é importante falar sobre isso?”, que terá Luana Génot, fundadora do Instituto Identidades do Brasil, como painelista. No evento, será lançado o “Relatório de Sustentabilidade do Setor de Seguros”. Segundo a publicação, em 2020, 90,5% das seguradoras integrantes da entidade revelaram que adotaram no planejamento estratégico os critérios Ambiental, Social e de Governança (ASG).

“É um índice muito bom, ainda mais porque o Grupo de Trabalho (GT) de diversidade e inclusão foi criado pela CNseg em 2017, dando início ao processo, mas ainda há muito a avançar. Existem metas importantes a serem alcançadas, como a redução de gaps que incluem a sub-representação feminina na alta gestão, profissionais negros ou negras nos cargos a partir de média e alta gerência ou mesmo na alta administração das empresas, além da quase invisibilidade de profissionais LGBTQIA+”, avalia Solange Beatriz.

A CNseg realiza o monitoramento de indicadores de sustentabilidade do setor desde 2015, com o objetivo de ampliar os horizontes de análise e apontar caminhos para o enfrentamento dos desafios dos negócios pelas seguradoras, bem como prestar informações qualificadas à sociedade.

A Conseguro 2021 dará ainda outro passo importante rumo à inclusão: pela primeira vez, os painéis contarão com intérprete de Libras, a Língua Brasileira de Sinais.

Confira neste endereço (Spotify) um bate-papo entre a Diretora-executiva da Confederação, Solange Beatriz, com a Presidente do Instituto de Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros (IDIS), Valéria Schmitke e com o executivo de RH da Brasilprev, Marcelo Leite.

Banco Central eleva a Selic: como ficam os investimentos? 420

Lenise Nunes é analista de Investimentos do Sicredi / Divulgação

Confira artigo de Lenise Nunes, analista de Investimentos do Sicredi

Conforme já previsto pelo mercado, a taxa básica de juros (Selic) foi elevada em 1,00 ponto percentual após agenda de setembro do Comitê de Política Monetária (Copom), chegando a 6,25 % ao ano. Os números refletem o ciclo consecutivo de elevação da Selic e indicam que o cenário econômico tem pressionado o Banco Central a fazer uso da política monetária de forma mais rigorosa.

Antes dessa sequência de elevação de juros, tínhamos um cenário de Selic em mínimas históricas, o que fez com que os investidores buscassem por alternativas de diversificação, correndo mais riscos em troca de expectativas de maior retorno. Agora, o panorama traz questionamentos, como a necessidade de uma mudança na forma de investir e as oportunidades contempladas neste novo cenário. Porém, antes disso, é importante analisar o propósito deste investimento.

Inicialmente, existem objetivos e necessidades por trás de cada investimento, desde a educação dos filhos, até a viagem dos sonhos, um intercâmbio no exterior, a compra da casa própria, de praia ou mesmo a perspectiva de uma aposentadoria tranquila…

Para cada objetivo existe um prazo que devemos estipular, e esse prazo tem influência importante nas escolhas para investir. Além disso, o tempo dedicado a cuidar dos investimentos é outro fator relevante, assim como a consciência do nível de risco em cada tipo de investimento. Ter essas percepções alinhadas é imprescindível antes de qualquer decisão que envolva investimentos, e para isso a análise do perfil de investidor deve ser considerada em todas as situações.

Na prática, em um cenário de juros mais altos melhoram a rentabilidade de opções como a poupança e o Título Público Tesouro Selic, uma vez que esses têm sua rentabilidade diretamente ligada à Selic. Os investimentos que acompanham o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), principal referência de rentabilidade das aplicações de renda fixa, também seguem os movimentos da Selic, então ficam mais atrativos com a taxa de juros em patamar mais elevado. Os títulos de renda fixa pós-fixados em CDI, modalidade de investimento conservadora, passa a ter maiores ganhos, a exemplo CDBs, RDC, LCA e LCI.

Além da emissão pública e bancária, temos os títulos de renda fixa privados de emissão por empresas (debêntures, por exemplo) que têm sido bastante procurados e representam uma oportunidade de investimento. Essa alternativa é bastante encontrada em estratégias de fundos de investimento, que mesclam ativos de diferentes emissores (público, bancário e privado), com diferentes taxas e vencimentos, em busca de retorno aos seus cotistas.

Estas alternativas são as que ganham mais força no contexto atual de juros, e tendem a se beneficiar ainda mais com a perspectiva de continuidade no ciclo de alta.

Já os investimentos prefixados podem ser uma opção atrativa para quem deseja ter a previsibilidade em relação ao retorno. Esses produtos possuem a taxa pactuada no momento da aplicação, contudo, é importante ficar atento, pois novas altas de juros podem resultar uma taxa acima da contratada.

No cenário de juros baixos que tivemos no passado, a diversificação foi o grande aliado dos investidores e deve continuar a ser considerada, visto que estamos atravessando um momento de inflação elevada, onde o ganho real acaba sendo impactado. Se o investidor tem um prazo de investimento mais longo, pode ser um momento oportuno para comprar alguns ativos diante do preço mais baixo, assim como capturar ganhos de mercado através de fundos com gestão ativa, por exemplo.

Alternativas como fundos multimercado são interessantes na composição da carteira de investimentos, pois investem em diferentes ativos, sem compromisso de concentração em nenhum e buscam em sua estratégia capturar oportunidades a fim de gerar retorno atrativo.

Em relação a bolsa, as incertezas refletem na dinâmica do mercado e na volatilidade. Acrescido a isso, de forma simplista, também podemos dizer que o preço das ações se altera de acordo com a dinâmica dos juros. Por isso, caso tenha um horizonte de investimento longo e uma tolerância a risco, este momento pode ser oportuno para investir em empresas com negócios perenes, boa governança e com bons preços, que resultem em bons dividendos. Uma boa opção para investir em renda variável são os fundos de ações, uma alternativa mais simples e que conta com a expertise de um gestor profissional que fará seleção dos ativos.

Por fim, porém não menos importante, antes de investir, considere produtos e serviços de instituições sólidas e seguras, com amplo portfólio de opções e que proporcionem um relacionamento próximo para apoiar suas decisões com aconselhamento de especialistas.

Facebook promove discussão sobre empreendedorismo feminino em Porto Alegre 1161

Programa celebra as mais de 120 mil mulheres de negócios que estão no Rio Grande do Sul

Criado para inspirar mulheres a empreender por meio da celebração de ideias e negócios bem-sucedidos, o #ElaFazHistoria chega a Porto Alegre nesta sexta-feira, dia 31 de março. Organizado pelo Facebook, o programa de empoderamento feminino celebra as mais de 120 mil mulheres de negócios que estão no Rio Grande do Sul, de acordo com o Sebrae. Com o apoio de organizações como Think Olga e ONU Mulheres, a iniciativa, que já passou por São Paulo, Brasília e Recife, tem transmissão ao vivo pela plataforma a partir das 9h30min.

No Brasil, estima-se que 79% das empreendedoras têm ensino superior completo, com uma média de idade de 39 anos. Os dados são da Rede Mulher Empreendedora, que conversou com 1.376 mulheres, e aponta também que 75% das mulheres tomaram a decisão de abrir o próprio negócio após a maternidade; 68% preferem trabalhar de casa; e 34% empreendem como a realização de um sonho.

“Percebemos um aumento interessante no número de páginas de negócios dentro do Facebook gerenciadas por mulheres. Nossas plataformas se posicionam como ferramentas para ajudar a transmitir e disseminar boas histórias, e impulsionar suas ideias. Por isso, apoiar e ajudar o empreendedorismo feminino é fundamental não apenas para a melhora na desigualdade de gênero, mas para a economia de um modo geral. Quando a mulher vence nos negócios, todo o mercado ganha”, diz Camila Fusco, diretora de Empreendedorismo do Facebook para América Latina.

Toda a programação será transmitida ao vivo pela página Facebook para Empresas, disponível neste link.

Serviço

Data: sexta-feira, 31 de março
Horário: das 9h30 às 13:30 horas
Transmissão: Facebook para empresas

Agenda

9:30 - Abertura Facebook
9:50 - ONU Mulheres
10:10 - #ElaLidera: Senadora Ana Amélia (PP/RS)
10:30 - Painel com empreendedoras
11:30 - #ElaEmpreende: Natália Leite (Escola de Você)
11:50 - #ElaEmpreende: Ana Fontes (Rede Mulher Empreendedora)
12:10 - #ElaEmpreende: Camila Farani (Presidente Gávea Angels e jurada Shark Tank Brasil)
12:30 - Oficina: Facebook para Empresas
13:30 - Encerramento
* programação sujeita a alterações sem aviso prévio

Suhai faz seguro para carros usados por motoristas de aplicativos 1407

Suhai Seguradora se destaca por fazer seguro para carros usados por motoristas de aplicativos

Companhia especializada na cobertura de furto e roubo oferece condições para uma enorme frota existente no Brasil

A Suhai Seguradora faz parte do Grupo Suhai, empresa líder no segmento de segurança pessoal, há mais de 25 anos, e nasceu para atender clientes que até então não tinham acesso ao seguro, seja pelo preço alto ou falta de aceitação. Especializada na cobertura de furto e roubo, a Suhai Seguradora é uma das poucas empresas que faz seguro de automóveis usados por motoristas de aplicativos.

“Quando o perfil do cliente gera uma exposição de risco acentuada perante uma análise atuária, devido as condições de uso ou por causa do alto índice de sinistralidade do veículo, a maior parte das seguradoras tornam os valores impraticáveis ou acabam negando a prestação do serviço. Ou seja, essa não aceitação ocorre porque, segundo estatísticas das seguradoras mais tradicionais, os modelos utilizados para trabalho, como táxi ou transporte de pessoas, oferecem maior exposição ao risco”, explica Robson Tricarico, diretor comercial da Suhai Seguradora. De acordo com uma das principais empresas de motoristas de aplicativos, há mais de 500 mil profissionais cadastrados rodando pelo Brasil.

Um estudo, realizado pela Spry, startup de tecnologia, encomendado pela associação de fabricantes, a Anfavea, mostra que os aplicativos se apresentam como alternativa e não como a substituição de outros modais. O resultado mostra ainda que 93% da geração Z, a mais conectada de todas, já utilizaram aplicativos para se deslocar diariamente. A mesma pesquisa também reforça que as pessoas acreditam que o carro continuará sendo o principal meio de transporte do futuro, mas cada vez mais atrelados aos aplicativos de mobilidade e de carona compartilhada.

Para atender os motoristas de aplicativos ou taxistas, a Suhai Seguradora não tem a sua operação embasada somente na estatística atuarial, mas sim na inteligência estratégica, que permite oferecer ao consumidor, um seguro de furto e roubo por um valor justo pelo serviço utilizado durante o período contratado, chegando custar até 80% menos que um seguro completo.

“Na Suhai, conseguimos dar condições de seguro para uma enorme frota existente no País e que muitas vezes não é atendida pelas companhias tradicionais. Nosso produto oferece a cobertura exclusiva de furto e roubo porque essa é a real necessidade do segmento em que atuamos. Esse é o nosso grande diferencial. Com esse posicionamento, a Suhai ajuda a democratizar o seguro privado no Brasil”, reforça Tricarico.

Suhai Seguradora lança nova versão do cotador para corretores 3526

Suhai Seguradora lança nova versão do cotador para corretores

Atualização agiliza as informações aos profissionais e torna a tomada de preço mais ágil e assertiva

A Suhai Seguradora, empresa do Grupo Suhai, líder no segmento de segurança pessoal há mais de 25 anos, está lançando a nova versão do cotador. Mais rápido e com novas funcionalidades que facilitam ainda mais o dia a dia do corretor, a atualização já está disponível na área do corretor, no portal da Suhai Seguradora.

Entre as funcionalidades, destaca-se o controle e a gestão, onde o corretor tem a possibilidade de visualizar as informações em todas as fases da contratação todo o histórico do cliente – desde o início da contratação até a finalização -, inclusive, pendências de emissão como pagamento da 1ª parcela e vistoria prévia o status de pagamento e o cronograma de renovações. “Ou seja, a nova plataforma permite que o corretor acompanhe o seu cliente e atue na solução de pendências que poderiam prejudicar a venda”, esclarece Robson Tricarico, diretor comercial da Suhai Seguradora.

O tempo do corretor será otimizado, aumentando sua produtividade, porque o novo cotador possui soluções eficazes como, por exemplo, o resgate e o autopreenchimento de propostas de renovações. Outra nova funcionalidade é a gestão de cadastro de usuários, que agora poderá ser feita pelo próprio corretor.

“Para a Suhai Seguradora, a atualização do cotador significa oferecer uma plataforma de cotação eficiente para os corretores, canal exclusivo de vendas da companhia. Nossa parceria com eles tem sido fundamental para a consolidação da Suhai em todo o território nacional”, ressalta Tricarico.

A Suhai conta com uma carteira com cerca de 25 mil corretores em todo Brasil. Para eles, a companhia é uma oportunidade de geração de novos negócios, antes perdidos para o mercado informal, assim são fidelizados por vários projetos de marketing patrocinados pela companhia, sempre com objetivo de ajuda-los a buscar clientes no mercado. Entre eles, destacam-se: gravação de um vídeo para divulgação da corretora nas redes sociais, adesivação do veículo do corretor e envio de folder virtual para WhatsApp.