Superintendente da Zurich destaca importância da prevenção e mitigação de riscos corporativos 1270

Companhia conta com soluções para conscientizar sobre o tema

Ciente da importância da prevenção e mitigação de riscos corporativos, a Zurich conta com diversas soluções para conscientizar as empresas a respeito da gestão de riscos operacionais. Além da área de Engenharia de Riscos, que conta com profissionais especializados e com conhecimento global no tema, a companhia conta com plataformas de comunicação, através de aplicativos e websites, que tem como objetivo auxiliar as empresas a entenderem seus riscos e a se protegerem deles.

“É importante lembrar que há diferentes tipos de riscos, dos operacionais aos naturais, causados por eventos climáticos; aqueles que causam perdas devido a ataques cibernéticos; assim como aqueles que levam ao afastamento do trabalho devido a problemas de saúde (sejam físicos ou mentais). São ameaças concretas, que precisam estar nos planos de prevenção de riscos das organizações”, alerta a Superintendente de Engenharia de Riscos da Zurich no Brasil, Andressa Meireles.

Confira entrevista exclusiva sobre o tema com a executiva da seguradora.

JRS: De que maneira a Zurich conscientiza as empresas sobre a importância da gestão de riscos?

Andressa Meireles: A Zurich remodelou seu portal institucional, o portal do corretor e até o portal do cliente com o intuito de ter uma comunicação mais fluida e informativa sobre os seguros que oferece e as suas respectivas coberturas para todos os segmentos econômicos, como comércio, indústria ou serviço.

Além disso, para auxiliar as empresas na gestão dos riscos, ofere mundialmente – para clientes e não clientes –, o aplicativo Zurich Risk Advisor (ZRA), que está disponível para download gratuito no Google Play (Android) e na Apple Store (iOS).

O app ZRA foi concebido com foco em praticidade, simplificação e permitir interações com as empresas de forma digital. Após preencher um questionário de autoavaliação composto por algumas perguntas, o app informa os aspectos que a companhia está em conformidade em termos de protocolos de segurança e, ao final, informa quais são os pontos de melhoria para mitigar ou eliminar riscos. São questões simples, mas pensadas para abranger toda a complexidade de riscos a que empresas de todos os portes e áreas de atuação possam estar sujeitas.

Interativo, o ZRA permite ainda que o engenheiro possa fazer uma avaliação da empresa in loco, porém a distância a partir da conexão do celular do cliente por meio do aplicativo. O aplicativo pode ser baixado ao clicar neste endereço.

JRS: Por que o mundo dos negócios deve estar atento a esse tema constantemente?

AM: Não há uma empresa, de qualquer tamanho ou setor, que não esteja exposta a riscos, pois eles fazem parte de qualquer companhia. Porém, com ações corretas e efetivas, é possível conhecê-los, preveni-los e, também, minimizá-los.

Como esses riscos têm maior ou menor probabilidade de ocorrer conforme o segmento de atuação das empresas e o estágio de desenvolvimento ou complexidade em que cada uma delas está, é fundamental que os gestores das companhias fiquem atentos a atualizações contínuas dos seus Planos de Prevenção de Riscos, assim como dos seus Planos de Emergência, de Crises, de Recuperação de Desastres, de Evacuação e de Resposta a Incidentes, e, dessa forma, garantir a sustentabilidade do negócio no pequeno, médio e longo prazo.

JRS: Como a Zurich pode auxiliar com soluções e produtos nesse sentido?

AM: Dispomos de soluções para mitigação de riscos através das nossas plataformas digitais que podem ser lideradas pela própria empresa ou até mesmo como a assistência dos nossos experientes engenheiros de riscos. Estes irão realizar avaliações de riscos alinhadas com as particularidades do negócio e construir junto com a empresa planos para redução e controle dos riscos encontrados.

Vale frisar que dispomos de produtos e serviços para a gestão de riscos para diversos segmentos da indústria, sejam pequenas empresas, sejam grandes corporações, a fim de evitar o comprometimento e até a interrupção dos negócios.

Os corretores parceiros devem estar atentos a sempre proteger os seus clientes também nessa frente?

Absolutamente. Corretores de seguros são nossos parceiros nesta jornada. Eles possuem um contato muito próximo dos clientes e conhecimento para identificar os riscos a que estes estão expostos e oferecerem os produtos e serviços mais apropriados para lidar com eles, inclusive do ponto de vista da prevenção.
Mas além de ficarem atentos, é preciso que esses parceiros ampliem o conhecimento técnico, pois, com esse embasamento, poderão auxiliar seus clientes na implementação de ações preventivas e corretivas com base em normas e boas práticas reconhecidas pelo mercado.

JRS: Para esses profissionais corretores, esse ramo apresenta um mar de oportunidades?

AM: Sim, pois, como falei antes: é preciso ficar atento às ameaças que rondam as empresas e que mudam de acordo com as áreas de atuação das organizações, o porte delas e até a região em que elas atuam.

Some-se a isso que os riscos também mudam no curto, médio e longo prazo, conforme apontou o Relatório de Riscos Globais (GRR, na sigla em inglês), produzido pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com a Zurich, cuja 16ª edição foi divulgada no começo deste ano de 2021.

O documento, que é resultado de uma pesquisa com mais de 650 especialistas e tomadores de decisão (políticos, empresários e acadêmicos) em todo o mundo, apontou as suas preocupações, como os riscos globais interagem e onde existem oportunidades de agir coletivamente para se antecipar e minimizar os impactos desses riscos.

Ou seja, o GRR classifica os riscos de acordo com o momento em que os entrevistados percebem que representam uma ameaça crítica.

Na edição de 2021, o relatório apontou que, no curto prazo (dois anos), além das ameaças de doenças infecciosas – que já apareciam no documento desde 2006 – os riscos de climas extremos, os crimes cibernéticos e a desigualdade digital estavam no horizonte das preocupações mundiais.

No médio prazo (5 anos), para os especialistas e tomadores de decisão entrevistados, o mundo corre riscos econômicos de uma bolha de ativos, instabilidade de preços, choques nos preços das commodities e crise de endividamentos.

Já no horizonte de 10 anos (longo prazo), segundo os entrevistados, o mundo pode se deparar com os riscos das armas de destruição em massa, colapso de Estados e, no campo ambiental, as ameaças ambientais causadas pelo homem podem levar à perda da biodiversidade e à falta de recursos naturais.

Os corretores lidam com soluções em seguros que estão diretamente relacionadas a essas ameaças que o GRR apontou. Se atentarem-se a tais riscos e compartilharem com seus clientes antecipadamente, certamente ampliarão os seus portfólios , consequentemente, farão mais vendas e estarão auxiliando as empresas a se prepararem para as futuras ameaças que podem acometer os seus negócios.

Inscrições para palestra internacional e cerimônia do XI Prêmio IESS estão abertas 398

Inscrições para palestra internacional e cerimônia do XI Prêmio IESS estão abertas / Foto: Bermix Studio / Unsplash Images

Evento acontece dia 8 de dezembro, em formato híbrido, com palestra do Dr. Nicolaas Pronk, um dos maiores especialistas em saúde no mundo

As inscrições para a cerimônia presencial do XI Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar estão abertas. O evento será realizado no dia 8 de dezembro, das 9h às 12h30min, no Tivoli Mofarrej São Paulo Hotel, e terá transmissão online simultânea.

Além de condecorar os autores dos melhores trabalhos acadêmicos do Brasil nas categorias Economia; Direito; e Promoção da Saúde, Qualidade de Vida e Gestão de Saúde, a premiação contará com uma palestra de um dos maiores especialistas em saúde do mundo: Dr. Nicolaas Pronk, presidente do HealthPartners Institute e professor da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard (EUA). O convidado fará dissertação sobre a importância de gestores e beneficiários de planos de saúde de cuidarem da própria saúde, e usarem os serviços de forma inteligente.

“O modelo híbrido da cerimônia de entrega do XI Prêmio IESS foi pensado para viabilizar a participação de todos, visto a credibilidade da premiação e a importância de fomentar as pesquisas em saúde suplementar pelo Brasil. Estamos empenhados em fazer um grande evento para retomar com segurança a celebração presencial de um dos mais importantes prêmios do segmento”, afirma José Cechin, superintendente executivo do IESS.

A ocasião também marca o lançamento do livro “Orientações práticas em saúde suplementar – Tudo o que o cidadão precisa saber”, com uma apresentação de Katia Audi, coordenadora Coime/Geeiq/Dides da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Os interessados em prestigiar a cerimônia devem fazer a inscrição neste endereço.

Importante ressaltar que, em respeito aos protocolos de segurança contra a Covid-19, as vagas presenciais são limitadas e todos os participantes deverão apresentar comprovante de vacinação ou teste negativo realizado em, no máximo, 72 horas antes. O uso de máscara será obrigatório durante toda a premiação.

Serviço

XI Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar.
Local: Tivoli Mofarrej São Paulo Hotel.
Data: 8 de dezembro de 2021.
Horário: das 9h às 12h30min.
Endereço: Alameda Santos, 1437 – Cerqueira César – São Paulo (SP).

Qualicorp e Unimed Serrana RJ lançam novo portfólio de planos a partir de R$ 213 412

Qualicorp e Unimed Serrana RJ lançam novo portfólio de planos a partir de R$ 213 / Divulgação

Administradora de benefícios reforça parceria com operadora regional para oferecer mais opções à população

A Qualicorp, a mais completa plataforma de escolha de planos de saúde do Brasil, e a Unimed Serrana RJ anunciam o lançamento de um novo portfólio de planos de saúde coletivos por adesão, com foco nos clientes da região serrana do Rio de Janeiro. Com opções de produtos regionais e nacionais, os clientes encontram no novo portfólio planos com valores a partir de R$ 213 (sujeito a alterações, de acordo com o produto escolhido e a faixa etária do cliente).

“Os novos planos de saúde em parceria com a Unimed Serrana RJ ampliam as opções de acesso à saúde de qualidade aos clientes da região”, afirma Gláucio Fernandes, superintendente comercial da Qualicorp no Rio de Janeiro.  “As operadoras regionais contemplam características específicas e ajudam a atender às demandas dos clientes locais, além de oferecerem ótimo custo-benefício”, acrescenta.

O novo portfólio da Unimed Serrana RJ oferece quatro diferentes opções de produtos (Estações, Univida, Uniplan e Estadual), que contemplam planos de saúde com ou sem coparticipação e opções de acomodação em enfermaria ou apartamento, para que o cliente possa escolher aquele que melhor atende às suas necessidades e orçamento.

“Nosso crescimento tem sido constante e equilibrado em toda a área de ação da Unimed Serrana RJ, que abrange atualmente 16 municípios. Foram mais de 20 milhões investidos nos últimos 5 anos e seguimos investindo na ampliação do Hospital Unimed Nova Friburgo e modernização dos nossos Centros de Especialidades Unimed, localizados em Nova Friburgo, Teresópolis e Cachoeiras de Macacu. Resultado de um trabalho fortalecido e unificado, pensando no Jeito de Cuidar Unimed”, diz o Dr. Antônio Chicre, Presidente da Unimed Serrana RJ.

Os clientes que contratarem os planos de saúde da Unimed Serrana RJ pela Qualicorp terão acesso à ampla rede credenciada da operadora, que conta com atendimento em hospital de referência, como o Hospital Unimed Nova Friburgo, além de 12 hospitais parceiros, Centros de Especialidades Unimed, localizados em Nova Friburgo, Teresópolis e Cachoeiras de Macacu. Todos os planos também oferecem atendimento de urgência e emergência em todo o território nacional.

A Quali preparou uma premiação diferenciada para os corretores que atuarem na comercialização dos planos da Unimed Serrana RJ, que receberão um cyber bônus de R$ 350 a cada vida vendida. Os planos da operadora podem ser comercializados nos 16 municípios que fazem parte da área de atuação da Unimed Serrana RJ, sendo eles: Nova Friburgo, Teresópolis, Cachoeiras de Macacu, Bom Jardim, Cordeiro, Cantagalo, Duas Barras, Sumidouro, Macuco, Carmo, Santa Maria Madalena, Guapimirim, São Sebastião do Alto, Trajano de Moraes, Magé e São José do Vale do Rio Preto.

Os planos de saúde coletivos por adesão da Quali em parceria com o Unimed Serrana RJ estão disponíveis para diversas categorias profissionais, como trabalhadores liberais, servidores públicos, estudantes, entre outros.

Sistema de geo inteligência reduz em até 15% consumo de gasolina em veículos 393

Sistema de geo inteligência reduz em até 15% consumo de gasolina em veículos / Foto: Sippakorn Yamkasikorn / Unsplash Images

Por meio de monitoramento em tempo real, solução propicia conduta mais sustentável, segura e menos onerosa

O valor do combustível no Brasil chegou a patamares nunca alcançados em toda a história, com postos vendendo o litro da gasolina a 7 reais e etanol a quase 5 reais em alguns estados. A Intelie, uma empresa ViaSat que revolucionou o mercado de análise de dados promovendo Inteligência Operacional e transformando dados em resultados, desenvolveu em parceria com a Able-On, empresa de serviços tecnológicos e estratégicos, no contexto da mobilidade urbana e rodoviária, a solução Smart Mobility. Baseada em Inteligência Geográfica, a ferramenta identifica parâmetros de comportamento em condutores de transportes de cargas e passageiros, assegurando assim uma conduta mais segura e sustentável por parte deles. Após a verificação e correção da dirigibilidade dos motoristas, os clientes atingem uma economia de até 15% em combustível.

Inteligência Geográfica é uma ferramenta cognitiva que reconhece a distribuição de objetos no tempo e espaço, fazendo correlações e revelando padrões válidos que servem de base para a tomada de decisões. Aplicada aos setores que lidam com mobilidade (distribuição e logística, seguradoras, locadoras, entre outros), a Inteligência Artificial aprende e monitora em tempo real o comportamento dos motoristas de carros, motos e caminhões, gerando alertas que levam à redução do consumo de combustível e dos custos de manutenção dos veículos, o que, além de gerar economia, aumenta a segurança global das operações.

Dispositivos de Internet-das-Coisas implantados nos veículos enviam dados do nível de aceleração, frenagem e mais de 50 variáveis que definem o comportamento do motorista em duas dimensões: tanto no conforto, que é a velocidade em que essas ações são tomadas, quanto na tranquilidade, que mede a intensidade das atividades realizadas. Ao desenhar o comportamento dos motoristas, o software aplica o conceito de alta definição, ou seja, reações são lidas e analisadas a cada segundo, o que é fundamental para obter avaliações refinadas e com alto nível de assertividade.

Com a solução, é possível cruzar informações de sistemas legados e fazer uma integração entre todos os dados, o que permite otimizar a operação e potencializar o uso de sistemas integrados de gestão empresarial (ERP), bem como gerenciar as diferenças entre o que estava previsto e o que foi realizado de fato. Em uma das telas do dashboard, é possível acompanhar o ranking de performance dos motoristas em um modelo totalmente inovador, com 16 vezes mais precisão na medição de padrões comportamentais de impactos negativos. Por fim, toda a equipe monitora ao vivo a localização dos veículos e consegue auxiliar ativamente cada motorista a fazerem melhores escolhas e obterem mais eficiência atuando pró-ativamente junto ao veículo conectado, para que a conduta tenha menos frenagens bruscas, mudanças de marchas e velocidades reduzidas.

Assim, todos os dados coletados em tempo real são submetidos a algoritmos de Inteligência Artificial e possibilitam a identificação de desvios de comportamento do condutor do veículo ou equipamento, bem como a produção de cenários que são disponibilizados através de painéis. Os gráficos permitem visualizar o retorno de ações que serão adotadas levando a uma melhor tomada de decisão. Quando estes gráficos são aplicados à melhoria de padrões no comportamento do condutor, produz uma maior consciência sobre hábitos que refletem custos menores.

“Com o sistema de geo inteligência, todos os parâmetros são observados em tempo real e é possível traçar um perfil com cerca de 10 quilômetros dirigidos, dependendo, é claro, de algumas variáveis, como tráfego, qualidade da via e velocidade. Isso traz clareza da operação para o gestor e o permite realizar os ajustes necessários para que a direção da frota seja mais segura, econômica, e emita menos poluentes”, diz Vânia Rios, diretora de vendas da Intelie.

Retomada do turismo fortalece mercado de Seguro Viagem 307

Retomada do turismo fortalece mercado de Seguro Viagem / Foto: Chuttesnap / Unsplash Images

Seguro da Bradesco Vida e Previdência oferece cobertura para Covid-19 e abrange todos procedimentos necessários para tratamento da doença

Com o avanço da vacinação e a reabertura do turismo, as viagens nacionais e internacionais voltam a ganhar espaço no planejamento do lazer e das férias. Nesse cenário, a Bradesco Vida e Previdência, empresa do Grupo Bradesco Seguros, aprimora a grade de produtos e, para oferecer ainda mais proteção aos segurados, passa a abranger a cobertura para Covid-19 no Seguro Viagem Bradesco.

Além das coberturas e assistências tradicionais para despesas médicas, hospitalares e odontológicas, o produto inclui traslado médico, retorno sanitário, perda de bagagem e cancelamento prévio de viagem. As coberturas e capitais variam de acordo com o plano contratado. Caso contraia a doença, o viajante estará coberto e respaldado pela seguradora para a realização dos procedimentos necessários para o tratamento.

Quem planeja viajar para o exterior nos próximos meses deve estar atento às restrições de cada país. Mesmo em destinos nacionais, é aconselhável contar com o Seguro Viagem, pois se trata de uma proteção que proporciona conforto e tranquilidade para enfrentar eventuais imprevistos.

Para a escolha do produto mais adequado, três fatores devem ser considerados:

1 – Perfil da viagem. É importante avaliar, por exemplo, se o destino escolhido é tranquilo ou mais agitado, se envolve alguma atividade radical ou se haverá acompanhantes, entre outros pontos. Esses detalhes são essenciais para que a seguradora possa indicar o produto mais adequado à demanda.

2 – Custo-benefício. O Seguro Viagem geralmente viabiliza um custo mais acessível em casos de imprevistos, sendo imprescindível para quem planeja viagens internacionais. Por isso, vale conferir todas as coberturas e assistências oferecidas pela seguradora.

3 – Fique atento às assistências. O seguro oferece uma série de assistências adicionais, como internação hospitalar, despesas odontológicas e intervenções cirúrgicas. Considere todas as opções para contratar o produto mais adequado às suas necessidades.

Pandemia pode aumentar gastos com saúde para diabetes em € 45 bi 292

Pandemia pode aumentar gastos com saúde para diabetes em € 45 bi / Foto: Towfiqu Barbhuiya / Unsplash Images

Brasil representa 4% dos custos globais

Pessoas que sofrem de diabetes têm um risco maior de adquirir e desenvolver uma forma grave de Covid-19. Ao mesmo tempo, a pandemia aumentou o risco de desenvolver diabetes a longo prazo, já que os bloqueios exacerbaram outra doença generalizada: o sobrepeso.

Relatório divulgado na última semana pela seguradora de crédito Euler Hermes aponta que um novo aumento de diabetes poderia somar 25 milhões de pessoas que sofrem com a doença em todo o mundo, causando € 45 bilhões de custos de saúde por ano.

Enquanto o mundo luta para combater a pandemia da Covid-19, o número de pessoas que sofrem de diabetes tem aumentado de forma despercebida. Entretanto, de acordo com a International Diabetes Federation (IDF) cerca de 537 milhões de pessoas vivem com diabetes, ou seja, a cada 10 adultos com idade entre 20 e 79 anos. Há 20 anos, a prevalência nesta faixa etária era de apenas 4,6% com o número total de pessoas com diabetes no valor de 151 milhões.

Segundo a análise dos economistas da seguradora, o aumento acentuado foi impulsionado principalmente pela Ásia, Oriente Médio, América Latina e Oceania, onde as taxas dobraram nos últimos anos. Em 2021, quase metade de todas as pessoas que sofrem de diabetes em todo o mundo vivia na China, Índia e Paquistão. Isso se deve principalmente ao desenvolvimento na China, onde o número de pessoas com diabetes aumentou de 23 milhões para 140 milhões desde a virada do século, elevando a participação mundial do país de 15% a 26%.

Prevalência de diabetes ajustada por idade / Divulgação
Prevalência de diabetes ajustada por idade / Divulgação

No decorrer desse desenvolvimento, o diabetes também avançou para uma das 10 principais causas de morte em todo o mundo, sendo responsável por 1,5 milhão de mortes em 2019, um aumento de 70% em relação a 2000. No entanto, como é um importante fator de risco para o desenvolvimento de infecções e uma das principais causas de doenças cardiovasculares, como ataques cardíacos e derrames, doença renal crônica, além de cegueira e amputação de membros inferiores, provavelmente contribui indiretamente a um número muito maior de mortes. Na verdade, o IDF estima que o diabetes será responsável por 6,7 milhões de mortes em todo o mundo em 2021. Este seria maior do que o número de mortes registradas de Covid-19 desde o início da pandemia.

Para prevenir ou pelo menos retardar as complicações do diabetes, pessoas com a doença não precisam apenas de medicação, mas também de monitoramento regular para manter níveis de glicose no sangue, pressão arterial e colesterol iguais ou próximos do nível normal.

O relatório aponta ainda que a American Diabetes Association estimou que a taxa anual por gastos com saúde para pessoas com diabetes são 2,3 vezes os custos que ocorreram na ausência de diabetes.

Gastos globais com saúde para diabetes

Quase dois terços dos gastos globais com saúde para diabetes foram utilizados em quatro países: os Estados Unidos representaram 39%, os da China 17% e os do Brasil e da Alemanha cada um por 4% dos gastos globais com saúde para diabetes.

O estudo lembra que a pandemia não atingiu apenas pacientes com diabetes em particular, mas também teve um impacto severo nos esforços para amortecer o maior aumento da prevalência de sobrepeso e diabetes. Pessoas que sofrem de diabetes foram afetados pela pandemia de várias formas. Eles têm não apenas um risco maior de pegar Covid-19, mas também um risco maior de desenvolver uma forma grave da doença.

Além disso, há também o risco de muitos novos casos permanecerem sem detecção devido aos bloqueios. No médio e longo prazo, isso pode levar a onerosas e complicações dispendiosas do diabetes que, de outra forma, são amplamente evitáveis, como doenças cardiovasculares ou renais.

Ao mesmo tempo, os bloqueios reduziram as possibilidades de atividades físicas e levou a um aumento do peso médio e, portanto, o IMC médio na maioria dos países. O maior risco de ganho de peso foi relatado entre pessoas com menos de 40 anos. Na Alemanha, por exemplo, um ganho de peso médio de 1 kg foi relatado, o que implica um aumento da IMC médio de 25,9 a 26,4. Como o risco de desenvolver diabetes aumenta quase linearmente com o excesso de peso, a pandemia provavelmente levará a um aumento do diabetes nos próximos anos.