Tristeza, insônia, irritação, angústia e crises de choro são sintomas recorrentes na pandemia 2425

Tristeza, insônia, irritação, angústia e crises de choro são sintomas recorrentes na pandemia

Pesquisa inédita também apontou que os jovens foram mais afetados; metade classificou sua saúde mental como ruim (39%) ou muito ruim (11%)

O novo coronavírus impôs um desafio adicional à Covid-19: o enfrentamento das doenças relacionadas à saúde mental. Um levantamento inédito do Ipec – Inteligência em Pesquisa e Consultoria, a pedido da Pfizer Brasil, mostrou o quanto os brasileiros foram impactados p ela pandemia. Tristeza (42%), insônia (38%), irritação (38%), angústia e/ou medo (36%), além de crises de choro (21%) foram os cinco sintomas mais citados pelos entrevistados.

Outro importante achado revelou que o jovem foi mais afetado do que outras faixas etárias, segundo relatos captados pela pesquisa. Metade dos respondentes entre 18 e 24 anos classificaram sua saúde mental durante a pandemia como ruim (39%) ou muito ruim (11%). Esse percentual ficou acima da média geral, de 5% e 25%, respectivamente. O levantamento “Saúde Mental na Pandemia”, realizado em agosto deste ano, entrevistou de forma online 2000 homens e mulheres (de 18 anos ou mais) na cidade de São Paulo e nas regiões metropolitanas de Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador.

“Este é um cenário que vem sendo apontado desde março de 2020 e, por isso, merece acompanhamento diário de todos nós, já que continuamos no enfrentamento da pandemia. Obtivemos muitos avanços com o desenvolvimento e com a aplicação da vacina, mas sabemos que precisamos olhar para o corpo e para a mente já que a Covid-19 causou e causa marcas em todos nós”, explica Márjori Dulcine, Diretora Médica da Pfizer Brasil.

Diagnóstico e maiores medos

Dos entrevistados, 21% chegaram a procurar ajuda profissional no período, sendo que 11% estão em acompanhamento especializado. Ansiedade (16%) e depressão (8%) lideram a relação das condições diagnosticadas de forma mais recorrente, em que também aparecem doenças como a síndrome do pânico (3%) e a fobia social (2%). Além do relato dos próprios respondentes, questionados se conheciam alguém que foi diagnosticado com algum problema relacionado à saúde mental durante a pandemia, 46% disseram que sim; as cidades de São Paulo e Belo Horizonte registraram o mesmo percentual, de 49%, seguidos de 47% em Salvador, 44% no Rio de janeiro e e 37% em Curitiba.

“Esses dados, infelizmente, representam a escalada assustadora dos agravos à saúde mental que vêm ocorrendo nas últimas décadas em nosso país, e que foi alavancada pela pandemia da Covid-19. Nesse sentido, esses índices colocam as estratégias para ampliação dos cuidados em saúde mental como prioridade inegável. Devemos concentrar esforços para oferecer diagnósticos mais precoces e tratamentos adequados. Mais do que isso, devemos desenvolver e implementar ações efetivas de prevenção. Essas ações são de responsabilidade não só do poder público e das entidades dos profissionais ligados a saúde mental, mas também de toda a comunidade, começando pela diminuição do estigma relacionado aos transtornos mentais”, diz Dr. Michel Haddad, psiquiatra do HSPE/IAMSPE e pesquisador do departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Dos entrevistados que foram diagnosticados ou fizeram algum tratamento desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus, 31% têm seguido tratamento com profissional de forma presencial e 17% por consultas online, além disso, 29% afirmam estar com medicação de prescrição. Como forma de atenuar o impacto psicológico, 56% responderam que fazem algum tipo de atividade para melhorar sua saúde mental, sendo a prática exercícios físicos regulamente ao ar livre (19%) ou em casa (18%) e a leitura de livros (17%), as mais citadas. Entre os canais informativos sobre o tema, as redes sociais foram apontadas como o principal por 22%, enquanto veículos de comunicação (rádio, TV, revista, jornal e internet) e profissionais de saúde foram por 17%, cada um.

Quatro em cada cinco respondentes (79%) declaram que a pandemia impactou sua saúde mental de alguma forma, e se engana quem pensa que apenas fatores relacionados diretamente à Covid-19 foram os responsáveis. A situação financeira difícil ou o acúmulo de dívidas preocupou a maioria (23%) das pessoas ouvidas durante a pesquisa. Esse receio é equilibrado entre as cinco regiões pesquisadas. Curitiba teve o índice de 26%, seguida por São Paulo e Rio de Janeiro com 23%, Salvador com 22% e Belo Horizonte com 21%. Porém, é possível observar que essa preocupação foi maior entre os mais jovens, sendo citado por 26% daqueles que têm de 18 a 24 anos, 24% entre os de 25 e 44 anos, por 22% na faixa de 45 a 54, chegando a 19% entre os respondentes com 55 anos ou mais. Na sequência, apareceram o medo de pegar Covid‐19 (18%) e a morte de alguém próximo (12%). Assim como a apreensão com a situação financeira, esses últimos também foram relatados majoritariamente pelas mulheres.

Duas condições relacionadas ao suicídio – ansiedade (16%) e depressão (8%) – lideraram os relatos dos entrevistados sobre os diagnósticos mais recorrentes na pesquisa. De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), transtornos mentais como esses estão relacionados a aproximadamente 96,8% dos cerca de 12 mil casos anuais de suicídio no Brasil.

No levantamento, 35% dos respondentes afirmaram conhecer alguém que tirou a própria vida, independentemente do diagnóstico de uma condição associação à saúde mental. E são 73% aqueles que reconhecem as campanhas informativas e de conscientização como uma das formas de reduzir o preconceito em relação aos transtornos mentais, bem como a criação de programas escolares que discutam o assunto desde cedo com as crianças, apontado por 63%.

Não às fake news

A pesquisa “Saúde Mental na Pandemia” também demonstrou que a maioria dos brasileiros tem clareza do que é verdadeiro e falso sobre saúde mental:

  • 97% afirmaram que problema de saúde mental não é frescura;
  • 79% acreditam que as doenças relacionadas à saúde mental são silenciosas e de difícil identificação sem ajuda médica;
  • 86% reconhecem não ser possível resolver sozinho um problema de saúde mental;
  • 84% entendem que as doenças relacionadas à saúde mental não atingem necessariamente mais idosos do que adultos e jovens;
  • 90% discordam da crença de que suicídio só acontece com pessoas de personalidade fraca.

Clube dos Seguradores da Bahia recebe executivo da Suhai Seguradora 293

Robson Tricarico é diretor comercial da Suhai Seguradora / Divulgação

Evento online traz seguradora para contar sobre mudanças de hábitos provocados pela pandemia

No dia 30 de setembro, às 19h, o evento “Confraria do Clube do Segurador da Bahia”, receberá o Diretor Comercial da Suhai Seguradora, Robson Tricarico. O painel debaterá as ações da empresa para combater as mudanças de hábitos provocadas pela pandemia, como por exemplo a queda na procura por seguros, insegurança financeira dos clientes, entre outras questões.

De acordo com Tricarico, a Suhai possui como propósito e posicionamento junto aos seus mais de 30 mil parceiros em todo Brasil, não só de identificar as oportunidades que o mercado apresenta, mas também ajudar o corretor a se beneficiar destas oportunidades para incremento de novos negócios.

Durante o evento o diretor falará sobre a criação do estúdio de alta tecnologia e o departamento de marketing exclusivo para criação de conteúdos e ferramentas gratuitas para ajudar o corretor a capturar leads nas redes sociais, realizar parcerias com estabelecimentos comerciais e criar projetos de worksite, além de ações de crosseling de suas carteiras de outros produtos.

Serviço

Clube dos Seguradores da Bahia
Data: 30 de setembro de 2021
Horário: a partir das 19h

Liberty Seguros anuncia Daniela Bouissou como nova Diretora de Transformação 385

Daniela Bouissou é Diretora de Transformação da Liberty Seguros / Divulgação

Executiva é graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais e tem MBA na Universidade de Stanford

A Liberty Seguros apresenta hoje a nova Diretora de Transformação da companhia, Daniela Bouissou. A executiva assume o antigo cargo de Patricia Chacon, CEO da seguradora, para liderar as áreas de transformação da companhia, que inclui marketing, estratégia, CX e digital.

“É com muita alegria que me junto ao time forte e preparado do Grupo Liberty Brasil, que contribuiu para a entrega de excelentes resultados nos últimos anos. Essas conquistas são fruto de um foco incansável na experiência dos clientes, corretores e colaboradores, com a qual também me comprometerei. Com toda a experiência que acumulei de desafios passados, pretendo agregar para continuar a inovar e surpreender os públicos da companhia, com jornadas fluidas e produtos e serviços que atendam às suas necessidades – sempre apoiando a adoção do digital”, explica Daniela.

Daniela é graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais e tem MBA na Universidade de Stanford. Durante sua carreira, foi fazendo sua transição para assumir grandes desafios em várias empresas de seguros. Anteriormente, a executiva foi responsável pela área de Relações Institucionais da Multicare Seguros, do Grupo Fidelidade, em Lisboa. Na companhia portuguesa em que atuava antes liderou a gestão da rede de prestadores das principais redes hospitalares e foi responsável por iniciativas de grande relevância para aumentar a produtividade e entregar melhores experiências aos clientes.

Na frente de empreendedorismo, a executiva é co-fundadora e conselheira da Boaconsulta.com, plataforma digital de agendamento de consultas, sistema de gestão clínica e telemedicina disponível desde 2012. A executiva também passou pelo Boston Consulting Group e pela Tempo Assist, onde esteve à frente das soluções de saúde, com foco na satisfação dos clientes e na eficiência de processos.

“Minha gestão seguirá os principais valores da Liberty Seguros, colocando as pessoas em primeiro lugar e utilizando metodologias ágeis de trabalho para viabilizar entregas ainda mais rápidas e precisas. A área de transformação exerce um papel fundamental para apoiar as demais equipes nessa transição, o que nos ajudará a seguir inovando cada vez mais”, complementa Daniela.

Albatroz, a primeira MGA especializada em Seguro de Transporte, começa a operar com corretores 400

Empresa é a primeira agência especializada em subscrição de seguros desse ramo no País

Com o objetivo de otimizar a operação e desburocratizar os trâmites para contratação de seguros de transporte, a Albatroz MGA deu início às operações com corretores no mercado brasileiro. A empresa é a primeira agência especializada em subscrição de seguros desse ramo no País.

Após um breve período de testes da plataforma, a Albatroz firmou seu primeiro contrato com a Essor Seguros, companhia seguradora do grupo Scor, quarto maior ressegurador do mundo. Dessa forma, a empresa passa a representar a seguradora nesse segmento e tem autoridade para administrar o negócio e operar como intermediário entre segurados, seguradoras, assessorias e corretores de seguros e resseguros.

A plataforma une Internet das Coisas (IoT) e Big Data para atender todas as etapas da contratação e manutenção do seguro de transportes. Neste primeiro momento, a MGA – sigla para Manager General Agent (ou Agente Administrativo Geral, em português) – oferece apenas a contratação dos produtos tradicionais de transportes, mas em breve deverão ser lançados também outros mais exclusivos e com combos.

“Configuramos a plataforma pensando diretamente nas necessidades, desejos e ideais para os corretores e seguradoras, permitindo o aumento de capilaridade com produtos disruptivos, inovadores e abrangentes aos seus segurados. Nossa tecnologia visa estender e compartilhar com nossos parceiros a possibilidade de melhor atender os seus segurados, garantindo agilidade e qualidade”, afirma Vanessa Mendonça, diretora de Subscrição e Marketing & Branding da Albatroz MGA.

Entre os benefícios que a plataforma da Albatroz oferece estão a agilidade no processo de cotação, devido a integração de sistemas com a seguradora; o acesso às condições e negociações diferenciadas de mercado; o retorno ágil e responsivo entre a MGA e a seguradora ou resseguradora; e a independência para atender melhor seus clientes através dessas vantagens.

“Hoje um corretor leva dias para receber uma cotação de transportes, podendo passar por mais de uma semana sem a precificação de seu pedido. Com a Albatroz MGA, o corretor terá sua proposta de seguro em mãos em até cinco minutos, podendo ainda emitir a apólice, gerar carta DDR, endossos, acompanhar prêmio pendentes, e outros documentos pertinentes a esta operação. Além, é claro, de contar com relatórios gerenciais de toda sua atividade na plataforma para melhor direcionamento e controle de seus resultados”, garante Salvatore Lombardi, CEO da Albatroz MGA.

Antes de utilizar a plataforma é necessário fazer um cadastro no site da empresa para receber login e senha. Em caso de dúvidas, há um passo a passo no vídeo abaixo, e nas suas redes sociais da empresa no Instagram (@albatroz_mga), no LinkedIn e no Facebook.

Economia global tem tendência de crescimento em níveis desiguais, aponta Euler Hermes 411

Economia global tem tendência de crescimento em níveis desiguais, aponta Euler Hermes

Relatório divulgado nesta semana mostra crescimento do PIB Global de +5,5% em 2021 e +4,2% em 2022; no Brasil, seguradora prevê aumento de 5,1% e 1,4%, respectivamente

Relatório divulgado nesta semana pela Euler Hermes, líder mundial em seguro de crédito e especialista em seguro garantia, aponta que o crescimento econômico global permanece forte, mas cada vez mais desigual em meio à evolução da dinâmica da pandemia e à remoção gradual do apoio político nos países.

O documento considera que a incerteza relacionada à variante delta e as paradas suaves custarão (apenas) -0,2 a -0,5 pp do crescimento do PIB nas economias avançadas em 2021.

“No geral, enquanto esperamos que o crescimento global permaneça forte em + 5,5% em 2021 e + 4,2% em 2022 em meio a acomodação monetária significativa e impulso fiscal, a folga econômica permanece considerável, com variações significativas entre os países”, explica Ana Boata, chefe de pesquisa econômica global da Euler Hermes.

Condições macroeconômicas e perspectivas: retorno cauteloso

O relatório lembra que o amplo apoio político amorteceu o impacto da pandemia sobre o crescimento, mas a retração econômica permanece considerável, uma vez que o ritmo de crescimento se atenuou durante o verão. Embora perdas massivas de empregos e falências tenham sido evitadas, a participação do trabalho diminuiu e o consumo e o investimento privados se recuperaram apenas parcialmente, deixando a produção no 2º trimestre de 2021 mais de -2,5% abaixo de seu nível pré-pandêmico na Zona do Euro vs. -0,3% nos Estados Unidos.

Ao contrário da crise financeira global, as cicatrizes econômicas têm sido maiores na maioria das economias emergentes, principalmente daquelas que dependem do comércio internacional e do turismo, e onde o espaço político para apoio era limitado. No entanto, o declínio da alavancagem decorrente do aumento da liquidez de empresas e famílias é um bom indício para uma recuperação do investimento e do consumo, uma vez que as perspectivas melhorem.

Embora se espere que o crescimento do PIB global permaneça forte em 2021 e 2022, a economista acredita que recuperação provavelmente será parcial e desigual, isso porque a maioria dos países irá restaurar a produção pré-crise, mas permanecerá abaixo do potencial até o final de 2022.

A perda cumulativa de produção em relação à tendência pré-crise é considerável e maior em países com baixas taxas de vacinação, especialmente na Europa, onde há uma divergência crescente entre os países. Além disso, a inflação deve acelerar este ano, à medida que a recuperação se firma, refletindo principalmente fatores transitórios que provavelmente diminuirão no início de 2022.

Fontes: Various, Euler Hermes, Allianz Research / Divulgação
Fontes: Various, Euler Hermes, Allianz Research / Divulgação

Níveis reais do PIB

Fontes: Various, Euler Hermes, Allianz Research / Divulgação
Fontes: Various, Euler Hermes, Allianz Research / Divulgação

Previsão de crescimento para o comércio global

A seguradora de crédito também atualizou a previsão de comércio global para 2021 (+ 0,3 pp para + 8,0% em volume e + 1,0 pp para + 16,9% em valor). A pressa para reabastecimento em meio a quedas de produção doméstica historicamente elevadas e baixos estoques continua a alimentar a aceleração de volumes e preços.

“Esperamos que as pressões de preço e capacidade continuem entrando em 2022, embora de forma menos aguda, e sem normalização na capacidade de transporte antes de 2023. Portanto, na parte de trás do frontloading em 2021, impulsionado principalmente por interrupções na cadeia de abastecimento, revisamos ligeiramente para baixo nosso 2022 previsto de -0,2pp para + 6% em volume e de -0,4pp para + 8,0% em valor”, explica a economista.

Previsões de crescimento do comércio mundial

Fontes: Various, Euler Hermes, Allianz Research / Divulgação
Fontes: Various, Euler Hermes, Allianz Research / Divulgação

Por fim, Boata lembra que “é provável que a maior parte da forte recuperação recente da inflação seja temporária e, em grande parte, explicada por restrições do lado da oferta e efeitos de base. No entanto, a reabertura das economias após uma série de bloqueios aumentou a incerteza sobre a escala e a duração do atual surto de inflação global”.

Nas economias avançadas, a escassez de mão-de-obra pode aumentar as pressões inflacionárias, principalmente se os esquemas de desemprego parcial não forem totalmente retirados até o final do ano e a participação da mão-de-obra continuar reprimida devido a alguma transformação estrutural, resultando em uma prolongada realocação de recursos durante a fase de recuperação.

SulAmérica oferece novas formas de garantir pontos no PRA Super Campeões 547

SulAmérica oferece novas formas de garantir pontos no PRA Super Campeões

Campanha incentiva também a qualificação dos corretores com treinamentos online no PRA Saber que valem pontos para a competição

O PRA Super Campeões trouxe uma nova forma para os corretores pontuarem e ganharem mais chances na competição. A Escola de Negócios SulAmérica, PRA Saber, disponibilizou diversos cursos que, além de aprimorarem o conhecimento e desenvolverem habilidades dos profissionais parceiros, também contam pontos.

A cada curso finalizado, o corretor soma quatro pontos. Já se o treinamento for feito pelo IndicaSAS, os cursos passam a valer cinco pontos. Com a PRA Saber, os corretores têm acesso a conteúdos especiais, informações de qualidade e ainda ampliam as chances de ganhar diversos prêmios ao longo do ano e uma super viagem para Barcelona.

O PRA Super Campeões tem vigência do primeiro ao último dia útil de 2021 e terá duas rodadas. A etapa intermediária irá considerar a pontuação de janeiro até o último dia útil de setembro e sorteará carros 0 km entre os melhores colocados de cada região. Já a rodada final soma os resultados de todo o ano e premia os corretores que obtiveram as melhores pontuações com a viagem para Barcelona.

Pra Super Campões 2021

Uma das principais novidades da edição deste ano é o aumento no número de premiações: de seis para 11 carros 0km e de 52 para 87 premiados na viagem internacional. Os corretores irão competir de acordo com porte e região do país. O PRA Super Campeões 2021 traz, ainda, uma nova premiação para reconhecimento das assessorias de seguros, com direito a cinco vagas na viagem internacional.

O regulamento completo da campanha, com todos os detalhes sobre elegibilidade, pontuação e prêmios, já está disponível neste endereço.