Armando Vergilio: Goiás é destaque nacional no setor de seguros 915

Armando Vergilio é presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor) / Divulgação

Confira artigo do presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor)

O mercado de seguros em Goiás figura entre os que mais crescem e se desenvolvem no Brasil. Segundo dados estatísticos da Superintendência de Seguros Privados (Susep), de janeiro a agosto deste ano, a receita de prêmios apurada no estado somou quase R$ 5 bilhões, o que representou um incremento da ordem de 28% em comparação aos oito primeiros meses de 2020. No mesmo período, o mercado nacional registrou crescimento de 16%, para R$ 175 bilhões.

Até agosto, o mercado goiano devolveu para a sociedade local, na forma de indenizações, benefícios ou sorteios, algo em torno de R$ 2 bilhões. Isso significa que, nos oito primeiros meses do ano, o setor injetou na economia de Goiás, por dia, cerca de R$ 8 milhões.

Dados oficiais indicam também que a profissão de Corretor de Seguros é cada vez mais desenvolvida e valorizada em Goiás. E atrai cada vez mais pessoas altamente qualificadas, como indica a base de dados da Susep.

Somente nos últimos quatro anos, entre novembro de 2018 e o mesmo mês em 2021, o número de registro de Corretores de Seguros, pessoas físicas e jurídicas, cresceu mais de 32% em Goiás.

Esse percentual é muito maior que aqueles registrados, por exemplo, em São Paulo e Rio de Janeiro, onde a soma de Corretores de Seguros registrados cresceu 18% e 10%, respectivamente, no mesmo período comparado.

A valorização do Corretor de Seguros tem como principal pilar o trabalho sério, responsável e proativo das diretorias do Sincor-GO, que ao longo dos últimos anos vem atuando em plena sinergia e total entrosamento com as maiores e principais entidades do mercado, seja a ENS – responsável pela formação, qualificação e treinamento profissional; a Fenacor, que lidera a organização econômica e defende os grandes interesses da classe; e o Sicoob CredSeguro, que, por ser uma grande e respeitada instituição financeira (fomentada e estruturada ao longo dos últimos 20 anos pelo ecossistema do Sincor-GO), que disponibiliza acesso as melhores linhas de crédito e maior tranquilidade financeira para a atuação da categoria, na prospecção de negócios e atendimento aos clientes.

Graças a essa grande parceria e atuação sinérgica e harmônica estabelecida entre o Sincor-GO e instituições como ENS, Fenacor e Credseguro, dentre outras, conseguimos tantos avanços e conquistas para a categoria e o setor em Goiás.

Adesão ao Pix pode revolucionar o mercado de seguros 567

Alberto Vargas, CFO na Liberty Seguros do Brasil / Divulgação

CFO na Liberty Seguros do Brasil explica que poder pagar as parcelas de imediato de um seguro traz praticidade e conforto para o consumidor

O mercado de seguros está crescendo no Brasil, somente no primeiro trimestre de 2022, houve uma alta de 15,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo a Confederação Nacional das Seguradoras. Diante desse crescimento, as principais seguradoras se depararam com a necessidade de investir em tecnologia, a fim de oferecer uma boa experiência para o consumidor.

Um dos destinos desse investimento foi na adesão do Pix pelas principais seguradoras do país, em dezembro de 2020. A modalidade de transferência e pagamentos instantâneos, sem taxas ou impostos, rapidamente ganhou a preferência dos brasileiros por dois pontos que o mercado de seguros está buscando: praticidade e rapidez.

Alberto Vargas, CFO na Liberty Seguros do Brasil, explica que a possibilidade de pagar instantaneamente as parcelas de um seguro é sinônimo de praticidade e conforto para o consumidor. “Poder pagar uma parcela de sua apólice sem ter que aguardar o processamento de um boleto ou uma transferência bancária é benéfico tanto para o cliente, quanto para a seguradora, que pode manter um controle mais eficaz do fluxo de caixa já que, no fim do dia, é possível saber exatamente quais valores entraram e quais saíram”, explica ele.

Ainda de acordo com Vargas, o pix se encaixa como fator importante na experiência do cliente dentro do setor de seguros, porque a forma de pagamento conecta diretamente o cliente com a seguradora, cortando consideravelmente os custos da tarifa bancária na operação.

Experiência positiva do consumidor pode atrair mais clientes

Segundo uma pesquisa realizada pela companhia Salesforce em junho deste ano, na qual foram ouvidos 17 mil consumidores em 29 países, cerca de 95% dos brasileiros entrevistados dizem que a experiência ofertada por uma marca é tão importante quanto os produtos ou serviços oferecidos.

“Várias tecnologias como aplicativos, sites responsivos, integração de clientes, automação de feedback e análise preditiva com inteligência artificial podem ser implementadas. As soluções digitais e ideias inovadoras são importantes para as empresas terem mais variedade de formas de pagamentos disponíveis para o cliente”, comenta Vargas.

Vargas aponta ainda que o foco está nos consumidores, que valorizam a praticidade de resolver as suas necessidades de imediato para facilitar tarefas diárias. Além disso, com a pandemia, muitas organizações financeiras tiveram que mudar rapidamente as metas de curto prazo, como reduzir custos e aumentar a receita.

“Na Liberty, já trabalhamos há muito tempo com a questão do foco no cliente e, por isso, investimos muito na experiência digital e na implementação de novos recursos, porque entendemos que as preferências de consumo das pessoas estão em constante mudança”, afirma o CFO da Liberty Seguros.

Inovações para o futuro do setor de seguros

Embora as seguradoras tenham passado a aceitar o pix como forma de pagamento em 2020, o mercado está nos primeiros estágios de implementar a novidade. A transferência instantânea é aceita na maioria das seguradoras no processo de reprogramação de parcelas e, na Liberty, é possível, também, durante a emissão de uma apólice para os principais produtos Auto, de acordo com Alberto Vargas.

“As organizações financeiras devem ser ágeis se pretendem perseverar nas disrupções do futuro e precisam reconhecer a importância de construir experiências digitais intuitivas com antecedência, para que possam ser mais flexíveis quando surgirem desafios. No futuro, os clientes poderão decidir, sem mudar seus hábitos, qual forma de pagamento desejam utilizar, sejam os tradicionais – como boleto e transferência – ou pix, pagamento pelo WhatsApp, entre outros”, explica ele.

Com a digitalização cada vez mais presente, os clientes não têm mais tempo de esperar em longas filas para falar com um associado, quando podem cuidar de suas apólices por conta própria, seja por meio de autoatendimento na web ou pelo smartphone. Segundo Vargas, a pandemia foi a principal responsável por acelerar a flexibilização na metodologia de pagamentos no mercado de seguros.

“Com a abertura do Banco Central em relação às fintechs, as seguradoras têm oportunidade de inovar. Dessa forma, podem prestar serviços à medida das necessidades dos consumidores e baratear seus custos. O cliente quer uma solução prática para as necessidades financeiras, se a marca não oferece isso, perderá para a concorrência”, finaliza Vargas.

Liberty Seguros está entre as 100 empresas mais inovadoras no uso de TI no Brasil 500

Ana Lúcia D’Amaral, CIO da Liberty Seguros / Divulgação

A Liberty Seguros, uma das maiores seguradoras do Brasil, foi nomeada, no último dia 4 de agosto, uma das 100 empresas mais inovadoras no uso de TI no país. O reconhecimento da companhia ocorreu por conta do projeto que viabiliza o pagamento via PIX para clientes.

A boa colocação da seguradora, que garantiu o 48º lugar no ranking geral, é estratégica, dado o forte compromisso da Liberty com a temática da inovação. Nos últimos anos, a empresa vem aplicando o tema em tudo o que faz, com um olhar constantemente voltado para tendências. Essa premissa permitiu que a companhia lançasse diversos produtos e serviços que alavancam o digital e a TI, oferecendo as melhores experiências para funcionários, clientes e corretores.

Realizado pelo Grupo IT Mídia, em parceria com a FIAP, o prêmio “As 100+ inovadoras no uso de TI” avalia os projetos de TI que mais impactam os negócios das empresas brasileiras. Em 2022, a premiação recebeu 272 inscrições e, dessa lista, foram escolhidas 100 empresas com os projetos mais inovadores.

“É muito gratificante conquistar prêmios como esse e estar entre as empresas que mais se destacaram em inovação para projetos de TI em 2022. Ficar entre as primeiras colocadas em um ranking dessa categoria reflete o resultado de uma estratégia consistente de sempre estar à frente do mercado, com forte foco no digital, e melhorar cada vez mais a experiência dos nossos colaboradores, segurados e parceiros”, afirma Ana Lúcia D’Amaral, CIO da Liberty Seguros.

Roadshows da Akad Seguros em agosto devem reunir mais de 200 corretores 413

Rafael Fragnan, COO da Akad Seguros / Divulgação

Seguradora realizará eventos em Porto Alegre (RS), no dia 10; e Belo Horizonte (BH), no dia 25

Com o objetivo de apresentar suas novidades e ampliar o relacionamento com os parceiros comerciais, a Akad Seguros terá dois encontros com os corretores durante o mês de agosto. O primeiro deles está agendado para o próximo dia 10, às 09h30min, em Porto Alegre (RS), no Hotel Hilton, no bairro Moinhos de Vento.

O segundo evento será realizado em Belo Horizonte (BH), no dia 25, no mesmo horário, no Hotel Radisson Blu Savassi. Ao todo, as duas reuniões devem reunir mais de 200 profissionais do setor e representantes de corretoras e assessorias

A comitiva da Akad Seguros que participará dos eventos será formada pelo CEO, Danilo Gamboa; o COO, Rafael Fragnan; o Head de Transporte, Ivor Moreno; o executivo comercial, Marcio Santos; a executiva de Vendas e Marketing, Cintia Santos; e o coordenador de Parcerias, Vinicius Chiliani.

“Temos grandes parceiros nessas duas capitais e será um prazer revê-los presencialmente, depois de quase dois anos de pandemia. Já para aqueles que ainda não trabalham conosco, faço o convite para que compareçam aos eventos. Será uma oportunidade de nos conhecer melhor e, quem sabe, começarmos a construir bons negócios em conjunto”, disse Rafael Fragnan, COO da Akad Seguros.

Os corretores que desejarem participar de qualquer um desses encontros pode enviar uma mensagem para equipe comercial da seguradora através do e-mail marketing@akadseguros.com.br.

Vale lembrar que a marca Akad Seguros foi lançada recentemente em substituição a Argo Seguros. A seguradora mudou de nome após receber aporte da GP Investments, um dos principais gestores brasileiros de fundos de private equity. Apesar da mudança na identidade visual, a equipe, os produtos e a forma de operar da companhia não sofreram mudanças.

Divulgação
Divulgação

CSP-MG promove evento de capacitação e networking para corretores de seguros 356

CSP-MG promove evento de capacitação e networking para corretores de seguros

O Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG) promove, no dia 10 de agosto, o VIII Workshop Conhecer para Proteger, das 9h30 às 11h30, no auditório do SindSeg MG/GO/MT/DF.

O encontro é gratuito e reúne as beneméritas Premium Saúde, empresa do Sistema Hapvida, Seguro do Trabalhador e Seguros Unimed. Haverá transmissão ao vivo pelo canal do YouTube do CSP-MG.

Matheus Costa, gerente comercial Varejo, e Jaqueline Costa, gerente comercial Empresarial, mostram a estrutura institucional da Premium/Hapvida e as novidades da companhia para o mercado.

Já Rodrigo Meira, sócio-diretor do Seguro do Trabalhador, vai discorrer sobre os seguros de pessoas desenvolvidos na empresa, que são voltados à população de baixa renda (seguros populares de vida, acidentes pessoais com DIT e funeral). O executivo ainda irá falar sobre o tema microfranquias e suas vantagens para o corretor.

O superintendente Comercial e de Produtos Vida, Previdência e Ramos Elementares da Seguros Unimed, Rodrigo Borges, apresentará as soluções da companhia para além da assistência à saúde, e ainda abordará a relevância dos seguros na estratégia de planejamento financeiro familiar.

“Esse é um evento de capacitação e de networking em que os corretores de seguros e demais agentes do mercado terão a oportunidade de conhecer as novidades das companhias parceiras e de fechar novos negócios”, destaca o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello. O workshop tem a mediação do consultor e professor, Maurício Tadeu Barros Morais.

Os participantes que estiverem presentes no evento vão concorrer a brindes sorteados pelas beneméritas. A partir das 8h30, serão recepcionados com um café da manhã.

Inscrições pelo link: https://forms.gle/9b3q3jdWrxbVJvyd6

Serviço

  • Evento: VIII Workshop Conhecer para Proteger
  • Data: 10/08/2022 (quarta-feira)
  • Horário: recepção e café da manhã a partir das 8h30. Início do evento e transmissão, às 9h30
  • Local: auditório do SindSeg MG/GO/MT/DF, na Av. Afonso Pena, 726, 22º andar, Centro, Belo Horizonte/MG
  • Realização: Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG)
  • Participação das beneméritas: Premium Saúde (empresa do sistema Hapvida), Seguro do Trabalhador e Seguros Unimed
  • Inscrições: https://forms.gle/9b3q3jdWrxbVJvyd6

Empresariado gaúcho lamenta aumento na taxa de juros; Renda fixa é opção para investidores 1205

Empresariado gaúcho lamenta aumento na taxa de juros; Renda fixa é opção para investidores

Copom anunciou elevação do índice conforme expectativas do mercado financeiro

A taxa Selic foi elevada para 13.75% a.a. após reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central. Diante disso, os investimentos em renda fixa ficam em ascensão, mas diversos segmentos da cadeia produtiva lamentam o novo aumento e defendem o fim deste ciclo dos juros no Brasil.

É o caso do presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

“Esse foi o décimo segundo aumento na dose desse remédio amargo que começou a ser administrado em março do ano passado para conter o processo inflacionário. Diante de um cenário cheio de incertezas, o administrador desse remédio – a autoridade monetária – tem toda sua atenção nas expectativas de inflação à frente para considerar qualquer novo ajuste na Selic. Na prática, com a taxa básica de juros já muito elevada, o crédito mais caro não apenas reduz o impulso de consumo e de investimento, mas também encarece as dívidas contraídas pelas famílias e pelos empresários, exigindo atenção ainda maior nesses tempos desafiadores”, comentou.

Já a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) defendeu enfaticamente o encerramento deste “ciclo de apertamento monetário”.

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de elevar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, alcançando 13,75%, foi criticada pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry:

“O Banco Central já fez seu trabalho e acredito que o ciclo de aperto monetário deva ser encerrado. A elevação da taxa de juros no Brasil começou muito antes do que nos demais países, e sabemos que as implicações dos juros mais elevados têm impactos defasados sobre a economia. Dessa forma, as decisões do Copom tomadas ao longo dos últimos 12 meses terão efeitos sobre a atividade por diversos meses à frente, o trabalho do Banco Central já foi feito, agora é esperar. O quadro atual aponta para a desaceleração da inflação, juntamente com o aumento dos custos de crédito, postergação dos investimentos e risco de uma queda acentuada na atividade. Além disso, o cenário externo está mais favorável: o aumento nos juros e redução da atividade econômica nos países desenvolvidos deve provocar uma desaceleração do crescimento econômico global e já se observa o primeiro efeito dessa conjuntura sobre os preços das commodities, que vêm mostrando sinais de arrefecimento”, analisou.

Renda fixa seguirá como destaque, mas há alternativas para diversificar investimentos

Com o nível atual dos juros, a renda fixa seguirá como destaque nas carteiras dos investidores. Arley Junior, estrategista de Investimentos do Santander Brasil, observa que a captação nas aplicações indexadas ao CDI – taxa que acompanha de perto o juro básico – têm acelerado nos últimos meses. Dentro dos ativos pós-fixados, o investidor tem alternativas que proporcionam resgate imediato, como CDBs, fundos DI e o Tesouro Selic, ou as Letras (LCIs e LCAs), que possuem carência, mas são isentas de cobrança de Imposto de Renda para pessoa física.

“Investimentos em crédito privado também têm sido muito procurados, seja via títulos ou fundos e previdência. São alternativas que estão com prêmio em relação aos títulos públicos e, em alguns casos, são isentas de IR para pessoa física. Por isso, na nossa visão, devem complementar a parcela do portfólio alocada em renda fixa”, compartilhou Arley.

“Ainda neste universo, recomendamos alocação nos títulos prefixados, cuja rentabilidade é conhecida no momento da contratação. Num contexto de juros altos e prêmios relevantes, comparado às expectativas de juros futuros, esse investimento se torna interessante, mas vale destacar que ainda esperamos volatilidade nas taxas desses papeis no curto prazo. Além disso, caso sejam resgatados antes do vencimento, os rendimentos ficam sujeitos à marcação a mercado”, acrescenta o especialista.

Arley Junior, estrategista de Investimentos do Santander Brasil / Divulgação
Arley Junior, estrategista de Investimentos do Santander Brasil / Divulgação

Multimercados são opção interessante

Para quem quer diversificar, o estrategista de Investimentos do Santander Brasil recomenda os multimercados: “fundos que permitem acesso aos mercados de renda fixa, renda variável e câmbio no Brasil e no exterior. A flexibilidade e dinamismo da classe é imprescindível na atual conjuntura desafiadora e de juros elevados, e temos observado fundos com boas performances no ano”, afirmou.

“Outra opção de diversificação para investidores que não desejam oscilações são os Certificados de Operações Estruturadas (COEs). Possuímos alternativas que acompanham diferentes índices, como Dólar, Ibovespa, IPCA e S&P. Todos contam com capital garantido, ou seja, se o cliente levar o investimento até o vencimento, ele terá a proteção do valor investido. Em alguns casos, há ainda uma rentabilidade mínima garantida, onde o investidor ganha o que for maior, entre o desempenho do índice ou uma taxa prefixada, desde que levado até o vencimento”, mencionou Arley Junior.

E a renda variável?

“Existem muitas alternativas interessantes para investir no momento, mas dado o cenário de incertezas e a proximidade com as eleições, esperamos bastante volatilidade nas ações de empresas ao longo dos próximos meses. Para aqueles com maior perfil de risco e/ou prazo para resgatar suas aplicações, indicamos a alocação na classe, seja via fundos ou previdência, carteiras de rebalanceamento mensal ou diretamente com o Trader”, comentou Arley.

Em resumo, a recomendação do especialista do Santander Brasil é que o investidor tenha uma carteira diversificada, equilibrada em relação ao perfil de risco, e tenha em mente que oscilações podem gerar oportunidades. “Para ajudar a identificá-las, é fundamental contar com o apoio de um assessor que saiba quais aplicações são mais adequadas ao seu momento de vida, objetivo e perfil”, finalizou.

*Com informações de Fecomércio, Fiergs e Santander Brasil.