B3 divulga resultados financeiros de 2021

Período foi marcado por altos volumes negociados, lançamento de produtos e aquisições

A B3 divulgou os resultados financeiros do quarto trimestre de 2021 e do acumulado do ano. O lucro líquido atribuído aos acionistas em 2021 atingiu R$ 4,7 bilhões, aumento de 13,6% em relação ao ano anterior, refletindo o desempenho operacional positivo da companhia em todas as linhas de negócio. A receita líquida foi de R$ 9,2 bilhões, com alta de 10,3%.

Publicidade
Icatu Seguros no JRS

Ao longo de 2021, os clientes da B3 transacionaram volumes maiores. No mercado de ações e instrumentos de renda variável listados, os destaques foram os crescimentos de 14% no volume financeiro médio diário negociado no mercado à vista de ações (ADTV) e de 56,4% no volume de contratos futuros de índice de ações. No mercado à vista, a alta refletiu a maior capitalização média de mercado, influenciada pelas ofertas públicas realizadas e pela recuperação do valor das ações listadas no segmento, depreciado em 2020 devido à pandemia. Durante o ano foram realizados 46 IPOs e 26 follow-ons, que somaram R$ 130,5 bilhões.

Os volumes de emissões e o estoque de instrumentos de captação bancária registrados no período cresceram 5% e 14,2%, respectivamente, em função do crescimento de emissões de CDBs, que representaram 75,4% das novas emissões de captação bancária durante 2021, e das consecutivas altas na taxa básica de juros, que contribuíram para o aumento no volume financeiro em estoque. Já o estoque médio de instrumentos de dívida corporativa aumentou 6,5%, com as debêntures de leasing representando 21,3% do estoque médio de dívida corporativa em 2021. Outro destaque do mercado de renda fixa foi o crescimento do Tesouro Direto, cujo número de investidores e de estoque em aberto apresentaram altas de 22,3% e 4,7%, respectivamente.

Em 2021, a B3 confirmou sua estratégia de continuar fortalecendo o core business – apoiado pelos pilares de excelência operacional, proximidade com clientes e atenção a potenciais disrupções tecnológicas, regulatórias ou de produtos – e paralelamente, atuar em novos segmentos escolhidos nas adjacências do core business, com recursos e estruturas dedicadas. Nessa estratégia, a área de dados & analytics deve assumir cada vez mais protagonismo no crescimento da companhia.

Publicidade
Green Vida Brasil, 18 de agosto. Fale com seu corretor!

Como parte da estratégia da B3 de expandir a presença em mercados atrativos ligados ao ecossistema financeiro, a companhia concluiu, em dezembro, a operação de aquisição de 100% do capital social da Neoway. Com a transação, a B3 pretende trazer maior celeridade ao lançamento de produtos de dados e analytics para os mercados financeiro e de capitais, bem como de crédito e varejo, atendendo clientes do setor financeiro e de outros mercados.

Em 2021, a B3 também investiu R$ 600 milhões para viabilizar a criação da Dimensa, empresa líder na oferta de softwares para empresas do segmento financeiro, em parceria com a TOTVS, e participou na rodada de investimento da Pismo, techfin que oferta plataforma de processamento para serviços financeiros em nuvem.

Resultados do trimestre

No quarto trimestre de 2021, as receitas somaram R$ 2,4 bilhões, o que representa queda de 4,2% na comparação com o quarto trimestre de 2020, quando os números foram impactados positivamente por reversão de provisões não recorrentes. O lucro líquido recorrente atingiu R$ 1,2 bilhão, aumento de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O último trimestre do ano foi marcado por uma série de lançamentos de novos produtos e serviços. No segmento de ações, foram lançados mais de 15 Fiagros (Fundo de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais), nova categoria de FIIs voltada para aplicação em ativos de investimentos do agronegócio. No segmento de derivativos listados, foi lançado um novo contrato Futuro de Soja Brasil, desenvolvido em parceria com a CME, controladora da Bolsa de Chicago, que tem como referência o preço de exportação no porto de Santos.

Outra novidade foi o desenvolvimento da negociação de contratos futuros referenciados nos índices que acompanham grandes empresas da Europa: o Euro Stoxx 50, composto pelas principais companhias da Zona do Euro, e o DAX, que reúne as 40 maiores empresas da Bolsa de Frankfurt. No segmento de balcão, a B3 também deu início aos serviços de negociação e depósito de notas comerciais escriturais, título de dívida corporativa que pode ser emitido por sociedades anônimas, limitadas ou cooperativas.

“No final de 2021, atingimos a marca de 5 milhões de contas de investidores pessoa física, crescimento de 54% em relação ao fim de 2020. E, mesmo com o aumento das incertezas no mercado de capitais, a B3 continuou apresentando altos volumes negociados em suas plataformas. No segmento de ações, o ADTV totalizou R$ 31,5 bilhões, e no segmento de derivativos listados, a média diária foi de 4,3 milhões de contratos, números estáveis em relação ao mesmo período do ano anterior”, comenta Gilson Finkelsztain, CEO da B3.

Receita do segmento Listados

No quarto trimestre de 2021, o segmento de listados obteve receita de R$ 1,6 bilhão (67,7% do total) e registrou queda de 5,5%. Os destaques foram o crescimento de 44,9% no volume de contratos futuros de índice de ações e o desempenho do volume financeiro médio diário negociado no mercado à vista de ações (ADTV), que se manteve estável mesmo em um cenário de juros mais altos. No mercado à vista, o ADTV foi influenciado pela alta na capitalização média de mercado, como consequência das ofertas públicas realizadas nos últimos 12 meses. O giro de mercado (turnover) foi de 164,8%, recuando em relação aos elevados patamares registrados no mesmo período do ano anterior. No caso dos contratos futuros, o desempenho positivo é explicado pelo crescimento da negociação da versão mini desses contratos, principalmente por pessoas físicas e investidores de alta frequência (High Frequency Traders – HFT).

Receita do segmento Balcão

O segmento de balcão registrou crescimento de 8,8% e receita de R$ 300,2 milhões (12,3% do total). Com taxas de juros maiores, os volumes dos produtos de renda fixa impactaram o crescimento do segmento no período. Os volumes de emissões ficaram em linha com o mesmo período do ano anterior. O estoque de instrumentos de captação bancária registrados no trimestre cresceu 5,2% em função, principalmente, da alta na taxa básica de juros e do crescimento de emissões de CDBs, que representaram 77,1% das novas emissões durante o trimestre. Já o estoque médio de instrumentos de dívida corporativa aumentou 15,3%, com as debêntures de leasing representando 19,1% do estoque médio de dívida corporativa no período.

Receita do segmento Infraestrutura para Financiamento

O segmento de Infraestrutura para Financiamento obteve receita de R$ 114 milhões (4,7% do total), o que representou queda de 12,7%. O número de veículos vendidos diminuiu 18,2% no Brasil, devido à escassez de peças para montagem de veículos novos e ao aumento nos preços tanto de veículos novos quanto usados. Com cenário macroeconômico menos favorável para financiamentos, o número de inclusões no Sistema Nacional de Gravames (SNG) diminuiu 15,1%. Já no Sistema de Contratos, o número de transações caiu 31,7% no trimestre.

Receita do segmento tecnologia, dados e serviços

O segmento de tecnologia, dados e serviços da B3 registrou alta de 21,5% e receita de R$ 371,7 milhões (15,3% do total) no trimestre. A quantidade média de clientes do serviço de utilização mensal dos sistemas do segmento Balcão aumentou 16,8%, resultado, principalmente, do crescimento da indústria de fundos no Brasil. Outro dado relevante é que a quantidade de TEDs processadas diminuiu 47,7%, devido à expansão da utilização do PIX no período.

O documento com as informações completas sobre os resultados operacionais para o quarto trimestre de 2021 está disponível no site de RI da B3.

Podcast RI B3 – 4T2021

Ouça os comentários de Daniel Sonder, CFO, Marcela Bretas, diretora de Relações com Investidores, Fusões e Aquisições e Planejamento Estratégico, e André Veiga Milanez, diretor executivo Financeiro, Administrativo e de Relações com Investidores, sobre os resultados financeiros da B3 no 4º trimestre de 2021.

Artigos Relacionados