Gigantes do seguro participam de debate com o Superintendente da Susep, em São Paulo 4186

Gigantes do seguro participam de debate com o Superintendentes da Susep, em São Paulo / Foto: William Anthony / JRS

Encontro com Alexandre Camillo marcou apresentação das diretorias do Sindseg e do Sincor SP

Um verdadeiro encontro de gigantes do mercado segurador foi o cenário para um debate promovido com o Superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Alexandre Camillo. Realizado na Zona Oeste de São Paulo, o encontro contou com a presença dos principais presidentes de companhias seguradoras – assim como de diversos líderes da indústria nacional de seguros.

“É uma honra retomar os eventos presenciais em uma noite tão importante como essa. São dois anos de pandemia e este momento é especial, pois são nessas crises que percebemos o quanto a união de todos em prol do mercado é importante. Para mim é uma satisfação muito grande representar uma entidade tão representativa em um Estado como o de São Paulo. Reeleito por mais três anos, após o primeiro mandato. Satisfação muito grande contribuir com o mercado de seguros, estar ao lado de pessoas incríveis como os colegas da diretoria da entidade. Procuramos trabalhar exaustivamente na união do mercado em momentos delicados – com muitos cancelamentos de eventos – e a turma muito dedicada, conversando com as entidades”, afirmou o presidente do Sindicato das Seguradoras de SP (Sindseg SP), Rivaldo Leite.

Evento reuniu lideranças e executivos do setor, em São Paulo / Foto: William Anthony / JRS
Evento reuniu lideranças e executivos do setor, em São Paulo / Foto: William Anthony / JRS

“É o momento de comemorar que estamos todos vivos, fortes e em um momento muito especial. Tenho aqui muitos companheiros de mercado que também foram reeleitos. Quero fazer um agradecimento especial ao superintendente Camillo – que de prontidão aceitou esse convite para que vocês pudessem perguntar para ele tudo sobre esse momento. Ele tem prestado um serviço excepcional ao mercado de seguros. É uma noite especial para todos nós”, celebrou o presidente do Sindseg SP.

Emocionado, o presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros de SP (Sincor SP), Boris Ber, lembrou de todas as projeções e feitos até o presente momento – onde o ex-presidente do sindicato paulistano, Alexandre Camillo, tornou-se superintendente da Susep. “É motivo de muito orgulho. Nada poderia ter sido melhor para o mercado que o Camillo chegar ao comando da Superintendência de Seguros Privados. Só posso desejar sucesso. Tua competência, todos conhecem. Tua insistência, tua dedicação, eu conheço. É um orgulho muito grande. Que você possa trazer ao mercado um recomeço, uma retomada, neste momento tão difícil e promissor ao mesmo tempo”, declarou ao superintendente durante a ocasião.

Também fizeram-se presentes os presidentes da Confederação Nacional das Seguradoras, Dyogo Oliveira; e da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), Armando Vergilio.

Oliveira, que será empossado oficialmente como presidente da CNseg no final deste mês, disse que a “expectativa é de que a nova gestão da Susep cure feridas, traga alívio e aponte a visão para futuro. Essa grande expectativa traz também grande responsabilidade. Deves estar sentindo isso, Camillo, assim como eu – prestes a assumir a CNseg. Tenho muita sorte em chegar neste momento, onde as pessoas estão empenhadas no desempenho e desenvolvimento do setor. Desejo grande sucesso a todos que estão neste mercado”, citou ao colocar a CNseg à disposição das entidades do setor.

Já Armando Vergilio – de modo direto – estimou que a nova gestão da Susep reconstrua os erros do passado para que o setor “olhe para a frente, para que o mercado cumpra – de modo magistral, como já tem acontecido – com sua função de proteger as famílias brasileiras. Desejo uma gestão profícua, que Fenacor e o ecossistema CNseg continuem dialogando por ações que visem o desenvolvimento de nosso mercado”, comentou ao destacar o projeto Educação, um caminho seguro. “Se por um lado temos tantas perdas lamentáveis, o comportamento do mercado e do corretor de seguros fez estão fazendo diferença para centenas de milhares de pessoas em todo o País. Queremos fazer com que o governo também passe a nos perceber”, mencionou ao citar a crise sanitária do coronavírus.

Homenageado com uma placa concedida por parte das entidades presentes, o superintendente Alexandre Camillo destacou os desafios do contexto atual – seja pela questão econômica, sanitária ou até mesmo de entendimento. “Desafios que nos fortaleceram – inclusive – espiritualmente e emocionalmente. Tenho certeza que todos compactuam com a alegria de nos reencontrarmos e estarmos juntos. Minha maior alegria é pelo fato de estar aqui e agradecer a Deus todo dia por isso”, celebrou o comandante da Susep.

“Busquei ser superintendente para colaborar com todos – que podem acompanhar as reuniões do Conselho Diretor da autarquia através do YouTube. Tamanha é a expectativa, conforme mencionou o ministro Diogo. Se não fosse a competência de apenas 300 servidores para dar conta disso tudo, não entregaríamos um terço disso que se espera. Nossas ações se consolidam em nossas atitudes. Quis trazer a diretoria, por ter certeza que essa imagem é a constatação da ação em consonância com o diálogo. Todos nós estamos à disposição de vocês”, explicitou Alexandre Camillo ao apresentar o fluxograma e atual organização da autarquia.

Alguns dados, como o crescimento de 21,3% registrado pelo mercado de seguros em fevereiro – na comparação com o mesmo período do ano passado, deram gás à apresentação de Camillo. “O acumulado do primeiro bimestre foi de R$ 52,78 bilhões, que se traduz em crescimento de 13,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Não podemos perder o foco do tanto que podemos fazer melhor. Temos muito a fazer”, citou o superintendente ao demonstrar que o setor segurador acumulou R$ 306,31 bi em receitas, 11,8% a mais do que o arrecadado em 2020.

Na visão de Alexandre Camillo, a população mudou seu olhar para o produto seguros. “Não existe instrumento de proteção melhor do que este abençoado produto que é o seguro. Isso se traduz já nos números de 2022, dado crescimento ímpar nas linhas de Automóvel, Vida, Rural, Transporte e Responsabilidade Civil”, comentou. Durante a apresentação, o superintendente destacou a existência de 115.920 corretores de seguros (65.417 PF / 50.503 PJ). “Em São Paulo, especialmente temos 49.467 corretores (28.032 PF/ 21.435 PJ)”, acrescentou.

O superintendente da Susep listou as seguintes realizações, durante os primeiros cinco meses da nova gestão da autarquia:

  • Mudança na Circular Susep 642/2021 – (dilação de prazo para adaptação dos produtos e cobertura provisória) – DIR2;
  • Seguro Garantia (Circular 662 – abril/2022) – DIR1;
  • Open Insurance – alinhamento de prazos – DIR3;
  • Formação do novo Conselho Diretor;
  • Revisão do Planejamento Estratégico Institucional;
  • Revisão do layout organizacional;
  • Início do Programa de Gestão;
  • Novo endereço da Regional de São Paulo – na Paulista, junto ao prédio do BC.

“Conto com esse time de pessoas comprometidas com nossos propósitos. Os primeiros meses foram de aprendizado e imersão na complexidade da Susep, na fotografia da situação. Qual foi a Susep que eu encontrei? Nem convém discorrer novamente. Tivemos oportunidade de, dentro dessa nossa proposta de condução, observar o que está feito, consolidado – como a Lei da Liberdade Econômica, o revisaço, a mudança de postura dentro da autarquia – onde você troca lastreado pelo conceito prescritivo ou principiológico. Nada pode ser exagerado, nem para um lado, nem para o outro”, demonstrou Camillo ao também destacar a participação nos seguintes momentos do setor:

  • Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros;
  • Almoço com o mercado segurador gaúcho (Sincor RS e Sindseg RS);
  • Fórum Nacional de Seguros – Evento Internacional em Buenos Aires;
  • Almoço no Clube de Vida em Grupo – Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ);
  • Debate com o mercado (Sincor SP e Sindseg SP);
  • International Insurance Forum – NAIC (Washington) – em maio.

O superintendente da autarquia ainda projeta os passos para o futuro, com o enfoque nas seguintes questões:

  • Resseguro (Plano de Regulação 2022) – DIR1;
  • Interoperabilidade Open Banking e Open Insurance – avanços e aprovação no Conselho Diretor de proposta de resolução conjunta com CMN – DIR3;
  • Securitização – estrutura dedicada para os avanços no âmbito da MP 1103 – DIR4;
  • Sustentabilidade no Setor – concluída etapa de Consulta Pública – DIR3;
  • DPVAT – Grupo de Trabalho aprovado no CNSP – DIR4.

Ao abordar o Prêmio Susep de Pesquisa em Seguros, o superintendente da Susep também lembrou que a autarquia passou a integrar o Programa de Gestão – em vigor no atual governo. “Um servidor da Susep desenvolveu o programa de gestão, a troca do ponto pelo resultado – algo excelente para o serviço público – esse servidor foi reconhecido e premiado pelo ministério da Economia – algo adotado por diversas instâncias do governo”.

Alexandre Camillo enfatizou ainda que tem como missão deixar seu legado e contribuição para a indústria de seguros. “A autarquia tem orientações de governo e orientação de que precisa ser resolvido. Pretendemos traçar um plano de ação alinhado ao governo, levando o governo ao pleno entendimento – que se traduzam em resoluções, atos oficiais da Susep, de uma maneira tão assertiva que talvez haja constrangimento em se revisar alguns temas, buscar outras orientações, mercê algum interesse ou não entendimento como nosso setor trabalha, prospera e faz as ofertas à sociedade”, citou ao analisar a prorrogação dos prazos do Open Insurance. “As pessoas por vezes confundem o ‘de encontro’ e ‘ao encontro’. De encontro é choque, ao encontro é soma. Não preciso achar que sou o mais capaz e mais inteligente, destratando os outros. Essa é a maior contribuição que posso dar aos novos processos, como Sandbox, Insurtechs…”, complementou.

Durante o evento, o superintendente da Susep ainda destacou os diretores que lideram o atual organograma da autarquia.

Marcelo Augusto Camacho Rocha é o Diretor 1 da Susep. É responsável pela regulação e supervisão de grandes riscos e resseguros, pela autorização e credenciamento de supervisionadas, pelo cadastramento de corretores; pelos processos administrativos sancionadores e processos de regimes especiais. “Temos uma agenda cheia a cumprir, muito em função do revisaço – normas infralegais que precisamos repassar ao longo deste ano. Temos equipe muito competente, servidores preparados e queremos cumprir essa agenda da melhor forma possível”, contou.

Já Augusto Coelho Cardoso é o Diretor 2 da Susep. O profissional é responsável pela regulação e supervisão de seguros massificados de danos, seguro de pessoas, previdência complementar aberta e capitalização, além de orientação ao consumidor e promoção de educação financeira. “Há uma grande missão à frente da pasta. Uma marca que queremos empreender nessa gestão da Susep é o diálogo – para construir um ambiente regulatório favorável para fomentar mais negócios”, projetou.

José Camilo de Oliveira Nagano é o Diretor 3 da Susep. Responsável pelas normas prudenciais, Sistema de Registro de Operações (SRO), Open Insurance, Supervisão de Governança, Estrutura de Gestão de Riscos, Controles Internos e Prevenção à Lavagem de Dinheiro. “A Diretoria 3 é um desafio. O maior desafio é retornar ao diálogo, nossa conversa, entendimento, fomentação do seguro, propor crescimento e apoiar esse crescimento. Isso é fundamental para todo setor”, explicou.

Carlos Queiroz deve ser nomeado nos próximos dias no Diário Oficial da União (DOU) ao posto da Diretoria 4 – responsável pela área prudencial, supervisão, monitoramento e fiscalização das operações e do funcionamento das supervisionadas, além da regulação em temas específicos. “Sou servidor de carreira da Susep há 12 anos. Hoje temos a previsão de 800 cargos – algo que foi legado que o presidente Armando deixou para a autarquia. A área prudencial tem uma visão mais diferenciada para supervisionadas que exigem um pouco mais de atenção. O superintendente Camillo pediu uma proposta de diálogo, transparência e atuação preventiva – algo que será fundamental e essencial para o desenvolvimento do mercado”, finalizou.

Plataforma educacional Universeg, do Grupo Bradesco Seguros, completa um ano com mais de 145 mil acessos 528

Plataforma educacional Universeg, do Grupo Bradesco Seguros, completa um ano com mais de 145 mil acessos / Divulgação

Iniciativa da seguradora oferece capacitação e atualização para parceiros de negócios

A Universeg, plataforma educacional do Grupo Bradesco Seguros, completa um ano. Em formato de serviço de streaming, o projeto conta com conteúdos em diversos formatos, como vídeos, e-books, podcasts e infográficos, propiciando o desenvolvimento contínuo. Com mais de 145 mil acessos, a iniciativa oferece materiais voltados para desenvolvimento de carreira e autoconhecimento, com foco em aprimorar também os negócios dos parceiros do Grupo, de forma gratuita. Neste um ano de Universeg a oferta de conteúdo cresceu mais de 250%.

De acordo com Valdirene Soares, Diretora de Recursos Humanos, Ouvidoria e Sustentabilidade do Grupo, são as pessoas que constroem a organização e por isso esta oferta de aprimoramento constante se torna tão importante. “O Grupo Bradesco Seguros tem uma longa tradição de investimento em capacitação. Somos feitos por pessoas que cuidam de pessoas e, ao buscarmos contribuir com o desenvolvimento dos nossos parceiros estamos, por consequência, contribuindo também com a evolução de todo o segmento”, afirma a diretora.

Ainda segundo a executiva, uma das maiores preocupações do Grupo Bradesco Seguros é disponibilizar conteúdos relevantes e de qualidade para a formação dos nossos parceiros de negócios. “Buscamos o que há de melhor em aprendizagem com conteúdos atuais, que conversam com a realidade dos profissionais. Para isso contamos com uma equipe com vasta experiência de mercado, que seleciona meticulosamente materiais consoantes com a sua realidade, levando em consideração as necessidades dos corretores”, ressalta.

Dentre os conteúdos da plataforma, há cursos ministrados por Leandro Karnal, historiador e professor; Márcio Mussarela, jornalista e comunicador corporativo; Monge Sat com o curso “Hora da Pausa”; além de conteúdos sobre Educação Financeira, Matemática Financeira, Comunicação, Ética e muitos outros temas técnicos e comportamentais .

A mudança de formato, do físico para o digital, era algo já pensado pela instituição, mas que ganhou força durante a pandemia. “Nós tínhamos o desafio de capacitar uma grande quantidade de profissionais espalhados em um país imenso como o Brasil. Com o meio digital, conseguimos entregar muito mais conteúdo de qualidade em bem menos tempo. Nossa capilaridade na capacitação aumentou muito”, diz Valdirene. “O intuito é que as nossas capacitações se adequem à rotina do corretor, e não o corretor a elas, o que conseguimos por meio dessa plataforma”, complementa.

Começam as inscrições para Prêmio de Inovação em Seguros da CNseg 416

Começam as inscrições para Prêmio de Inovação em Seguros da CNseg / Foto: Giorgio Trovato / Unsplash Images

Premiação acontecerá em dezembro para três categorias

Principal referência das ações do setor em transformação digital e da agenda ambiental, social e de governança (ASG), o Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros abre as inscrições na próxima segunda-feira, dia 4 de julho. “O futuro é agora” é o mote da premiação que está na11ª edição e é promovido pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg).

“A cultura da inovação é uma métrica permanente do Prêmio de Inovação, e os projetos, olhando o histórico das contribuições de todas as suas edições, têm sido fundamentais para nos adaptarmos ao ambiente desafiador das mudanças sociais, econômicas e ambientais, criando soluções para sustentar as operações das seguradoras e inovações para aperfeiçoar e agregar cada vez mais valor para os consumidores”, afirmou a diretora-executiva da CNseg, Solange Beatriz Palheiro Mendes.

Nos últimos três anos, a CNseg tem registrado a participação de diversos projetos atentos a demandas da nova sociedade, englobando temas como equidade feminina, mudanças climáticas, saúde emocional, humanização nos processos, cuidados com idosos, mitigação de litígios, uso da inteligência artificial em prol do consumidor e outras facilidades digitais de melhorias de acesso dos segurados. Para estimular ainda mais a adoção de práticas ‘ASG’, os ‘Princípios de Sustentabilidade em Seguros” constam dos critérios de pontuação dos projetos avaliados pelos jurados do Prêmio de Inovação.

Poderão participar do Prêmio de Inovação projetos nas categorias “Produtos e Serviços”, “Comunicação” e “Processos e Tecnologias”. Em suas dez edições, 862 projetos já foram examinados pela banca julgadora do Prêmio. Considerando-se a média de inscrições, o prêmio 2022 pode superar mil projetos julgados ao longo de todas as suas edições, avaliou Solange. No ano passado, por exemplo, a premiação bateu recorde de inscrições, com 167 projetos avaliados em sua 10ª edição.

Quinze projetos estarão na final que acontece em dezembro. O primeiro, segundo e terceiro colocados, em cada uma das três categorias, vão receber R$ 30 mil, R$ 15 mil e R$ 10 mil respectivamente.

As inscrições poderão ser feitas pelo site: www.premioseguro.com.br.

ViaCap distribui R$ 11,4 milhões para entidades filantrópicas em cinco meses 472

ViaCap distribui R$ 11,4 milhões para entidades filantrópicas em cinco meses / Divulgação

Hospitais e associações voltadas para pessoas em vulnerabilidade social foram beneficiadas

Movida pelo propósito de construir um mundo mais justo e sustentável, a ViaCap chega ao mercado de capitalização com grandes conquistas. De janeiro a maio de 2022, já foram R$ 11.469.869,00 distribuídos para cinco instituições filantrópicas de todo o Brasil. Entre as iniciativas, há trabalhos voltados para o atendimento de pessoas em vulnerabilidade social e com deficiência intelectual, múltipla e autismo – além do hospital infantil que atende casos de alta complexidade

Para o Gerente Atuarial da ViaCap, Walter de Vargas, os números refletem a importância social da filantropia. “Com a venda massiva de títulos de baixo custo, centenas de pessoas têm suas vidas mudadas para melhor”, afirma. Apesar de não ser uma doação, a Filantropia Premiável funciona como um instrumento para ajudar na sustentabilidade das organizações sociais, que não precisarão contar apenas com uma forma de captação de dinheiro.

A instituição com maior arrecadação durante o período foi a Irmandade Santa Casa Londrina (Iscal), entidade filantrópica que disponibiliza redes de hospitais e centros de educação em Londrina, no Paraná. Ao todo, foram resgatados R$ 6.200.686,00.

Entre abril e maio, a ViaCap repassou o montante de R$ 2.854.913,00 à Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social (Abads), instituição de São Paulo que oferece atendimento a pessoas com Deficiência Intelectual e Autismo para mais de 980 famílias.

No sul do país, em Santa Catarina, o Instituto Plural recebeu R$ 2.249.403,00 que irão ajudar na promoção do bem-estar social de crianças, adolescentes e idosos através da alimentação, saúde, esporte e educação. Ainda no mesmo estado, a Associação Beneficente Nossa Casa, de Criciúma, recebeu R$ 81.908,00 em janeiro. A entidade acolhe crianças e adolescentes em situações de risco social.

As atividades de acolhimento e proteção social para pessoas com deficiência física do Lar da Fraternidade, de Linhares, no Espírito Santo, foram fortalecidas pela quantia de R$ 82.959 recebidas através da Filantropia Premiável.

Conheça nosso trabalho em prol do fortalecimento de causas sociais. Acesse nosso site ou siga-nos nas redes sociais, em @viacapitalização.

Grupo Bradesco Seguros apresenta novo aplicativo que melhora ainda mais a jornada do cliente 464

Fabio Dragone é Diretor de Digital, CRM, Inovação e CX do Grupo Bradesco Seguros / Divulgação

Seguradora investe em design moderno, interface intuitiva e melhor performance nesta nova versão

Mirando um público cada vez mais conectado, o Grupo Bradesco Seguros traz para os segurados seu novo aplicativo, com visual e tecnologia mais modernos e intuitivos. O novo app, disponibilizado desde o início do ano para um número crescente de clientes, otimiza as diversas jornadas do usuário, reunindo todos os produtos de seguros em um só lugar, o que proporciona mais facilidades aos segurados.

Para Fabio Dragone, diretor de Digital, CRM, CX e Inovação do Grupo Bradesco Seguros, as mudanças vieram para tornar o processo mais simples e muito mais rápido para o segurado. “Antes de mais nada, procuramos entender quais eram as principais demandas e necessidades dos nossos clientes. Em geral, eles nos mostraram que buscavam um uso prático, que entregasse os principais serviços com o mínimo de cliques possíveis. Por isso, redesenhamos o aplicativo, contando com especialistas no assunto, para criar uma ferramenta mais leve e com muito mais conteúdo”, detalha o executivo.

Durante o período de testes do aplicativo, a seguradora contou com a participação dos usuários Beta Testers que participaram da construção e depois da execução da Proof of Concept (PoC). Os campos de digitação foram reduzidos em 80% e os números de toques na tela caíram 66%. “Toda a concepção das novas ferramentas foi pensada ouvindo o segurado”, finaliza Dragone.

O novo aplicativo está disponível para os sistemas Android e iOS.

Assistências: opções para complementar o seguro de vida e oferecer benefícios para o dia a dia do cliente 332

Rodrigo Cunha, gerente de Desenvolvimento de Produtos / Divulgação

Vantagens dos serviços para residência e pets podem ampliar geração de negócios para o corretor

As coberturas de seguro de vida são soluções intangíveis que proporcionam uma tranquilidade financeira no dia a dia do cliente. No entanto, pensando também em proporcionar um benefício concreto para os segurados, a MAG Seguros disponibiliza aos corretores parceiros a oportunidade de comercialização de uma série de serviços assistenciais para os clientes que contratarem um seguro de vida na companhia.

A assistência pet oferece uma série de serviços, como transporte emergencial, atendimento emergencial, vacinas (aplicação em domicílio), funeral ou cremação, hospedagem do pet, entre outras vantagens.

Quem contrata um seguro de vida da MAG pode optar também pela assistência residencial, que, dentre os serviços oferecidos estão, por exemplo, chaveiro, encanador, eletricista, vidraceiro, cobertura provisória de telhados, desentupimento, limpeza de ar-condicionado e instalação de barra de segurança nos banheiros.

“A ideia de contar com um portfólio de assistências é de proporcionar ao corretor parceiro a geração de mais negócios. Já para o cliente, é a oportunidade de contar com benefícios concretos para a solução de problemas cotidianos de uma forma rápida e fácil”, explica Rodrigo Cunha, gerente de Desenvolvimento de Produtos.

Além das assistências pet e residencial, também é possível incrementar a proteção com assistência auto e saúde, sendo esta segunda oferecendo telemedicina 24 horas e desconto em medicamentos, e segunda opinião médica.