GBOEX: 109 anos em constante movimento e evolução 21426

Confira edição especial de número 260 da Revista JRS

O Brasil mais Seguro!

Mais um ano avança em ritmo acelerado. Você já parou para pensar no futuro de suas operações diante da complexidade do mundo atual e das oportunidades latentes na indústria seguradora?

Este é um dos assuntos da edição 260 da Revista JRS, que traz em sua reportagem de capa tudo sobre os 109 anos do GBOEX, uma das maiores Empresas de Previdência Complementar Aberta (EAPC) do Brasil, e referência para toda a indústria brasileira. A operação do GBOEX merece todas as homenagens, uma vez que preza pela satisfação e centralidade da operação no cliente – com base no relacionamento e fortemente embasado nos pilares da Tradição, Solidez e Segurança.

Além disso, a equipe do Jornal do Seguro (JRS) acompanhou diversos eventos presenciais, onde os grandes nomes do seguro apresentaram o panorama geral do setor para o ano de 2022 e para os próximos, respectivamente.

Tudo isso com um time campeão de colunistas, que apresentam temas comportamentais, mercadológicos e relacionados ao Direito Securitário.

A seleção mensal de conteúdos da Revista JRS procura atender ao objetivo do veículo de comunicação em proporcionar não apenas o melhor da informação, mas verdadeiros relatórios de inteligência para tomada de decisão por parte dos operadores da indústria seguradora, corretores e parceiros de negócios.

Nos próximos meses, o JRS irá completar 22 anos. E uma série de ações têm sido preparadas pelo nosso time para ampliar ainda mais a comunicação e a disseminação de conteúdos valorosos para cada vez mais pessoas. Serão realizadas a segunda edição da Maratona da Inovação em Seguros, no mês de julho, e o tradicional Troféu JRS – que em 2022 – chega à 20ª edição ininterrupta, reconhecendo os Destaques do Mercado Brasileiro de Seguros.

Neste sentido, o JRS apresenta-se como opção de mídia com canal totalmente aberto ao público – que pode sugerir reportagens, conteúdos e falar diretamente com nosso time para – juntos – tornarmos o Brasil muito, muito mais seguro!

Excelente leitura!

Empresariado gaúcho lamenta aumento na taxa de juros; Renda fixa é opção para investidores 1205

Empresariado gaúcho lamenta aumento na taxa de juros; Renda fixa é opção para investidores

Copom anunciou elevação do índice conforme expectativas do mercado financeiro

A taxa Selic foi elevada para 13.75% a.a. após reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central. Diante disso, os investimentos em renda fixa ficam em ascensão, mas diversos segmentos da cadeia produtiva lamentam o novo aumento e defendem o fim deste ciclo dos juros no Brasil.

É o caso do presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

“Esse foi o décimo segundo aumento na dose desse remédio amargo que começou a ser administrado em março do ano passado para conter o processo inflacionário. Diante de um cenário cheio de incertezas, o administrador desse remédio – a autoridade monetária – tem toda sua atenção nas expectativas de inflação à frente para considerar qualquer novo ajuste na Selic. Na prática, com a taxa básica de juros já muito elevada, o crédito mais caro não apenas reduz o impulso de consumo e de investimento, mas também encarece as dívidas contraídas pelas famílias e pelos empresários, exigindo atenção ainda maior nesses tempos desafiadores”, comentou.

Já a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) defendeu enfaticamente o encerramento deste “ciclo de apertamento monetário”.

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de elevar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, alcançando 13,75%, foi criticada pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry:

“O Banco Central já fez seu trabalho e acredito que o ciclo de aperto monetário deva ser encerrado. A elevação da taxa de juros no Brasil começou muito antes do que nos demais países, e sabemos que as implicações dos juros mais elevados têm impactos defasados sobre a economia. Dessa forma, as decisões do Copom tomadas ao longo dos últimos 12 meses terão efeitos sobre a atividade por diversos meses à frente, o trabalho do Banco Central já foi feito, agora é esperar. O quadro atual aponta para a desaceleração da inflação, juntamente com o aumento dos custos de crédito, postergação dos investimentos e risco de uma queda acentuada na atividade. Além disso, o cenário externo está mais favorável: o aumento nos juros e redução da atividade econômica nos países desenvolvidos deve provocar uma desaceleração do crescimento econômico global e já se observa o primeiro efeito dessa conjuntura sobre os preços das commodities, que vêm mostrando sinais de arrefecimento”, analisou.

Renda fixa seguirá como destaque, mas há alternativas para diversificar investimentos

Com o nível atual dos juros, a renda fixa seguirá como destaque nas carteiras dos investidores. Arley Junior, estrategista de Investimentos do Santander Brasil, observa que a captação nas aplicações indexadas ao CDI – taxa que acompanha de perto o juro básico – têm acelerado nos últimos meses. Dentro dos ativos pós-fixados, o investidor tem alternativas que proporcionam resgate imediato, como CDBs, fundos DI e o Tesouro Selic, ou as Letras (LCIs e LCAs), que possuem carência, mas são isentas de cobrança de Imposto de Renda para pessoa física.

“Investimentos em crédito privado também têm sido muito procurados, seja via títulos ou fundos e previdência. São alternativas que estão com prêmio em relação aos títulos públicos e, em alguns casos, são isentas de IR para pessoa física. Por isso, na nossa visão, devem complementar a parcela do portfólio alocada em renda fixa”, compartilhou Arley.

“Ainda neste universo, recomendamos alocação nos títulos prefixados, cuja rentabilidade é conhecida no momento da contratação. Num contexto de juros altos e prêmios relevantes, comparado às expectativas de juros futuros, esse investimento se torna interessante, mas vale destacar que ainda esperamos volatilidade nas taxas desses papeis no curto prazo. Além disso, caso sejam resgatados antes do vencimento, os rendimentos ficam sujeitos à marcação a mercado”, acrescenta o especialista.

Arley Junior, estrategista de Investimentos do Santander Brasil / Divulgação
Arley Junior, estrategista de Investimentos do Santander Brasil / Divulgação

Multimercados são opção interessante

Para quem quer diversificar, o estrategista de Investimentos do Santander Brasil recomenda os multimercados: “fundos que permitem acesso aos mercados de renda fixa, renda variável e câmbio no Brasil e no exterior. A flexibilidade e dinamismo da classe é imprescindível na atual conjuntura desafiadora e de juros elevados, e temos observado fundos com boas performances no ano”, afirmou.

“Outra opção de diversificação para investidores que não desejam oscilações são os Certificados de Operações Estruturadas (COEs). Possuímos alternativas que acompanham diferentes índices, como Dólar, Ibovespa, IPCA e S&P. Todos contam com capital garantido, ou seja, se o cliente levar o investimento até o vencimento, ele terá a proteção do valor investido. Em alguns casos, há ainda uma rentabilidade mínima garantida, onde o investidor ganha o que for maior, entre o desempenho do índice ou uma taxa prefixada, desde que levado até o vencimento”, mencionou Arley Junior.

E a renda variável?

“Existem muitas alternativas interessantes para investir no momento, mas dado o cenário de incertezas e a proximidade com as eleições, esperamos bastante volatilidade nas ações de empresas ao longo dos próximos meses. Para aqueles com maior perfil de risco e/ou prazo para resgatar suas aplicações, indicamos a alocação na classe, seja via fundos ou previdência, carteiras de rebalanceamento mensal ou diretamente com o Trader”, comentou Arley.

Em resumo, a recomendação do especialista do Santander Brasil é que o investidor tenha uma carteira diversificada, equilibrada em relação ao perfil de risco, e tenha em mente que oscilações podem gerar oportunidades. “Para ajudar a identificá-las, é fundamental contar com o apoio de um assessor que saiba quais aplicações são mais adequadas ao seu momento de vida, objetivo e perfil”, finalizou.

*Com informações de Fecomércio, Fiergs e Santander Brasil.

Lucro do Grupo Bradesco Seguros cresce no segundo trimestre e alcança R$ 1,8 bilhão 823

Grupo Bradesco Grupo Bradesco Seguros divulga resultados de 2020 / ReproduçãoSeguros divulga resultados de 2020 / Reprodução

Resultado foi favorecido pela expansão do faturamento em todas as linhas de negócios

O Grupo Bradesco Seguros registrou lucro líquido de R$ 1,8 bilhão no segundo trimestre de 2022, o que representa evolução de 176% em relação ao mesmo período de 2021, com aumento do ROAE de 7,8% para 20,9%. No semestre consolidado, o montante totaliza R$ 3,4 bilhões, com crescimento de 49%.

O resultado foi favorecido pela expansão do Faturamento, de 19% no trimestre e 16% no semestre, com evolução em todas as linhas de negócios, e do Resultado Financeiro, que atingiu 185% e 71% na mesma base de comparação, influenciado pelo comportamento dos índices econômico-financeiros no período. Já o Resultado das Operações de Seguros, Previdência e Capitalização apresentou crescimento de 135% no trimestre e 48% na base semestral.

As Provisões Técnicas do Grupo Segurador cresceram 7%, para R$ 308 bilhões – maior nível da série histórica da rubrica, com destaque para os ramos de Saúde, Vida e Previdência -, e os Ativos Financeiros evoluíram 3,6%, alcançando R$ 333 bilhões. No que diz respeito aos indicadores de desempenho, o Índice de Eficiência Administrativa ficou em 3,7%, mantendo uma das melhores marcas dos últimos anos. Já o Índice de Sinistralidade recuou 3,6 pp na comparação entre os segundos trimestres e 0,7 pp na base semestral.

Em indenizações e benefícios, foram pagos R$ 13 bilhões no trimestre, dos quais R$ 348 milhões referentes à Covid-19 (procedimentos médicos e indenizações nos produtos de Vida e Habitacional). No acumulado do ano, o total de indenizações e benefícios atingiu R$ 23 bilhões, dos quais R$ 860 milhões associados à Covid-19.

No trimestre, o Grupo Bradesco Seguros seguiu intensificando esforços para aprimorar a jornada do cliente na contratação de produtos e serviços, evoluindo sua estratégia de transformação digital. Dentre as inciativas, destaca-se a nova versão do aplicativo Bradesco Seguros – que já registra mais de 12 milhões de downloads -, com a incorporação de novas funções e evolução em usabilidade, em especial para os segurados dos segmentos de Dental e Vida. As vendas na modalidade digital cresceram 58% de janeiro a junho de 2022, alcançando R$ 1,1 bilhão, com aumento de 66% na quantidade dos itens distribuídos, que superaram 1,7 milhão.

Na Bradesco Saúde, o plano empresarial Bradesco Saúde Ideal, anteriormente disponível em São Paulo e no Rio de Janeiro, chegou a Brasília. Desenvolvido para atender desde grupos a partir de três pessoas até companhias de grande porte, o produto conta com 19 mil prestadores em todo o Brasil, destacando-se pela flexibilidade, ao oferecer às empresas diferentes percentuais de coparticipação em consultas e exames. Vale mencionar, ainda, o lançamento do Clube+Saúde, plataforma que proporciona vantagens exclusivas aos beneficiários, como descontos e oportunidades em serviços e produtos.

Ainda com relação ao segmento de Saúde, o Grupo Bradesco Seguros, por meio da Atlântica Hospitais e Participações, uniu-se ao Grupo Fleury e à Beneficência Portuguesa de São Paulo para criar uma empresa dedicada a serviços de oncologia. O Grupo também chegou a 28 unidades da rede de clínicas Meu Doutor Novamed, seguindo sua estratégia de expansão nacional.

No segmento de Previdência Privada, a Bradesco Vida e Previdência manteve a estratégia de evolução contínua em sua grade de produtos, com destaque para os fundos de gestoras renomadas no mercado. Atualmente, a empresa possui ao todo R$ 278 bilhões de reservas.

No ramo Vida, o seguro ‘Vida Viva Bradesco’, criado em 2021, conquistou a medalha de prata no Innovation in Insurance Awards 2022, concedido pela EFMA-Accenture aos produtos mais inovadores do mercado segurador no mundo. Oferecendo 17 coberturas e 12 assistências, o “Vida Viva Bradesco” representa a evolução de um desenho de produto pré-formatado para uma solução de benefícios completa e personalizável.

Em Ramos Elementares, a Bradesco Auto/RE investiu na segmentação voltada a equipamentos agrícolas para ampliar a contratação de apólices de seguro nesse nicho de mercado, com a incorporação de novas coberturas. Além disso, a companhia avançou na implantação da inteligência artificial para análise e regulação de sinistros de automóveis, com redução no tempo necessário para a liberação de reparos.

Ouvintes do programa Profissional de Seguros estarão na Maratona da Inovação em Seguros 2022 672

Dois pares de ingressos foram sorteados para evento que acontece no dia 18 de agosto, na cidade de São Paulo

O programa Profissional de Seguros, apresentado na Rádio Exclusiva FM, sorteou dois pares de convites para a Maratona da Inovação em Seguros 2022 para os ouvintes no programa desta quinta-feira (04 de agosto). Apresentada por Fabio Sorolla e Marcello Brancacci, a atração recebeu Cris Borges, que apresentou uma metodologia prática para criar ações e ter resultados em qualquer área da vida.

O concurso cultural foi realizado pelo Instagram, através de interações nos perfis @ProfissionaldeSegurosOficial e @JRS.digital e os presenteados foram: Laura Agrifoglio Vianna; Guilherme Medina Godoy.

Cris Borges lembrou a importância do networking em eventos como a Maratona, além do sorriso no rosto e das interações com as pessoas. “É muito importante chamar as pessoas pelo nome, estar com um sorriso no rosto”, compartilhou. A especialista promoverá uma imersão nos dias 3 e 10 de setembro, proporcionando uma experiência prática de todos os pilares que levarão à efetividade naquilo que se faz.

Maratona da Inovação em Seguros 2022

Alguns pilares norteiam a programação da Maratona da Inovação em Seguros 2022, que contará com a presença de nomes relevantes para o mercado segurador em nível mundial. Juntos, eles abordarão ‘Vida e Previdência’, o potencial para novos negócios neste segmento; ‘Futuro do Mercado’, é hora de fazer diferente para obter resultados diferentes; ‘Transformação acelerada’, gestão voltada para o bem-estar são o tema do momento; ‘Open Insurance e UX’, mudanças no mercado e o consumidor no centro das decisões.

Oferecimento: Icatu, Rio Grande Seguros e Previdência, SulAmérica, Europ Assistance Brasil, Bradesco Seguros, MAPFRE, MAG Seguros, Chubb, Delta Global, Capemisa Seguradora, Autovist, LexisNexis Brasil, Rede Lojacorr, Sedgwick; Agrifoglio Vianna – Advogados Associados, ExperMed – Perícias Médicas, Grupo Caburé Seguros, Anjo App, Fracel Corretora de Seguros, Velox Contact Center.

Apoio: exp.co – marketing e design, Dai Chaia RP – Comunicação e Relações Públicas, CVG SP, CSP MG, Sincor RS, CVG RS, ISB Brasil e CQCS.

Aproveite e adquira agora mesmo um dos últimos ingressos para este super evento, que irá marcar o ecossistema segurador!

Serviço

JRS amplia atuação multicanal com grupos sobre seguros no WhatsApp e no Telegram 481

JRS amplia atuação multicanal com grupos sobre seguros no WhatsApp e no Telegram

Jornal do Seguro lança nova funcionalidade para ampliar agilidade na disseminação das informações sobre o setor

O Jornal do Seguro (JRS) acaba de ampliar sua atuação multicanal. Após período de testes, os leitores podem acompanhar as notícias e informações muito mais rapidamente – através dos aplicativos WhatsApp e Telegram.

No WhatsApp, um sistema de grupos agiliza o recebimento das publicações para os participantes. Já no Telegram, um canal central recebe em tempo real todas as atualizações do portal de notícias.

“A ideia do JRS é aproximar ainda mais os leitores das notícias e em um tempo muito mais ágil. Está no DNA do Jornal do Seguro sempre aprimorar suas ferramentas e essas novas funcionalidades evidenciam isso”, comenta William Anthony, correspondente do JRS em São Paulo.

Serviço

Recebimento de notícias no WhatsApp e no Telegram:

Chubb lança programa de aperfeiçoamento contínuo para corretores parceiros 573

Alexandre Federman é diretor Comercial e head do Canal Corretor da Chubb / Divulgação

O corretor tem um papel fundamental no mercado segurador: cabe a esse profissional traduzir toda a complexidade dos produtos para atender às necessidades de proteção dos clientes. Quanto maior o seu conhecimento, mais ele será capaz de ajudar o segurado a identificar as opções adequadas às suas necessidades de proteção e a construir uma carteira de seguros capaz de fazer frente a todos os riscos aos quais ele, sua família ou empresa estão expostos. Justamente para ajudar a aprimorar ainda mais a visão de produtos e a capacidade desses especialistas de identificar soluções para seus clientes que a maior seguradora de propriedade e de responsabilidade civil de capital aberto do mundo lançou o Chubb School.

O programa tem por objetivo levar aos corretores informações técnicas detalhadas sobre os produtos da companhia por meio de treinamentos realizados ao vivo, em transmissões pela internet, capitaneadas pelos especialistas da Chubb. Cada turma é composta por até 15 corretores, o que garante um olhar dedicado aos interesses e necessidades dos participantes. Os treinamentos são divididos em módulos ou programas, com uma média de 16 horas de aula cada. As transmissões acontecem toda terça-feira, das 9h30 às 11h30, por meio de ferramenta de teleconferência.

Um programa piloto foi realizado em julho, com foco nos produtos de Transporte. Além de abordar conceitos relacionados aos seguros para transportadores e embarcadores, os 15 corretores participantes também tiveram acesso a conteúdo sobre gerenciamento de riscos, cálculo de prêmios, ferramentas de averbação e a estudos de caso. Um segundo programa, com foco em D&O, já está em andamento desde 26/7 e vai até o dia 30/8. As inscrição para o programa com foco em Seguro Garantia terão início em setembro, com a primeira aula programada para o dia 20/9. Entre os temas a serem abordados estão o ambiente regulatório no Brasil, as diferentes modalidades de seguro garantia, a evolução normativa, créditos tributários, caracterização do sinistro e contratos de contragarantia.

Propósito em pauta

Na inscrição, o corretor interessado preenche um formulário e os dados são usados pela companhia para a seleção dos participantes. O objetivo é identificar o grau de conhecimento dos profissionais sobre o tema a ser tratado, a fim de se estruturar turmas homogêneas. “O interesse pelos dois primeiros programas lançados até aqui, com uma média de dez inscritos para cada vaga, nos deixa muito felizes. Os corretores, de fato, têm muita garra e vontade de aperfeiçoamento”, diz Alexandre Federman, Diretor Comercial e head do Canal Corretor da Chubb. “O Chubb School foi formatado justamente para ajudá-los nessa busca pelo aprimoramento e estamos muito empenhados em superar as expectativas dos participantes”, completa.

Na avaliação do Vice-Presidente de Subscrição e P&C da Chubb, Luciano Santos, a preocupação da seguradora com a oferta de oportunidades aos parceiros vai ainda mais além. “Nossos especialistas têm um enorme conhecimento daquilo que fazem e nos sentimos na obrigação de passar esse conhecimento adiante. Quanto mais os corretores parceiros se aprimorarem tecnicamente, mais conseguiremos cumprir nosso papel social: minimizar os impactos negativos de eventos inesperados que afetam as pessoas, as empresas e a sociedade como um todo. Assim, acreditamos que os corretores são peças-chave para o desenvolvimento do mercado de seguros”, afirma.