Carlos Josias: Sinistralidade, a queixa 476

Carlos Josias Menna de Oliveira é Sócio do CJosias&Ferrer Advogados Associados / Divulgação

Confira artigo do Dr. Carlos Josias Menna de Oliveira, sócio-fundador da C.Josias & Ferrer – Advogados Associados

Ao longo dos anos tenho me deparado com uma queixa recorrente sempre na mira do tema como um desafio ao setor de seguros, mais precisamente ao segurador, uma espécie de chefe da cadeia – na medida em que é ele quem suporta o risco – qual seja a alta sinistralidade nos mais diversos ramos.

A todo nascer de ano este tema se levanta quase como uma bandeira a ser empunhada para ser vencida esta guerra que se estabeleceu travar.

Não que o tópico não seja relevante, claro que é, mas às vezes me deparo com um dilema que, este sim, me parece mais significativo. Não foram poucas as ocasiões em que sustentei, e convicto estou que corretamente, ser o nosso mercado dotado de extraordinária capacidade de se reinventar, vide a pandemia – entre tantos outros exemplos.

Não houve dificuldade, por mais cruel que tenha sido sua origem, que não acabasse ultrapassada. De sorte que, rotineiramente, os desafios são vencidos, com maiores ou menores esforços, com mais ou menos talento, com ampla ou restrita divulgação.

Com tal habilidade, histórica, do sistema, a queixa sobre a alta sinistralidade, e os desafios que ela possa provocar – e duelos a vencer, sabemos, representam custos, e este é o problema maior do lamento – não deveriam ter a imensa preocupação que parece causar.

Propagar proezas justas tem mais alcance do que se deixar abater pelas perdas – e é uma maneira inteligente, penso, de minimizar estas. Sempre se teve – lema que parece meio esquecido – que o pagamento do sinistro era o “cartão postal” do segurador – o que houve com ele? Tenho, faz tempo, que é necessário divulgar mais o bem que esta alta sinistralidade representa quando é entregue a indenização aos beneficiários. Neste momento, se salvam vidas e patrimônios. E não creio haver, de fato, maior publicidade do que esta.

Quando se pensa na alta sinistralidade deveria se refletir diretamente que sem ela o produto deixaria de existir!

Bendita alta sinistralidade;

Saudações.

Mercado de seguros cresceu 15,4% no primeiro trimestre, aponta Susep 389

Mercado de seguros cresceu 15,4% no primeiro trimestre, aponta Susep / Foto: Rodnae Productions / Pexels

Documento é atualizado de acordo com os registros das empresas supervisionadas pela autarquia

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) divulgou hoje a Síntese Mensal dos principais dados relativos ao desempenho do setor de seguros em março de 2022. As informações foram obtidas a partir dos dados encaminhados pelas companhias supervisionadas. O documento é atualizado de acordo com o envio pelas empresas, podendo haver ajustes em função de recargas do Formulário de Informações Periódicas (FIP). Na edição de março de 2022, os principais destaques foram:

  1. A arrecadação do setor supervisionado nos três primeiros meses de 2022 foi de R$ 82,14 bilhões, o que representa crescimento de 15,4% em relação ao mesmo período de 2021, quando foram movimentados R$ 71,16 bilhões.
  2. Os segmentos de seguros apresentaram crescimento de 15,8% no primeiro trimestre de 2022, em relação a 2021. Foram arrecadados R$ 72,19 bilhões nos três primeiros meses de 2022. Nos seguros de pessoas, o grande destaque foi o seguro de vida, que atingiu o montante de R$ 6,19 bilhões nos três primeiros meses do ano. O valor corresponde a um crescimento de 18,2% em relação ao mesmo período de 2021.
  3. Os seguros de danos continuam apresentando forte desempenho, com alta de 22,0% na arrecadação de prêmios na comparação do primeiro trimestre de 2022 com o primeiro trimestre de 2021. A arrecadação de prêmios no seguro auto atingiu R$ 10,63 bilhões nos primeiros três meses do ano, valor 23,3% superior ao do mesmo período de 2021.
  4. Em março, a sinistralidade do seguro de danos registrou redução, fechando o mês em 69,2%. Em fevereiro, o valor registrado foi de 81,3%. A sinistralidade dos seguros de danos, em março de 2021, foi de 54,6%. Nos seguros de pessoas, a sinistralidade, em março de 2022, foi de 32,5%, frente aos 49,5% e aos 32,9%, observados em março de 2021 e fevereiro de 2022, respectivamente.
  5. A linha de negócio rural foi novamente destaque, com crescimento de 50,3% na arrecadação de prêmios no primeiro trimestre de 2022, na comparação com o mesmo período de 2021. Os seguros das linhas patrimoniais também se destacaram, com crescimento acima de 30%.

Acesse a Síntese Mensal de março aqui (.PDF externo).

Capemisa promove encontros para reforçar o relacionamento com corretores 524

Companhia promove série de eventos regionais

Para a Capemisa Seguradora, o maior desafio é estar sempre preparada para a transformação que está ocorrendo em grande velocidade nas relações de consumo, em especial no mercado de seguros. Nesse contexto, o corretor desempenha cada vez mais o papel de um consultor, principalmente quanto aos produtos tradicionais ou sofisticados. Para reforçar esse engajamento e resgatar o relacionamento próximo pós-pandemia, a empresa está promovendo uma série de encontros regionais, aproveitando a abertura do mercado para eventos presenciais.

Batizado de Happy Hour, esses eventos ocorreram em 2019, quando a Capemisa se reunia com corretores em trocas de experiências descontraídas, em momentos de confraternização que contribuem para o fortalecimento de vínculos. Neste ano, 12 cidades receberão os encontros. No calendário, rodadas em Sinop (MT), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS) já aconteceram.

Veja também: Capemisa reforça parceria com corretores de seguros do RS

Fabio Lessa, diretor Comercial, reforça que a companhia é parceira dos corretores e busca valorizar seu trabalho com iniciativas que vão desde o desenvolvimento profissional e a oferta de ferramentas digitais, até atividades especiais com os parceiros convidados. “O Corretor é o profissional indicado para tomar o pulso junto ao cliente, identificar suas aspirações e nos trazer ideias e informações que nos permitam avançar na oferta de produtos e serviços inovadores, focados nas reais necessidades de proteção da sociedade”, afirma o executivo. “Esse relacionamento próximo é algo muito importante para nós. Por isso, estamos retomando as agendas e ainda temos muitos encontros pela frente”, finaliza.

Acompanhe o calendário dos próximos encontros:

  • Junho – Petrolina (PE) e Novo Hamburgo (RS);
  • Julho – São Paulo/ABC (SP) e Belém (PA);
  • Agosto – São Paulo – Zona Sul (SP), Brasília (DF) e Rio Branco (AC);
  • Setembro – São Paulo – Zona Leste (SP);
  • Outubro – Aracaju (SE).
Divulgação
Divulgação

Felipe Massa é o novo embaixador da Tokio Marine Seguradora 644

Felipe Massa é o novo embaixador da Tokio Marine Seguradora / Divulgação

Piloto passa a ser patrocinado por uma das principais seguradoras do mundo a partir da etapa da Stock Car, no Velocittà

Vem aí uma forte parceria no automobilismo brasileiro. Felipe Massa e Tokio Marine Seguradora estarão juntos a partir da quarta etapa da Stock Car, que será disputada neste fim de semana (15), no Autódromo do Velocittà, em Mogi Guaçu (SP). Trata-se da união de um ídolo do automobilismo, vice-campeão mundial de F-1, com uma das principais seguradoras do mundo, com uma atuação de mais de seis décadas no Brasil. Massa será um dos embaixadores da marca no país.

A iniciativa reforça a estratégia da empresa em investir em pilares fundamentais para o bem-estar da sociedade, como esporte e cultura. “A união entre a Tokio Marine e um expoente do automobilismo mundial reforça a sinergia que existe entre a nossa missão de prover segurança para as pessoas e para as empresas e a preocupação do Felipe com proteção, não apenas como esportista, mas também como empresário e pai de família. Juntos, vamos mostrar à sociedade a importância de estar seguro em todos os momentos da vida”, afirmou Flavio Otsuka, diretor de Estratégia de Crescimento e Marketing da seguradora.

“É uma honra firmar essa parceria com uma empresa tão sólida e respeitada mundialmente como a Tokio Marine. Dividimos as mesmas ideias sobre a importância do trânsito seguro e, mais que isso, de uma vida segura e protegida. Temos muito trabalho juntos pela frente”, disse Massa, que já atua pela segurança no trânsito e nas pistas como embaixador da Fórmula 1 e presidente da Comissão de Pilotos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

A parceria é válida por um ano. Segundo o acordo, a logomarca da Tokio Marine estará estampada no macacão, capacete, em painéis dentro do box da equipe e no carro de Felipe Massa em todas as etapas da Stock Car Pro Series, até o final da temporada. O mais novo embaixador da Tokio Marine também deverá participar de eventos com colaboradores da seguradora, corretores e clientes.

A presença da Tokio Marine na Stock Car não é novidade. “A relação começou em 2007, quando fomos a seguradora oficial da categoria naquela temporada. Estamos muito animados em retornar às pistas, agora acelerando fundo com um dos maiores nomes do esporte”, completa Otsuka.

Desafios econômicos demonstram solidez do mercado segurador brasileiro 767

Desafios econômicos demonstram solidez do mercado segurador brasileiro / Foto: Pavel Danilyuk / Pexels

Economia mundial sofre impactos da pandemia e seguradoras ampliam foco nos resultados operacionais

A semana foi agitada no mercado, com diversas companhias divulgando seus balanços referentes ao primeiro trimestre de 2022. Apesar da expansão dos prêmios emitidos pelas seguradoras, os desafios econômicos se apresentam diante do resultado operacional das mesmas, além da alta da sinistralidade.

Dados da MAPFRE Economics dão dimensão de como os efeitos da pandemia de coronavírus poderão ser sentidos por um vasto período na economia mundial. De acordo com a instituição, o mundo e – especialmente – o Brasil irão crescer menos. A previsão para o crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil é de apenas 0,7% – frente aos 5% que cresceu em 2021. Os economistas esperam crescimento de 3,6% na economia mundial para 2022, ante 4,8% no trimestre anterior, e 3,6%, em 2023, com a inflação subindo 6,8% e 4,1%, em média, no último trimestre em cada um dos anos. Isso, sem levar em conta a probabilidade dos impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia.

No cenário macroeconômico, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa básica de juros Selic para 12,75% ao ano. Nos Estados Unidos, o FED – Federal Reserve System anunciou 0,50 ponto de expansão das taxas. “Os investimentos mais recomendados nesse ambiente são os títulos de renda pós-fixada, ou seja, os títulos que acompanham a variação da Selic, com algumas opções oferecendo retorno de mais de 1% ao mês, dependendo do prazo da aplicação, além de títulos indexados à inflação, dado o cenário de preços elevados”, recomenda Felipe Rodrigo de Oliveira, economista da MAG Investimentos.

Em contrapartida, o mercado segurador demonstra sua solidez e equilíbrio perante aos desafios do cenário complexo em que vive a sociedade moderna.

A BB Seguridade, por exemplo, teve o melhor primeiro trimestre de toda história da companhia – com aumento de 20,7% no lucro líquido, o que representa R$ 1,2 bilhões. A companhia, todavia, destaca os efeitos do La Niña – que impactou as culturas de soja e milho do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul -, gerando R$ 2,2 bilhões em sinistros avisados.

O lucro da Caixa Seguridade também teve forte expansão – e consolidou crescimento de 29% nos três primeiros meses de 2022, um resultado histórico de R$ 557 milhões. Entre os destaques estão as carteiras de Vida, com crescimento de 7,8%, Residencial – com 6%, e Habitacional – com 4,9% de expansão.

Já a Bradesco Seguros registrou faturamento de R$ 22 bilhões – o que representa um total de 13,2% na comparação com o mesmo período de 2021. De acordo com o Grupo Segurador, os Prêmios Ganhos registraram evolução de 9,2% e o Resultado Financeiro cresceu 15,7%.

A Porto registrou aumento de 21,4% em suas receitas no primeiro trimestre de 2022 – na marca de R$ 5,9 bilhões. O lucro líquido foi de R$ 175,1 milhões. Na vertical de Seguros, a companhia cresceu 15%. Os destaques são da Porto Saúde e Porto Seguro Bank – crescendo a índices superiores a 35%. Além disso, a Porto Saúde viu suas receitas crescerem 37,4% – na comparação com o primeiro trimestre do ano anterior -, impulsionadas pelo Seguro Empresarial, que ampliou seus prêmios em 43,2% no trimestre e adicionou 95 mil vidas nos últimos 12 meses, alcançando cerca de 370 mil vidas seguradas.

Por fim, a MAPFRE Brasil registrou crescimento de 35,3% em prêmios no comparativo com os três primeiros meses de 2021. O volume atingido pela companhia no País totalizou € 987 milhões, alavancado, principalmente, pela evolução dos negócios agrícolas, de Vida Risco e os seguros de automóveis, que cresceram 76,3%, 21,7% e 35,2%, respectivamente.

Capemisa reforça parceria com corretores de seguros do RS 549

Lideranças da companhia promoveram encontro com 40 corretores presentes, em Porto Alegre (RS)

“Queremos estar próximos aos corretores de seguros, apoiando seus negócios”, abriu o Diretor Comercial da Capemisa, Fabio Lessa durante encontro com 40 corretores parceiros no Estado do Rio Grande do Sul. O momento também contou com a participação de Raquel Tolio, Gerente da Sucursal Porto Alegre da Capemisa; e de André Thozeski, Presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do RS (Sincor RS).

Lessa reforçou que a Capemisa está em constante aprimoramento de ações, processos e ferramentas para facilitar a vida de seus parceiros. “Para o segundo semestre, estamos preparando um treinamento inédito para auxiliar esses profissionais nas vendas de Seguros de Vida”, acrescentou o executivo.

Raquel Tolio comentou sobre a oportunidade da companhia estar junto aos parceiros, em uma série de roadshows que está cruzando os quatro cantos do Brasil. “Queremos reafirmar nosso compromisso de proximidade e de estar sempre à disposição para o que ele precisar. Nossos comerciais estarão levando soluções para nossos parceiros e reforçando as visitas aos corretores”, anunciou.

O Corretor de Seguros Zênio Costa, da ZL Brasil Corretora de Seguros, mencionou a solidez das operações da Capemisa. “A Capemisa ouve o Corretor, justamente aquele que está próximo ao cliente no dia-a-dia. Percebemos a dedicação da companhia para aperfeiçoar suas soluções”, comentou ao revelar que a ZL Brasil está inaugurando suas operações em Belo Horizonte, Minas Gerais. “Temos crescido muito em Minas e Rio de Janeiro. Esse crescimento tem sido constatado na Região Sul – especialmente no Paraná”, complementou ao citar a expectativa pela chegada do Congresso Sul Brasileiro de Corretores de Seguros – o Brasesul 2022.

“Estamos de volta aos eventos presenciais. Precisamos dessa interação e desse olho no olho. O ecossistema do mercado segurador gaúcho tem de trabalhar sempre coeso”, analisou André Thozeski, Presidente do Sincor RS, ao convidar os operadores do setor a participarem de uma série de ações promovidas pelo Sindicato no segundo semestre – como o Encontro Feminino, a celebração de 80 anos do Sincor RS, o tradicional Jantar dos Cozinheiros e os seminários regionais que serão realizados em todas as regiões do Estado.

“Trabalhamos com Auto, Saúde, Odonto, Vida e outros ramos que tragam benefícios ao segurado. Esse movimento reforça que as pessoas estão mais atentas à importância do amparo para amenizar acontecimentos. No mercado segurador houve uma crescente procura por Seguros de Vida e Planos de Saúde”, afirmou Ariela Savian da Trindade, representante da Armares Corretora de Seguros. “Nossa parceria com a Capemisa visa oferecer a proteção familiar a esse segurado”, finalizou ao citar as rápidas transformações que têm impactado o setor de seguros, o que propicia novas oportunidades para esses profissionais.

Confira as imagens – Filipe Tedesco / JRS: