Allianz atinge € 3,2 bilhões no lucro operacional 590

Allianz atinge € 3,2 bilhões no lucro operacional / Divulgação

Receitas totais subiram 6,2% e atingiram € 44 bilhões

A Allianz acaba de divulgar um relatório sobre sua performance global no primeiro trimestre de 2022. Segundo a empresa, as receitas totais subiram 6,2% no período e somaram € 44 bilhões. O lucro operacional permanece forte com € 3,2 bilhões. Ligeiro declínio de 2,9% reflete impacto de maiores indenizações por catástrofes naturais.

Já o lucro líquido atribuível aos acionistas é de € 0,6 bilhão, com queda de 78,1% devido à provisão adicional de € 1,6 bilhão após dedução de impostos, referente a processos judiciais dos Fundos Estruturados Alpha da AllianzGl U.S. Excluída essa provisão, o lucro líquido foi € 2,2 bilhões, com baixa de 16% devido, sobretudo, a um menor resultado não-operacional.

Coeficiente de capitalização Solvency II fechou robusto com 199%¹. A previsão de lucro operacional em 2022 tem meta confirmada de € 13,4 bilhões, mais ou menos € 1 bilhão². O programa de recompra de ações de até € 1 bilhão está em vias de se efetivar: 2,4 milhões de ações adquiridas por € 500 milhões até o fim de abril de 2022.

“Os resultados deste trimestre demonstram que nossa empresa consegue enfrentar pressões geopolíticas e econômicas significativas. Isso vem se juntar à força dos nossos colaboradores. A Allianz tomou decisões empresariais claras em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia. Também trabalhamos duramente para conseguir acordos justos com os investidores dos Fundos Estruturados Alpha nos EUA e nos encaminharmos para uma solução definitiva”, diz Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz.

Destaques financeiros

Receitas

As receitas totais subiram 6,2% e atingiram € 44 bilhões no primeiro trimestre de 2022. O segmento de Ramos Elementares (P&C) se beneficiou com os preços e volumes mais elevados, enquanto Gestão de Ativos registrou maiores receitas advindas de Ativos sob Gestão. As vendas ampliadas nos Estados Unidos e na Alemanha contribuíram para o crescimento das receitas no segmento de Vida/Saúde.

O crescimento das receitas internas, com ajustes para os efeitos de transposição cambial e consolidação, subiu para a marca robusta de 3,8%, impulsionado por todos os segmentos.

Lucros

O lucro operacional de € 3,2 bilhões recuou 2,9% (€ 3,3 bilhões em 2021) em função das indenizações por catástrofes naturais que quadruplicaram, levando a um declínio no resultado de subscrição no segmento de Ramos Elementares (P/C). Isso foi parcialmente compensado pelo forte resultado operacional no segmento de Ativos sob Gestão graças à média mais elevada de ativos de terceiros sob gestão (Aum). No segmento Vida/Saúde o lucro operacional permaneceu estável.

O lucro líquido atribuível aos acionistas foi de € 0,6 bilhão, com queda de 78,1%. Esse declínio reflete o impacto de uma provisão adicional de € 1,9 bilhão antes da dedução de impostos, referente aos processos judiciais relativos aos Fundos Alfa Estruturados da AllianzGl U.S., que reduziu em € 1,6 bilhão o lucro líquido do Grupo no primeiro trimestre.

O Retorno anualizado sobre o Patrimônio Líquido (RoE) foi de 3,5% (ano inteiro de 2021: 10,6%).

O Lucro Básico por Ação (EPS) ficou em € 1,38 – baixa de 77,9% (era € 6,23 no ano passado)

Coeficiente de capitalização Solvency II

O Coeficiente de capitalização Solvency II foi de 199% no término do 1º trimestre de 2022, comparado à marca de 209% no final do 4º trimestre de 2021. Incluindo a aplicação de medidas de transição por provisões técnicas, o coeficiente de capitalização Solvency II no final do primeiro trimestre de 2022 ficou em 226%, em comparação aos 239% registrados no final de 2021.

Destaques por segmento

“Mesmo em um trimestre marcado por severos desafios econômicos e geopolíticos, mantivemos nosso lucro operacional do primeiro trimestre próximo do nível robusto do ano anterior. Chegamos perto de cumprir uma quarta parte da nossa meta para o ano inteiro, o que mostra que nossa performance operacional continua no rumo certo. Confirmamos a nossa previsão para o ano inteiro de um de lucro operacional de € 13,4 bilhões, com mais ou menos € 1 bilhão”, comenta Giulio Terzariol, CFO do Grupo Allianz.

• No segmento de P&C (Ramos Elementares), a Allianz reporta forte crescimento interno impulsionado pela precificação saudável e por um robusto crescimento do volume, enquanto aproveita a vantagem do sólido posicionamento em uma economia em recuperação. O lucro operacional foi afetado pelo nível mais elevado da década em indenizações por catástrofes naturais no primeiro trimestre.

• Em Vida/Saúde, a acentuada melhora da margem e do valor dos novos negócios reflete um mix de negócios melhor e um aumento nos volumes na maioria das companhias do Grupo. E isso é um ótimo prenúncio da rentabilidade futura.

• O segmento de Gestão de Ativos apresentou um primeiro trimestre muito forte em termos de lucro operacional. A receita líquida do segmento foi impactada por uma medida relacionada à questão dos fundos Estruturados Alfa, visando lidar com a exposição financeira remanescente em relação ao pagamento de um ressarcimento aos investidores e qualquer resolução dos processos judiciais governamentais. Tal medida não deve afetar a política de dividendos ou o pagamento dos mesmos.

Seguro P&C (Ramos Elementares): bom resultado implícito

As receitas totais cresceram 9,1% no primeiro trimestre de 2022, elevando-se a € 21,5 bilhões (€ 19,7 bilhões no primeiro trimestre de 2021). Com os ajustes por transposição cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno foi acentuado, registrando 6,6%, graças a um efeito de preço, de 4,1%, a um efeito de volume, de 2%, e a um efeito de serviço, de 0,4%. Tal aumento refletiu um saudável crescimento em todas as unidades e em todas as geografias.

O lucro operacional foi de € 1,4 bilhão, com recuo de 9% em relação ao mesmo período do ano anterior (€ 1,5 bilhão), devido a um resultado mais fraco de subscrição, o qual foi afetado por indenizações consideravelmente mais elevadas por catástrofes naturais e, em menor medida, por perdas atricionais. Uma contribuição positiva do resultado do run-off gerou um efeito de compensação parcial. O rácio de despesas teve ligeiro aumento passando para 27,1% (27%) devido aos custos de aquisição maiores principalmente pela alteração no mix de negócio da Allianz Partners.

O Índice Combinado avançou 1,7% e foi a 94,7% (93%). Embora o Índice Combinado na atividade de varejo³ tenha crescido devido sobretudo ao aumento de catástrofes naturais e à normalização da frequência de indenização de seguro Automóvel, esse mesmo índice teve uma melhora significativa na atividade comercial³.

Vida/Saúde: excelente margem de novos negócios

O PVNBP4 ou valor atual dos prêmios dos novos negócios permaneceu estável no primeiro trimestre de 2022, em € 19,4 bilhões (€ 19,5 bilhões no mesmo período do ano passado). A Alemanha registrou menores volumes de venda para produtos capital-eficientes, ao passo que a Itália teve menos vendas de produtos do tipo unit-linked. Essa diferença foi em grande parte compensada por vendas maiores de produtos de renda vitalícia a índice fixo nos Estados Unidos e de produtos híbridos na França.

O lucro operacional permaneceu inalterado em € 1,2 bilhão. A consolidação das operações de aquisição da Aviva, na Polônia, deu uma contribuição positiva, assim como as atuações do negócio Vida em Taiwan, na Espanha e na Alemanha. Isso foi compensado pelo resultado inferior nos Estados Unidos.

A margem de novos negócios (NBM) saltou para 3,5% (2,9%), puxada por um mix de negócio melhorado. Desdobramentos positivos do mercado também deram respaldo para essa margem melhorada. Já o valor dos novos negócios (VNB) teve um salto acentuado de 20% atingindo € 671 milhões (€ 558 milhões no mesmo período do ano passado), graças aos maiores volumes na maioria das entidades em operação.

Gestão de Ativos: lucro operacional acentuado

As receitas operacionais cresceram 12,5% no primeiro trimestre do ano, cravando € 2,1 bilhões como consequência das receitas maiores puxadas pelos Ativos sob Gestão (AuM). O lucro operacional deu um salto de 11,2% em relação ao período do ano anterior e atingiu € 831 milhões (€ 747 milhões no mesmo período do ano anterior). Com os ajustes por efeitos de transposição cambial, o lucro operacional cresceu 5,5%. A relação custo-rendimento (CIR) subiu para 59,8% (59,3%).

Os ativos de terceiros sob gestão totalizavam € 1,878 trilhão em 31 de março de 2022, um recuo de € 89 bilhões em relação ao quarto trimestre de 2021. Isso se deveu a um impacto de mercado desfavorável, da ordem de € 110 bilhões, e a saídas líquidas de € 9 bilhões, parcialmente compensadas por um impacto positivo de € 30,1 bilhões por efeitos favoráveis da transposição cambial.

O total de ativos sob gestão no final do primeiro trimestre de 2022 era de € 2,478 trilhões, refletindo uma tendência em termos de ativos de terceiros sob gestão.

  1. Excluindo a aplicação de medidas transicionais para provisões técnicas.
  2. Como sempre, catástrofes naturais e desdobramentos adversos nos mercados de capitais, bem como os fatores apontados em nossa Nota de Advertência com relação a declarações prospectivas, podem afetar seriamente o lucro operacional e/ou o lucro líquido das operações e os resultados do Grupo Allianz.
  3. A atividade de varejo faz concessões a varejistas, pequenas e médias empresas (PMEs) e frotas, enquanto nossa atividade comercial lida com corporações intermediárias e de grande porte.
  4. PVNBP mostrado após interesses não controladores, salvo quando expresso em contrário.
Divulgação
Divulgação

Livro inédito sobre microsseguros quer ampliar debates e negócios desta modalidade no Brasil 432

Livro inédito sobre microsseguros quer ampliar debates e negócios desta modalidade no Brasil / Divulgação

Lançamento da obra acontecerá no próximo dia 07 de julho, a partir das 16h, no Centro do Rio de Janeiro

Dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) apontam para mais de R$ 355 milhões em prêmios emitidos pelos produtos de microsseguros no ano de 2019. A cifra significativa, combinada com o aumento da percepção das pessoas sobre a importância de possuir um seguro, evidencia o grande potencial para o desenvolvimento deste nicho de mercado no território nacional.

Neste sentido, o livro “Dos Microsseguros aos Seguros Inclusivos no Brasil” procura dar protagonismo e fomentar novas discussões sobre o tema, além de gerar ainda mais negócios neste segmento. A obra, inédita no Brasil, é de autoria de Edson Calheiros e Helios Lavrador, executivos que contam com vasta experiência na indústria seguradora.

O lançamento oficial da publicação acontecerá no próximo dia 07 de julho, na Livraria da Travessa (Rua 7 de Setembro, nº 54 – Centro – Rio de Janeiro – RJ), a partir das 16h. Na ocasião, Edson e Helios irão participar de uma sessão especial de autógrafos, quando os leitores também poderão adquirir exemplares físicos.

De acordo com os autores, a obra tem como missão abordar a evolução histórica dos microsseguros e apontar caminhos para um futuro com produtos mais inclusivos na indústria seguradora.

“É necessário que as ferramentas de gestão de risco se tornem mais acessíveis, para que todas as pessoas fiquem menos vulneráveis aos riscos e catástrofes. Acreditamos que os seguros inclusivos são a melhor escolha para a disseminação da cultura da proteção no Brasil e no mundo”, comenta Edson Calheiros – que também ocupa o posto de presidente da Associação Nacional das Microsseguradoras (ANM).

Com expertise nas áreas de seguros, benefícios e capitalização, Hélios Lavrador reforça a visão democrática dos microsseguros. “O microsseguro nasceu em locais onde o Estado não possuía presença muito significativa. Uma característica muito importante deste tipo de produto é justamente sua inclusão social, com uma base maior de distribuição com foco em ser disseminado em grande quantidade, visando promover a proteção securitária”, completa.

Com 164 páginas e editado pela Educa Seguros, o livro “Dos Microsseguros aos Seguros Inclusivos no Brasil” está disponível na Amazon.

Edson Calheiros e Helios Lavrador

Edson Calheiros conta com mais de 25 anos de carreira no mercado segurador. Presidente da Associação Nacional das Microsseguradoras (ANM), é Diretor de Seguros do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ), fundador da ALM Seguradora, a primeira Microsseguradora do Rio de Janeiro, e da OXXY Seguradora, a primeira S4 do Brasil, com sede em Florianópolis.

Helios Lavrador atua desde 1988 nos segmentos de seguros, benefícios e capitalização com vários cases de sucesso e iniciativas pioneiras. É formado em Administração de Empresas (Faculdades Integradas Bennett) e em Marketing e Administração pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV). O executivo é sócio da Viver Mais Seguro – WKM Corretora de Seguros desde 2007.

Serviço

  • Lançamento da obra “Dos Microsseguros aos Seguros Inclusivos no Brasil”
  • Quando: 07 de julho de 2022, a partir das 16h
  • Onde: Livraria da Travessa (Rua 7 de Setembro, nº 54 – Centro – Rio de Janeiro – RJ)
  • Editora: Educa Seguros
  • Páginas: 164
  • Onde comprar: Amazon.

GBOEX realiza eleição e posse do Conselho Deliberativo 581

GBOEX realiza eleição e posse do Conselho Deliberativo / Divulgação

Escolha foi realizada em Assembleia Geral Ordinária (AGO), no último sábado (25)

Neste sábado (25), o GBOEX realizou Assembleia Geral Ordinária (AGO), na sede, em Porto Alegre (RS), para eleger os membros Efetivos e Suplentes do Conselho Deliberativo, com mandato para o triênio de 2022-2025. Após a apuração e a proclamação do resultado, a entidade promoveu a posse do novo Conselho Deliberativo.

Cumprindo dispositivo estatutário, foi realizada Sessão Plenária, na qual foram definidos que o conselheiro Emilio Joaquim de Oliveira Júnior assume a condição de presidente do GBOEX – Grêmio Beneficente/Conselho Deliberativo, e o vice-presidente e o secretário do Conselho Deliberativo: Luis Felipe Albert Nunes e Pedro Epitácio Lopes, respectivamente. O presidente Emílio citou os desafios enfrentados nos últimos anos e ressaltou que o GBOEX se manteve firme para amparar os beneficiários. “Sinto-me honrado em merecer esta missão”, afirmou ao comentar assumir a presidência.

O novo dirigente destacou o perfil de atuação do presidente do GBOEX/Conselho Deliberativo, que deixou o cargo, Flávio da Cunha Vianna. “O senhor exerceu a sua autoridade de forma justa, respeitando os colaboradores, com sua visão sistêmica, postura motivadora a toda atitude positiva”, comentou. Além disso, elogiou a dedicação com todos que compartilham o exemplo de Nilson Antônio Ames, conselheiro que também se afastou da função.

Os dois membros que deixaram o cargo falaram sobre gratidão e satisfação pela missão cumprida. “Aos meus queridos pares, o meu muito obrigado, de coração, pelo irrestrito apoio e atenção que obtive, facilitando sobremaneira a minha gestão. Desejo ao presidente Emilio e ao novo Conselho toda a sorte e competência para continuar contribuindo, para que o GBOEX se mantenha em destaque no mercado segurador”, falou Flávio Vianna ao destacar a importância de todos os colaboradores.

Ilton Roberto Brum de Oliveira, diretor-presidente da Diretoria Executiva, declarou a importância dos conselheiros que se afastaram classificando as trajetórias como trabalhos inestimáveis. “Estaremos sempre de portas abertas”, explicou.

O momento foi prestigiado por convidados, entre eles o ex-presidente do GBOEX/Conselho Deliberativo, Ney Leite Xavier e o ex-presidente do Grêmio Geraldo Santana, Ivo Izolan.

O Conselho Deliberativo, órgão máximo da administração do GBOEX, que define os rumos da organização, institui as diretrizes para que o desenvolvimento das ações da empresa aconteça de forma sustentável e coerente, além de acompanhar a execução das rotinas, completará, em setembro, 80 anos.

Confira a nominata:

Conselheiros Efetivos

  • Emílio Joaquim de Oliveira Júnior – Presidente
  • Luis Felipe Albert Nunes – Vice-presidente
  • Pedro Epitácio Lopes – Secretário
  • Arli Helvio Boeck
  • Carlos José Guazzelli
  • Luiz Alberto Xavier Machado
  • Luiz Evonir Nascimento Guazina
  • Mario Gilberto da Silva Lescano
  • Renato Barenho

Conselheiros Suplentes

  • Arildo de Melo
  • Carlos Maurício de Albuquerque Melo
  • Carlos Maurício Malinverni de Souza
  • João Batista da Cunha Fialho
  • Luis Fernando Christmann

Delta Global prestigia o 5º Encontro de Guincheiros 688

Delta Global prestigia o 5º Encontro de Guincheiros / Divulgação

Evento será realizado nos dias 2 e 3 de julho, em Cotia (SP)

A Delta Global estará presente no 5° Encontro de Guincheiros de Cotia, São Paulo, evento realizado nos dias 2 e 3 de julho, em comemoração ao Dia do Guincheiro, celebrado em 29 de junho. A empresa participa do encontro pela segunda vez e irá realizar uma ação especial em seu estande. Os visitantes poderão se aventurar em uma corrida de fórmula truck virtual através de um simulador com óculos 3D, concorrendo a prêmios que serão distribuídos de acordo com as pontuações individuais.

“Essa é uma oportunidade única de nos aproximarmos cada vez mais desses profissionais que fazem parte do processo de excelência dos serviços prestados aos nossos clientes. A Delta tem como cultura estar próxima de seus parceiros, e os guincheiros têm um papel fundamental no crescimento da empresa, que hoje é referência nacional em Assistência 24h”, informa Diego Sanjurjo, Gerente da Qualidade da Delta Global.

O evento, aberto ao público, acontece no Recinto de Eventos da cidade de Cotia (SP) e conta com exposição de veículos e equipamentos novos, relíquias automobilísticas, shows e distribuição de brindes, além de promover a confraternização entre a comunidade, empresários e trabalhadores da categoria.

Saiba mais no Facebook.

Plataforma educacional Universeg, do Grupo Bradesco Seguros, completa um ano com mais de 145 mil acessos 552

Plataforma educacional Universeg, do Grupo Bradesco Seguros, completa um ano com mais de 145 mil acessos / Divulgação

Iniciativa da seguradora oferece capacitação e atualização para parceiros de negócios

A Universeg, plataforma educacional do Grupo Bradesco Seguros, completa um ano. Em formato de serviço de streaming, o projeto conta com conteúdos em diversos formatos, como vídeos, e-books, podcasts e infográficos, propiciando o desenvolvimento contínuo. Com mais de 145 mil acessos, a iniciativa oferece materiais voltados para desenvolvimento de carreira e autoconhecimento, com foco em aprimorar também os negócios dos parceiros do Grupo, de forma gratuita. Neste um ano de Universeg a oferta de conteúdo cresceu mais de 250%.

De acordo com Valdirene Soares, Diretora de Recursos Humanos, Ouvidoria e Sustentabilidade do Grupo, são as pessoas que constroem a organização e por isso esta oferta de aprimoramento constante se torna tão importante. “O Grupo Bradesco Seguros tem uma longa tradição de investimento em capacitação. Somos feitos por pessoas que cuidam de pessoas e, ao buscarmos contribuir com o desenvolvimento dos nossos parceiros estamos, por consequência, contribuindo também com a evolução de todo o segmento”, afirma a diretora.

Ainda segundo a executiva, uma das maiores preocupações do Grupo Bradesco Seguros é disponibilizar conteúdos relevantes e de qualidade para a formação dos nossos parceiros de negócios. “Buscamos o que há de melhor em aprendizagem com conteúdos atuais, que conversam com a realidade dos profissionais. Para isso contamos com uma equipe com vasta experiência de mercado, que seleciona meticulosamente materiais consoantes com a sua realidade, levando em consideração as necessidades dos corretores”, ressalta.

Dentre os conteúdos da plataforma, há cursos ministrados por Leandro Karnal, historiador e professor; Márcio Mussarela, jornalista e comunicador corporativo; Monge Sat com o curso “Hora da Pausa”; além de conteúdos sobre Educação Financeira, Matemática Financeira, Comunicação, Ética e muitos outros temas técnicos e comportamentais .

A mudança de formato, do físico para o digital, era algo já pensado pela instituição, mas que ganhou força durante a pandemia. “Nós tínhamos o desafio de capacitar uma grande quantidade de profissionais espalhados em um país imenso como o Brasil. Com o meio digital, conseguimos entregar muito mais conteúdo de qualidade em bem menos tempo. Nossa capilaridade na capacitação aumentou muito”, diz Valdirene. “O intuito é que as nossas capacitações se adequem à rotina do corretor, e não o corretor a elas, o que conseguimos por meio dessa plataforma”, complementa.

Começam as inscrições para Prêmio de Inovação em Seguros da CNseg 433

Começam as inscrições para Prêmio de Inovação em Seguros da CNseg / Foto: Giorgio Trovato / Unsplash Images

Premiação acontecerá em dezembro para três categorias

Principal referência das ações do setor em transformação digital e da agenda ambiental, social e de governança (ASG), o Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros abre as inscrições na próxima segunda-feira, dia 4 de julho. “O futuro é agora” é o mote da premiação que está na11ª edição e é promovido pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg).

“A cultura da inovação é uma métrica permanente do Prêmio de Inovação, e os projetos, olhando o histórico das contribuições de todas as suas edições, têm sido fundamentais para nos adaptarmos ao ambiente desafiador das mudanças sociais, econômicas e ambientais, criando soluções para sustentar as operações das seguradoras e inovações para aperfeiçoar e agregar cada vez mais valor para os consumidores”, afirmou a diretora-executiva da CNseg, Solange Beatriz Palheiro Mendes.

Nos últimos três anos, a CNseg tem registrado a participação de diversos projetos atentos a demandas da nova sociedade, englobando temas como equidade feminina, mudanças climáticas, saúde emocional, humanização nos processos, cuidados com idosos, mitigação de litígios, uso da inteligência artificial em prol do consumidor e outras facilidades digitais de melhorias de acesso dos segurados. Para estimular ainda mais a adoção de práticas ‘ASG’, os ‘Princípios de Sustentabilidade em Seguros” constam dos critérios de pontuação dos projetos avaliados pelos jurados do Prêmio de Inovação.

Poderão participar do Prêmio de Inovação projetos nas categorias “Produtos e Serviços”, “Comunicação” e “Processos e Tecnologias”. Em suas dez edições, 862 projetos já foram examinados pela banca julgadora do Prêmio. Considerando-se a média de inscrições, o prêmio 2022 pode superar mil projetos julgados ao longo de todas as suas edições, avaliou Solange. No ano passado, por exemplo, a premiação bateu recorde de inscrições, com 167 projetos avaliados em sua 10ª edição.

Quinze projetos estarão na final que acontece em dezembro. O primeiro, segundo e terceiro colocados, em cada uma das três categorias, vão receber R$ 30 mil, R$ 15 mil e R$ 10 mil respectivamente.

As inscrições poderão ser feitas pelo site: www.premioseguro.com.br.