6 em cada 10 brasileiros não realizam sonhos em razão das finanças

Pesquisa revela que pandemia fez crescer importância da educação financeira: 90% da população quer aprender a organizar o orçamento

A pandemia afetou expectativas e hábitos financeiros da população, aumentando a sua preocupação com os gastos e também a sua vontade de aprender a lidar melhor com o dinheiro. Esse, em resumo, é o quadro revelado por O Bolso do Brasileiro, pesquisa produzida em parceria pelo Instituto Locomotiva e por uma escola inovadora de educação financeira e empreendedorismo ligado a um grande grupo que atua com investimentos. Sete em cada dez entrevistados passaram pela experiência de ver as contas não fecharem nos 12 últimos meses. E 90% deles gostariam de saber como investir, planejar recursos para o futuro e de organizar receitas e despesas.

Publicidade
Delta

O levantamento de abrangência nacional foi realizado em outubro e mostrou o impacto da pandemia no orçamento pessoal. Três em cada dez entrevistados afirmaram que o número de contas em atraso aumentou no período. No caso de uma despesa inesperada no valor de seu rendimento mensal, 41% responderam que não teriam como pagá-la. Para 58% dos brasileiros, a atual situação financeira impede a realização de coisas que consideram importantes.

Diante dessa realidade, cresce a importância da educação financeira: 41% dos entrevistados passaram a pesquisar mais sobre o assunto durante a pandemia. Oito em cada dez dizem ter objetivos definidos ao aprender a gerir com eficiência o orçamento. Entre os principais estão o pagamento de dívidas e a formação de uma reserva para enfrentar emergências. Outra preocupação é com relação ao planejamento da aposentadoria. Apenas 31% estão confiantes de que fizeram boas escolhas.

“Os números mostram que a pandemia infectou o bolso dos brasileiros, mas não foi capaz de abalar metas e sonhos. Tanto que a pesquisa revela também o desejo da população em conhecer mais sobre finanças, passo fundamental para planejar investimentos e garantir um futuro seguro”, diz Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva.

Publicidade

Um dado em especial aponta a necessidade da população por mais informação e ferramentas que lhe ajudem a planejar e a conquistar os seus sonhos: 63% dos entrevistados consideram ter, no máximo, conhecimentos básicos sobre finanças. A amostra da pesquisa contou com 1.501 entrevistas online, com pessoas de ambos os sexos, a partir dos 18 anos. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais.

Artigos Relacionados