70% da população afirma fazer planejamento financeiro, aponta pesquisa da Planejar

Contudo, 58% dos entrevistados se informam sobre finanças através de amigos e parentes

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Planejamento Financeiro (Planejar) apontou que 70,3% da população afirma realizar planejamento financeiro. O levantamento foi feito em maio e ouviu 603 pessoas de todas as faixas etárias, de 16 a mais de 60 anos de idade. Os estados pesquisados foram São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal.

Publicidade
GBOEX no JRS

O material também apontou que 58% dos entrevistados dizem se informar sobre finanças através de amigos e parentes, o que segundo a Planejar, pode indicar orientação pouco qualificada.

A pesquisa mostrou que os homens dizem fazer mais planejamento financeiro que as mulheres, já que 77,4% dos homens disseram realizar planejamento financeiro, contra um percentual de 64,6% no público feminino.

Do universo pesquisado, 72,% afirmaram saber o que é um planejamento financeiro, conhecimento que ficou mais evidente entre homens, na faixa etária de 35 a 59 anos, com índice acima de 78%, na média. Entre os que desconhecem esse tipo de planejamento, as pessoas entre 16 e 24 anos lideram, com 39,4%, dizendo que desconhecem.

Publicidade
Seguro PASI

Com relação aos objetivos, os pesquisados afirmaram fazer planejamento financeiro para organizar as finanças (56,9%), evitar o endividamento (42,9%), para investir (19,4%), se preparar para a aposentadoria (18,1%), comprar imóvel (9,4%), sair do endividamento (7,8%) e comprar veículo (7,0%).

Divulgação
Divulgação

Na comparação com a pesquisa do ano passado, 2021, cresceu a preocupação com a organização das finanças e também evitar o endividamento.

Divulgação
Divulgação

Para os que não fazem planejamento financeiro, o “não sei como fazer” é o principal motivo, apontado por 21% dos entrevistados. O segundo motivo foi “estou endividado” (15,9%), empatado com“não tenho tempo” (15,9%) e “não tenho renda suficiente” (15,9%). Depois vem “não tenho disposição” (14%), “falta de hábito” (8,9%) e “não gosta” (4,5%).

Perguntados se “você tem auxílio de algum assessor financeiro”, 73,6% disseram que sim. Já quanto a “com quem buscam orientação financeira”, 58% disseram que com parentes ou amigos, 15,9% com agente ou consultor autônomo, 11,4% com gerente do banco, 10,2% com Youtuber, 6,8% com plataforma financeira, 2,3% com cursos.

Planejador Financeiro

Sobre o conhecimento da existência da profissão de planejador financeiros, 52,8% dos entrevistados afirmaram conhecer. Eles tomaram conhecimento por amigos (24,4%), pela imprensa (23,3%), internet (19,4%) e redes sociais (6,8%), dados que mostram que a imprensa tem ganhado destaque na forma de divulgação do trabalho do planejador financeiro, já que na pesquisa do ano passado aparecia em quarto lugar com 17,7%.

Divulgação
Divulgação

Para Osvaldo Cervi, vice-presidente da Planejar, os resultados da pesquisa mostram que o planejamento financeiro está ganhando espaço entre os brasileiros, mas ainda há muito a fazer. “A pesquisa confirma o que vimos observando há tempos, que tem crescido de forma consistente a busca por mais informação e organização financeira por parte dos brasileiros. Contudo, o dado de que muita gente ainda busca orientação com amigos e parentes nos preocupa, pois não sugere suporte qualificado e pode explicar o crescimento de pirâmides financeiras (quem entra indica parentes e amigos) e também o alto nível de endividamento das famílias brasileiras, já que muitos costumam utilizar o crédito consignado de pais e avós para financiamento de bens de consumo de alto custo”, afirma o executivo.

Artigos Relacionados