Atuária Brasil chega à maioridade em meio a novos planos e desafios

Empresa foi fundada em 2004 pelos atuários Eder Oliveira e Luiz Ernesto Both

Fundada em 20 de janeiro de 2004, pelos atuários Eder Oliveira e Luiz Ernesto Both, a Atuária Brasil acaba de completar 18 anos. A empresa, com sede em Porto Alegre, quer aproveitar a chegada à maturidade para implementar as melhorias definidas no atual planejamento estratégico, tabulado em 2021, visando modernizar a gestão. A meta central é otimizar seus entregáveis e começar a atuar, também, em um novo nicho de negócios ainda em 2022.

Publicidade
Europ Assistance Brasil

“Nosso plano é estreitar as relações com os parceiros e ampliar o leque de ações oferecidas aos clientes. Além disso, estamos com foco também em um novo nicho, estudando o momento certo de agir”, anuncia Eder de Oliveira, em entrevista exclusiva ao JRS. Os executivos da empresa aguardam o momento que consideram o mais estratégico para divulgar qual será o novo nicho de atuação, mas a ideia é dar um presente aos clientes, ao mesmo estilo que a fundação da Atuária Brasil agregou valor ao mercado no começo do século, quando iniciou seus trabalhos em uma sala localizada na Rua dos Andradas. Mais tarde, a empresa passou a ocupar a sala atual no prédio vizinho da Previsul Seguradora, na Rua General Câmara, no Centro Histórico da Capital gaúcha.

A modernização da gestão e o novo posicionamento da empresa têm muito a ver com o fato de o setor de seguros ter mudado radicalmente nesses 18 anos. “A evolução grande na Tecnologia da Informação refletiu de forma drástica na exigência por uma gestão muito profissionalizada das empresas. Hoje, elas estão submetidas à gestão de riscos e a controles internos rígidos com vistas a controlarem suas solvências. Temos uma Superintendência de Seguros Privados (Susep) muito atuante, consultando o mercado antes de publicar novas regras de regulação e fiscalizando atentamente a atuação das operadoras do setor”, destaca Oliveira, explicando que esse novo cenário sublimou a importância das ciências atuariais.

“Nesse tempo todo, entre a fundação da Atuária Brasil e nosso aniversário de 18 anos, ocorreu uma valorização dos atuários, que hoje ocupam cargos de relevância em dezenas de companhias, tendo assento nos conselhos consultivos e administrativos das empresas”, afirma Eder Oliveira.

A propósito, o sócio-fundador da Atuária Brasil alerta que as seguradoras brasileiras ainda têm o desafio de buscar uma maior proximidade com os segurados por ocasião do sinistro. “Há companhias promovendo ações que possibilitam acompanhar e instruir de perto o segurado nos momentos imediatamente posteriores ao aviso de sinistro, mas essa postura ainda necessita ser disseminada, precisa perpassar por 100% das seguradoras. Estar muito próximo do segurado no seu pior momento, visando acelerar a liquidação do sinistro, daria uma maior credibilidade às empresas de seguros. Isso já existe, mas pode ser mais recorrente no Brasil, de modo a haver um grande ganho de escala para o mercado”, acrescenta.

Publicidade

A Atuária tem uma larga experiência para tocar seus novos projetos, considerando-se que a empresa encarou desafios desde a sua fundação. Os fatos marcantes da trajetória destes 18 anos, mencionados por Eder de Oliveira, atestam uma empresa que tem tido evolução permanente. Para ele, o recente e moderno processo de reengenharia inserido no planejamento da Atuária Brasil e que deve ter o clímax ainda neste ano, é um fato a ser listado como emblemático na trajetória da empresa. “A gestão remodelada está trazendo mais profissionalismo e tem captado mais clientes, o que vai permitir a atuação em novo nicho”, comenta o executivo.

Eder Oliveira vincula esse upgrade a outro momento marcante, que foi a chegada, em 2020, dos novos sócios, o casal Vinicius Rymsza e Danielle Wilk, ele administrador, com experiência na área de regulação, ela atuária, com experiência no setor, ambos qualificando sobremaneira a gestão da empresa. “Marca, também, o fato de estarmos atingindo a maioridade tendo o reconhecimento do setor, não só em premiações recebidas, mas também nas manifestações de seguradores e corretores de seguros durante reuniões, incluindo comentários positivos da própria Susep”, orgulha-se Oliveira. O atuário também aponta como emblemáticos dois outros ocorridos lá no começo da trajetória: a formalização do contrato com o primeiro cliente, que foi a Sabemi Seguros, e a compra da sala, a qual virou sede própria e reformada durante a pandemia.

Como não poderia deixar de ser, o falecimento do outro fundador da Atuária Brasil, Luiz Ernesto Both, ocorrida no final de 2020, é outra ocorrência que marca os 18 anos da empresa, mas desta vez de impacto doloroso pela sua falta, claro.

“Foram 16 anos de muita parceria e cumplicidade. Eu considerava e considero Both um verdadeiro irmão. O que pudemos fazer ante a partida dele foi dar à nossa sala de reuniões o nome do antigo sócio”, diz Oliveira.

O fundador emocionou-se ao lembrar das pessoas que considera como chaves para a trajetória da Atuária. Enfatizando o nome do outro sócio-fundador, Oliveira cita também o filho Renato Oliveira como artífice do sucesso da empresa. “Both e Renato estiveram conosco desde o início da empresa. Renato fazia serviço de rua, buscava almoço para a gente, fazia a parte administrativa, ou seja, nos deu durante muito tempo o suporte necessário para uma empresa em começo de trajetória”. Regina Regius, advogada; e Luis Fernando, colaborador há treze anos, também são citados em homenagem a todos os colaboradores que construíram a história da Atuária Brasil.

“Também agradecemos aos clientes, pelo crédito depositado na empresa desde os seus primeiros anos. E fazemos questão de lembrar, com saudades, do fundador do Grupo JRS, Jota Carvalho, que sempre acreditou em nossos projetos, divulgando nossos serviços e até contribuindo com dicas e informações decisivas para nosso trabalho”, finaliza Eder.

O JRS sempre buscou apoiar trabalhos sérios e inovadores. A Atuária Brasil é um exemplo disso.

Artigos Relacionados