Bike POA comemora um ano do novo sistema com 421% viagens a mais

Projeto comemora 224 mil horas pedaladas desde o início da nova tecnologia em Porto Alegre

O Bike POA, sistema de compartilhamento de bicicletas patrocinado pelo Itaú Unibanco e operado pela Tembici, está comemorando um ano de nova tecnologia com um aumento de 421% no número de viagens desde seu lançamento. O hábito de pedalar se tornou tão importante na cidade que, atualmente, os usuários utilizam o modal tanto para se locomover ao trabalho, como em momentos de lazer, o que resultou num aumento de 4915% no número de usuários do Bike POA.

Publicidade
Europ Assistance Brasil

O novo sistema, que começou a operar no dia 27 de fevereiro de 2018 em Porto Alegre, tem tecnologia da PBSC Urban Solutions, a mais moderna solução de compartilhamento de bicicletas do mundo. A novidade deixou a experiência de compartilhamento de bicicletas mais segura, confortável, eficiente e sustentável. O modelo implementado é o mesmo utilizado nas principais cidades do mundo, como Chicago, Guadalajara, Londres, Montreal, Barcelona e Toronto.

Em 2018, foram mais de 1,8 milhão de quilômetros pedalados, o que daria para ir à lua quase 5 vezes. Uma média de 35 quilômetros por usuário que, em 224 mil horas percorridas, geraram uma economia de mais de 1,5 milhão de quilos em emissões de CO2. Por curiosidade, 224 mil horas é o equivalente a 25,5 anos.

O Bike POA conta com 410 bikes e 41 estações, atualmente, e os maiores picos de uso são em dias úteis, entre 7h e 9h, 11h e 13h30min e das 16h às 20h30min, mostrando que grande parte das pessoas usa o modal para ir e voltar do trabalho. Já aos finais de semana, o pico é das 15h às 20h. O tempo médio de viagem também varia, durante a semana é de 20 minutos e aos finais de semana são 38 minutos em média, dentre os quais os usuários aproveitam Porto Alegre.

Publicidade

As três estações mais usadas são as do Iberê, da UFRGS e do Mercado, que além de facilitar a vida dos universitários que usam o modal para ir à faculdade, economizam tempo em seu trajeto. Do ponto da estação Iberê até a Rótula do Gasômetro, por exemplo, o usuário leva aproximadamente 25 minutos de bicicleta, enquanto que de transporte público levaria por volta de 1 hora, apresentando a vantagem do modal frente a outros modelos de transporte.

Itaú e mobilidade urbana

O Itaú Unibanco, o maior banco privado do Brasil e um dos maiores do mundo, está comprometido com o desenvolvimento das comunidades em que atua para gerar valor compartilhado. Por isso, atua em parceria com a sociedade e o poder público para promover mudanças que contribuam efetivamente para a qualidade de vida das pessoas. Por ser um banco essencialmente urbano, se preocupa com os temas que afligem as cidades e entende que a estratégia de sustentabilidade deveria contemplar também o tema cidades sustentáveis. O incentivo à mobilidade urbana é uma das causas do Itaú, ao lado de Educação, Cultura e Esporte.

É o único patrocinador de sistemas de compartilhamento de bicicletas no mundo que tem programas de dimensões internacionais. Hoje, mantém cerca de 8.300 bicicletas, somando 20 milhões de viagens e contribuindo para a melhoria dos deslocamentos no Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Salvador (BA), e em Pernambuco, nas cidades do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes e também em Santiago, no Chile.

Artigos Relacionados