CNseg divulga ranking do setor segurador atualizado até janeiro

Levantamento utiliza dois critérios para o posicionamento das companhias: por grupo econômico ou empresa

O novo ranking do setor de seguros da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) avalia desta vez o desempenho das empresas e grupos econômicos no acumulado de 12 meses até janeiro deste ano (no caso de seguradoras, entidades de previdência privada e de capitalização) e nos 12 meses encerrados em setembro de 2021 para operadoras de Saúde Suplementar, em virtude do calendário de divulgação dos dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Publicidade
Seguro PASI

O ranking utiliza dois critérios para o posicionamento das companhias: por grupo econômico ou empresa, no caso das independentes, e por empresas dentro dos segmentos e das principais famílias de produto, seguindo os agrupamentos que constam nas iniciativas da CNseg. Para fins de cálculo, considera prêmio direto para seguradoras; contribuições para previdência; faturamento para capitalização; e contraprestação para saúde.

No segmento de Danos e Responsabilidades, os cinco melhores resultados dos grupos econômicos foram, respectivamente, por ordem de volume de arrecadação e participação de mercado em 12 meses até janeiro, Porto Seguro (R$ 13,8 bilhões e 15,2%); MAPFRE (R$ 7,7 bi e 8,4%); Tokio Marine (R$ 7,2 bi e 7,9%); Allianz (R$ 6,8 bi e 7,4%) e BB Seguros (R$ 6,7 bilhões e 7,3%.). A receita total do segmento de Danos e Responsabilidades somou R$ 91,2 bilhões em 12 meses até janeiro.

Já o segmento de Pessoas (Vida e Previdência) movimentou R$ 192,3 bilhões em contratos, em 12 meses fechados em janeiro deste ano. Também pelo critério de grupo econômico e tamanho de market share – respectivamente -, os cinco primeiros do ranking nesse segmento foram BB Seguros (R$ 51,4 bi e 26,7%); Bradesco (R$ 38,5 bilhões e 20%); Caixa Seguros (R$ 36,8 bi e 19,1%); Zurich (R$ 17,7 bilhões e 9,2%); e Itaú (R$ 13,5 bilhões e 7%).

Publicidade

Em Capitalização, o faturamento de 12 meses até janeiro acumulou R$ 24,4 bilhões. Os cinco grupos econômicos que mais contribuíram para o resultado foram Bradesco (R$ 5,6 bilhões e 22,8%); BB Seguros (R$ 4,3 bi e 17,6%); Santander (3,8 bi e 15,5%); Itaú (2,7 bi e 11,1%); e Icatu (R$ 2,2 bi e 9,1%)

No segmento de Saúde Suplementar, as maiores receitas em 12 meses encerrados em setembro (último dado divulgado pela ANS) foram os seguintes grupos econômicos: Bradesco (R$ 30,7 bilhões e 12,8%); Sulamérica ( R$ 21,8 bi e 9,1%); Amil (R$ 19,9 bi e 8,3%); Notredame Intermédica (R$ 9,8 bi e 4,1%); e Hapvida (R$ 7 bi e 2,9%).

Artigos Relacionados