Como a Automação Inteligente pode ajudar sua empresa

Negócios que não tiveram seus processos interrompidos perderam eficiência devido à realocação em função da migração de foco não planejada

Estamos em uma crise global sem precedentes na história recente. Todas as cadeias produtivas estão sendo impactadas e, independente do segmento, é difícil encontrar empresas que tenham se preparado com plano de contingência para manterem os seus objetivos estratégicos diante desse cenário. Até mesmo negócios que não tiveram seus processos interrompidos perderam eficiência devido à realocação em função da migração de foco não planejada.

Publicidade
Seguro PASI

Como fazer, então, para reestruturar sua empresa para que ela não só sobreviva à crise pós-pandemia, mas continue eficiente e gerando lucro?

Antes mesmo da crise atual, investir em automação inteligente apresentava-se como excelente oportunidade para aumentar a eficiência operacional de uma empresa, com custo acessível e retorno em prazo seguro. Hoje, novos modelos de negócios ofertados pelas empresas de automação de processos fazem-se ainda mais significativos para a retomada de projetos e crescimento.

“Uma das principais vantagens de implementar a automação robótica é recuperar a eficiência perdida pela diminuição da força de trabalho. Num momento em que os organogramas estão extremamente enxutos, podemos concentrar os trabalhos rotineiros de processos negócios na automação e realocar os colaboradores para tomadas de decisão, por exemplo”, avalia André Scher, CEO da Auctus.ai Inteligência Aumentada.

Publicidade
Europ Assistance Brasil

Scher comenta que a implementação é rápida e de baixo custo. “Os robôs capturam dados, acessam e se comunicam com outros sistemas com o objetivo de executar uma grande variedade de tarefas dentro de processo de negócio. Com o RPA (Robotic Process Automation) podemos criar trabalhadores digitais que ficam disponíveis 24 horas por dia. Sua implementação aumenta a eficiência do processo e diminui o custo operacional”.

Estudos recentes apontam que a economia é significativa: reduções de esforço e tempo de execução das tarefas da ordem de 30%-40%, potencialmente alcançando taxas superiores a 60% com a automação de serviços cognitivos. Além do componente de custo observamos aumento na satisfação de cliente e redução de erros nos processos de negócio.

Para saber se uma empresa se qualifica para investir em plataformas de automação, o executivo orienta; “Qualquer processo de alto volume, orientado por regras de negócios e repetível, se qualifica para automação. Os modelos são aplicáveis em todos os processos de uma empresa, como RH, Vendas, Financeiro. Em RH é possível alcançar até 80% de redução dos esforços; em TI, Finanças e Contabilidade, até 60%. Eles fazem login em aplicativos, movem arquivos e pastas, copiam e colam dados de um sistema bancário para outro, preenchem formulários, extraem dados estruturados e semiestruturados de documentos, exploram navegadores e muito mais”.

Segundo previsão do Gartner, nos próximos dois anos, 72% das organizações trabalharão com a RPA. Em sua pesquisa anual, a Deloitte afirma que 53%, das empresas já estão começando suas iniciativas de RPA e prevê uma taxa de mais de 70% nos próximos dois anos e que em 2023 RPA terá uma adoção em praticamente todas as empresas;

Cabe ressaltar, no entanto, a importância da escolha da plataforma adequada, para que o investimento realmente valha a pena. “Os principais líderes da empresa devem definir quais funcionalidades da plataforma são mais importantes. A importância de cada funcionalidade será considerada para a comparação das diversas plataformas existentes no mercado ou mesmo com um projeto de desenvolvimento próprio, assim como as orientações estratégicas de TI”, orienta Scher.

Em um cenário econômico especialmente complexo, criar uma cultura de busca incansável de eficiência, redução de custos é fundamental para sobreviver à crise. No pós-crise, o legado criará uma empresa muito mais competitiva.

Artigos Relacionados