Demanda por seguro de cargas agrícolas quase dobra em 2022

Akad Seguros registra aumento de 72% na arrecadação com clientes do transporte de fertilizantes, soja e outros insumos

A Akad Seguros, uma das maiores seguradoras do Brasil em serviços para transportadores e embarcadores, vem ampliando de forma significativa sua arrecadação com transportadores do Agronegócio. De janeiro a julho de 2022, a companhia já soma 18,6 milhões em prêmios de seguro pagos por empresas que transportam cargas agrícolas. O valor é 72% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

Publicidade
Viver Bem Corretora de Seguros no JRS

Na avaliação da companhia, a atividade ficou mais suscetível a imprevistos em razão da disparada do valor das cargas e da incidência de roubos nas estradas brasileiras, o que aumentou a procura pelo seguro. O fenômeno começou em 2020 com a pandemia, mas ganhou ainda mais força a partir de fevereiro desde ano com a guerra entre Rússia e Ucrânia, dois dos principais fornecedores de fertilizantes no mercado global.

“Com a carga mais valiosa, as quadrilhas passaram a se organizar mais para monitorar as rotas de escoamento da produção”, alerta o presidente da Akad, Danilo Gamboa. Ainda de acordo com o executivo, o aumento do valor da carga transportada e a crescente incidência de roubo nas estradas vem motivando as seguradoras do mercado a recalcular o risco da operação para produtores rurais e empresas do Agronegócio.

A Akad também registrou um aumento de 50% no número de pedidos de indenização, que passaram de 80 para 120. De acordo com a seguradora, o que leva o valor das indenizações a aumentar de forma mais acelerada em relação ao número de pedidos é justamente a disparada do valor das cargas transportadas, incluindo especialmente fertilizantes e commodities como a soja.

Publicidade

Gamboa explica que as indenizações pagas a clientes do Agronegócio nos últimos anos eram quase sempre ligadas a acidentes ocorridos nas estradas, uma consequência natural da falta de infraestrutura da malha viária nacional. “Os acidentes eram nossa referência para estimar o risco que o cliente estava correndo, fazer a conta e tornar a operação viável”, pondera o executivo.

Tecnologia como aliada

A Akad vem fazendo um novo mapeamento das rotas e alertando clientes sobre os trechos mais perigosos. “Temos tecnologia para rastrear os caminhões, mas muitas vezes a carga é roubada e o veículo abandonado”, diz Gamboa. O presidente revela que a companhia também iniciou testes de rastreamento para produtos agrícolas com uma espécie de isca colocada dentro dos insumos. Segundo Gamboa, o procedimento ainda complexo do ponto de vista econômico e operacional, mas pode ser um pontapé para investigação dos órgãos competentes.

A Akad Seguros vive seus primeiros momentos sob uma nova marca e novo nome após ser adquirida no final do ano passado pela GP Investimentos, uma das mais conceituadas gestoras de private equity do mundo. Segundo Gamboa, que atuava como diretor administrativo da GP desde 2006, a intenção é agregar tecnologias como a de monitoramento e inteligência artificial para criar produtos personalizados e deixar a operação mais sustentável.

Artigos Relacionados