Diretora de Transformação destaca compromisso da Liberty Seguros com a sustentabilidade e temas ASG

Daniela Bouissou compartilha visão e principais ações da seguradora em prol da sustentabilidade

O final de maio foi marcado pela celebração do Dia Nacional da Mata Atlântica e, para marcar a data, foi inaugurada a exposição ‘Big Heart Parade’, em São Paulo. Com curadoria do artista multimídia Thiago Cóstackz, a intervenção urbana reuniu 30 esculturas no formato de corações – inspiradas em espécies típicas do bioma, feitas por artistas plásticos engajados com a causa ambiental. A ação teve a Liberty Seguros entre as marcas patrocinadoras.

Publicidade
Chubb no JRS

Neste sentido, a diretora de Transformação da Liberty Seguros – Daniela Bouissou – compartilhou com o Jornal do Seguro (JRS) tudo sobre a visão e iniciativas da companhia em prol da sustentabilidade e demais aspectos envolvendo o ASG – Ambiental, Social e Governamental. “A Liberty Seguros tem um forte compromisso com a sustentabilidade e os temas de ASG são parte essencial da nossa estratégia. Diante disso, hoje temos diversos grupos internos dedicados a esses temas, planos específicos de geração de valor e apoiamos ações ambientais e sociais em prol de um mundo melhor”, explica a executiva.

Confira a entrevista completa:

JRS: Quais as principais ações da Liberty Seguros quando o assunto é sustentabilidade?

Daniela Bouissou: Todas as iniciativas de sustentabilidade da companhia fazem parte do Plano Liberty Mais Sustentável, criado em 2018. O projeto é alinhado aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) e visa alcançar 10 temas estratégicos: qualidade de serviço, crescimento sustentável, empoderamento social, seguro consciente, inovação, ética, gestão de riscos, cuidado com as pessoas e diversidade, produtos mais sustentáveis e gestão ambiental e de resíduos. Além disso, desenvolvemos um Comitê de Sustentabilidade, formado por representantes de todas as diretorias da Liberty, que lidera as ações internas relacionadas às práticas de ASG.

Na frente ambiental, especificamente, estamos constantemente atentos às mudanças do mundo e ao que podemos fazer para mitigar as consequências do aquecimento global. Um bom exemplo disso são as atividades relacionadas à compensação de carbono, em que neutralizamos 100% do carbono emitido pela nossa frota de guinchos em 2020, além das seis toneladas adicionais que compensamos a partir da compra de créditos de carbono do Projeto REDD Cikel, para evitar as emissões advindas do desmatamento de áreas amazônicas de Paragominas, no Pará.

Publicidade
Delta

Outro projeto com foco em fomentar práticas mais sustentáveis, dessa vez com as oficinas parceiras da companhia, foi a criação do Selo de Sustentabilidade da Liberty. Por meio do selo, reconhecemos 363 oficinas que atuam de forma sustentável no dia a dia, com uma boa gestão de resíduos, atenção para a emissão de CO2, captação e reutilização de água, responsabilidade social, entre outros.

Nosso compromisso com a sustentabilidade também é refletido internamente, pois incentivamos os colaboradores a adotarem práticas mais sustentáveis, além de promover essa cultura em toda a cadeia de serviços e produtos. Dentro dos hubs, por exemplo, digitalizamos cada vez mais os nossos processos, com uma redução de 50% nos equipamentos, como impressoras, e substituímos as luzes dos escritórios por fontes de LED, o que levará à diminuição de 20% no consumo de energia.

JRS: Qual objetivo em apoiar a exposição Big Heart Parade, no Memorial da América Latina?

DB: A Big Heart Parade de 2022 teve o objetivo de conscientizar as pessoas, por meio da arte, sobre a verdadeira importância de se preservar um dos nossos principais biomas, que é a Mata Atlântica. Além disso, a iniciativa fez uma homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente, data criada pela ONU para promover a ação ambiental em todo o mundo, que completou 50 anos no último dia 5 de junho.

O projeto exibe 30 esculturas no formato de coração, sendo que cada uma delas será batizada com o nome de uma espécie de flora da Mata Atlântica – algumas delas ameaçadas de extinção -, tais como: araucária, cedro-rosa, jequitibá-rosa, palmeira-juçara e pau-brasil, entre outras. Ainda, um pequeno viveiro de mudas será instalado nas bases das esculturas, em cima do totem de sustentação.

Ao final do evento foi realizado um leilão beneficente das obras em prol de projetos sociais com ligação ambiental, como a Associação Das Mulheres Rurais de Rio Dos Índios, localizada na cidade de Ceará-Mirim (RN), do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). O projeto S.O.S Terra receberá a doação das mudas com o objetivo de conduzir oficinas de reflorestamento junto às escolas públicas em regiões periféricas da cidade de São Paulo.

JRS: Qual visão da companhia sobre a importância da preservação da Mata Atlântica?

DB: Para a Liberty, as causas ambientais são muito importantes, especialmente quando o foco é a preservação de um dos nossos patrimônios nacionais. Nosso propósito é apoiar ações que gerem valor, deixem um legado positivo para a sociedade e promovam um mundo mais sustentável.

Participar da Big Heart Parade nos dá a oportunidade de agir com responsabilidade e fomentar uma causa de grande alcance para minimizar impactos ambientais, bem como dar exemplos de boas práticas de ASG. Iniciativas como essa, em parceria com a Big Heart Parade, são indispensáveis, pois além de reforçar o engajamento da Liberty com a sustentabilidade, fortalece as causas relacionadas ao meio ambiente e inspira pessoas a fazerem o bem.

Artigos Relacionados