Força feminina na ExperMed: equipe plural contribui para produtos e serviços ainda mais completos

CEO da empresa, Nadine Della Giustina concede entrevista ao JRS

Uma empresa que faz valer a diversidade de gênero como premissa na formação das equipes está, assim, possibilitando que as demandas e a própria concepção de produtos e serviços sejam alvo de diferentes olhares e pontos de vista. “Isso amplia a criatividade de um time, gerando produtos mais completos e inovadores”, ratifica a CEO da Expermed, Nadine Della Giustina. Em entrevista exclusiva, a executiva cita o produto Clic Regulação como exemplo bem sucedido de um trabalho que contou com a atuação de uma equipe plural.

Publicidade
Icatu Seguros no JRS

Colaboradoras e colaboradores tiveram participação compartilhada na concepção do Clic Regulação Expermed, único sistema do país totalmente focado em processos de regulação de sinistro para as seguradoras e um dos carros-chefe da empresa de origem gaúcha especializada em soluções tecnológicas para a área de perícias médicas e técnicas. O êxito do produto no mercado nacional depõe em favor ao projeto da Expermed em valorizar a força de trabalho feminina, tendo como critério a meritocracia. “No meio corporativo em geral, ainda não conseguimos igualar o número de mulheres nas posições de liderança quando comparado aos homens, mas acredito que essa igualdade irá acontecer com o tempo. As mulheres estão se qualificando e se capacitando para isso da mesma forma que os homens”, avalia Nadine. “Esse sim deve ser o fator que determina se uma pessoa vai ocupar uma posição de liderança: o quanto ela é qualificada para o cargo e não de qual gênero ela é”, acrescenta.

Atualmente, a empresa conta com 23 mulheres entre o time de colaboradores, sendo oito as profissionais em posição de liderança. A CEO detalha a situação, que tem marcado como diferencial de mercado, conforme, inclusive, levantamentos estatísticos recentes. “A ExperMed acolhe todas as mulheres de forma inclusiva. Todas têm voz ativa, se sentem confortáveis para dar opiniões e ideias. Não há nenhuma diferenciação entre mulheres e homens na empresa, tanto em nível de salários, quanto em posições de liderança. Todos são tratados de forma igual. Destacam-se aquelas pessoas que se capacitam, se qualificam e são proativas, independente do gênero”, salienta a executiva.

A diretriz da Expermed está em sinergia com uma projeção elaborada a partir de um estudo realizado em conjunto pelas empresas globais IFC, AXA Group e Accenture. Segundo o relatório intitulado ‘Proteção para Mulheres: seguro para as mulheres protege a todos e impulsiona o crescimento inclusivo’, até 2030 o setor de seguros deve ganhar até US$ 1,7 trilhão graças à contribuição das mulheres. Além de estar preservando a diversidade em seu ambiente interno, a Expermed se revela sintonizada com os rumos do mercado internacional.

Publicidade

Artigos Relacionados