Janeiro tem recorde de atendimentos de saúde respiratória na Unimed-Rio

Casos de covid-19 e influenza nas emergências da operadora somaram mais de 13.500 atendimentos, maior número mensal desde o começo da pandemia

A terceira onda da Covid-19, somada à grande incidência de casos de Influenza, fez com que janeiro de 2022 tenha sido o mês com o maior volume de atendimentos nas emergências para sintomas respiratórios da Unimed-Rio desde o início da pandemia no Brasil.

Publicidade
MAG Seguros

As unidades somaram mais de 13.500 atendimentos, com uma média diária superior a 440 casos. Para se ter uma ideia, em março de 2021, durante a segunda onda da doença, os mesmos espaços registraram 7.951 atendimentos: 71% a menos que o primeiro mês deste ano.

Os números foram levantados nos prontos atendimentos do Hospital Unimed-Rio, da Barra da Tijuca e de Copacabana. Vale ressaltar que essas unidades são segmentadas e disponibilizam duas filas de atendimento distintas: uma para pacientes com sintomas respiratórios e outra para as demais enfermidades. Os dados referem-se à primeira fila mencionada.

Somente no Pronto Atendimento Barra da Tijuca – a unidade com maior fluxo dentre as três -, o número de atendimentos para pacientes com sintomas respiratórios foi superior a 6.200. “Embora a maior parte dos atendimentos seja de casos mais leves, realmente sofremos um forte impacto da Covid-19 nesses espaços. Os casos de Influenza e outras doenças respiratórias também contribuíram para esse crescimento expressivo nos números”, avalia a diretora dos Prontos Atendimentos da Unimed-Rio, Denise Altomar.

Publicidade
Viver Bem Corretora de Seguros no JRS

Artigos Relacionados