Aquecimento do mercado de capitais requer especialização 465

Aquecimento do mercado de capitais requer especialização

Curso no Rio de Janeiro oferece Formação Executiva em Gestão e Investimentos

A queda da rentabilidade dos títulos da dívida pública levou a um aumento da participação ativa dos investidores no mercado financeiro. Com esse aquecimento do mercado de capitais, estão cada vez mais valorizados profissionais habilitados a abordar, de forma integrada, questões relativas aos fundamentos de gestão e decisões de investimento.

Ciente deste cenário, a ENS criou o curso Formação Executiva em Gestão e Investimentos, que atualmente tem vagas no Rio de Janeiro (RJ). O programa é voltado para profissionais liberais, investidores, executivos, profissionais da área financeira-contábil e gestores de fundos de previdência complementar aberta.

Com duração de 78 horas/aula, o curso discutirá os principais conceitos relacionados a Investimentos Financeiros, Contabilidade Empresarial, Mercado de Renda Variável, Educação Financeira e Previdência Complementar, Valuation e Geração de Valor, e Macroambiente de Negócios. As aulas acontecerão de 6 de março a 23 de maio de 2020.

Para participar é necessário que o aluno tenha nível superior completo. O investimento é de cinco parcelas de R$ 601,80.

Outras informações podem ser acessadas no site da Escola de Negócios e Seguros que também é o canal para inscrições.

Bolinhas do Rio de Janeiro comemoram o Natal 866

Bolinhas do Rio de Janeiro comemoram o Natal

Último jantar do ano será realizado no dia 21 de dezembro, no Hotel Windsor Leme, a partir das 20 horas, com a participação dos cônjuges e Papai Noel

O Clube da Bolinha do Rio de Janeiro já está em clima de festa natalina e de chegada do ano novo. O jantar que encerra as atividades de 2019 será realizado no Leme, de frente para a belíssima praia de Copacabana.

Os aniversariantes do mês de dezembro receberão no evento as homenagens dos confrades. São eles: Danilo Silveira; Karini Teixeira Rezende Madeira; João Elisio Ferraz de Campos e Anderson Guimarães de Mello. Será comemorado também o ingresso em novembro de dois novos Bolinhas: Renato Campos e Márcio Norton

As confirmações de presença devem ser feitas até 17 de dezembro. “Contamos com a presença de todos os Bolinhas para este último encontro do ano, que irá transcorrer no habitual clima de harmonia e união”, diz o reitor da confraria, Neival Freitas.

Serviço:

Data: 21 de dezembro de 2019
Horário: 20h
Endereço: Hotel Windsor Leme – Avenida Atlântica nº 656 – Leme

Fundos de pensão somam R$ 944 bilhões e rentabilidade vai a 8,18%, revela levantamento da Abrapp 368

Fundos de pensão somam R$ 944 bilhões e rentabilidade vai a 8,18%, revela levantamento da Abrapp

Patrimônio equivale a 13,4% do Produto Interno Bruto

O patrimônio dos fundos de pensão cresceu para R$ 944 bilhões, equivalentes a 13,4% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o consolidado estatístico da Abrapp (Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência Complementar).

O volume representa crescimento em comparação aos R$ 900 bilhões registrados no final do ano passado. A previsão da entidade é que o patrimônio alcance R$ 1 trilhão no primeiro semestre de 2020.

Outro destaque do consolidado estatístico da Abrapp foi o crescimento dos planos instituídos (constituídos por associações, cooperativas, sindicatos e conselhos profissionais). Nesse segmento, o número de participantes chegou ao nível recorde de 442,1 mil pessoas e o patrimônio somou R$ 12,087 bilhões, também patamar recorde. Os planos instituídos têm apresentado crescimento expressivo nos últimos anos: em 2013, por exemplo, somavam 224,7 mil participantes e o patrimônio era de R$ 2,431 bilhões.

A rentabilidade das entidades fechadas de previdência complementar foi de 8,18% no período, acima da variação 6,78% da TJP (Taxa de Juros Padrão).

Além disso, o consolidado estatístico mostrou que 146 fundos de pensão que administram 434 planos possuem superávit, em comparação aos 189 planos que têm déficit.

Marcas do Grupo Bradesco Seguros são eleitas as preferidas pelos consumidores cariocas 849

Marcas do Grupo Bradesco Seguros são eleitas as preferidas pelos consumidores cariocas

Bradesco Saúde é a vencedora pelo quarto ano seguido e Bradesco Seguros aparece pela primeira vez no topo do ranking

O Grupo Bradesco Seguros segue com motivos para comemorar a sua forte presença no Rio de Janeiro: por mais um ano consecutivo, as marcas que compõem o Grupo apareceram no Marcas Cariocas. O ranking, que revela os produtos e os serviços mais admirados e lembrados por quem mora na Cidade Maravilhosa, é realizado pelo jornal O Globo, em parceria com a Troiano Branding.

Desta vez, a Bradesco Saúde foi a marca mais lembrada na categoria “Planos de Saúde” com 32, 6 pontos. Já a Bradesco Seguros conseguiu, pela primeira vez, o lugar mais alto do pódio no segmento de “Seguros”, com 23,1 pontos.

“Desde a criação do ranking há nove anos, nossas empresas sempre figuram em posições de destaque no Marcas dos Cariocas. A grande novidade desta edição, para nós, foi o primeiro lugar no segmentos de “Seguros”. Acreditamos que essa lembrança dos cariocas é fruto da nossa visão de longo prazo com o Rio, cidade berço do nascimento do Grupo Bradesco Seguros, refletida na nossa recente mudança de sede para a região do Porto Maravilha”, destaca Alexandre Nogueira, diretor de Marketing do Grupo Bradesco Seguros.

Para eleger as empresas preferidas dos cariocas, o levantamento realizou exatas 2.049 pesquisas em diferentes bairros da cidade. Além de “Planos de Saúde”, “Seguros”, categorias como “Artigos Esportivos”, “Supermercados” e “Companhia Aérea” também foram ouvidas.

5 motivos para contratar um seguro de vida 773

5 motivos para contratar um seguro de vida

Executivo da MAPFRE desmistifica o tema e traz orientações para a aquisição da apólice

Levantamento da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg) mostra que os brasileiros estão mais atentos quanto à necessidade de possuir uma proteção de vida. Entre janeiro e setembro deste ano, a arrecadação do mercado segurador com a comercialização de produtos desse segmento cresceu 19,36%, quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o diretor de Vida, Previdência, Capitalização e Odonto da MAPFRE, André Serebrinic, entre os fatores que ajudam a popularizar o seguro estão retomada da confiança dos consumidores e a ampliação da consciência quanto à necessidade de contar uma proteção que resguarde os familiares diante de uma eventualidade. “As pessoas estão cada vez mais atentas ao planejamento financeiro e à adoção de instrumentos que permitam a sustentabilidade financeira dos dependentes, caso ocorra um acontecimento inesperado com os provedores. E isso tem feito com que os brasileiros percebam o seguro de vida como um amparo.”

Para ajudar as pessoas a aprofundarem o conhecimento sobre o seguro de vida e desmistificar o produto, o diretor da MAPFRE lista cinco motivos para os brasileiros contratarem uma proteção:

1. Indenização em vida: Os produtos contam hoje com diversas coberturas para casos de doenças graves nas quais os segurados, uma vez diagnosticada a patologia, recebem as quantias previstas no contrato para utilizar da forma que julgarem mais adequado. O produto MAPFRE Vida Você Mulher, por exemplo, prevê o pagamento da indenização em caso de câncer de mama, útero ou ovário, e conta ainda com diversos benefícios, como dicas de dieta e nutrição, serviço de babá, limpeza doméstica, reparos hidráulicos e elétricos residenciais, chaveiro, amparo psicológico e descontos em medicamentos, entre outros.

2. Indivíduos solteiros ou sem descendentes: Muitas pessoas acreditam que não precisam se preocupar com eventualidades por estarem solteiras ou por ainda não terem filhos. Contudo, o que os brasileiros esquecem é que seus pais, por exemplo, podem ser considerados como dependentes. “É importante levar em consideração todas as pessoas que dependem financeiramente de você e, a partir disso, calcular quanto cada um precisaria para manter o padrão de vida por um determinado período, caso ocorra um incidente”, explica André.

3. Seguro de vida não é caro: A ideia que o seguro de vida é item com valor elevado é mais um mito. O preço da apólice leva em consideração fatores como a idade do contratante, valor da indenização e coberturas obtidas. Por este motivo, a quantia que será paga varia de acordo com o que é adquirido. Contudo, o diretor da MAPFRE, enfatiza que o importante é a pessoa escolher o valor da proteção e as coberturas adequadas ao seu momento de vida, pois assim pagará um valor justo. “O corretor de seguro será de grande ajuda neste processo, pois ele consegue traçar o perfil da pessoa e apontar as soluções mais convenientes naquele momento.”

4. Pagamento imediato: Em muitos casos, após a morte de um familiar, é comum que os herdeiros só tenham acesso aos bens após a conclusão do inventário, que pode levar alguns meses. No seguro de vida, o pagamento da indenização aos beneficiários indicados na apólice é realizado independentemente do inventário ou da partilha de bens. Isso é um ponto importante, principalmente quando a fatalidade ocorre com o provedor da família.

5. Seguro com opção de resgate: O mercado segurador já disponibiliza soluções que permitem reaver parte do que foi pago. A MAPFRE, por exemplo, conta com um produto chamado Bien Vivir, que oferece a cobertura por sobrevivência, ou seja, após o período contratado, a pessoa poderá resgatar parte dos valores corrigidos. O grande diferencial é que o preço do seguro não aumenta com a idade, os prêmios e coberturas são corrigidos anualmente pelo IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo). Além disso, o seguro conta ainda com cobertura para casos de doenças graves.