Procura maior por crédito gera otimismo para o Dia das Mães e exige cuidados do consumidor

Movimento pode sinalizar uma maior intenção de compras na data

Os recentes aumentos nas taxas de juros não têm inibido a busca dos consumidores por crédito. Nas vésperas do Dia das Mães, pesquisas mostram que a procura por financiamento está em alta no país, especialmente no varejo. Esse movimento pode sinalizar uma maior intenção de compras na data, uma das mais esperadas pelo comércio.

Publicidade
GBOEX no JRS

Em março, a demanda por crédito pelo varejo brasileiro cresceu expressivos 31% na comparação com fevereiro e 25% na comparação com março de 2021, segundo o Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC). Quando são analisados todos os setores, incluindo bancos e financeiras, o crescimento foi de 5%, mais modesto, porém consolidando um movimento já verificado em fevereiro, quando houve alta de 21% em relação ao mesmo mês de 2021. O único segmento que apresentou queda foi o de serviços, de 22%, conforme o INDC.

As projeções para o Dia das Mães estão um pouco mais otimistas diante do abrandamento da pandemia e o retorno gradual às atividades presenciais, inclusive os encontros de família, apesar de o mundo estar vivendo um momento de incertezas e inflação generalizada por causa da guerra na Ucrânia.

Uma pesquisa divulgada pela MindMiners neste mês de abril mostrou que 80% das pessoas pretendem fazer algo especial no dia, um percentual avaliado como alto pela plataforma. O levantamento revelou também que 50% dos entrevistados pretende comprar presente para suas mães este ano.

Publicidade
Europ Assistance Brasil

O Gerente de Negócios do Banco Semear, Renato Azevedo, afirma que a expansão na demanda por crédito nos dois primeiros meses do ano no banco, que é especializado em varejo, continuou em movimento ascendente em março e abril, o que reforça as boas perspectivas para a data. “Nos meses de março e abril percebemos a mesma dinâmica de fevereiro, quando desconsideramos impacto do número de dias úteis e carnaval”, diz o porta-voz da instituição.

Segundo ele, a retomada do comércio presencial e a diminuição dos índices da pandemia trazem um otimismo cauteloso para o comércio, já que a economia global vem sendo fortemente impactada pela guerra entre Rússia e Ucrânia – com a falta de insumos e matérias-primas, os preços dos alimentos e dos produtos industrializados têm sofrido fortes aumentos. No entanto, ele lembra que “o Dia das Mães tem um grande apelo afetivo, com as pessoas não medindo esforços para homenageá-las com presentes”.

Um levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offerwise, revela que 79% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra no período — um pouco acima dos 77% observados em 2021. A expectativa da entidade é que a data movimente R$ 28,16 bilhões nos segmentos de comércio e serviços.

Cuidados para não se endividar além da conta no Dia das Mães

É exatamente por causa do apelo que presentear as mães tem nos filhos que é preciso tomar alguns cuidados para não se endividar acima da capacidade de pagamento. Veja algumas dicas importantes do Banco SEMEAR:

  • As lojas estão oferecendo diversas facilidades, mas tenha cautela para não cair em armadilhas;
  • Ao parcelar, prefira as opções de pagamento que não tenham juros ou que as parcelas caibam no seu bolso;
  • Busque promoções e negocie descontos;
  • Cuidado com o cartão de crédito: pesquise as taxas, condições e encargos;
  • Prestações pagas mensalmente por carnê podem te ajudar a fugir dos juros elevados dos cartões;
  • Se optar por contratar um empréstimo, verifique se a instituição é cadastrada no Banco Central;
  • Jamais pague para obter crédito: cobrança antecipada é proibida e, se você se deparar com ela, denuncie ao Procon;
  • Cuidado com ofertas de crédito com valores muito abaixo da média do mercado. Pode ser golpe.

Artigos Relacionados