Projeto pioneiro vai permitir compartilhamento de motos elétricas em SP

Iniciativa conta com patrocínio do Banco Santander

O Santander Brasil vai patrocinar um projeto pioneiro de compartilhamento de motos elétricas em São Paulo. A partir de 25 de janeiro, 50 scooters da montadora Riba serão distribuídas em pontos estratégicos da Zona Sul da Capital – o serviço está disponível para clientes e não clientes da instituição financeira. A iniciativa, que deve ser expandida no futuro, reforça os princípios de sustentabilidade do Banco para a mobilidade urbana. Em um ano, os veículos deixarão de lançar cerca de 20 toneladas de gás carbônico na atmosfera.

Publicidade
Chubb no JRS

A área de atuação do compartilhamento estará limitada, neste primeiro momento, à região localizada entre os bairros de Campo Belo, Vila Olímpia, Itaim Bibi, Jardim Paulistano, Jardim Paulista e Cerqueira César. Os veículos estarão disponíveis diariamente, das 6h às 23h, e poderão ser estacionados em qualquer vaga pública para motos.

“O Santander tem se dedicado cada vez mais a projetos que atentam para a melhoria da vida em grandes centros urbanos. É o caso da nossa parceria com as motos elétricas de compartilhamento, que além de auxiliar na questão da mobilidade, por serem um meio de transporte acessível para a população, melhoram o ar que respiramos”, conta Carolina Learth, responsável pela área de Sustentabilidade do Santander Brasil. Além de não emitirem gás carbônico, as motos elétricas não fazem barulho, contribuindo também para a diminuição da poluição sonora da cidade.

No aplicativo da Riba é possível, com um cartão de crédito válido, realizar o destravamento para uso. A devolução também é feita no app. Os veículos possuem seguro contra acidentes, são rastreados em tempo real, e não ultrapassam a velocidade de 50km/h. O uso de capacete é obrigatório, assim como é necessário ser maior de idade e possuir Carteira Nacional de Habilitação na Categoria A. A montadora é responsável pela troca de baterias e manutenções preventivas.

Publicidade
SulAmérica

O valor de locação será de R$ 5,90 pelos primeiros 10 minutos e R$ 0,75 por minuto adicional. Em simulação, a empresa calculou, para um mesmo trajeto, o custo de R$ 22,80 em aplicativo de transporte de carros e R$ 9,65 com as motos elétricas. De transporte público, o custo seria de R$ 4,40, mas o tempo gasto seria pelo menos quatro vezes superior ao estimado com os veículos da Riba.

Essa é a segunda parceria do Santander com a Riba. Em agosto do ano passado, o Banco financiou 36 motos elétricas da companhia num projeto-piloto da rede de pizzarias Domino’s. As motos são utilizadas por entregadores da franquia em seu delivery paulistano. O Santander também possui uma linha de financiamento para os interessados em adquirir os diversos modelos de motos elétricas da marca.

Artigos Relacionados