Rússia ataca Ucrânia; Biden fala em perda catastrófica de vidas

Ataques acontecem em cerca de dez regiões ucranianas

A Rússia partiu para o ataque contra a Ucrânia. O presidente russo Vladimir Putin anunciou operação militar pouco antes das 23h, no Brasil, 5h em horário local. Foram ouvidas explosões em diversas cidades ucranianas. Os ataques acontecem em cerca de dez regiões da Ucrânia, conforme apurado por agências de notícias internacionais.

Publicidade
Seguro PASI

Putin disse que não iria tolerar mais ameaças do vizinho e defendeu a operação para “proteger as pessoas”. Já o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, propôs lei marcial e informou – em um pronunciamento de 10 minutos – que seu país está cercado por até 200 mil soldados. “O povo ucraniano quer paz. O governo da Ucrânia quer paz e está fazendo tudo o que pode para alcançá-la”, afirmou.

Presidente dos Estados Unidos diz que Rússia é responsável pela morte e destruição

Em nota divulgada há pouco, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, evidenciou que “as orações de todo o mundo estão com o povo da Ucrânia nesta noite, que sofre um ataque não provocado e injustificado das forças militares russas. O presidente Putin escolheu uma guerra premeditada que trará uma perda catastrófica de vidas e sofrimento humano. A Rússia sozinha é responsável pela morte e destruição que este ataque trará, e os Estados Unidos e seus aliados e parceiros responderão de forma unida e decisiva. O mundo responsabilizará a Rússia”.

Biden concluiu afirmando que monitora a situação. “Continuarei recebendo atualizações regulares da minha equipe de segurança nacional. Amanhã, me encontrarei com meus colegas do G7 pela manhã e depois falarei com o povo americano para anunciar as outras consequências que os Estados Unidos e nossos aliados e parceiros imporão à Rússia por esse ato desnecessário de agressão contra a Ucrânia e a paz e a segurança globais. Também iremos coordenar com os nossos Aliados da OTAN para assegurar uma resposta forte e unida que impeça qualquer agressão contra a Aliança. Esta noite, Jill e eu estamos orando pelo corajoso e orgulhoso povo da Ucrânia”, finalizou o presidente norte-americano.

Publicidade

Artigos Relacionados